Universidade Estadual do Maranhão – UEMA Bacharelado em Administração - PowerPoint PPT Presentation

fawn
universidade estadual do maranh o uema bacharelado em administra o n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Universidade Estadual do Maranhão – UEMA Bacharelado em Administração PowerPoint Presentation
Download Presentation
Universidade Estadual do Maranhão – UEMA Bacharelado em Administração

play fullscreen
1 / 14
Download Presentation
Universidade Estadual do Maranhão – UEMA Bacharelado em Administração
91 Views
Download Presentation

Universidade Estadual do Maranhão – UEMA Bacharelado em Administração

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Universidade Estadual do Maranhão – UEMABacharelado em Administração Administração da Produção 2013.1

  2. Gelders & Wassenhove (1985) sugerem então que um sistema ideal seria aquele que mesclasse os três da seguinte forma : • OPT poderia ser utilizado para providenciar um realista Programa Mestre da Produção, o que não é possível com o MRP II; • MRP II poderia ser utilizado para gerar as necessidade de materiais no horizonte de planejamento; • JIT poderia ser utilizado para controlar o "chão-de-fábrica" dos itens repetitivos.

  3. Bose & Rao (1988) sugerem sistemas híbridos entre o MRP II e o JIT, onde o MRP II seria utilizado para planejar a produção e o JIT executaria as atividades de controle da produção.

  4. Bermudez (1991) também sugere a utilização conjunta do MRP II com o JIT, pois ambos fornecem um gerenciamento mais eficaz do sistema de manufatura, onde o primeiro executaria um planejamento de todos os recursos da produção e o segundo agiria como um método para alcançar-se a excelência na manufatura através da eliminação contínua dos desperdícios e da redução do lead time.

  5. Louis (1991) propõe a utilização de um sistema denominado MRP III, que é a combinação do MRP II com um módulo de controle de produção baseado nos conceitos do JIT/Kanban. Segundo o autor, este sistema apresentou os seguintes benefícios : redução dos níveis de estoques; redução das inspeções de controle de qualidade; redução do manuseio de materiais e principalmente eliminação de procedimentos que não agregavam valor ao processo.

  6. Corrêa & Gianesi (1993) consideram o MRP II mais apropriado para as atividades que envolvam níveis mais altos de controle, tais como : planejamento agregado da produção, programação mestre e planejamento de insumos, enquanto o sistema JIT é mais adequado para controlar as atividades de fábrica, visando reduzir custos de produção, redução do lead time e melhorar a qualidade dos produtos.

  7. Já Spencer (1991) sugere a adoção de alguns elementos básicos do OPT/Teoria das Restrições como uma maneira para se aumentar o desempenho do MRP II e diminuir seus problemas com as questões referente à capacidade. • A figura a seguir mostra esquematicamente a interação em um ambiente JIT, entre o sistema de planejamento e controle da produção a médio e longo prazo, feito pelo MRP II, e a curto prazo, executado pelo sistema Kanban.

  8. Interação entre o sistema de planejamento a médio e longo prazo e o sistema KanbanFonte : Gabela (1995)

  9. Interação entre o sistema de planejamento a médio e longo prazo e o sistema KanbanFonte : Gabela (1995)

  10. Todas as considerações acerca das vantagens e desvantagens da utilização, conjunta ou não, de alguns sistemas de PCP deve ser considerada, no entanto, o mais importante é a adequação desses sistemas com fatores como: a estrutura organizacional da empresa; estratégia adotada pela empresa para conquistar o mercado a que ela pertence; fatores infra-estruturais e características dos produtos produzidos pela empresa.

  11. A escolha de um determinado sistema de produção, não garante por si só, o sucesso competitivo de uma organização. Entretanto, é condição necessária para se garantir este sucesso. É necessário, então, que se conheçam todas as implicações estratégicas de suas decisões referentes ao tipo de sistema de produção e o seu modo de operação.