Download
repensando a log stica n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Repensando a Logística PowerPoint Presentation
Download Presentation
Repensando a Logística

Repensando a Logística

79 Views Download Presentation
Download Presentation

Repensando a Logística

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Repensando a Logística Unidade 04 Grupo 08D Subgrupo 1 Márcia Caroline Ferreira Gabriel Lira Carvalho Arrais

  2. Perguntas • A cadeia logística tradicional, com seus elementos atuando de forma segmentada, está fadada ao fracasso. Pressões diversas estão levando as empresas a repensar como operam os elementos de sua cadeia logística. Quais são os fatores externos mais determinantes para essa mudança? Resposta: Os fatores externos mais determinantes para o investimento na cadeia logística integrada são: ciclos de vida dos produtos mais curtos, demandas por parcerias, novos canais para os consumidores, competição externa, papel mais restrito dos distribuidores e clientes mais informados.

  3. O novo conceito de logística integrada tem o objetivo de promover o fluxo contínuo de entrada de matéria-prima (suprimento), de fabricação do bem (produção) e da saída de produto acabado até o ponto de venda (distribuição). Dessa forma atingi-se um alto nível de serviço. Qual é o foco principal dessa concepção? Resposta: Essa concepção busca fundamentalmente fazer com que a empresa ofereça um alto nível de serviço ao cliente. Dessa forma, possuir transporte eficiente, contar com os níveis mínimos de estoque necessários, levar pouco tempo para processar pedidos e oferecer serviço de entrega com nenhuma perda, tem impacto positivo sobre os clientes e conseqüentemente sobre as vendas.

  4. A logística é considerada fator estratégico para as empresas. De que forma a logística integrada beneficia uma organização? Resposta: A logística usada como fator estratégico proporciona maior agilidade aos negócios, auxilia a prever possíveis atitudes da concorrência, proporciona criação de produtos com vantagens competitivas em relação aos concorrentes.

  5. As empresas estão cada racionalizando sua base de fornecedores. Empresa e fornecedor estão estreitando suas relações e criando sistemas de parceria na busca de qualidade, preço, tempo de entrega exato, entre outros. Cite exemplos de formas de racionalização da base de fornecedores. Resposta: Como exemplos de formas de racionalização da base de fornecedores, temos: - Sistema modular de fornecimento: Neste sistema alguns fornecedores ficam responsáveis por manter abaixo de si uma cadeia de subfornecedores. Essa cadeia fornece peças e componentes para o fornecedor acima que se encarrega de montar conjuntos ou módulos e entregá-los para a empresa. - Fornecedores dentro das fábricas: Empresas estão adotando a prática de trazer os fornecedores para dentro de suas fábricas, fazendo com que a etapa final de produção seja realizada em seus perímetros.

  6. O tipo de relação arm’slengthjá não deve existir no mundo empresarial. Qual é o tipo de relação demandado pelo contexto atual do mundo globalizado? Resposta: O tipo de relação demandado no contexto atual do mundo globalizado é a relação simbiótica, na qual todo o processo é desenvolvido em cadeia; cada agente depende do perfeito funcionamento do outro. O compromisso dessa relação é de longo prazo. Com a criação de parcerias, as empresas unem forças para reduzir custos e aumentar sua competitividade no mercado.

  7. “Existe uma oportunidade real que é integrar processos por meio das fronteiras funcionais.” Explique como se dá essa integração. Resposta: Integrar processos por meio das fronteiras funcionais significa envolver toda a organização na formulação de um plano estratégico de logística que integre os fornecedores e os clientes. A integração da cadeia logística concentra-se em alinhar os processos-chave do negócio. Mercadoria e produtos fluem das fontes supridoras e vão em direção aos consumidores. As informações e os recursos correm em direção oposta, saem dos consumidores e vão até as fontes supridoras.