slide1
Download
Skip this Video
Download Presentation
CONCEITO DE MEDIUNIDADE E MEDIUM & ORIGEM DA MEDIUNIDADE

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 41

CONCEITO DE MEDIUNIDADE E MEDIUM & ORIGEM DA MEDIUNIDADE - PowerPoint PPT Presentation


  • 172 Views
  • Uploaded on

CONCEITO DE MEDIUNIDADE E MEDIUM & ORIGEM DA MEDIUNIDADE. Conceito de Mediunidade e Medium. Conceito de Mediunidade e Medium. O que acontece depois que nosso corpo fisico após a morte ? … continuamos pensando … queremos nos comunicar com as pessoas queridas que ficaram

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'CONCEITO DE MEDIUNIDADE E MEDIUM & ORIGEM DA MEDIUNIDADE' - hogan


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1
CONCEITO DE MEDIUNIDADE E MEDIUM

&

ORIGEM DA MEDIUNIDADE

slide3
Conceito de Mediunidade e Medium
  • O queacontecedepoisquenossocorpofisicoapós a morte?
  • …continuamospensando
  • … queremosnoscomunicar com as pessoasqueridasqueficaram
  • ….podemosvisitarnossosentesqueridos
  • …aindapodemosmodificarouagirsobre a matériaatravés do nossocorpoespiritual (perispírito)
slide4
Conceito de Mediunidade e Medium
  • “Nóssomosespíritos. Nóscontinuamospensando”

FluidoCósmico Universal

Pensamento

contínuo

espírito

Nóspensamos… nósnoscomunicamos!

slide5
Lei do Campo Mental

pensamentos

Espírito

Espírito

“Cadacriaturaassimilarásomente as influênciasqueatrae”

(MecanismosdaMediunidade de Andre Luiz por Chico Xavier & Waldo Vieira)

“Ondehápensamentoexistemcorrentesmentais. Ondehácorrentesmentaisexisteassociação”

(Evolução Entre DoisMundos de Andre Luiz por Chico Xavier & Waldo Vieira)

slide6
Mente e Perípirito: ChavedaMediunidade

ENCARNADOS

Espírito

Perispirito

Corpo

Físico

DESENCARNADOS

Perispirito

Espírito

slide7
O que é Mediunidade?

“Mediunidade é um dos atributosouhabilidades do ser humanoencarnadopeloqual se usaparacomunicar com osdesencarnados”

(Evolução Entre DoisMundos de Andre Luiz por Chico Xavier & Waldo Vieira)

slide8
Somostodos Mediums!

“Todoaquelequesente, num grauqualquer, a influência dos Espíritos é, poressefato, médium.”(O Livro do Mediums – Cap. XIV - Allan Kardec)

“Todossomosmédiuns, dentro do campo mental quenos é próprio, associando-nosàsenergiasedificantes, se o nossopensamentofluinadireçãodavida superior, ouàsforçasperturbadoras e deprimentes, se aindanosescravizamosàssombrasdavidaprimitivistaoutorturada.” (“NosDomíniosdaMediunidade” Raios, Ondas, Médiuns, Mente… – Andre Luiz / Chico Xavier)

slide9
SomostodosMédiuns! UniversalidadedaFaculdadeMedúnica

Levels of Mediunidade

Subliminal – existeoufuncionaabaixo do limiardaconsciência

Ostensivo

  • SINAIS DE MEDIUNIDADE OSTENSIVA
  • Os sinaisvariampara o infinito
  • Reaçõesemocionaisinesperadas
  • Doençaaparente
  • Calafrios
  • Indisposição moral oufísica
  • Excessivairritabilidade
slide10
O médium

A medium

Kardec utiliza-se do termo medium que era utilizada antes do advento do Espiritismo

slide11
Mediunidadefaculdadeque se desenvolveoueduca?

Kardec “A faculdademediúnica é inerenteao ser”

Educação moral do medium.

Desenvolvimentoatravésdaprática

Exemplo: Chico Xavier

Classificação de Kardec (qtoaodesenvolvimento)

slide12
Para que serve a mediunidade?

“Deus nosdeu a medunidadepara ser exercida com objetivossérios e úteis.

(Livro dos Espíritos)

Auto-IluminaçãoProgresso daHumanidadeDesenvolvimento de virtudes

Ajudar o outronosdoisplanos

slide13
Revelações Divinas– conforme o nível de entendimento dos homens do seu tempo
  • Espiritismo – amadurecimento da humanidade
  • - conhecimento de outras ciências
slide14
Os fenômenos mediúnicos sempre existiram
  • O fato do homem primitivo
  • comecar a sepultar os mortos
  • e forte indicio de crenca
  • na imortalidade da alma
                  • Enterro de flores e sementes
  • Roupas e comidas com os mortos (crenca na sobrevivencia da alma)
  • Queima do corpo para purificacao facilitando a penetracao nas esferas espirituais
slide15
CHINA – desde tempos imemoriais – evocação dos Espíritos dos ancestrais
    • EGITO – magos dos faraós realizavam prodígios
    • HEBREUS – proibição de Moisés - exercício da evocação de Espíritos
  • GRÉCIA – crença nas evocações era geral
    • Templos – pitonisas encarregadas de receber os oráculos evocando os deuses.
  • ROMANOS – prática das evocações era comum:
    • Sibilas romanas evocavam os mortos, interrogavam os Espíritos;
    • Consultadas pelos generais;
    • Empreendimento importante – decisão após seus conselhos.
  • ÍNDIA – “VEDAS”
  • Denominam-se Vedasos quatro textos, escritos em sânscrito por volta de 1500 a.C.
  • Crença na existência dos Espíritos
slide16
FENÔMENOS MEDIÚNICOS NA BIBLIA

DECÁLOGO

Recebido por Moisés

Suas palavras resumem a Lei, dada por Deus ao povo de Israel.

Êxodo, 20:2-17

Deuteronômio 5:6-21

Abraao e o sacrificio

slide17
O profeta Elias alimentou-se, graças a um anjo que lhe depositava, ao lado, pão cozido debaixo de cinza (Reis III, 19:5,6).

APARIÇÃO e TRANSPORTE

Daniel

Rei Belsazar

Escrita Direta

slide18
JESUS, TIAGO PEDRO

Materializacao

SAULO

A caminho de Damasco vê um clarão que lhe cega os olhos, cai do cavalo e ouve uma voz:

“Saulo, Saulo, por que me persegues?”

slide19
JOSE DE CUPERTINO

TERESA DE AVILA

slide20
PRECURSORES do ESPIRITISMO

No livro História do Espiritismo,

Arthur Conan Doyle considera três médiuns como precursores da Doutrina Espírita:

Emmanuel Swedenborg, Edward Irving e Andrew Jackson Davis

slide21
PLATÃO

427-428 a.C.

(Atenas)

347 a.C.

SÓCRATES

469 a.C. (Atenas)

399 a.C.

slide23
Doutrina de SÓCRATES e PLATÃO
  • O homem é uma alma encarnada
  • - Preexistência da alma
  • Sobrevivência à morte do corpo (cuidados com a alma)
  • Do m.material ao m.espiritual
  • Do m.espiritual ao m.material
  • (Reencarnação)
  • Germe da Doutrina Espírita
slide24
Florença – 1265 – 1321

Maior poeta da língua italiana

DANTE ALIGHIERI

A DIVINACOMÉDIA

Obra prima escrita entre 1307 e 1321

Narra uma odisséia pelo Inferno, Purgatório e Paraíso

Descreve cada etapa da viagem com detalhes quase visuais

slide26
EMMANUEL SWEDENBORG
  • Estocolmo-Suécia – 1688
  • Londres – Inglaterra - 1772
  • Dominava quase todo o conhecimento do seu tempo
  • Primeira visão e revelação espírita em 1743, aos 55 anos
slide27
Além de extensa cultura, Swedenborg possuía amplas faculdades mediúnicas.

“Em certa ocasião narrou um

incêndio que ocorria

em Estocolmo, quando ele se

encontrava em um jantar na

companhia de 16 pessoas em Gothenburgo, distante aproximadamente 480 km do local do incêndio.”

vidência à distância (dupla vista)

slide28
ANDREW JACKSON DAVIS

EUA – 1826 – 1910

Um dos maiores médiuns de sua época, chamado de “Allan Kardec norte-americano”.

Faculdade de ver e descrever o corpo humano.

Descrevia o fenômeno desencarnatório, a saída da alma do corpo.

slide29
Mediunidade de xenoglossia

Psicografou vários livros

Descreveu o mundo espiritual e que não há muitas diferenças entre eles

Profecias: invenção do automóvel, do avião e da máquina de escrever.

  • Em março de 1844 passou por um fenômeno de transporte: foi levado da localidade de Poughkeepsie, onde residia, até as montanhas de Catskill, cerca de 55 Km distante.
slide30
Em 31/03/1848 anotou:

“Esta madrugada um sopro fresco passou pela minha face, e ouvi uma voz suave e forte a dizer:

Irmão, um bom trabalho foi iniciado – olha!

... Fiquei pensando o que queria dizer aquela mensagem.”

Ficou conhecido como o

Profeta da Nova Revelação.

slide32
A FAMÍLIA FOX

John, Margareth e as filhas Kate e Maggie de 11 e 14 anos

3 meses após a mudança: no meio de uma noite, os golpes fortes começaram e assim continuou.

O chão dos quartos vibrava tanto que as camas tremiam. Não conseguiam dormir na casa.

slide33
31 de março de 1848

As meninas começaram a imitar fazendo batidas com seus dedos e os golpes “respondiam”.

Kate deu uma batida – uma resposta. Maggie pediu:

“Agora faça como eu, conte um, dois, três, quatro...”

O ESPÍRITO

O espírito que se comunicava era de

Charles B. Rosna,

um homem de trinta e poucos anos que havia morado e foi assassinado naquela casa, cujo corpo foi enterrado na adega.

slide34
O RELATÓRIO FINAL

“Os ruídos estão entendidos e seu exame completo mostrou de maneira decisiva que eles não são produzidos nem por um mecanismo nem por ventriloquismo, ainda que, sobre a natureza do agente que os produziram, fossem incapazes de se pronunciar.”

slide35
AS MESAS GIRANTES

1843 (Rivail - 50 a) - escritor, mestre

França - Europa - alguns lugares do mundo

NOVIDADE - MESAS GIRANTES

RIVAIL:

“Um efeito inteligente deve ter por causa uma força inteligente.”

slide37
18 de abril de 1857

O LIVRO DOS ESPÍRITOS

“... Da comparação e da fusão de todas as respostas, coordenadas, classificadas e muitas vezes retocadas no silêncio da meditação, foi que elaborei a 1ª edição de O Livro dos Espíritos .”

slide39
O NOVO – A DOUTRINA ESPÍRITA
  • . Explicação e demonstração lógica dos fatos
  • . Conhecimento da natureza dos Espíritos, de sua missão e de seu modo de agir
  • . Revelação de nosso estado futuro
slide40
Um médium

Uma mediunidade

Um exemplo a ser seguido...

slide41
BIBLIOGRAFIA
  • Arthur Conan Doyle
    • História do Espiritismo - I a V
  • Gabriel Delanne
    • O Fenômeno Espírita –1ª parte – I e II
  • Allan Kardec
    • Introdução à Doutrina Espírita – 3ª parte
  • Léon Denis
    • No Invisível – 1ª parte – IV
  • Allan Kardec
    • O Livro dos Médiuns – 2ª parte – I e II
    • O Evangelho seg. o Espiritismo - Introdução
ad