Tecido nervoso - PowerPoint PPT Presentation

slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Tecido nervoso PowerPoint Presentation
Download Presentation
Tecido nervoso

play fullscreen
1 / 49
Tecido nervoso
268 Views
Download Presentation
colette-barton
Download Presentation

Tecido nervoso

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Tecido nervoso http://www.geocities.com/avozdafono/sistema%20nervoso.htm Jorge Clarêncio Andrade

  2. Tecido nervoso http://www.geocities.com/avozdafono/sistema%20nervoso.htm • Divisão Anatômica • Sistema Nervoso Central: Massa branca e cinzenta (encéfalo e medula espinhal) • Sistema Nervoso Periférico; gânglios nervosos (motor e autônomo-simpático e parassimpático) • Componentes principais de tecido nervoso: • Neurônios • Células da glia

  3. Sistema nervoso Junqueira & Carneiro, 2005

  4. Neurônios • Dendritos • Corpo celular ou pericário • Axônio Junqueira & Carneiro, 2005

  5. Neurônio típico www.guia.heu.nom.br/neuronios.htm

  6. Tipos de Neurônios Quanto ao tamanho e forma: • Neurônios multipolares • Neurônios bipolares • Neurôneos pseudo-unipolares • Quanto a função: • Neurônios motores • Neurônios sensoriais • Internerônios www.guia.heu.nom.br/neuronios.htm

  7. Tipos de Neurônios Junqueira & Carneiro, 2005

  8. Tipos de Neurônios Junqueira & Carneiro, 2005

  9. Corpo Celular • O corpo celular ou pericário é o centro metabólico e contém e núcleo e a maioria das organelas do neurônio. • Núcleo • Retículo endosplasmático rugoso Corpúsculos de Nissl • Mitocôndrias • Complexo de Golgi • Neurofilamentos e Microtúbulos

  10. Corpo Celular Junqueira & Carneiro, 2005

  11. Dendritos • Os dendritos aumentam muito a superfície receptora dos neurônios, permitindo a captação de uma grande variedade de impulsos. • Célula de Purkinje 200.000 terminações • A estrutura dos dendritos é muito semelhante à do corpo celular, não contendo porém, Complexo de Golgi. • Apresentam pequenas projeções citoplasmáticas denominadas espinhos ou gêmulas. Axônios Os impulsos nervosos são enviados através dos axônios • Cone de implantação • segmento inicial • Impulso nervoso

  12. Corpo Celular Junqueira & Carneiro, 2005

  13. Sinapses Na maioria das sinapses o impulso nervoso se transmite por meio de mediadores químicos, que vão ativar receptores de outros neurônios ou de células efetoras. • Fenda sináptica • Membrana pré-sinaptica • Membrana pós-sinaptica • Vesículas sinápticas • Neurotransmissores www.guia.heu.nom.br/neuronios.htm

  14. Comunicação sináptica Junqueira & Carneiro, 2005

  15. Comunicação sináptica Junqueira & Carneiro, 2005

  16. Comunicação sináptica Junqueira & Carneiro, 2005

  17. Comunicação sináptica Guyton & Hall, Fisiologia médica, 2002

  18. Células da Glia O sistema nervoso central apresenta as células da neuróglia, com funções estruturais e metabólicas • Distinguem-se na neuróglia os seguintes tipos celulares: • Astrócitos • Olidendrócitos • Micróglia • Células ependimárias

  19. Células da Glia Junqueira & Carneiro, 2005

  20. Astrócitos • Os astrócitos são as maiores células da neuróglia, possuem núcleos esféricos e centrais. • Prolongamentos dos astrócitos envolvem os capilares sanguíneos. astrócitos protoplasmático fibrosos • Caracterizados pela presença de prolongamentos lisos delgados e longos • Fibras neurogliais • Substância branca do encéfalo e da ME • Possuem citoplasma abundante e granuloso • Localizam-se preferencialmente na substância cinzenta do encéfalo e da medula espinha (ME)

  21. Astrócitos Junqueira & Carneiro, 2005

  22. Oligodendrócitos • São menores que os astrócitos e se caracterizam por apresentar poucos e curtos prolongamentos celulares. • são encontrados tanto na substância branca como na cinzenta. • A maioria das células satélites do SNC são olidendrócitos • Os oligodendrócitos produzem a mielina do SNC. • O citoplasma dos Oligodendrócitos são mais ricos em organelas que outras células da neuróglia aparecendo assim mais eletrodenso à microscopia eletrônica. Junqueira & Carneiro, 2005

  23. Oligodendrócitos Gartner, Tratado de histologia, 2003

  24. Micróglia • O corpo das células da micróglia é alongado e pequeno com núcleo também alongado e denso. • São pouco numerosas com prolongamentos curtos cobertos por saliências finas o que confere o aspecto espinhoso. • Se encontram tanto na substância branca como na cinzenta • São células macrofágicas Células Ependimárias • As células ependimárias revestem as cavidades do encéfalo e da medula possuindo arranjo epitelial. • São células cilíndricas com base afilada e muitas vezes ramificadas • Possuem núcleos alongados e no embrião são ciliadas, algumas permanecendo assim no adulto.

  25. Células da Glia Astrócitos fibrosos Astrócitos protoplasmáticos Oligodendrócitos Micróglia Junqueira & Carneiro, 2005

  26. Funções da Neuróglia ou conjunto de células da glia • A neuróglia exerce múltiplas funções: • Apóia, isola e participa da nutrição dos neurônios; • Participa do equilíbrio iônico do fluido extracelular; • Participam na formação de circuitos neuronais no SNC; • Formação de cicatrizes no SNC. Junqueira & Carneiro, 2005

  27. Fibras Nervosas Podem Levar os Impulsos Para Órgãos Distantes Fibras nervosas axônios e bainhas envoltórias Célula de Schwann Sistema Nervoso Periférico Olidendrócitos Sistema Nervoso Central Fibras Nervosas Mielínicas Amielínicas

  28. Bainha de mielina Junqueira & Carneiro, 2005

  29. Fibras Mielínicas- Nestas fibras as células envoltórias se enrolam em espiral e suas membranas formam um complexo lipoprotéico denominado mielina que pode ser demonstrada por tetracloreto de ósmio. • Nódulos de Ranvier • internódulos www.guia.heu.nom.br/neuronios.htm

  30. Impulso nervoso www.guia.heu.nom.br/neuronios.htm Gartner, Tratado de histologia, 2003

  31. Impulso nervoso www.guia.heu.nom.br/neuronios.htm

  32. Impulso nervoso Abraham, Histologia e biologia celular, 2006

  33. Impulso nervoso www.guia.heu.nom.br/neuronios.htm Abraham, Histologia e biologia celular, 2006

  34. Cerebelo corado com HE Branca- fibras mielínicas, oligodendrócitos, astrócitos fibrosos e células da micróglia. Cinzenta- corpo de neurônios, fibras amielínicas em grande quantidade, astrócitos protoplásmatico, oligodendrócitos e células da micróglia. Junqueira & Carneiro, 2005

  35. Medula espinhal Junqueira & Carneiro, 2005

  36. Sistema nervoso periférico www.guia.heu.nom.br/neuronios.htm Abraham, Histologia e biologia celular, 2006

  37. Sistema nervoso periférico • Autônomo Sistema Simpático • Os núcleos do simpático são formado por grupos de células nervosas e estão localizadas na porção torácica e lombar da ME. • O mediador químico das fibras do simpático é a noradrenalina Sistema Parassimpático • Tem seus núcleos no encéfalo e na porção sacral da medula espinhal • O mediador químico das fibras do parassimpático é a acetilcolina

  38. Sistema nervoso periférico Os nervos, sensorias e motores são constituídos por feixes de axônios e suas bainhas • O tecido de sustentação dos nervos -Tecido conjuntivo denso não modelado. • Epineuro • Perineuro • Endoneuro • Os nervos estabelecem comunicação entre os centros nervosos e os órgãos e os efetores (músculos e glândulas). Podem ser: • Sensitivos • Motores • mistos Gartner, Tratado de histologia, 2003

  39. Sistema nervoso periférico Mielinizadas Não mielinizadas www.guia.heu.nom.br/neuronios.htm Abraham, Histologia e biologia celular, 2006

  40. Sistema nervoso periférico:gânglio Junqueira & Carneiro, 2005

  41. Nervo periférico corado com HE Junqueira & Carneiro, 2005

  42. Nervo periférico corado para colágeno Junqueira & Carneiro, 2005

  43. Gânglio Corado com prata Corado com azul de toluidina Corpos celulares de neurônios Células satélites (glia) Corpúsculo de Nissal. RNA Junqueira & Carneiro, 2005

  44. Meninges www.guia.heu.nom.br/neuronios.htm Junqueira & Carneiro, 2005

  45. Meninges Dura-máter • É a meninge mais externa • A dura-máter, que envolve a medula espinhal, é separada do periósteo das vértebras formando o espaço epidural. Aracnóide • Apresenta duas partes, uma em contato com a dura-máter e outra constituída por traves que ligam a aracnóide com a pia-máter. • Espaço subaracnóideo Pia-máter • É muito vascularizada e aderente ao tecido nervoso • Segue todas as irregularidades da superfície do SNC e penetra no tecido nervoso por certa extensão com os vasos sanguíneos.

  46. Barreira Hematoencefálica • A barreira hematoencefálica é devida a uma menor permeabilidade dos capilares sanguíneos do tecido nervoso. • As zônulas de oclusão existentes entre as células endoteliais destes capilares representam o maior componente estrutural desta barreira. Plexo coróide • São dobras e invaginações altamente vascularizadas da pia-máter que formam saliência para o interior dos ventrículos. • São formados por tecido conjuntivo frouxo da pia-máter, revestido por epitélio simples colunar derivado do tuboneural. • Sua principal função é secretar liquido encefaloraquidiano.

  47. Liquido encefaloraquidiano • Este líquido ocupa as cavidades dos ventrículos, o canal central da medula, o espaço subaracnóideo e os espaços perivasculares • Homem adulto 140ml produzidos de uma forma constante. • É muito pobre em proteínas e com composição iônica semelhante à do líquido extracelular do encéfalo. • Aproximadamente metade do líquido encefaloraquidiano é produzida pelo plexo coróide e a metade restante é formada ao longo dos capilares sanguíneos de cérebro.

  48. Liquido encefaloraquidiano Abraham, Histologia e biologia celular, 2006

  49. Esquema da regeneração nervosa Gartner, Tratado de histologia, 2003