Fundação Universidade Federal do Rio Grande
Download
1 / 21

Fundação Universidade Federal do Rio Grande Departamento de Ciências Fisiológicas - Farmacologia - PowerPoint PPT Presentation


  • 88 Views
  • Uploaded on

Fundação Universidade Federal do Rio Grande Departamento de Ciências Fisiológicas - Farmacologia. Glicocorticóides. Responsável: Profa. Daniela Martí Barros Colaboradores: Prof. Fernando Amarante, Profa Eli Sinnott Silva, Profa. Ana Luiza Baisch e Profa Guiomar Teixeira.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Fundação Universidade Federal do Rio Grande Departamento de Ciências Fisiológicas - Farmacologia' - henry-mcgowan


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

Fundação Universidade Federal do Rio Grande

Departamento de Ciências Fisiológicas -

Farmacologia

Glicocorticóides

Responsável: Profa. Daniela Martí Barros

Colaboradores: Prof. Fernando Amarante, Profa Eli Sinnott Silva, Profa. Ana Luiza Baisch e Profa Guiomar Teixeira.


Hipotálamo e Hipófise Anterior

  • Cada hormônio da hipófise anterior é regulado por um fator de liberação específico do hipotálamo.

  • O controle de liberação desses fatores é realizado por mecanismos de retroalimentação.

  • fator de liberação da CORTICOTROPINA (ACTH)

  • ACTH  secretado pela hipófise anterior regula a liberação de glicocorticóides pelo córtex da supra renal



Corticotropina e Esteróides Supra-renais

  • A corticotropina (ACTH) estimula a síntese e a liberação de glicocorticoídes (p. ex hidrocortisona) do córtex supra-renal (alguns androgênios)

  • O fator de liberação da corticotropina (CRF) do hipotálamo regula a liberação de corticotropina, que é regulado por fatores neurais e pelos mecanismos de retroalimentação negativa dos glicocorticóides plasmáticos.

  • A liberação de mineralocorticóides (aldosterona) do córtex da supra-renal é controlada pelo sistema de renina-angiotensina.


Principais Ações dos Glicocorticóides

AÇÕES METABÓLICAS

  • Sobre os carboidratos:  a captação e utilização da glicose e  da gliconeogênese = hiperglicemia

  • Sobre as proteínas:  catabolismo,  do anabolismo

  • Sobre os lipídios: efeito permissivo sobre os hormônios lipolíticos e redistribuição da gordura (Síndrome de Cushing)


Principais Ações dos Glicocorticóides

AÇÕES REGULADORAS

  • Sobre o hipotálamo e a hipófise anterior: ação de retroalimentação negativa, resultando em diminuição da liberação dos glicocorticóides endógenos.

  • Sobre os eventos vasculares: vasodilatação reduzida, diminuição da exsudação de líquidos.


Principais Ações dos Glicocorticóides

AÇÕES REGULADORAS

  • Sobre os eventos celulares:

  • nas áreas de inflamação aguda:  do influxo e da atividade dos leucócitos;

  • nas áreas de inflamação crônica:  da atividade nas células mononucleares,  proliferação de vasos sangüíneos,  fibrose.

  • Nas áreas linfóides:  expansão das cels T e B e ação  das cels T secretoras de citocinas.


Principais Ações dos Glicocorticóides

AÇÕES REGULADORAS

  • Sobre os mediadores inflamatórios e imunes:

  •  na produção e ação das citocinas, incluindo muitas interleucinas, TNF , GM-CSF;

  •  da produção de eicosanóides.

  •  da produção de IgG

  •  dos componentes do complemento do sangue.


Principais Ações dos Glicocorticóides

AÇÕES REGULADORAS

  • Efeitos globais:

  •  da inflamação crônica e nas reações autoimunes; entretanto, ocorre também deteriorização da cicatrização

  • deteriorização da cicatrização e  nos aspectos protetores da resposta inflamatória.


Mecanismo de Ação dos Glicocorticóides

GLICOCORTICÓIDES

Receptores intracelulares

 síntese proteica

 síntese proteica


Mecanismo de Ação dos Glicocorticóides

  • AÇÕES METABÓLICAS

  • As proteínas mediadoras são, em sua maioria, enzimas

  • AÇÕES ANTIINFLAMATÓRIAS E IMUNOSSUPRESSORAS

  • inibição da transcrição dos genes COX-2, de citocinas (interleucinas), moléculas de adesão celular e forma induzida da sintetase do óxido nítrico.

  • Bloqueio da indução mediada pela vitamina D3 do gene da osteocalcina nos osteoblastos e modificação da transcrição dos genes da colagenase


Mecanismo de Ação dos Glicocorticóides

  • AÇÕES ANTIINFLAMATÓRIAS E IMUNOSSUPRESSORAS

  • inibição da transcrição dos genes COX-2, de citocinas (interleucinas), moléculas de adesão celular e forma induzida da sintetase do óxido nítrico.

  • bloqueio da indução mediada pela vitamina D3 do gene da osteocalcina nos osteoblastos e modificação da transcrição dos genes da colagenase;

  • aumento da síntese da lipocortina-1, que é importante na retroalimentação negativa do hipotálamo e da hipófise anterior, podendo exercer ações antiinflamatórias.


Farmacocinética

  • Administração: oral, tópica e parenteral

  • Ligação às proteínas plasmáticas  globulinas de ligação dos glicocorticóides (CGB) no sangue  penetram nas cels por difusão  metabolizadas no fígado.


Efeitos Indesejáveis

  • Os efeitos indesejáveis são observados principalmente com o uso sistêmico prolongado como agentes antiinflamatórios ou imunossupressores.

  • - supressão da resposta à infecção

  • - supressão da síntese de glicocorticóides endógenos

  • - ações metabólicas

  • - Síndrome de Cushing (iatrogênica)


Efeitos Indesejáveis

Rang & Dale, 2001




Principais indicações clínicas

  • Terapia de reposição para pacientes com insuficiência renal (p. ex. doença de Addison). Ministrar juntamente com um mineralocorticóide


Principais indicações clínicas

  • Terapia antiinflamatória e imunossupressora

    -- na asma (por inalação, ou, nos casos graves, por via sistêmica)

    - topicamente, em condições inflamatórias da pele, dos olhos, ouvidos e nariz.

    - nos estados de hipersensibilidade (p. ex., reações alérgicas graves a drogas ou ao veneno de insetos)

    - em doenças auto-imunes ( lupus eritematoso sistêmico, artrite reumatóide, anemia hemolítica, púrpura trombocitopênica idiopática)

    - na prevenção da doença de enxerto - versus -hospedeiro após transplante de órgãos


Principais indicações clínicas

  • Terapia de doenças neoplásicas

    - em combinação com agentes citotóxicos no tratamento de malignidade especifícas (p.ex., Doença de Hodgkin, leucemia linfocítica aguda)

    - para reduzir o edema cerebral em pacientes com tumores cerebrais primários e metastásicos (dexametasona)

    - como componente do tratamento antiemético em combinação com a quimioterapia

    QUANDO UTILIZADOS COM AG ANTIINFLAMATÓRIOS E IMUNOSSUPRESSORES, AS AÇÕES METABÓLICAS TORNAM-SE EFEITOS INDESEJÁVEIS


ad