Download
contabilidade b sica n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
CONTABILIDADE BÁSICA PowerPoint Presentation
Download Presentation
CONTABILIDADE BÁSICA

CONTABILIDADE BÁSICA

203 Views Download Presentation
Download Presentation

CONTABILIDADE BÁSICA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. CONTABILIDADE BÁSICA Turma GTI 0103

  2. UNIDADE 2 A ESTRUTURA DO BALANÇO E AS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS

  3. OBJETIVOS DA UNIDADE 2 • Compreender como o balanço patrimonial deve ser estruturado; • Entender o mecanismo da escrituração contábil; • Conhecer as contas e o processo de apuração de resultado das entidades. Profº Ricardo luiz

  4. A ESTRUTURA DO BALANÇO PATRIMONIAL

  5. O Balanço Patrimonial de uma empresa nada mais é do que sua fotografia, que mostra a situação da mesma em um determinado momento. Profº Ricardo luiz

  6. Nessa fotografia é mostrado tudo o que a empresa possui e tudo que ela deve. Profº Ricardo luiz

  7. Bastaria a qualquer momento, para obtermos o balanço de uma empresa, entrar nela e fazer uma relação de tudo o que ela possui e tudo o que ela deve. Profº Ricardo luiz

  8. O BALANÇO PATRIMONIAL E SUA ESTRUTURA

  9. O Balanço Patrimonial das empresas é estruturado de acordo com normas estabelecidas pela legislação brasileira. Profº Ricardo luiz

  10. Recentemente, com o advento da Lei nº 11.638/07 e Medida Provisória nº 449/08, o Balanço Patrimonial sofreu uma mudança na sua estrutura e forma de apresentação. Profº Ricardo luiz

  11. Tais mudanças visam a adequação às melhores práticas contábeis internacionais - (IASB) International Accounting Standards Board. Profº Ricardo luiz

  12. Divisão do ativo em: Ativo Circulante e o Ativo não Circulante; • Divisão do passivo em: Passivo Circulante, Passivo não Circulante e o Patrimônio Líquido; • Troca de Ativo Permanente por Ativo não Circulante; • Subgrupo Intangível no Ativo não Circulante, cujos itens que o compõem são os do Imobilizado; • Retirada do Realizável a Longo Prazo e do Exigível a Longo Prazo; • Incorporação do Realizável a Longo Prazo como subgrupo do Ativo não Circulante; • Incorporação do Exigível a Longo Prazo como subgrupo do Passivo não Circulante. Profº Ricardo luiz

  13. ATIVO CIRCULANTE

  14. O Ativo Circulante corresponde à relação de bens e direitos que a empresa possui e que poderá transformar em dinheiro no prazo de até um ano. Profº Ricardo luiz

  15. O Ativo Circulante é o grupo que gera dinheiro para a empresa pagar suas contas no curto prazo. Profº Ricardo luiz

  16. ATIVO NÃO CIRCULANTE

  17. Corresponde aos itens que serão realizados ou transformados em dinheiro a longo prazo, normalmente em período superior a um ano. Profº Ricardo luiz

  18. PASSICO CIRCULANTE

  19. O Passivo Circulante é composto pelas dívidas que a empresa possui e que deverão ser pagas em período menor do que um ano. Profº Ricardo luiz

  20. PASSICO NÃO CIRCULANTE

  21. O passivo não circulante caracterizava-se pela classificação das obrigações vencíveis a mais de 365 dias da data do balanço patrimonial. Profº Ricardo luiz

  22. AS CONTAS

  23. Conta é o nome dado aos componentes patrimoniais (bens, direitos, obrigações e patrimônio líquido) Profº Ricardo luiz

  24. É por meio das contas que a contabilidade consegue desempenhar seu papel de registrar e controlar todos os acontecimentos responsáveis pela gestão de seu patrimônio. Profº Ricardo luiz

  25. Assim, conta é a representação contábil de elementos patrimoniais de natureza igual ou semelhante. Profº Ricardo luiz

  26. O PLANO DE CONTAS

  27. O conjunto de contas criado pelo contador, para atender às necessidades de registro das transações dos eventos econômicos, de forma a possibilitar a construção dos principais relatórios contábeis e atender a todos os usuários da informação • contábil. Profº Ricardo luiz

  28. Um “plano de contas” contábil tem como função principal possibilitar adequada forma de controle do patrimônio da entidade contabilizada.contábil. Profº Ricardo luiz

  29. ELABORAÇÃO DO PLANO DE CONTAS

  30. Ao montar o “plano de contas” da entidade que está sob sua responsabilidade, o contador deverá ter em mente certos parâmetros, com o intuito de construir sua ferramenta da melhor forma possível. Profº Ricardo luiz

  31. Esses cuidados têm como base os principais usuários da informação contábil. Apesar de ser sua função registrar os fatos, o contador não pode impor sua vontade na elaboração de um plano de contas Profº Ricardo luiz

  32. Podemos listar alguns cuidados básicos na elaboração de um plano de contas: Profº Ricardo luiz

  33. Atender primariamente às necessidades específicas de cada empresa e às informação dos principais usuários dos relatórios; • A classificação deve partir do geral para o particular; Profº Ricardo luiz

  34. Deve ser codificado; • Os agrupamentos devem ser feitos pensando nos relatórios que deles se originarão; Profº Ricardo luiz

  35. Os títulos das contas utilizados devem refletir imediatamente os elementos patrimoniais que representam – ser claros e sucintos; • Deve ter flexibilidade (margem para ampliação) e operacionalidade. Profº Ricardo luiz

  36. Balanço Patrimonial é composto por duas colunas. • Até a unidade anterior, elaborávamos o Balanço Patrimonial sem nenhuma preocupação com relação à ordem e organização das contas. Profº Ricardo luiz

  37. O ativo em ordem decrescente do grau de liquidez, ou seja, quanto mais líquidas (dinheiro ou transformáveis em dinheiro). Profº Ricardo luiz

  38. O passivo, as contas são organizadas em ordem decrescente do seu grau de exigibilidade, ou seja, as dívidas, quanto mais próximas à sua data de seu vencimento, em primeiro lugar serão apresentadas. Profº Ricardo luiz

  39. RAZONETES

  40. O controle individual de cada conta será efetuado por “razonetes”, que nada mais são do que uma representação em forma resumida de um Livro Contábil obrigatório utilizado pela contabilidade, chamado de Livro Razão. Profº Ricardo luiz

  41. Os razonetes possuem a seguinte representação gráfica: Profº Ricardo luiz

  42. Lado esquerdo é débito, movimentação ou lançamento do débito. • Lado direito é crédito, movimentação ou lançamento do crédito. Profº Ricardo luiz

  43. PARTIDAS DOBRADAS

  44. Para que possamos entender o funcionamento da contabilidade com a utilização dos razonetes, precisamos entender uma regra básica de movimentação dos valores nas contas. Profº Ricardo luiz

  45. A regra possui um mecanismo de funcionamento específico para as contas do Ativo, Passivo e Patrimônio Líquido e é a seguinte: Profº Ricardo luiz

  46. REGRA PARA AS CONTAS DO ATIVO Profº Ricardo luiz

  47. REGRA PARA AS CONTAS DO PASSIVO Profº Ricardo luiz

  48. REGRA PARA AS CONTAS DO PL. Profº Ricardo luiz

  49. Toda a conta, além dos movimentos de aumentos e diminuições, apresenta no final um saldo que pode ser devedor ou credor. Profº Ricardo luiz

  50. É saldo devedor quando o movimento a débito é maior que o movimento a crédito Profº Ricardo luiz