Linguagem de Programação I – Organizar Seqüência Lógica II – Estruturar Algoritmo - PowerPoint PPT Presentation

ruth-haley
slide1 n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Linguagem de Programação I – Organizar Seqüência Lógica II – Estruturar Algoritmo PowerPoint Presentation
Download Presentation
Linguagem de Programação I – Organizar Seqüência Lógica II – Estruturar Algoritmo

play fullscreen
1 / 29
Download Presentation
Linguagem de Programação I – Organizar Seqüência Lógica II – Estruturar Algoritmo
82 Views
Download Presentation

Linguagem de Programação I – Organizar Seqüência Lógica II – Estruturar Algoritmo

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Linguagem de Programação I – Organizar Seqüência Lógica II – Estruturar Algoritmo III – Refinar Algoritmo IV - Conhecer Formas de Representação V - Conceitos de Variáveis VI - Declaração de Variáveis VII – Expressões Aritméticas VIII – Estruturas de Controle

  2. LÓGICA • Usamos a lógica para ordenare corrigir pensamentos ou ações voltadas para a solução de problemas. • Seqüência – embora as ações estejam corretas, se a seqüência estiver erradanãoserá possível realizar as ações. Colocar na seqüência: Ir de táxi para reunião • Seqüência original: • Entrar no prédio da reunião. • Sair do táxi. • Perguntar o preço da corrida. • Acenar para que o táxi pare • Informar o destino ao motorista. • Esperar o táxi. • Pagar a corrida. • Entrar no táxi. • Colocar na seqüência:

  3. LÓGICA Coerência de raciocínio, com seqüência e regularidade nos acontecimentos. Ex.: Se 3 < 5 E 7 > 5 Logo, 3 < 7 Se chove, não precisa molhar as plantas. Hoje choveu. Logo, não preciso molhar as plantas. Brasil fica na América do Sul. América do Sul fica no continente Americano. Logo, os brasileiros são sulamericanos

  4. LÓGICA de PROGRAMAÇÃO • Contextualiza a lógica na programação de computadores, buscando a melhor seqüência de ações para solucionar o problema. • Passos: • Entender o problema. • Verificar dados disponíveis. • Dividir em partes. • Definir o objetivo. Qual o resultado que se deseja alcançar • Seqüência de ações = algoritmo. • Ação é a modificação de um estado para outro. • O que preciso? Entrada • Como chego lá? Processamento • O que quero? Saída • entrada  processamento  saída

  5. Ações Primitivas – não se pode mais refiná-las. Ex.: Entrar no táxi. Esperar o táxi estacionar. Abrir a porta. Entrar no carro. Sentar no banco. Fechar a porta. Fim Entrar no táxi. Representações: Pseudocódigo – Portugol – Português Estruturado Fluxograma – representação para descrever algoritmos pequenos e médios.

  6. A função do Computador é manipular e armazenar um grande volume de dados com alta performance. CONSTANTES: Quando um dado não sofre nenhuma variação no decorrer do tempo (do início ao fim da execução). Representado entre aspas para delimitar e diferenciar. VARIÁVEIS: Um dado é Classificado como variável quando pode ser alterado durante a execução do algoritmo.

  7. A função do Computador é manipular e armazenar um grande volume de dados com alta performance. As variáveis (dados) são guardadas na memoria e para diferenciar usamos identificadores ou rótulos. Cada Variável pode guardar apenas um dado de cada vez, sempre do mesmo tipo primitivo. ex: varNome = Rita varNome  Ana O conteúdo anterior se perde e a varNome vai conter o nome Ana. Ex: inteiro: Ind; Ind  “Amarelo”; Vai dar erro um campo numérico não aceita caracter.

  8. São 4 os tipos primitivos: INTEIRO: Dado numérico pertencente ao conjunto dos números inteiros. Ex: REAL: Dado numérico pertencente ao conjunto dos números reais. CARACTER: dados composto de conjunto de caracteres alfanuméricos: numérico (0..9); alfabético (A..Z, a..z) e especiais (%, $, #, @,...) LÓGICO: Qualquer informação que possua apenas 2 situações: (SIM/NÃO), (V/F), (0,1).

  9. Tipos de Dados: Existem três tipos básicos de dados que iremos manipular nos algoritmos que iremos criar: Dados numéricos Dados literais ou alfabéticos Dados lógicos: podem assumir dois valores: verdadeiro e falso. aplicado durante o processo de tomada de decisões do computador.

  10. Variáveis: numéricas pic 9. literais ou alfanuméricas pic X. alfabéticas pic A. lógicas (V / F) pic X.

  11. Variáveis • Identificadores – indica o que está sendo armazenado. • o nome deve facilitar a associação ao conteúdo. • Variáveis – cada variável pode conter apenas 1 valor. Quando mais de um valor é inserido, o valor antigo é substituído pelo valor recente. • Tipos de Variáveis – declarar as variáveis utilizadas para que o computador reserve um espaço na memória para cada uma. • Nomes de Variáveis – • 1 ou mais caracteres • iniciar com letras • da 2ª posição em diante utilizar apenas: letras, números e hífen (entre letras( - )).

  12. Exercício: Declarar as variáveis para o cadastramento dos alunos com nome completo do aluno, o número da matrícula, o sexo, RG, a data de nascimento, o endereço do aluno, o curso, informações para contato como telefone, e-mail, indicar se é aluno novo.

  13. Comentários – são necessários para a maior clareza do programa. Ex.: Nome: alfanumérico {nome do aluno} ... Modulo-verificador-digito { valida o nº do CPF} Atribuição – armazena uma constante em uma variável. Atribui valor / conteúdo a variável. Ex.: Dt-nasc  23012000 Move 23012000 to Dt-nasc

  14. Expressões Aritméticas: A = 2; B = 6; C = 0 adição: +ou add AddAtoB(C = 8) AddAtoBgivingC (C = 8) subtração: - ou subtract SubtractAfromB (B = 4) SubtractAfromBgivingC (C = 4) multiplicação: *ou multiply MultiplyAbyBgivingC (C = 12) divisão: /ou divide DivideBbyAgivingC (C = 3) DivideAfromBgivingC (C = 3) compute: Compute Média = (nota1 + nota2) / 2

  15. ADD  Exemplo 1: ADD VALOR1 VALOR2 VALOR3 GIVING VALOR4  Exemplo 2: ADD VALOR1 VALOR2 VALOR3 TO VALOR4

  16. Multiply  Exemplo 1: Multiply VALOR1 BY VALOR2 GIVING VALOR3  Exemplo 2: Multiply VALOR1 TO VALOR2

  17. SUBTRACT  Exemplo 1: SUBTRACT 15,40 TAXA TOTAL FROM VALOR  Exemplo 2: SUBTRACT15,40 TAXA TOTAL FROM VALOR GIVING LIQUIDO

  18. Operadores Relacionais Usados para comparar 2 valores de mesmo tipo primitivo. O resultado obtido é sempre um valor Lógico (V / F). Ex: 1) 2 + 4 = 24/3 2) 25/5 < 21/3 3) 6² >= 4 + 4 + 4 + 10

  19. Operadores Lógicos Usados para comparar 2 valores de mesmo tipo primitivo. O resultado obtido é sempre um valor Lógico (V / F). Ex: 1) 2 < 5 ^ 15/3 = 5 2) F v 9/3 < 12-2 3) ~V v 3 < 5

  20. Prioridades entre Operações 1º - parenteses 2º - multiplicação, divisão 3º - soma, subtração 4º - ~, ^, v Ex.: 2 + 10 / 2 < > (2 + 10) / 2 1) 5 + 9 * 7 + 8/4 2) 1 – 4 * 3/6 – 9 3) (4 + 5) + (6 – 2 + (3 – 1))

  21. Estruturas de Controle - Seqüencial ou Linear - possui fluxo único de execução dos comandos INICIO perform leitura Perform calculo Perform Impressão Leia Aluno, Nota1, Nota2 Calcula Média Imprime Média FIM

  22. Estruturas de Controle - Condicional Controlam o fluxo de execução dos comandos. Condicional ou Decisão: Simples – possui apenas 1 opção – V If média > = 5 then “aprovado”. Composto – possui mais de 1 opção – V e F If média > = 5 then “aprovado” else “reprovado”.

  23. Estruturas de Controle - Condicional INICIO INICIO Media >= 5 Media >= 5 S Aluno “reprovado” Aluno “aprovado” Aluno “aprovado” FIM FIM

  24. Estruturas de Controle - Condicional INICIO Ler Média Media > 5 S Acima N Media = 5 S “Media =” media Média FIM N Media < 5 S Abaixo

  25. Estruturas de Controle - Repetição Controlam a repetição dos comandos. • Para determinarmos a estrutura mais adequada precisamos saber: • o nº de vezes que ocorre – Laço Contado - FOR – Para • A condição de fim – Laço Condicional - WHILE - Enquanto • UNTIL – Até que

  26. Estruturas de Controle - Repetição INICIO Laço Condicional: WHILE Enquanto faça Fim-Enquanto < 12:00h N S Assiste Aula While time < 12:00 perform Aula FIM

  27. Estruturas de Controle - Repetição INICIO Laço Condicional: Do Until – Repita ... Até que Coloca moedas N Cofrinho cheio PERFORM trata-data UNTILdata = 0. S PERFORM media-anual varying mês from 1 by 1 UNTIL mês = 12. FIM

  28. Estruturas de Controle - Repetição INICIO Laço Condicional: For Para Faça Fim-Para Tot-provas De 1 a 20 N S Corrige Prova FIM

  29. Estruturas de dados Conjunto de informações que têm o mesmo nome e o mesmo tipo primitivo de dados. Referenciados por índices. Vetor – 1 índice. Índice – valor numérico, inteiro, positivo que corresponde ao endereço de alocação de uma unidade do Vetor e da Matriz. Elemento – é o conteúdo armazenado em determinado endereço. Dimensão – é o número de índices necessários para a localização de um elemento.