SÃO JOSÉ DO RIO PRETO, 17 DE NOVEMBRO 2009 - PowerPoint PPT Presentation

slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
SÃO JOSÉ DO RIO PRETO, 17 DE NOVEMBRO 2009 PowerPoint Presentation
Download Presentation
SÃO JOSÉ DO RIO PRETO, 17 DE NOVEMBRO 2009

play fullscreen
1 / 134
SÃO JOSÉ DO RIO PRETO, 17 DE NOVEMBRO 2009
169 Views
Download Presentation
zalika
Download Presentation

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO, 17 DE NOVEMBRO 2009

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. SÃO JOSÉ DO RIO PRETO, 17 DE NOVEMBRO 2009 CURSO BÁSICO DE EXPORTAÇAO

  2. Meta de Aprendizagem “Identificar os benefícios do comércio exterior para as micro e pequenas empresas, conhecendo os principais conceitos e instrumentos e em condições de iniciar o processo de internacionalização da sua empresa”

  3. FONTE: SECEX - 2008:estimativa FMI

  4. FONTE: SECEX

  5. IMPORTÂNCIA DA MICRO , PEQUENA E MÉDIA EMPRESA PARA O BRASIL • 98% das empresas do setor produtivo • 60% da oferta de empregos • 9% das exportações • 25% do PIB • 42% da massa salarial Fonte: SEBRAE/IBGE

  6. EXPORTAÇÃO POR PORTE DE EMPRESA PARTICIPAÇÃO % SOBRE O NÚMERO DE EMPRESAS DE 2008 Grandeempresa 4564 Grandeempresa 4564 Média empresa 5.126 Micro e pequena empresa 50,64 % Micro e Pequena empresas 10.570 Pessoa Física 620 Média empresa 24,5%

  7. EXPORTAÇÃO POR PORTE DE EMPRESA PARTICIPAÇÃO % SOBRE VALOR DE 2008 Grande empresa U$s 182,0 bi Média empresa U$s 12,0 bi Média empresa U$s 12,0 bi Micro e Pequena empresas U$s 3,7 bi Pessoa Física U$s 0,38 bi

  8. Participação das pequenas e médias empresas nas exportações 60% 48% 54% 45% 50% 9%

  9. Programa de Desenvolvimento do Comércio Exterior e da Cultura Exportadora

  10. Programa de Desenvolvimento do Comércio Exterior e da Cultura Exportadora Cultura Exportadora Quebra de paradigma Objetivos: • Aumento da base exportadora; • Fornecer informação do processo de exportação; • Sensibilizar empresários para a exportação; • Capacitar empresários e agentes; • Acompanhar e assessorar empresários.

  11. Programa Desenvolvimento do Comércio Exterior e da Cultura Exportadora • Parte integrante do Plano Plurianual 2008-2011; • Aumento da base exportadora. AÇÕES: • Aprendendo a Exportar; • Encomex; • Projeto Redeagentes; • Projeto Primeira Exportação.

  12. Aprendendo a Exportar http://www.aprendendoaexportar.gov.br Software de aprendizado interativo • Desenvolvido para os empresários de Pequeno e Médio Porte; • Possibilidade aos usuários de obter diferentes níveis de conhecimento; • Possui simuladores de Preço de exportação e do Siscomex. • Desenvolvido para os empresários de Pequeno e Médio Porte; • Possibilidade aos usuários de obter diferentes níveis de conhecimento; • Possui simuladores de Preço de exportação e do Siscomex. • Desenvolvido para os empresários de Pequeno e Médio Porte; • Possibilidade aos usuários de obter diferentes níveis de conhecimento; • Possui simuladores de Preço de exportação e do Siscomex.

  13. Cultura Exportadora Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior http://www.aprendendoaexportar.gov.br

  14. Aprendendo a Exportar Em desenvolvimento: • Pescados; • Unidades da Federação (PE, ES, MG, GO, SC, PR, CE, PA); • União Européia: • Conteúdo teórico e didático; • Panorama de mercados compradores; • Fluxograma com procedimentos práticos; • HelpDesk (tarifas e preferências).

  15. ENCOMEX ENCONTROS DE COMÉRCIO EXTERIOR OBJETIVO: Mobilizar e sensibilizar a comunidade local, principalmente os empresários, para a importância do comércio exterior e participação no contexto do comércio internacional.

  16. www.encomex.desenvolvimento.gov.br

  17. Encontros de Comércio Exterior - ENCOMEX Seminários - Despachos Executivos - Balcão de serviços Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior

  18. Palestras e Seminários Previstos - UE • Participações no ENCOMEX – 20 palestras (7) • Painéis; • Oficinas. • Seminários (1) • 15 seminários (onde não houver ENCOMEX).

  19. Projeto Redeagentes: Principais Ações • Capacitação; • Articulação institucional e setorial; • Formação de uma comunidade de prática de comércio exterior.

  20. Ações de Capacitação • Curso de Capacitação de Formadores; • Curso Básico de Exportação; • Treinamento para Agentes de Comércio Exterior; • Treinamento em EPP; • Especialização em Comércio Exterior via EAD.

  21. Treinamentos Previstos no Acordo UE • Treinamento para facilitadores de Comércio Exterior (Revisão): • Uma turma para 30 facilitadores. • Treinamentos para Agentes de Comércio Exterior (novos e antigos) • 27 treinamentos de 32 horas em 3 dias » 1 treinamento em cada UF para até 30 pessoas; • Público alvo: agentes de comércio exterior que possam difundir o conhecimento • Treinamentos em exportação para EPP: • 40 treinamentos de 24 horas em 2 dias para até 30 pessoas » 1 treinamento em cada UF e 13 distribuidos por demanda maior; • Público alvo: funcionários de empresas de pequeno e médio porte.

  22. AÇÕES DE ARTICULAÇÃO Acordos de cooperação técnica • Caixa Econômica • Correios • Suframa • União Európéia PARCERIAS PAR AREALIZAÇÃO DAS AÇÕES DO PROGRAMA • Federações de Indústria • Associações Comerciais • Secretarias de Estado • E outras entidades

  23. Projeto Primeira Exportação OBJETIVO GERAL: Promover a inserção sustentável das micro e pequenas empresas no mercado internacional, propiciando aos seus empresários um acompanhamento de todas as ações necessárias para se concretizar a primeira exportação.

  24. Projeto 1ª Exportação • Objetivos específicos: • Dar continuidade às ações do Programa Cultura Exportadora; • Preparar as micro e pequenas empresas para a realização de negócios internacionais; • Buscar uma solução integrada junto aos demais órgãos e instituições do Estado; • Sistematizar o trabalho do Agente de Comércio Exterior. Encomex Aprendendo A Exportar Redeagentes

  25. Coordenação do projeto: INSTITUIÇÕES DE APOIO MDIC COMITÊ GESTOR (CG) SECEX GOVERNO ESTADUAL DEPLA ENTIDADES DE CLASSE ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA S I G

  26. Fases do Projeto 1ª Exportação Avaliação do processo FASE PRELIMINAR Articulação das Parcerias Acordo de Cooperação Técnica Seleção do Agente 5ª FASE (03 meses) COMERCIALIZAÇÃO Negociação final com o importador e despacho da mercadoria Formação do Comitê Gestor 12 meses SIG 4ª FASE (0 2 meses) PROMOÇÃO COMERCIAL 1ª fase (02 meses) DIAGNOSTICO Seleção e avaliação da capacidade de internacionalização 3ª fase (03 meses) ADAPTAÇÕES DO PRODUTO 2ª fase (02 meses) PESQUISA DE MERCADO

  27. Como está o projeto 1º Exportação? • Em andamento: Rio Grande do Norte, Goiás e Espírito Santo; • Próximos Estados: Minas Gerais, Pernambuco e Ceará; • São acompanhadas 63 empresas dos setores: artesanato (09), Confecções (11), alimentos (27), móveis (05), entre outros; • Casos de sucesso: • Chamas (empresa de equipamentos de proteção individual) – ES; • Antenas Cristal – ES; • Nonna Pásqua (produtos alimentícios) – GO; • Pctel – GO.

  28. O EMPRESÁRIO E A INTERNACIONALIZAÇÃO DA EMPRESA

  29. INTERNACIONALIZAÇÃO Substitui-se o conceito de ser competitivo internamente por ser competitivo internacionalmente, inclusive para competir no mercado interno.

  30. Interesse da empresa Condições Financeiras Capacidade de produção(volume e qualidade) Perfeita avaliação de custos(diretos e indiretos) Noção sobre quem são os concorrentes Acompanhar as tendências do mercado(se possível a frente) Adequação do produto ao mercado AVALIAÇÃO DA EMPRESA E DO MERCADO

  31. AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE DE INTERNACIONALIZAÇÃO (Análise de SWOT)

  32. ERROS MAIS COMUNS • Falta de avaliação da capacidade de internacionalização; • Falta de estrutura de gerenciamento da exportação; • Diversificação excessiva de mercados; • Seleção errada do parceiro; • Não efetuar pesquisa e monitoramento da marca; • Não considerar as diferenças culturais; • Falta de Planejamento.

  33. A complexidade, o risco e os investimentos aumentam a necessidade de planejamento e organização de uma empresa. Internacionalização e o Planejamento da Exportação

  34. Necessidade de operar num mercado de volumes que garantam uma dimensão industrial a empresa. Pedidos casuais de importadores Melhor aproveitamento das estações Possibilidade de preços mais rentáveis Redução na carga tributária Criar competência na identificação, seleção e consolidação de mercados; Vender a qualidade empresarial e não só o produto de qualidade; Desenvolver seus negócios. PERGUNTAS QUE O EMPRESÁRIO DEVE FAZER POR QUE EXPORTAR?

  35. programação Melhor da produção Prolongamento do ciclo de vida de um produto Para diluir riscos Melhorar a imagem junto a fornecedores, bancos e clientes Para defender-se da concorrência internacional PERGUNTAS QUE O EMPRESÁRIO DEVE FAZER POR QUE EXPORTAR?

  36. Quem avaliou sua capacidade de internacionalização capacidade financeira capacidade de adequar da empresa economia de escala PERGUNTAS QUE O EMPRESÁRIO DEVE FAZER QUEM PODE EXPORTAR?

  37. Mercados mais próximos Mercados em rápido crescimento Mercados com culturas similares Mercados onde a competição será menos agressiva Grandes mercados PERGUNTAS QUE O EMPRESÁRIO DEVE FAZER PARA ONDE EXPORTAR?

  38. Após avaliar sua capacidade no projeto Programação Produção Embalagem despacho administração PERGUNTAS QUE O EMPRESÁRIO DEVE FAZER QUANDO EXPORTAR?

  39. Não considerar o mercado externo como extensão do mercado interno Obter informações sobre o processo de exportação( entidades de classe, sites,etc) Fazer uma boa seleção do mercado e parceiro Ter vontade de exportar ( atitude) PERGUNTAS QUE O EMPRESÁRIO DEVE FAZER COMO EXPORTAR?

  40. Um produto ou serviço que cumpra às exigências do comprador(importador) Obs: exporta a capacidade de entender os mercados PERGUNTAS QUE O EMPRESÁRIO DEVE FAZER O QUE EXPORTAR?

  41. Para mercados que oferecerem melhores condições e oportunidades de negócios PERGUNTAS QUE O EMPRESÁRIO DEVE FAZER PARA QUEM EXPORTAR?

  42. Verificar a existência de imposto de importação Obter informações sobre normas técnicas que inviabilizem a exportação do produto Ver aspectos Culturais e de negociação Observar se existe excesso de burocracia e moeda conversível PERGUNTAS QUE O EMPRESÁRIO DEVE FAZER EXISTEM BARREIRAS NA EXPORTAÇÃO?

  43. NO PROJETO REDEAGENTES, ALGUNS ASPECTOS DO MARKETING SERÃO USADOS COMO FERRAMENTA AUXILIAR NO PLANEJAMENTO E NA PROMOÇÃO À EXPORTAÇÃO. ESTRATÉGICA MERCADOLÓGICA

  44. ESTRATÉGIA MERCADOLÓGICA • PRODUTO • PROMOÇÃO PREÇO PRAÇA

  45. PRODUTO • Qualidade • Embalagem • Design • Marca • Adaptação

  46. CLASSIFICAÇÃO DE MERCADORIAS

  47. É a determinação, em uma tabela padronizada de códigos, do melhor enquadramento de uma mercadoria, dentro de regras estabelecidas, em um único código. CLASSIFICAÇÃO DE MERCADORIASO que é classificação de mercadorias?

  48. Acompanhamento e comparação de estatísticas entre paises Acompanhamento e comparação de estatísticas entres países; Tratamento administrativo; Acordos internacionais; Controle das importações e exportações; Cobrança dos direitos aduaneiros e outros tributos; Simplificação do comércio. CLASSIFICAÇÃO DE MERCADORIASPor quê classificar as mercadorias?