a d cada das na es unidas sobre educa o para o densenvolvimento sustent vel l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
A Década das Nações Unidas sobre Educação para o Densenvolvimento Sustentável PowerPoint Presentation
Download Presentation
A Década das Nações Unidas sobre Educação para o Densenvolvimento Sustentável

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 20

A Década das Nações Unidas sobre Educação para o Densenvolvimento Sustentável - PowerPoint PPT Presentation


  • 127 Views
  • Uploaded on

A Década das Nações Unidas sobre Educação para o Densenvolvimento Sustentável. Em direcção as Linhas de Orientação para a Participação da África Austral na Década das Nações Unidas sobre Educação para o Desenvolvimento Sustentável. Informação de Base e Orientação.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'A Década das Nações Unidas sobre Educação para o Densenvolvimento Sustentável' - yaron


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
a d cada das na es unidas sobre educa o para o densenvolvimento sustent vel

A Década das Nações Unidas sobre Educação para o Densenvolvimento Sustentável

Em direcção as Linhas de Orientação para a Participação da África Austral na Década das Nações Unidas sobre Educação para o Desenvolvimento Sustentável

vis o da d cada das na es unidas
Visão da Década das Nações Unidas

“Um mundo onde toda gente tem a oportunidade de beneficiar de educação e aprender os valores, comportamentos e estilos de vida necessários para um futuro sustentável e para uma transformação positiva da sociedade.”(UNESCO, 2005)

objectivos da d cada
Objectivos da Década
  • Dar um perfil importante ao papel central que a educação e aprendizagem têm no alcance do desenvolvimento sustentável;
  • Facilitar as ligações e intercâmbio, partilha e interacção entre as partes interessadas em EDS;
  • Providenciar o espaço e a oportunidade para refinar e promover a visão de, e a transição para desenvolvimento sustentável – através de todas as formas de aprendizagem e consciência pública;
  • Incentivar o aumento da qualidade de ensino e aprendizagem em educação para o desenvolvimento sustentável;
  • Elaborar estratégias a todos os níveis para fortalecer a capacidade em EDS.
hist ria da d cada
História da Década
  • Conferência de Estocolmo sobre Ambiente (1972):

1997: Princípios de Educação Ambiental de Tbilisi

  • Cimeira da Terra do Rio (1992):Com enfoque na relação entre Ambiente e Desenvolvimento

1992: Cápitulo 36: Educação, formação e consciência pública – Educação Ambiental e Educação para a Sustentabilidade foram enfatizadas. Foi dada a responsabilidade a UNESCO de definir Educação para o Desenvolvimento Sustentável e encorajar os sistemas nacionais de educação a re-orientar em direcção a sustentabilidade.

1997: Conferência de Tessaloniki: A Educação para o Desenvolvimento Sustentável esteve na agenda

  • Cimeira Mundial sobre o Desenvolvimento Sustentável de Joanesburgo (2002):Com enfoque na relação entre Ambiente, Desenvolvimento e Pobreza Sócio-Económica

2005:Década das Nações Unidas sobre Educação para o Desenvolvimento Sustentável (2005): Para marcar o papel da educação em possibilitar o desenvolvimento sustentável

Todas as ‘grande organizações’ endossaram a Década (UICN, PNUA, etc.)

  • Declaração do Milénio (2000) e Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (2001):

Fortalecer a paz, desenvolvimento e direitos humanos

    • Erradicar a pobreza extrema e a fome
    • Alcançar educação primária universal (Movimento de Educação para Todos)
    • Promover igualdade de género e empoderamento de mulheres
    • Reduzir a mortalidade infanti
    • Combater o VIH/SIDA, malária e outras doenças
    • Garantir sustentabilidade ambiental
    • Construir parcerias globais para o desenvolvimento
  • Ligações entre Educação para Todos / Década das Nações Unidas para a Literacia

The Earth

Charter

Respect and care for the

community of life

Ecological integrity

Social and Economic Justice

Democracy, Non-violence

and Peace

Values agenda foregrounded

alguns debates relacionados com a d cada das na es unidas
Alguns debates relacionadoscom a Década das Nações Unidas
  • 1987: Ian Robottom critica o tecnicismo e instrumentalismo na educação ambiental. Isto está associado a uma crítica mais ampla sobre instrumentalismo na educação.
  • 1991-1993: John Fien e John Huckle introduzem perspectivas de teoria crítica na educação ambiental. Essas também são incorporadas em outras áreas como educação para o género, educação sanitária, educação sobre direitos humanos, educação para a paz, etc.
  • 1992-2002: Bob Jickling / Helen Spork e outros criticam o discurso sobre EDS por limitarem a visão e âmbito da educação – Eles notas que EDS pode aprensetar uma agenda instrumentalista para educação. A Conferência de Thessaloniki é críticada por ignorar as críticas sobre como EDS estava a ser promovida e conceptualisada.
  • 2000: A UICN conduziu um debate sobre as ‘diferenças’ entre EA e EDS. Este discurso é criticado na África Austral por ser uma oposição e por ser uma má representação dos processos de educação ambiental que estavam a endereçar questões de desenvolvimento.
  • 2003: Primeiro Congresso Mundial sobre Educação Ambiental – Dando seguimento ao encontro Global das Associações de Educação Ambiental durante WSSD. O Congresso baseou-se no discurso ambiental na EDS e permite debates críticos.
  • 2004:Pesquisa futura do PREA da SADC REEP– argumenta pelo fortalecimento do enfoque ambiental dentro do discurso de EDS, fortalecendo a agenda de justiça social e permitindo uma agenda aberta e reflexiva para educação. O documento argumenta que existe uma necessidade para uma avaliação crítica da economia política à volta do discurso sobre desenvolvimento sustentável. O documento também indica que discursos globalizantes tal como EDS têm o potencial de serem a) possibilitadores e b) limitantes.
  • 2003: Uma Revista da EEASA de diálogo sobre a Carta da Terra (www.eeasa.org.za) abre o debate sobre como é que podemos trabalhar com orientações de valores em educação. Ela recomenda abordagens abertas, reflexivas e faz avisos contra a indocrinação de pessoas na Década das Nações Unidas sobre EDS.
  • 2005: A Declaração de Conferência de Ahmedabad Declaration na Índia – basea-se na agenda de justiça social justice nos países em desenvolvimento, participação e um agenda para mudança social.
qual o plano de implementa o da unesco para a deds
Qual é o Plano de Implementação da UNESCO para a DEDS?
  • Um documento que forneça uma orientação para os governos, groupos regionais, iniciativas a nível local level– ele cria ‘o espaço para todos’ participarem na Década das Nações Unidas sobre EDS
  • Dá alguma orientação para educação & desenvolvimento sustentável
  • Dá um estrutura de valores (baseada na Carta da Terra - Earth Charter)
  • Dá algumas estratégias
  • Dá um estrutura proposta para parcerias, locais, nacionais, regionais e globais
  • Encoraja todos os interessados (ONGs, governos, Instituições de Ensino Superior, comércio, mídia, etc.) a ‘tornarem-se activos’ e contribuirem para EDS
  • Encoraja a participação & parcerias a diferentes níveis
  • Um processo aberto… para encorajar um movimento global para mudança
processo de consulta da sadc
Processo de consulta da SADC
  • O Secretariado da SADC solicitou as ‘Linhas de Orientação para a Participação da África Austral na Década das Nações Unidas sobre EDS’ – para trabalho de políticas e para prática
  • Consulta à quatro níveis:
    • Questionários individuais (veja www.sadc-reep.org.za)
    • A nível local (qualquer grupo pode ter uma consulta a nível local)
    • A nível nacional (grupos de interesse nacional)
    • A nível internacional (consultas com a SADC, UNESCO, PNUA)

Algumas das questões que até ao momento orientaram o processo:

  • Como é que a elaboração das linhas de orientação pode ser alcançada através de um processo criativo, aberto e participativo e com um orçamento limitado?
  • Como é que as linhas de orientação podem ser responsivas as questões ambientais, desafios e prioridades da região Austral de África?
  • Como é que as linhas de orientação podem ser baseadas no desenvolvimento de práticas?
  • Como é que podemos elaborar linhas de orientação que irão fortalecer e expandir as boas práticas actuais?
objectivo do workshop consulta
Objectivo do workshop / consulta

Partilhar experiências locais / nacionais que irão informar a elaboração das linhas de orientação para a participação da África Austral na Década das Nações Unidas sobre Educação para o Desenvolvimento Sustentável

slide10
Sessão 1:

Desafios Contextuais

sess o 1 trabalho de grupo sobre os desafios contextuais
Sessão 1: Trabalho de Grupo sobre os Desafios Contextuais
  • Que importantes políticas ambientais, sociais, económicas e educacionais influenciam a sua prática educacional e da sua organização?
  • Quais são as principais questões e riscos ambientais e sociais que você e a sua organização estão a tentar endereçar?
  • Quais são os maiores desafios para possibilitar o desenvolvimento sustentável no seu contexto?
slide12
Sessão 2:

Contextos Institucionais

sess o 2 grupo de trabalho para discutir experi ncias e contextos sectoriais institucionais
Sessão 2: Grupo de trabalho para discutir experiências e contextos sectoriais / institucionais
  • Descreva a sua instituição / sector e os seus principais objectivos educacionais.
  • Descreva os tipos de programas ou actividades educacionais que a sua organização / sector está engajada.
  • Que lições é que aprendeu que podem informa a prática educacional de outras pessoas na região Austral de África?
  • Quais são as principais considerações que devem ser incorporadas na proposta de linhas de orientação? (para trabalho de políticas, e para práticas de EDS).
  • Quais são as parcerias, redes e estratégias multi-disciplinares que vocês estabeleceram ou aplicam no vosso trabalho e porquê? Explique como essas trabalham.
slide14
Sessão 3:

Práticas de EDS

sess o 3 grupos de trabalho para discutir pr ticas de eds
Sessão 3:Grupos de trabalho para discutir práticas de EDS

Discuta uma ou mais das seguintes perguntas:

1. Que tipo de processos de ensino e aprendizagem (métodos, abordagens, interacções, etc.) vocês identificaram como de maior sucesso? Apresentem exemplos. Também discutam alguns dos desafios.

2. Como é que vocês encorajaram participação em práticas educacionais? Apresentem exemplos e discutam alguns dos desafios.

3. Como é que vocês abordaram os valores de ensino e o fortalecimento das relações em práticas educacionais? Apresentem exemplos de sucessos e/ou desafios.

4. Como é que vocês resolveram as questões de inclusividade (considerem alunos com necessidades especiais, inclusividade cultural, etc.) em práticas educacionais. Apresentem exemplos de sucessos e/ou desafios.

5. Como é que vocês incorporaram o enfoque na criatividade e pensamento crítico em práticas educacionais? Apresentem exemplos de sucessos e/ou desafios.

6. Como é que vocês têm trabalhado com conhecimentos locais e indígenas em práticas educacionais? Apresentem exemplos de sucessos e/ou desafios.

slide16
Sessão 4:

Apoiando e Extendendo a Prática sobre EDS

sess o 4 apoiando e extendendo a pr tica sobre eds
Sessão 4: Apoiando e Extendendo a Prática sobre EDS

Discuta um ou mais dos seguintes tópicos. É recomendado que os diferentes grupos de interesse

discutam tópicos diferentes. Use as perguntas fornecidas abaixo para orientar as discussões em cada

grupo.

Categorias para as discussões nos grupos de interesse:

  • Revisão, elaboração e uso de políticas
  • Advocacia e criação de visão
  • Intercâmbio e estabelecimento de parcerias
  • Criação de capacidades institucionais
  • Desenvolvimento profissional (formação)
  • Trabalho de desenvolvimento de currículo e programas
  • Elaboração, acesso e uso de materiais para apoio à aprendizagem
  • Tecnologias de comunicação e informação
  • Pesquisa e inovação
  • Monitoria e avaliação
  • Trabalhando de forma criativa e sustentável com os recursos disponíveis (por exemplo, financiamentos, tempo, pessoas, etc.)

Perguntas para discussão em cada grupo de interesse:

  • O que é que está a acontecer em relação ao vosso principal grupo interesse (escolha um da lista acima apresentada).
  • O que é que funcionou bem e porquê?
  • Que lições é que vocês aprenderam que pode informar a prática educacional de outras pessoas na região da África Austral?
  • Quais são as principais considerações que devem ser incorporadas na proposta de linhas de orientação? (para trabalho de políticas, e para práticas de EDS).
pr ximos passos
Próximos Passos
  • Relatório do workshop / consulta deve ser enviaoo ao PREA da SADC
  • Esboço dos documentos disponíveis no final de Setembro / princípio de Outubro
    • Documento 1:Linhas de Orientação em trabalho de políticas para a Década das Nações Unidas sobre EDS. Para influenciar o trabalho de política (um documento breve para elaboração de políticas)
    • Documento 2:Linhas de Orientação para a participação em práticas de EDS durante a Década das Nações Unidas sobre EDS.Para influenciar prática (um documento mais elaborado contendo a rica diversidade da prática e experiência na África Austral)
  • Versões imprensas no final de 2005
  • Processos de actualização regulares disponíveis em www.sadc-reep.org.za

Por favor encoraje mais consultas a nível local (caixa de ferramenta do workshop disponível em www.sadc-reep.org.za)

Por favor faça algumas sugestões de como os Documentos de Linhas de Orientação podem / devem ser disseminados

muito obrigado
Muito Obrigado!

Obrigado por participar neste worjshop e por poder partilhar as suas ideias e experiência com outros na região Austral de África.

Juntos podemos soltar e estender a criatividade e o potencial para que as pessoas da nossa região possam garantir um melhor futuro para todos!