slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
CAPITULO – 19 SANÇÕES E AUXÍLIOS PowerPoint Presentation
Download Presentation
CAPITULO – 19 SANÇÕES E AUXÍLIOS

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 27

CAPITULO – 19 SANÇÕES E AUXÍLIOS - PowerPoint PPT Presentation


  • 75 Views
  • Uploaded on

CAPITULO – 19 SANÇÕES E AUXÍLIOS.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'CAPITULO – 19 SANÇÕES E AUXÍLIOS' - latoya


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide2

CAPITULO – 19 SANÇÕES E AUXÍLIOS

  • Drusoalertara-nosquantoànecessáriarenovação mental nospadrões do bem, destacando a necessidade do estudo, para a assimilação do conhecimento superior, e do serviçoaopróximo, para a colheita de simpatia, semosquaistodososcaminhosda evoluçãosurgemcomplicados e difíceis de sertransitados.
slide3

CAPITULO – 19 SANÇÕES E AUXÍLIOS

É indispensávelcompreendamosquetodo mal pornóspraticadoconscientementeexpressa, de algummodo, lesãoemnossaconsciência e todalesãodessaespéciedeterminadistúrbiooumutilação no organismoquenosexterioriza o modo de ser.

  • Emtodososplanos do Universo, somosespírito e manifestação, pensamento e forma.
slide4

CAPITULO – 19 SANÇÕES E AUXÍLIOS

  • Da menteclareadapelarazão, sede dos princípiossuperioresquegovernam a individualidade, partem as forçasqueasseguramo equilíbrioorgânico, porintermédio de raiosquevitalizamoscentrosperispiríticos, emcujosmeandros se localizam as chamadasglândulasendócrinas, que, a seuturno, despedemrecursosquenosgarantem a estabilidade do campo celular.

O homemnãoignoraque as glândulas de secreçõesinternasproduzemrecursosquedecidemsobresaúde e enfermidade, equilíbrio e desequilíbrionosindivíduosencarnados.

slide5

CAPITULO – 19 SANÇÕES E AUXÍLIOS

  • É porissoque a justiça, sendoinstituto fundamental de ordem, naCriação, começainvariavelmenteemnósmesmos, emtoda e qualquerocasiãoquelhedefraudemososprincípios.
  • Milhões de pessoasentregam-se, conscientemente, à crueldade mental, cavandoruína e amarguraparasimesmas, porque o mal infligido a outrem era sempre mal queamontoavamsobre as suascabeças.
slide6

CAPITULO – 19 SANÇÕES E AUXÍLIOS

É assimque, desentrançadasdamatériadensa, aquiaportam, batidaspeloremorso e peloarrependimento, padecendofrustraçõeslamentáveis, quandonãoestacionampor tempo maisoumenoslongoemfurnasexpiatórias, nasquais, presas de antigosadversáriosou de velhoscomparsas do vício, sofremtristesalteraçõesemseuscentros de força.

slide7

CAPITULO – 19 SANÇÕES E AUXÍLIOS

O umbral, situado entre a Terra e o Céu, é uma dolorosa região de sombras, erguida e cultivadapelamentehumana, emgeralrebelde e ociosa, desvairada e enfermiça.

slide8

CAPITULO – 19 SANÇÕES E AUXÍLIOS

Os companheirosdesencarnadosquedespertam, devagarinho, para a responsabilidade de viver, passam a trabalharaqui, superandotempestades de toda a sorte, para a conquista dos méritosquedescuraramdurante a permanência no corpo, de modo a implantarem, no próprioespírito, osvaloresmorais de quenãoprescindempara a sustentação de novas e abençoadaslutas no plano material.

slide9

CAPITULO – 19 SANÇÕES E AUXÍLIOS

São as providênciasretificantes, depois de muitasquedasreiteradasnosmesmosdeslizes e deserções, queimploramosem favor de nós e emnósmesmos, quaissejam as deficiênciascongeniais com queressurgimos no berçofísico.

  • Drusoentãocomentasobre o regime de sanções.
slide10

CAPITULO – 19 SANÇÕES E AUXÍLIOS

Comportamento

Sanção

Ingestão de alcóolouproblemasdagula

Imploramcorposinclinados à estenose do piloro, à ulceraçãogástrica, aodesequilíbrio do pâncreas, à colite e àsmúltiplasenfermidades do intestinoquelhesimpõemtorturassistemáticas, emborasuportáveis, no decursodaexistênciainteira.

Comportamento

Sanção

Calúnia e maledicência

Imploramveículosfisiológicoscastigadospordeficiênciasauditivas e visuaisquelhesimpeçamrecidivasdesastrosas.

slide11

CAPITULO – 19 SANÇÕES E AUXÍLIOS

Comportamento

Sanção

Intelectuais e artistasquedespedemrecursosnaperversão dos sentimentoshumanos, porintermédiodacriação de imagensmenosdignas

Rogamaparelhoscerebrais com inibiçõesgraves e dolorosasparaquenasreflexões de temporárioostracismo, possamdesenvolver as esquecidasqualidades do coração.

slide12

CAPITULO – 19 SANÇÕES E AUXÍLIOS

Comportamento

Sanção

Homens e mulheresqueabusaram de dotes físicos, paradisseminar a loucura e o sofrimento

Solicitamcorposvulneráveisàsdermatosesaflitivas, quais o eczema e a tumoraçãocutânea, ouportadores de alterações da tireóidequeosconstranjam a reiteradaslutaseducativas.

Sanção

Comportamento

Grandesfaladoresqueconturbarammultidõesouenlouqueceramalmasdesprevenidas

Suplicamdoenças das cordasvocais

slide13

CAPITULO – 19 SANÇÕES E AUXÍLIOS

Comportamento

Sanção

E milhares de pessoasquetransformaram o santuário do sexonumaforja de perturbaçõespara a vidaalheia, arruinandolares e infelicitandoconsciências

Imploramequipamentosfísicosatormentadosporlesõesimportantes no campo genésico, experimentando, desde a puberdade, inquietantesdesequilíbriosovarianos e testiculares.

slide14

CAPITULO – 19 SANÇÕES E AUXÍLIOS

Hillárioentãoquestiona se existeminstitutosespeciaisparaprovidenciar as irregularidadesorgânicassolicitadas.

Drusorespondeafirmativamente e dizque a Bondade do Senhor é infinita e permite-nos a graça de suplicarosimpedimentos a quenosreferimos, porque o reconhecimento de nossasfraquezas e transgressõesnosfazimensobemaoespíritoendividado

slide15

CAPITULO – 19 SANÇÕES E AUXÍLIOS

  • Entretanto, mesmoquenãopedíssemos a aplicação das penas de quenecessitamos, nossaposiçãonão se modificaria, porquanto a prática do mal opera lesõesimediatasemnossaconsciência, que, entrandoemcondiçãodesarmônica, desajusta, elaprópria, oscentros de forçaemque se mantém.

Ao reencarnarmos, conduzimos conosco os remanescentes de nossas faltas, que nos partilham o renascimento, na máquina fisiológica, como raízes congeniais dos males que nós mesmos plantamos.

slide16

CAPITULO – 19 SANÇÕES E AUXÍLIOS

A alma ressurge no equipamentofísicotransportandoconsigo as própriasfalhas a se lherefletiremnaveste carnal, comozonasfavoráveis à eclosão de determinadasmoléstias.

Tambémcarregaconsigo as faculdades de criartodas as espécies de anticorpos, imunizando-se contra as exigênciasda carne, faculdadesessasquepodeampliarconsideravelmentepelaoração, pelasdisciplinasretificadoras a que se afeiçoe, pelaresistência mental oupeloserviçoaopróximo com queatraipreciososrecursosemseu favor.

slide17

CAPITULO – 19 SANÇÕES E AUXÍLIOS

Segundo Druso, a dor é o mecanismoqueutilizamosparaevoluir. Ele as classificoucomosendotrêstipos de dores:

  • DOR-EVOLUÇÃO: comoaindahabitamos um mundo de provas e expiações, a temos. Elavem de foraparadentro. Acometetantonós, humanos, comoosanimais e as plantas;
  • DOR-EXPIAÇÃO: é quando "colhemos o queplantamos". Vem de dentroparafora, sónós a temos, devido à nossaconsciência, inteligência e livrearbítrio.
slide18

CAPITULO – 19 SANÇÕES E AUXÍLIOS

DOR-AUXÍLIO

  • Quandosaímos dos eixos, amigos espirituaisnosauxiliam.
  • Segundo Druso, se caracterizampelasprolongadas e dolorosasenfermidades no envoltório material, sejaparaevitar-nos a queda no abismodacriminalidadeou, maisfrequentemente, para o serviçopreparatóriodadesencarnação, a fim de quenãosejamoscolhidosporsurpresasarrasadorasnatransiçãodamorte.
slide19

CAPITULO – 20 COMOVENTE SURPRESA

Na Mansãoda Paz, o sofrimento era a nota constanteemtodas as direções

  • Antonio Olimpio /Clarino e Leonel/ Luis
  • Pai Silas e Aida
  • Adelino e Martin
  • Leo (Ernesto e Fernando)
  • Ascanio e Lucas
  • Marina/Jorge e Zilda
  • Poliana e Sabino
  • Ildeu/Mara e Marcela

Mansãoda Paz

MasDruso, convocandotodos à prece, obtinhasuprimentos e recursos, diretrizes e bálsamos, provenientes dos PlanosSuperiores, amparando-nos a necessidadeousubtraindo-nos a indecisão.

slide20

CAPITULO – 20 COMOVENTE SURPRESA

André Luizcomentaque o orientadorda casa constituíaparaele o maiselevadopadrão de intangibilidade moral, não obstante a humildade com quepautavatodas as atitudes.

Drusodesdobrava-se, além de ser o administrador, era também o conselheirodevotado de todososassessores, o médico dos internados, o mentor das expedições e o enfermeirotolerante e simples.

slide21

CAPITULO – 20 COMOVENTE SURPRESA

E ondelhenotávamos a maisimpressionanteassiduidade era justamente à cabeceira dos desditososirmãos, recolhidosnostenebrososdesfiladeirosemque se situava a instituição.

Noite a noite, realizavaosserviçosmagnéticos, junto de Silas, identificandocriaturasinfortunadasque, a se desvairaremnassombras, haviamperdido a noção de simesmas, dementadaspelaviciaçãooutranstornadaspeloprópriodesespero.

slide22

CAPITULO – 20 COMOVENTE SURPRESA

Certanoite, pobremulhercadaverizadafoitrazidapelosenfermeiros à sala de nossasatividadeshabituaispara o socorronecessário. O corposeviciado, queimundostrapos mal cobriam, as mãoscujosdedosterminavamem forma de garras e o semblantecompletamentealteradoporterrívelhipertrofiafalavamsempalavras dos longostormentos de queforavítima.

Drusoinicia a tarefaassistencial com a aplicação de passes.

slide23

CAPITULO – 20 COMOVENTE SURPRESA

  • Foientãoque a bocahirta, arrastadahipnoticamente à movimentação, descerrou-se, de leve, e gritou:Druso!... Druso!... compadece-te de mim!...

Surpreendidos, vimos o chefedaMansãocambalear, quasedesfalecente, qual se foraatingidoporinvisíveisraios de angústia e morte.

André Luiznotouquealgo de estranhoocorria, cujosentido, de pronto, nãoconseguiaperceber

Drusobuscando se recompororousolicitandoinspiraçãodivina e voltou a conversar com a infeliz.

slide24

CAPITULO – 20 COMOVENTE SURPRESA

Ela, sem saber queestavanapresença de Druso, solicitaque o busquemparaquepossapedirperdão e queeleconseguiriaretirá-la do local dos réprobos.

Drusonaoresistindo, se desfaziaemlágrimas e Silas entãointerferiu no socorromagnéticoquestionandoquem era ela e se recordava de maisalguem

A respostafoique se chamavaAída e quesim, ela se recordava do filho das primeirasnúpcias do marido, um jovemmédicochamadoSilas.

Ele, que a princípiocontrariava-se com a presençadela, mas com o tempo tornou-se um filho do coração.

slide25

CAPITULO – 20 COMOVENTE SURPRESA

Ambos ossocorristascaíram de joelhosempranto e recordei-me danoiteemque Silas nosfalara de suahistóriacomovente.

A pobredementada era Aída, a madrastasofredora. Somente agora percebíamosque o Instrutor e o Assistentehaviamsido, entre oshomens, pai e filho...

DrusorecolheAídanosbraços e exclama: Obrigado, Senhor!... Os penitentescomoeuencontramigualmente o seudia de graças!... Agora que me devolves aocoraçãocriminoso a companheiraqueenvenenei no mundo, dá-me forçasparaqueeupossaerguê-la do abismo de sofrimento a que se precipitouporminha culpa!...

slide26

CAPITULO – 20 COMOVENTE SURPRESA

Silas, extremamenteabatido, ajudou-o a levantar-se e ambos se afastaram, carregandoconsigoaqueletrapo de mulher, com a soleneemoção de quemhaviaconquistadopreciosotroféu

No diaseguinte, Silas comentaqueDrusodeixará o cargo de orientadordaMansão a fim de se prepararparauma nova reencarnação.

Ele se juntará a suamãe e terãocomofilhos Silas e Aída, a fim de resgatarem a imensadívida, com a assistênciaamorosadamãe.