tecido sseo n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Tecido Ósseo PowerPoint Presentation
Download Presentation
Tecido Ósseo

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 54

Tecido Ósseo - PowerPoint PPT Presentation


  • 161 Views
  • Uploaded on

Tecido Ósseo. Conjuntivo especial (céls. + MEC) Matriz mineralizada → rigidez Mineral: fosfato de cálcio. Características do Tecido Ósseo. Suporta – sustentação do corpo Proteção – protege o cérebro, medula espinhal e órgãos Movimento – alavanca juntamente com músculos

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Tecido Ósseo' - chaz


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
caracter sticas do tecido sseo
Conjuntivo especial (céls. + MEC)

Matriz mineralizada → rigidez

Mineral: fosfato de cálcio

Características do Tecido Ósseo
fun es dos ossos
Suporta – sustentação do corpo

Proteção – protege o cérebro, medula espinhal e órgãos

Movimento – alavanca juntamente com músculos

Reservatório de minerais – especialmente cálcio e fósforo

Formação de células do sangue – hematopoese ocorre dentro da cavidade medular dos ossos

Funções dos Ossos
composi o do osso org nica
Composição do Osso: Orgânica
  • Células:
  • Osteogênicas ou osteoprogenitoras (mesenquimais) – diferenciam-se em osteoblastos
  • Osteoblastos:
  • - responsável pela síntese da parte orgânica da matriz,
  • - localizado na superfície óssea,
  • - apresentam-se cúbicas ou cilíndricas
composi o do osso org nica1
Composição do Osso: Orgânica
  • Osteócitos – células maduras
  • - osteoblastos envoltos pela matriz, aprisionados em lacunas
  • - baixa síntese, essenciais na manutenção
  • - célula alongada
  • - apresenta prolongamentos dentro dos canalículos (nutrição/comunicação)
slide7

Células osteogênicas

e

Osteoblastos

osteócitos

c lulas1
Células

Prolongamentos

dentro dos

canalículos

composi o do osso org nica2
Composição do Osso: Orgânica
  • Osteoclastos
  • - células grandes, multinucleadas
  • - derivadas de precursores mononucleados
  • - reabsorção da matriz, Lacunas de Howship
  • - secretam ácido (H+), colagenases, hidrolases, liberando cálcio
composi o do osso matriz ssea
Composição do Osso: MatrizÓssea
  • Parte orgânica: 25-35% do peso
  • - colágeno I (90-95%), ligações cruzadas
  • - proteoglicanas e proteínas de adesão
  • Parte inorgânica: 65-75% do peso
  • - principalmente cálcio e fósforo na
  • forma de cristais de hidroxiapatita
  • - outros minerais: Mg, Na, K
composi o do osso inorg nica
Composição do Osso : Inorgânica
  • Hidroxiapatita, ou Sais Minerais
    • - 65% da massa do osso
    • - principalmente Fosfato de Cálcio – cristais circundam as fibras colágenas da MEC
    • - Responsável pela dureza do osso e sua resistência a compressão
composi o do osso matriz ssea1
Composição do Osso: MatrizÓssea

O colágeno confere resistência e

os cristais a dureza do tecido ósseo

Osteóide: Matriz óssea recém formada, adjacente aos osteoblastos ativos e que não está ainda calcificada

membranas sseas peri steo e end steo
Membranas Ósseas – Periósteo e Endósteo
  • Periósteo – dupla camada de membrana protetora, encontramos fibras nervosas, sangue e vasos linfáticos
  • Se prende ao osso pelas fibras de Sharpey (colágeno)
    • Camada mais externa é fibrosa: tecido conjuntivo denso não modelado
    • Camada interna: composta por osteoprogenitoras,osteoblastos e osteoclastos
membranas sseas peri steo e end steo1
Membranas Ósseas – Periósteo e Endósteo

Periósteo – pontos de ancoragem dos tendões e ligamentos

Endósteo – membrana de tecido conjuntivo que recobre a superfície interna do osso – também contêm osteoblastos e osteoclastos

estrutura dos ossos curtos irregulares e chatos
Estrutura dos Ossos Curtos, Irregulares e Chatos

Placas de periósteo cobrem o osso compacto do lado externo com o endósteo revestindo o osso esponjoso internamente

Apresenta medula óssea entre as trabéculas

slide20

Periósteo

osteócitos

Células osteogênicas

e

Osteoblastos

slide21

Estrutura do Osso

  • Variedades anatômicas:
  • - esponjoso
  • - compacto
  • Variedades histológicas:
  • - primário
  • - secundário
slide22

VariedadesAnatômicas

  • Esponjoso: poroso
  • Trabéculas, arranjo paralelo das lamelas
  • Reveste a cavidade medular
  • Encontrado nos centros das epífises, dos ossos curtos e chatos
  • Compacto: sem cavidades visíveis
  • Arranjo lamelar concêntrico
  • Encontrado nas diáfises de ossos longos, na periferia dos ossos curtos e nas tábuas dos ossos chatos
localiza o de tecido hematopo tico medula vermelha
Localização de Tecido Hematopoético (Medula Vermelha)

Medula Amarela – presença de adipócitos Medula Vermelha – células do sangue em estágios de desenvolvimento

Na infância: medula vermelha é encontrada na cavidade medular da diáfise em todas as áreas do osso esponjoso

Adultos: medula vermelha é encontrada no esterno e ilíaco e na cabeça do fêmur e úmero

slide25

VariedadesHistológicas

  • Osso primário ou imaturo Primeiro osso a se formar no feto e na reparação óssea!!!!
  • Ausência de lamelas, menos mineralizado que o tecido ósseo secundário
  • No adulto é pouco freqüente, persistindo nas suturas dos ossos do crânio, alvéolos dentários e em alguns pontos de inserção dos tendões
  • Fibras colágenas dispostas em várias direções sem organização definida, menor quantidade de minerais e maior quantidade de osteócitos
slide26

Osso primário

(ou imaturo)

slide27

VariedadesHistológicas

  • Osso secundário ou maduro
  • Presença de lamelas paralelas ou concêntricas, matriz mais resistente
  • Fibras colágenas organizadas paralelamente dentro de uma lamela
anatomia microsc pica do osso osso compacto1
Anatomia Microscópica do Osso: Osso Compacto

Sistema de Havers, ou Osteon – unidade estrutural do osso compacto

Lamela – constituídas por matriz

(forma tubular - como colunas),

Substância mineralizada depositada

em camadas

Canal de Havers – canal central contendo vasos sanguíneos e nervos

Canal de Volkmann – une canais de Havers de ósteons adjacentes. Apresentam orientação oblíqua ou perpendicular aos canais de Havers

anatomia microsc pica do osso osso compacto2
Anatomia Microscópica do Osso: Osso Compacto
  • Osteócitos
  • – células maduras
  • Lacunas
  • – cavidades nos ossos contendo osteócitos
  • Canalículo
  • – canais que interconectam as lacunas entre si e com o canal central
desenvolvimento sseo
Osteogênese ou Ossificação – o processo de formação do tecido ósseo leva a:

Formação do esqueleto do embrião

Crescimento do osso até a idade adulta

Espessura do osso, remodelamento e reparo

Desenvolvimento ósseo
forma o do esqueleto
Formação do Esqueleto

Antes da 8ª semana, o esqueleto de um embrião humano consiste em uma membrana fibrosa e cartilagem hialina

Ossificação Intramembranosa – osso se desenvolve a partir de membrana de tecido conjuntivo (formada por células mesenquimais). Frontal, parietal,

temporal, occipital e clavícula.

Ossificação Endocondral – osso é formado pela troca de cartilagem hialina como padrão

est gios de ossifica o intramembranosa
Estágios de OssificaçãoIntramembranosa

Aparece um centro de ossificação na membrana fibrosa de tecido conjuntivo (células mesenquimais se aglomeram e diferenciam-se em osteoblastos)

Matriz Óssea é secretada dentro da membrana fibrosa

-osteoblastos secretam osteóide, que se torna mineralizado

- osteoblastos → osteócitos

est gios de ossifica o intramembranosa1
Estágios de OssificaçãoIntramembranosa

Tecido ósseo (rede de trabéculas) e periósteo (mesenquima vascularizado)

Formação do colar ósseo no osso compacto (depois substituído por osso secundário)

Aparece a medula óssea vermelha

ossifica o endocondral
OssificaçãoEndocondral

Desenvolve-se um molde de cartilagem hialina do osso a ser construído

Mais complexo do que a ossificação intramembranosa.

Começa com um centro de ossificação primário – pericôndrio se torna vascularizado e as células mesenquimais se diferenciam em osteoblastos

est gios de ossifica o endocondral
Estágios de OssificaçãoEndocondral

As células osteoprogenitoras do pericôndrio formam o colar periósteo

Calcificação e deterioração da cartilagem hialina no centro da diáfise

Invasão de vasos sanguíneos do periósteo e formação do osso esponjoso

est gios de ossifica o endocondral1
Estágios de OssificaçãoEndocondral

Formação da cavidade medular a partir da destruição do complexo cartilagem calcificada/tecido ósseo

Centro secundário de ossificação se estabelece

Toda a cartilagem epifisária é substituída por osso, exceto a cartilagem articular

est gios de ossifica o endocondral2
Estágios de OssificaçãoEndocondral

Secondary ossification center

Articular cartilage

Epiphyseal blood vessel

Spongy bone

Deteriorating cartilage matrix

Hyaline cartilage

Epiphyseal plate cartilage

Spongy bone formation

Primary ossification center

Medullary cavity

Bone collar

Blood vessel of periosteal bud

Formation of bone collar around hyaline cartilage model.

1

Cavitation of the hyaline cartilage within the cartilage model.

2

Invasion of internal cavities by the periosteal bud and spongy bone formation.

3

Formation of the medullary cavity as ossification continues; appearance of secondary ossification centers in the epiphyses in preparation for stage 5.

4

Ossification of the epiphyses; when completed, hyaline cartilage remains only in the epiphyseal plates and articular cartilages

5

Figure 6.8

zonas de ossifica o endocondral
Zonas de OssificaçãoEndocondral

1) Zona de Repouso – cartilagem hialina sem alterações morfólogas

2) ZonaProliferativa – proliferaçãoativa de condrócitosenfileiradosemcolunas

3) Zona Hipertrófica – condrócitos hipertróficos e calcificação da matriz territorial

4) Zona de Cartilagem Calcificada – matriz apresenta-se calcificada sob a forma de finos tabiques

5) Zona de Ossificação – Invasão de células osteoprogenitoras e diferenciação em osteoblastos

regula o hormonal do crescimento sseo
Durante a infância, a atividade da placa epifisária é estimulada pelo hormônio de crescimento

Durante a puberdade, testosterona e estrógenos regulam o crescimento ósseo

Alteração de específicas partes do esqueleto masculino e feminino

Depois induz o fechamento da placa epifisária

Regulação Hormonal do CrescimentoÓsseo
est gios do reparo em uma fratura ssea1
Tecido de Granulação

Crescimento de Capilares em direção ao tecido e início do trabalho de células fagocíticas

Formação de calo Fibrocartilaginoso

Estágios do ReparoemumaFraturaÓssea
est gios do reparo em uma fratura ssea2
Estágios do ReparoemumaFraturaÓssea
  • Calo Fibrocartilaginoso ocorre quando:
  • Osteoblastos e fibroblastos migram para a fratura e começam a reconstruir o osso
    • Fibroblastos secretam fibras colágenas
    • Osteoblastos iniciam a fomação de osso esponjoso
est gios do reparo em uma fratura ssea3
Estágios do ReparoemumaFraturaÓssea
  • Calo Fibrocartilaginoso é substituído pelo calo ósseos
est gios do reparo em uma fratura ssea4
Estágios do ReparoemumaFraturaÓssea
  • Remodelamento ósseo começa durante a formação do calo ósseo
    • Excesso de material é removido da região externa e medular
    • Estrutura Final é remodelada pois responde ao estresse mecânico
controle do remodelamento
Mecanismo Hormonal que mantem a homeostase de cálcio no sangue

Forças mecânicas e gravitacionais atuam no esqueleto

Controle do Remodelamento

Homeostase do Remodelamento

mecanismo hormonal
Aumento de Ca2+ no sangue estimula a tireóide a liberar calcitonina

Calcitonina estimula a deposição de sais de cálcio

Mecanismo Hormonal
mecanismo hormonal1
Queda de Ca2+ no sangue sinaliza para as paratireóides liberarem PTH

PTH sinaliza aos osteoclastos para degradar matriz óssea e liberar Ca2+ para o sangue

Mecanismo Hormonal
desequil brio homeost tico
Osteoporose

Grupo de doenças onde a reabsorção óssea ultrapassa o depósito ósseo

Osso esponjoso e espinhal são os mais vulneráveis

Ocorre frequentemente em mulheres após menopausa

Tratamento

Suplemento de Cálcio e Vitamina D

Aumento de exercício físico

Terapia de reposição hormonal (estrógeno)

Desequilíbrio Homeostático