slide1 l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA PLANO PowerPoint Presentation
Download Presentation
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA PLANO

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 59

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA PLANO - PowerPoint PPT Presentation


  • 206 Views
  • Uploaded on

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA PLANO DE ENSINO. Carlos Roberto Zanetti IMUNOLOGIA – 2007-1 ODONTOLOGIA TURMAS: 0355 A, B, C, D. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA PLANO' - daniel_millan


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

  • CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
  • DEPARTAMENTO DE MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA
  • PLANO DE ENSINO

Carlos Roberto Zanetti

IMUNOLOGIA – 2007-1

ODONTOLOGIA

TURMAS: 0355 A, B, C, D

slide2

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

  • CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
  • DEPARTAMENTO DE MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA
  • PLANO DE ENSINO
    • CÓDIGO: MIP 5210
    • NOME: IMUNOLOGIA
    • CURSO: ODONTOLOGIA
    • TURMAS: 0355A, 0355B, 0355C, 0355D
    • PROFESSORES: Carlos Roberto Zanetti (responsável); Aguinaldo Roberto Pinto; Sônia Gonçalvez Carobrez; Caroline Rigotto Borges
    • NO DE AULAS/SEMANA: 03
    • HORAS/AULA: 54 HORAS
    • HORÁRIO: 407303
slide3

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

  • CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
  • DEPARTAMENTO DE MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA
  • PLANO DE ENSINO
    • HORÁRIO DE ATENDIMENTO: a combinar
    • MIP – 3o andar – sala 310
    • fone: 37211-5206
    • - crzanetti@ccb.ufsc.br

www.lia.ufsc.br

slide6

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

  • CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
  • DEPARTAMENTO DE MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA
  • PLANO DE ENSINO
  • OBJETIVO GERAL: Possibilitar aos alunos a compreensão dos princípios básicos do funcionamento do sistema imunológico humano, propiciando, desta forma, o entendimento dos mecanismos envolvidos nas reações imunológicas in vivo e in vitro.
  • OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
  • 1.Possibilitar aos alunos a interpretação dos fenômenos imunológicos envolvidos na defesa contra microrganismos, na auto-imunidade e nas imunodeficências.
  • 2. Possibilitar aos alunos a realizacão e interpretação de testes sorológicos mais comumente utilizados em laboratório clínico.
slide7

02/05 1ª AVALIAÇÃO

06/06 2ª AVALIAÇÃO

18/07 3ª AVALIAÇÃO

PLANO DE ENSINO

AVALIAÇÃO:

·03 avaliações teórico-práticas, não cumulativas, contendo questões dissertativas e/ou de múltipla escolha, a critério do professor responsável.

slide8

PLANO DE ENSINO

AVALIAÇÃO:

  • A nota final será obtida pela média das notas das avaliações escritas e de notas atribuídas às participações nas discussões e apresentações de seminários, todas com peso igual a 1.
slide9

PLANO DE ENSINO

AVALIAÇÃO:

  • · Será acrescentado 0,5 (meio) ponto na média final daqueles alunos que comprovadamente doarem sangue em bancos de sangue oficiais. Para os alunos que, por motivos religiosos, físicos, comportamentais, ou quaisquer outros, não puderem ou não desejarem doar sangue, serão encontradas alternativas, caso a caso, em comum acordo, no início do semestre letivo.
slide10

CONTEÚDO – PROGRAMA TEÓRICO

1.Princípios Gerais da Imunologia

Imunidade Inata

Barreiras contra infecções

Células Fagocitárias e Sistema Complemento

Proteínas de Fase Aguda

Citocinas Inflamatórias

Células NK

Eosinófilos

Imunidade Específica Adquirida

Estrutura e Função dos Anticorpos

Anticorpos e Sistema Complemento

Base Celular da formação de Anticorpos

Memória Imunológica

Vacinas

Resposta Primária e Secundária

2. Moléculas de reconhecimento antigênico

As Imunoglobulinas

Os receptores dos linfócitos T (TcR)

Moléculas do complexo principal de histocompatibilidade (MHC) do homem e do camundongo

Diversidade

slide11

CONTEÚDO – PROGRAMA TEÓRICO

3. O reconhecimento do Antígeno

Interação Primária

Epítopos e determinantes antigênicos

Reações antígeno-anticorpo: afinidade, avidez e especificidade

Antígeno e linfócito B

Antígeno e linfócito T

Detecção e aplicação

Precipitação

Aglutinação

Imunoensaios com enzimas e substâncias radioativas

Western-blot

Imunofluorescência

Citometria de Fluxo

slide12

CONTEÚDO – PROGRAMA TEÓRICO

4. A resposta imune adquirida

Conseqüências do reconhecimento do antígeno:

Anatomia do sistema imune

Linfonodos

Baço

MALT

Medula óssea

Ativação de linfócitos T e B

Produção de efetores

Síntese de anticorpos

Anticorpos monoclonais

Linfocinas

Citocinas

Desenvolvimento

Na vida embrionária

Evolução da Resposta imune

slide13

CONTEÚDO – PROGRAMA TEÓRICO

5. Hipersensibilidade

Classificação de Gel e Coombs

Anticorpos anti-receptores

6. Imunidade e Infecção

Imunidade Passiva

Vacinações

Mecanismos imunes envolvidos nas infecções parasitárias

Resistência imunológica nas infecções parasitárias

Mecanismos de escape

Consequências imunopatológicas das infecções parasitárias

Defesa contra bactérias intra-celulares

Defesa contra bactérias extra-celulares

Ação da resposta imune inata

Ação da resposta imune adquirida

slide14

CONTEÚDO – PROGRAMA TEÓRICO

7. IMUNODEFICIÊNCIAS E AIDS

Imunodeficiências Primárias

Imunodeficiências Secundárias

Estrutura do vírus HIV

Efeitos da infecção sobre o sistema imune

Aspectos Clínicos da doença

slide15

CCONTEÚDO – PROGRAMA PRÁTICO

 - Normas de Segurança para trabalho no laboratório

 - Aglutinação em lâmina e tubo: Os sistemas AB0 e Rh e o fator reumatóide

- Inibição de aglutinação: métodos e aplicações. Teste imunológico da gravidez

 - Sistema complemento: atividade hemolítica AH50

slide16

METODOLOGIA

Aulas teóricas: Contam com a participação dos professores da Divisão de Imunologia citados inicialmente, que poderão utilizar recursos audio-visuais , ficando a critério do professor responsável pela aula julgar a necessidade dos mesmos.

Aulas Práticas: As aulas serão sempre executadas pelos próprios alunos, os quais serão divididos em 4 grupos por laboratório. Os técnicos da Divisão de Imunologia cuidam da preparação do material utilizado em cada aula. Serão utilizados soros de coelhos para dosagem de imunoglobulinas e complemento e kits para imunodiagnóstico (gravidez, sífilis, artrite reumatóide).

slide17

BIBLIOGRAFIA

  • FUNDAMENTOS DE IMUNOLOGIA – Ivan M. Roitt & Peter J. Delves (Guanabara-Koogan, 2004)
  • IMUNOLOGIA – Vera Calich e Celidéia Vaz (Editora Revinter, 2001)
  • IMUNOLOGIA - Eli Benjamini, Richard Coico, Geoffrey Sunshine 4ªed.(Ed. Guanabara Koogan, 2002)
  • O SISTEMA IMUNE – Peter Parham (Ed. Artmed, 2001)
slide18

O que eu espero de vocês: RESPONSABILIDADE

  • QUE CHEGUEM NO HORÁRIO!
  • QUE DESLIGUEM OS CELULARES DURANTE AS AULAS!
  • QUE PARTICIPEM ATIVAMENTE DAS AULAS, INTERROMPENDO-AS SEMPRE QUE TIVEREM DÚVIDAS!
  • QUE AVISEM COM ANTECEDÊNCIA QUANDO QUISEREM ALTERAR O CRONOGRAMA!
  • QUE NÃO “COLEM” NAS PROVAS!
  • QUE FAÇAM SUGESTÕES PARA MELHORAR O CURSO!
slide21

O estudo de todos os aspectos do sistema imune, incluindo sua estrutura e função, falhas e alterações do sistema imune, banco de sangue, imunização e transplantes de órgãos. www.als.net/als101/glossary.asp

  • Estudo dos mecanismos naturais de defesa contra doença. www.harthosp.org/cancer/glossary.html
  • Estudo do sistema imune do corpo e suas funções e alterações. uuhsc.utah.edu/healthinfo/adult/path/glossary.htm
  • Ciência que trata dos mecanismos do corpo que o protegem contra substâncias anormais ou estranhas. www.nationalmssociety.org/I%20-%20N.asp
  • Ramo da Medicina relacionado com a estrutura e função do sistema imune e técnicas laboratoriais envolvendo a interação de antígenos com anticorpos específicos.www.kurlama.com/glossary/i.html
slide22

Estudos de todos os fenômenos relacionados à resposta do corpo contra desafios antigênicos (por ex.: imunidade, sensibilidade e alergia). genencordev.zoomedia.com/wt/gcor/glossary

slide25

Um sistema complexo que é responsável por distinguir-nos de tudo o que é estranho a nós e por nos proteger contra infecções e substâncias estranhas. O sistema imune trabalha procurando e matando invasores. www.als.net/als101/glossary.asp

  • Sistema do corpo que protege contra a invasão de substâncias estranhas, tais como bactérias e vírus e de células cancerosas. www.surgery.usc.edu/divisions/hep/patientguide/glossary.html
  • O sistema de defesa contra doenças, composto de certas células brancas e anticorpos. Anticorpos são proteinas que reagem contra bactérias e outros materiais perigosos. www.harthosp.org/cancer/glossary.html
  • Sistema complexo através do qual o corpo resiste à infecções por micróbios, tais como bactérias e vírus e rejeita tecidos e órgãos transplantados. O sistema imune pode também ajudar o corpo a lutar contra alguns tipos de cancer.www.cancer.org/docroot/GRY/GRY_0.asp
  • Sistema de defesa biológico que apareceu em vertebrados para proteger contra a introdução de material estranho (tais como pólen e microrganismos invasores) e prevenir o corpo de desenvolver câncer. www.genomecanada.ca/GCglossaire/glossaire/index.asp
slide26

Complexa rede de glândulas, tecidos, células circulantes e processos que protege o corpo através da identificação de substâncias anormais ou estranhas, neutralizando-as. www.nationalmssociety.org/I%20-%20N.asp

  • Sistema de órgãos que protege um organismo de influências biológicas externas. Num sentido amplo, quase todos os órgãos têm função protetora (p.ex.: pele). No sentido mais restrito, muitos organismos superiores têm órgãos dedicados a manutenção da imunidade, como o timo. en.wikipedia.org/wiki/Immune_system
  • Rede de células brancas e produtos químicos por elas produzidas que protegem o corpo de “invasores” estranhos. Uma divisão principal é a porção “celular” que envolve células T e a porção “humoral”, que envolve células B que produzem anticorpos. As duas porções funcionam em cooperação. www.thebody.com/hivnews/aidscare/dec97/pullout.html
  • Células do sistema imune são altamente organizadas como um exército. Cada tipo de célula age de acordo com sua função. Algumas são encarregadas de receber ou enviar mensagens de ataque, ou mensagens de supressão (inibição), outras apresentam o “inimigo” ao exército do sistema imune, outras só atacam para matar, outras constroem substâncias que neutralizam os “inimigos” ou neutralizam substâncias liberadas pelos “inimigos”. http://www.afh.bio.br/imune/imune1.asp
  • Rede complexa de células e órgãos especializados que, trabalhando juntos, defendem o corpo de ataques de invasores “estranhos”, como bactérias e vírus; em algumas condições reumáticas, parece que o sistema imune não funciona corretamente e pode até atacar o próprio corpo. ww.spinehospital.com/education/gl_3.html
slide27

HISTÓRIA DA IMUNOLOGIA

http://www.pucrs.br/fabio/imunopage/historia.html

slide28

Celularistas

Humoralistas

X

LOUIS PASTEUR, 1822-1895

PAUL EHRLICH, 1854-1915

França

Alemanha

slide29

Juan Valverde de Amusco(1525 - 1588)Historia de la Composición del Cuerpo Humano", escrita em 1556

slide30

Células e órgãos especializados em defesa

Resposta imune Inata

Resposta imune específica

slide31

Células e órgãos especializados em defesa

Resposta imune Inata

Resposta imune específica

slide33

Resposta imune = PROTEÇÃO contra microrganismos invasores

  • PROBLEMAS IMUNOLÓGICOS
  • Quem são os microrganismos invasores?
  • Por que Acs nem sempre protegem?
  • Por que não conseguimos produzir novas vacinas?
  • Por que fazemos respostas inapropriadas (alergias)?
  • Por que temos doenças auto-imunes?
  • Por que rejeitamos transplantes de órgãos?
  • Por que nosso estado emocional pode influenciar a R.I.?
slide35

VÍRUS

Hepatite A

Hepatite B

Hepatite C

Herpes

Polio

Sarampo

Raiva

HIV

H5N1

Varíola

Quem são os invasores?

slide39

Quem são os invasores?

33% -Tuberculose

75% - Toxoplasmose

45 a 65% - EBV

slide42

Malária, Chagas, Leishmaniose

AIDS, Herpes

Lepra, Sífilis

Esquistossomose

Por que não conseguimos produzir vacinas eficazes?

Candidíase

slide53

Por que é importante?

  • A importância do SI para saúde;
    • Respostas imunes defeituosas tornam o organismo suscetível à sérias infecções, que podem levar a morte.
slide54

Por que é importante?

  • Vacinação é o método mais efetivo para proteger os indivíduos contra infecções, e o único método que conduziu a erradicação de uma doença humana.
slide56

Por que é importante?

  • O aparecimento da AIDS nos anos oitenta,
    • enfatizou a importância do sistema imune.
  • O impacto de imunologia vai além da proteção contra doenças infecciosas.
slide57

Por que é importante?

  • A resposta imune é a principal barreira contra o transplante de órgãos.
  • Tratamento de cânceres com base na estimulação de respostas imunes.
  • Respostas imunes anormais.
    • Causa de muitas doenças.
slide58

Por todas estas razões, o campo de Imunologia conquistou a atenção de clínicos, cientistas, e do público geral.