servi os geol gicos nos tr picos a experi ncia brasileira n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Serviços Geológicos nos trópicos: a experiência brasileira PowerPoint Presentation
Download Presentation
Serviços Geológicos nos trópicos: a experiência brasileira

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 28

Serviços Geológicos nos trópicos: a experiência brasileira - PowerPoint PPT Presentation


  • 119 Views
  • Uploaded on

Serviços Geológicos nos trópicos: a experiência brasileira. Serviços Geológicos.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Serviços Geológicos nos trópicos: a experiência brasileira' - king


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
servi os geol gicos
Serviços Geológicos
  • "geological surveys" – ‘marca registrada’ do desenvolvimento institucional das ciências geológicas no mundo durante o século XIX ↔ consagração do mapeamento geológico como forma de se fazer pesquisa científica neste campo disciplinar.
servi os geol gicos1
Serviços Geológicos
  • I Revolução Industrial + expansão impérios coloniais  contexto favorável ao levantamento e à cartografia de recursos naturais.
  • Vetor positivo da expansão colonial: ∃ recursos naturais  devassamento e apropriação de novas terras.
  • Interior desconhecido = terra de abundância, Eldorado
  • Fundos territoriais = áreas não devassadas; estoques p/ apropriação futura (sertões, fronteiras).
servi os geol gicos2
Serviços Geológicos
  • Objetivos: cartografia do território, levantamentos de terras para agricultura e projetos de colonização, levantamentos de recursos naturais, cadastro de propriedades agrícolas, de vias de comunicação e de núcleos urbanos
  • Exemplos nacionais: Grã-Bretanha [(1824) 1832], Canadá (1842), Irlanda (1845), Portugal (1848), Áustria (1849), Espanha (1851), India (1851), Suécia (1858), França [(1825) 1868], Itália (1868), Hungria (1869), Saxônia (1872), Prússia (1873), Japão (1878), EUA (1879), Rússia (1882), Bélgica (1882), Finlândia (1886), China (1911).
  • 126 Serviços Geológicos de 1824 a 1959 = 0,93 / ano
modelos institucionais de servi os geol gicos
Modelos institucionais de Serviços Geológicos
  • Traço comum: acentuado caráter prático, de aplicação; estatais; financiamento público.
  • Prússia: política colonial anterior à I Guerra Mundial; apoio à preparação e implementação da II Guerra Mundial
  • Hungria: mapeamento de solos adequados à vinicultura(
  • França: dados para indústria e agriculturaGrã-Bretanha: demandas sociais associadas à reforma da sociedade vitoriana [Serviço Sanitário]
modelos institucionais de servi os geol gicos eua
Modelos institucionais de Serviços Geológicos (EUA)
  • EUA: U. S. Geological Survey criado apenas em 04/03/1879
  • Estados da federação possuíam seus surveys geológicos: 1º survey norte-americano = Carolina do Norte, 1824 (modelo)
  • auxiliares na ocupação e exploração econômica (agricultura e mineração); praticamente todos os surveys incluíram levantamentos e análises de solos; enriquecimento da vida intelectual da população
  • Projeto da Comissão Geológica do Brasil: "lá não se espera a população para explorar uma região: o geólogo precede o imigrante"(Ch. Fred. Hartt, 1874)
modelos institucionais de servi os geol gicos eua aldrich 2000
Modelos institucionais de Serviços Geológicos (EUA)(Aldrich, 2000)
  • Atividades realizadas: levantamentos topográficos e respectivos mapas, mapeamento de rochas, solos e ocorrências minerais; levantamentos botânicos e zoológicos voltados à agricultura.
  • Intimamente associados às políticas de ocupação dos territórios conquistados no oeste.
  • Um dos principais motores: "o desejo de homens com interesses científicos de fazerem carreiras por si mesmos".
  • Instituições que se originaram a partir de um único geólogo contratado pelo governo estadual para desempenhar certas funções e realizar trabalhos considerados de interesse.
  • Apoio de políticos tanto democratas quanto conservadores.
servi os geol gicos no brasil
Serviços Geológicos no Brasil
  • Comissão Geológica do Brasil (CGB) - 1875
  • Comissão Geográfica e Geológica de S. Paulo (CCG-SP) - 1886
  • Comissão Geográfica e Geológica de Minas Gerais (CCG-MG) - 1891
  • Serviço Geológico e Mineralógico do Brasil (SGMB) - 1907
  • Contexto brasileiro do final do Império e da Primeira República (~ 1870 a 1930):
    • economia agro-exportadora (café)
      • Problemas: mão-de-obra; vias de transporte; terras.
    • Cientificismo (Positivismo e Evolucionismo)
comiss o geol gica do brasil
Comissão Geológica do Brasil
  • Criada em 30/04/1875 [Ministério da Agricultura, Comércio e Obras Públicas]
  • Providências ministeriais já em 1873 - 74 para a “Carta Mineralógica” = minas conhecidas + concessões de exploração:
    • "de grande conveniência é o levantamento de uma carta geológica e mineralógica para que não somente sejam bem conhecidas as riquezas do nosso solo, como também se regularize a concessão de minas. Está encarregado dos estudos necessários para esse serviço (...) o ilustre geólogo Ch. Fred. Hartt, professor da universidade de Cornell, (...) A esse distinto professor se reunirão alguns nacionais que, sob sua inteligente direção, poderão completar praticamente seus estudos sobre um objeto de tanto interesse para o país" .
comiss o geol gica do brasil1
Comissão Geológica do Brasil

. Fredericton, New Brunswick (Canadá) a 23/08/1840

.  Rio de Janeiro, RJ (Brasil) a 18/03/1878

. 1863 - Museu de Zoologia Comparativa em Cambridge, Massachusetts

. 1865 – Expedição Thayer (1867)

. 1870 - "Geology and Physical Geography of Brazil"

. 1868 – 1º professor de Geologia na Universidade de Cornell, NY

comiss o geol gica do brasil2
Comissão Geológica do Brasil

Objetivos: “realizar estudos preparatórios para o levantamento de uma carta geológica do Império; dirigir estes estudos de modo a conhecer a estrutura geológica do país, sua paleontologia, riquezas minerais e meio de explorá-las; completar estes trabalhos com a análise das rochas, minerais, terrenos e águas que puderem ser aproveitadas; finalmente, estudar a arqueologia

e etnologia das tribos existentes,

colhendo e classificando amostras

que as ilustrem convenientemente”.

comiss o geol gica do brasil4
Comissão Geológica do Brasil

Início dos trabalhos: 10/06/1875 – Pernambuco, Pará, Alagoas, Sergipe, Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Minas Gerais e Fernando de Noronha (até 1877).

Aviso de 11/05/1877 informava extinção (efetivada em 01/1878)

Hartt "falhou" em dois pontos de sua estratégia:

. descompasso entre o que foi produzido e o que dela esperava o Governo;

. incapaz de fornecer previsão a respeito do andamento das atividades: “acho-me extremamente embaraçado em formular uma proposta definitiva para o futuro. (...) Confesso que não me é possível marcar o prazo em que podia ser feito”.

comiss o geol gica do brasil5
Comissão Geológica do Brasil

“Falta de aplicabilidade”  corte $$$ = não foram privilégio do Brasil:

1892 – USGS: "quando a manhã da Ressurreição chegar, algum paleontólogo ainda estará buscando um novo espécime de seres extintos, até então desconhecido, e algum geólogo estará quebrando rochas ... Não há fim para isso” (senador Hilary Herbert)

Relatórios ministeriais: CGB sempre mencionada como Carta Geológica

Extintas outras comissões: Carta Geral do Império e da Carta Itinerária ($ $ $ $ $ $ $ $ $.......)

comiss o geogr fica e geol gica de s o paulo
Comissão Geográfica e Geológica de São Paulo
  • 27 de março de 1886 (proposta do Visconde do Pinhal)
  • Objetivos: obtenção de informações "exatas e minuciosas" sobre a geografia, relevo, estrutura geológica, vias de comunicação, riquezas minerais e tipos de solo
comiss o geogr fica e geol gica de s o paulo1
Comissão Geográfica e Geológica de São Paulo

.  Ithaca, NY (EUA) a 23/07/1851

.  Rio de Janeiro, RJ (Brasil) a 27/11/1915

. 1869: Universidade de Cornell (História Natural)

. Aluno de Geologia e Paleontologia de Charles Frederic Hartt (1840-1878)

. 1870-71: Expedições Morgan

. 1877-1890: Museu Nacional, RJ

. 1879: Comissão Hidráulica do Império (S. Francisco)

comiss o geogr fica e geol gica de s o paulo2
Comissão Geográfica e Geológica de São Paulo
  • Orientação “naturalista” até 1905
  • Geografia, Geologia, Botânica, Topografia, Meteorologia, Zoologia, Arqueologia
  • 1ª expedição: rios Itapetininga, Paranapanema e afluentes (navegabilidade + obras) (07/04/1886)
  • carta geográfica, geológica e topográfica: "examinar as extensas erupções de rocha ígnea que pela decomposição fornece a terra roxa, fonte principal da atual riqueza da Província"
comiss o geogr fica e geol gica de s o paulo3
Comissão Geográfica e Geológica de São Paulo
  • 1905 - exploração do ‘sertão’ de São Paulo: “terrenos desconhecidos habitados por índios”
  • João Pedro Cardoso
  • 4 expedições:
    • Rios Feio e Aguapeí – partida 10 de maio
    • Rio Paraná – partida 19 de maio
    • Rio do Peixe – partida 21de maio
    • Rio Tietê – partida 24 de maio
servi o geol gico e mineral gico do brasil
Serviço Geológico e Mineralógico do Brasil
  • 10 de janeiro de 1907 (Miguel Calmon du Pin e Almeida )
  • Objetivos: "estudo científico da estrutura geológica, da mineralogia, meios e recursos minerais do território da República, (...), que possam servir de base à organização de projetos de vias de comunicação e outras obras públicas, especialmente as de prevenção contra os efeitos das secas"
  • Orville Adelbert Derby
servi o geol gico e mineral gico do brasil1
Serviço Geológico e Mineralógico do Brasil

“em conferência realizada ontem entre o sr. Dr. Miguel Calmon, Ministro da Viação, e o sr. Dr. Orville Derby, ficou assentado que a idéia fundamental do serviço geológico que se pretende fundar no exercício vindouro será o estudo de materiais e distritos que oferecessem resultados de mais imediata aplicação prática, quer seja por particulares no aproveitamento de recursos naturais do solo e do subsolo, quer pelo Governo na solução das questões administrativas que exigem conhecimento da estrutura geológica e recursos naturais das diversas regiões do país. No primeiro plano figuram as referentes às jazidas de minerais utilizáveis, às regiões da seca com referência especial ao aproveitamento das suas águas superficiais e subterrâneas” (Jornal do Comércio, 26/12/1906)

servi o geol gico e mineral gico do brasil2
Serviço Geológico e Mineralógico do Brasil
  • Secas no Nordeste e irrigação
  • Derby publica 9 artigos sobre o tema
  • Acordo entre o Serviço Geológico e a Inspetoria de Obras Contra as Secas
servi o geol gico e mineral gico do brasil3
Serviço Geológico e Mineralógico do Brasil
  • Recursos minerais = SGMB assessor do governo federal
  • Siderurgia
  • 1908 = amplo levantamento das reservas de ferro e manganês de Minas Gerais  reservas brasileiras = 1/4 do total das reservas mundiais conhecidas
servi o geol gico e mineral gico do brasil4
Serviço Geológico e Mineralógico do Brasil
  • 1915 – Luiz Felipe Gonzaga de Campos
  • Carvão
  • Energia hidráulica e hidrelétrica
  • Petróleo
  • 1934 – extinção e criação do Depto. Nacional da Produção Mineral (DNPM)
considera es finais
EUA  Modelo

Interesses da agricultura sustentaram e direcionaram a pesquisa e os resultados a serem obtidos

Contribuição relevante ao desenvolvimento das Geociências e mineração no Brasil

Altos & baixos mundialmente

Aplicação + conhecimento “útil”

Estatais

Indivíduos  Equipes  Escolas de pesquisa

“The first Big Science”

Considerações finais