slide1 n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
ESTUDOS CLÍNICOS PowerPoint Presentation
Download Presentation
ESTUDOS CLÍNICOS

Loading in 2 Seconds...

  share
play fullscreen
1 / 14
Download Presentation

ESTUDOS CLÍNICOS - PowerPoint PPT Presentation

elvis-alexander
85 Views
Download Presentation

ESTUDOS CLÍNICOS

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. ESTUDOS CLÍNICOS Didática Médica - FMUSP Romy Beatriz Christmann – pós graduanda Reumatologia romy.c@uol.com.br

  2. EPIDEMIOLOGIA

  3. HISTÓRIA DA EPIDEMIOLOGIA HIPÓCRATES – Sec V a.c. “as doenças dos seres humanos provavelmente estão relacionadas ao ambiente externo e interno do indivíduo...”

  4. HIPÓCRATES Sec V a.c. Cristo

  5. HISTÓRIA DA EPIDEMIOLOGIA 1662 – Londres – John Graunt publicou “The Nature and Political Observations Made Upon the Bills of Mortality” onde analisou nascimentos e óbitos semanais e quantificou o padrão de doença na população londrina. Importante: reconhecimento do valor dos dados coletados rotineiramente = BASE DA EPIDEMIOLOGIA MODERNA

  6. HIPÓCRATES JOHN GRAUNT Sec V a.c. Ano 1662 Cristo

  7. HISTÓRIA DA EPIDEMIOLOGIA 1839 – William Farr – médico – semelhante a Graunt ele coletou dados de total população local e analisou mortalidade X dados específicos (ex: solteiros, casados, ocupações, estações). Definiu populações de risco, escolheu grupos controles para tais observações, considerou o ambiente, exposições etc.

  8. JOHN GRAUNT Ano 1662 HIPÓCRATES W. FARR Ano 1839 Sec V a.c. Distribuição e Freqüência Cristo

  9. HISTÓRIA DA EPIDEMIOLOGIA 1854 – John Snow – formulou e testou hipóteses sobre a origem da cólera em Londres a partir de dados coletados rotineiramente sobre a população e mortalidade durante 2 décadas. Utilizou uma abordagem epidemiológica moderna – causa X efeito com ênfase também nas explicações alternativas para seus achados (confusão, amostra, controle, etc). ESTUDOS EPIDEMIOLÓGICOS DE DOENÇAS INFECCIOSAS Mortalidade mundial: tuberculose, sarampo, disenteria.

  10. JOHN GRAUNT Ano 1662 Distribuição Freqüência Determinantes HIPÓCRATES W. FARR Ano 1839 Sec V a.c. J. SNOW Ano 1854 Cristo

  11. HISTÓRIA DA EPIDEMIOLOGIA • 1950 – Doll and Hill estudo caso-controle: cigarro X câncer de pulmão. • Caso-controle • Década 50 – Estudo Framingham – estudo de coorte. • Estudo coorte • Década 50 – Estudo clínico de vacina para poliomielite vacina X placebo. • Estudo clínico • BANCO DE DADOS ENORME = COMPUTAÇÃO

  12. FATOR DE IMPACTO Instituto de Informação Científica Fator de impacto = número de citações em trabalhos que o jornal recebe das publicações dos 2 últimos anos / número trabalhos publicados neste mesmo período. Índice imediato = número de citações em trabalhos que o jornal recebe das publicações do ano atual / número de trabalhos publicados neste mesmo período (impacto rápido). Tempo de meia-vida da citação = número de anos que o número de citações em trabalhos que o jornal recebe das publicações do ano atual leva para declinar em 50%.

  13. CUIDADOS!!!! • O Impacto é influenciado por: • Área de estudo • Tipo e tamanho da revista • “janela de medida” usada • Flutuam de ano/ano

  14. “A pesquisa clínica requer uma sólida base bioética como forma de encontrar respaldo da sociedade, tanto para seus pesquisadores como para o reconhecimento de seus resultados. ..... podem gerar tecnologia em saúde com retorno social, econômico e humano pela educação......” Dr. Joaquim Edson Vieira