slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
CONCORDÂNCIA: VERBAL E NOMINAL PowerPoint Presentation
Download Presentation
CONCORDÂNCIA: VERBAL E NOMINAL

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 66
amelia

CONCORDÂNCIA: VERBAL E NOMINAL - PowerPoint PPT Presentation

338 Views
Download Presentation
CONCORDÂNCIA: VERBAL E NOMINAL
An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author. While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Colégio Militar de Santa MariaDisciplina Língua Portuguesa2º Ano do Ensino Médio3º Bimestre/2010Professora Asp Fabrícia CONCORDÂNCIA: VERBAL E NOMINAL

  2. Concordância verbal..... • .... recapitulando....

  3. Concordância verbal – regra geral • O verbo e o núcleo do sujeito concordam em número e pessoa. • Exemplos: • O Procon recebe denúncias em suas sedes todos os dias. • As sedes do Procon recebem denúncias todos os dias.

  4. Concordância verbal – singular ou plural? • Ideia de retificação ou exclusão: conjunção OU Neste caso, o verbo deverá ser flexionado no singular. Exemplo: Pedro OU Paulo fará a denúncia. Obs.: quando a ação pode ser atribuída aos dois, verbo no plural. Exemplo: Só um pai ou só um tio compreenderiam o problema do menino. • Ideia de gradação: permite a concordância do verbo com o último núcleo. • Exemplo: Uma carta, um telefonema, uma visita ERA suficiente.

  5. Concordância verbal – singular ou plural? • Quando o núcleo do sujeito é um substantivo só usado no plural, a concordância se faz de duas maneiras: • a) se o substantivo estiver precedido de artigo no plural, o verbo irá para o plural. • Ex.: As Memórias de um sargento de milícias são a melhor crônica do Brasil. • b) SEM o artigo, o verbo ficará no singular. • Ex.: Memórias de um sargento de milícias é a melhor • crônica do Brasil.

  6. Concordância verbal – singular ou plural? • Verbo ser: na maioria das vezes, é OPTATIVA, podendo ser feita tanto com o sujeito como com o predicativo, dependendo de qual termo se quer destacar. • Exemplos: • Na vida, nem tudo (sujeito) são flores. (predicativo) • Nem tudo (sujeito) é flores (predicativo), mas quase tudo. • Obs.: Se o predicativo ou o sujeito for um nome próprio ou indicar pessoa, ele prevalecerá, em termos de concordância. • Exemplos: • Fernando Pessoa (sujeito) é várias facetas de Portugal (predicativo). • A América (sujeito) somos todos nós (predicativo).

  7. Concordância verbal – singular ou plural? • Quando o núcleo do sujeito é o pronome relativo que, o verbo concorda em número e pessoa com o antecedente, isto é, com o termo que o pronome substitui. • Ex.: O consumidorquefez a denúncia no Procon conseguiu a troca dos produtosqueestavam com defeito.

  8. Concordância verbal – singular ou plural? • Nos enunciados em que aparece a voz passiva sintética, formada por um verbo transitivo direto na 3ªpessoa mais o pronome apassivador SE, também se manifesta a concordância: o verbo se flexiona no singular ou no plural, concordando com o sujeito. • Ex.: • Consertam-se computadores. • Aluga-se casa de praia

  9. Concordância verbal – singular ou plural?

  10. Concordância verbal – singular ou plural? • Quando o sujeito é oracional: constituído por uma oração (subordinada substantiva subjetiva), o verbo fica na 3ª pessoa do singular. • Ex.: É importante que os direitos dos consumidores sejam respeitados.

  11. Concordância verbal – verbos impessoais • Verbos impessoais: não estabelecem concordância, pois NÃO têm SUJEITO e só aparecem na 3ª pessoa do singular. Os verbos que indicam fenômenos da natureza também se enquadram nessa categoria. • Exemplos: • Nevou muito no sul. • Amanheceu. • Choveu.

  12. Concordância verbal – verbos impessoais • O verbo HAVER no sentido de EXISTIR/ACONTECER também é impessoal, sendo empregado apenas na 3ª pessoa do singular. • Exemplos: • Houve queima de fogos na praia. • Na versão original do presépio, havia apenas um burro e um boi.

  13. Concordância verbal – verbos impessoais • Os verbos HAVER e FAZER, quando indicam TEMPO DECORRIDO, também são impessoais; só são usados, portanto, na 3ª pessoa do singular. • Exemplos: • Faz anos que não visito a minha cidade natal. • Estive com ela há dias. • Em outros sentidos, os verbos haver e fazer aceitam plural (há sujeito).

  14. Concordância verbal – verbos impessoais • Saiba mais... • Indicação de horas: o verbo concorda com o número de horas. • Exemplos: • São duas horas. • É uma hora. • No sentido figurado, os verbos do tipo fenômenos de tempo aceitam flexão, pois possuem sujeito. • Exemplo: Chovem impostos.

  15. Concordância verbal... • ... NOVAS REGRAS...

  16. Concordância verbal – sujeito simples 1) Sujeito simples: o verbo concorda em número e pessoa com o sujeito. • a) ordem indireta: • Ex.: Chegaram, ontem à noite, vinte turistas. • b) distância entre sujeito e verbo: • Ex.: A torcida dos clubes paulistas, que estavam em péssima colocação no campeonato, quebrou toda a arquibancada.

  17. Concordância verbal – sujeito simples • c)ordem indireta e a distância entre sujeito e verbo. • Ex.: Restam, após um longo debate entre o povo e o governo, esperanças de que as coisas melhorem. • d) palavras vizinhas ao núcleo do sujeito no plural. • Ex.: A educação destas pessoas impediu um mal maior. • e) voz passiva sintética. • Ex.: Aceitam-se encomendas.

  18. Concordância verbal – sujeito composto 2) Sujeito composto a) em ordem direta: se os sujeitos estiverem na 3ª pessoa, o verbo vai para a 3ª do plural. Ex.: As almofadas e o banco chegaram. b) em ordem indireta: pode ir para o plural ou concordar com o mais próximo. Ex.: Chegou o banco e as almofadas. OU Chegaram o banco e as almofadas.

  19. Concordância verbal – sujeito composto c) núcleos são sinônimos ou há gradação: pode concordar com o mais próximo ou ir para o plural. Ex.: A maldade e a ruindade habitavam o ser. OU A maldade e a ruindade habitava o ser. OBS.: Exemplo de gradação: Retomar exemplo da revisão. d) sujeito composto seguido de aposto resumidor: concorda com o aposto. Ex.: Vinho, caviar, praia, tudo o fazia feliz.

  20. Concordância verbal – sujeito composto e) núcleos do sujeito pertencem a pessoas gramaticais diferentes: a 1ª prevalece sobre as demais (2ª e 3ª); no caso de haver a 2ª e a 3ª, o verbo pode apresentar-se na 2ª do plural ou na 3ª do plural. Exemplos: Eu e tu visitaremos o hospital. Eu e ele visitaremos o hospital. Tu e ele visitastes o hospital. Tu e ele visitaram o hospital.

  21. Concordância verbal – pronomes de tratamento 3) Vossa Excelência, Vossa Santidade, etc: o verbo e os pronomes devem ir para a terceira pessoa. Exemplo: Vossa Excelência está com seu paletó rasgado. Utiliza-se Vossa Excelência quando a fala é dirigida a ela; utiliza-se Sua Excelência quando ela não estiver presente.

  22. Concordância verbal – substantivo coletivo e expressões partitivas (grande parte, grande maioria, etc.) 4) Substantivo coletivo e expressões partitivas a) no singular, se “não” seguidos de substantivo no plural: Exemplos: O bando saiu desesperadamente. A maioria saiu desesperadamente. b) no singular ou no plural se seguidos de substantivo no plural. Exemplos: Um bando de marginais saiu. OU Um bando de marginais saíram. A maioria dos marginais saiu. OU A maioria dos marginais saíram.

  23. Concordância verbal – relativo “quem” 5. O relativo “quem”: o verbo pode concordar com o antecedente ou na 3ª do singular (concordando com este pronome). Exemplos: Somos nós quem pagamos a cerveja. (o verbo pagar concorda com o antecedente “nós”) OU Somos nós quem pagou a cerveja. (o verbo pagar concorda com o pronome “quem”).

  24. Concordância verbal – interrogativos ou indefinidos 6. Pronomes interrogativos ou indefinidos seguidos da expressão “de nós” ou “de vós” a) Se o pronome estiver no singular, o verbo também deverá estar. Exemplos: Qual de vós nunca errou? Qual de nós será o presidente? Nenhum de nós sumirá. b) Se o pronome estiver no plural, o verbo pode concordar na 3ª do plural ou com os pronomes “nós” e “vós”. Exemplos: Quais de nós ganharam? OU Quais de nós ganhamos?

  25. Concordância verbal – expressão “um dos que” 7. A expressão “um dos que” a) com o verbo no singular, destacando o indivíduo. Exemplo: Romário foi um dos jogadores que mais acertou no jogo contra o México. b) com o verbo no plural, destacando o grupo. Exemplo: Romário foi um dos jogadores que mais acertaram no jogo contra o México.

  26. Concordância verbal – expressão de realce “é que” 8) Expressão de realce “é que”: trata-se de expressão invariável: Exemplos: Nós é que vimos o crime. Os policiais militares é que fizeram a greve. Obs.: Se o verbo SER estiver distante da palavra “que” pode variar. Ex.: São os garotos que gritaram.

  27. Concordância verbal – expressão “haja vista” 9. Expressão “haja vista” a) no singular Exemplo: .... haja vista os dólares que gastaram! b) no plural Exemplo: ... hajam vista os dólares que gastaram! OBS.: A construção haja visto não é aceita.

  28. Concordância verbal – verbo parecer 10) Verbo parecer seguido de infinitivo a) flexiona-se o verbo parecer. Exemplo: Os homens parecem sofrer (loc. Verbal) de um mal desconhecido. b) flexiona-se o infinitivo. Exemplo: Os homens parece sofrerem de um mal desconhecido. Parece= oração principal. Os homens sofrerem de um mal desconhecido = Or. Sub. Substantiva subjetiva.

  29. Concordância verbal – verbos ter, vir, ver e derivados 11) Os verbos ter, vir, ver e derivados a) no singular: tem (ter), vem (vir), vê (ver), detém (deter), retém (reter), intervém (intervir), etc. Exemplo: Os professores da escola, que detém um patrimônio de 100 mil reais, estavam em greve. Obs.: Quem detém o patrimônio de 100 mil reais é a ESCOLA, o verbo DETER está no singular.

  30. Concordância verbal – verbos ter, vir, ver e derivados b) no plural: têm (ter), vêm (vir), veem (ver), detêm (deter), retêm (reter), intervêm (intervir). Exemplo: Os professores da escola que detêm um patrimônio de 100 mil reais estavam fora da greve. OBS.: São os professores que possuem um patrimônio de 100 mil reais, pois o verbo DETER está no plural. Estavam fora da greve apenas os professores que possuem esse patrimônio, a oração intercalada é adjetiva restritiva.

  31. Concordância verbal – expressões “mais de um” e “um ou outro” 12) Sujeito representado pelas expressões “mais de um” e “um ou outro”. Emprega-se no singular: Exemplos: Mais de um bandido escapou da prisão. Um ou outro policial foi ferido. Mas.....

  32. Concordância verbal – expressões “mais de um” e “um ou outro”

  33. Concordância verbal – verbos dar, bater e soar 13) Verbos dar, bater e soar a) O termo relógio (torre, igreja, etc.) é sujeito da oração, verbo no singular: Exemplo: O relógio deu três horas. b) O sujeito é o número de horas, o verbo concorda com o sujeito. Exemplo: Deram três horas agora na torre.

  34. Concordância verbal – núcleos do sujeito unidos por “com” 14) Núcleos do sujeito unidos por “com” a) No singular, quando se quer destacar o primeiro elemento OU quando o verbo vier anteposto. Exemplo: O técnico com seus jogadores assumiu a posição defensiva. b) No plural, quando se dá a mesma importância aos dois elementos citados. Exemplo: O pai com seus sete filhos construíram um castelo de verdade.

  35. Concordância verbal – núcleos do sujeito unidos por “nem” 15) Núcleos do sujeito unidos por “nem”: utiliza-se no plural, a não ser que o verbo venha anteposto ao sujeito. Exemplo: Nem a CPI nem o povo conseguiram derrubar o deputado. Não o expulsei nem eu nem minha vizinha.

  36. Concordância verbal – sujeitos correlacionados 16) Sujeitos correlacionados (tanto... Como; não só... mas também, etc.) Utiliza-se no plural: Exemplos: Não só a criança como também o adulto sofrem com a insensibilidade das autoridades.

  37. Outras concordâncias do verbo “ser” a) Sujeito é expressão de sentido partitivo ou coletivo: concorda-se com o predicativo no plural. Exemplos: A maioria são bandidos O resto são fragmentos. b) O predicativo é formado por expressões “é muito”, “é pouco”, “é mais que”, “é menos que”, “é demais” (preço, quantidade, medida...): essas expressões permanecem invariáveis. Exemplos: Vinte quilos é muito. Duzentos metros é demais. Vintes quilos é mais que necessito.

  38. Outras concordâncias do verbo “ser” c) Na indicação de horas, datas e distâncias, o verbo concorda com o numeral. Exemplos: São quatro horas. É uma hora e vinte. São vinte de agosto. São vinte metros. d) Na indicação de dia, pode-se utilizar o singular concordando com a palavra “dia” (subentendida). Exemplos: É dia seis de março. É seis de março. OU São seis de março.

  39. CONCORDÂNCIA NOMINAL

  40. Concordância nominal: regra geral • Concordância nominal é a relação estabelecida entre um NOME (subst. ou palavra com valor de subst.) e as palavras a ele relacionadas: ADJETIVO ou palavras com valor de adjetivo (artigos, alguns numerais, pronomes adjetivos e particípios). • Normalmente, o substantivo funciona como núcleo de um termo da oração e o adjetivo, como adjunto adnominal.

  41. Concordância nominal: quando o adjetivo se relaciona a mais de um substantivo 1ª regra: primar pela clareza para evitar ambiguidades. 2ª regra: primar pela eufonia na concordância. Ao fazer a concordância de NÚMERO, duas opções são possíveis: adjetivo no plural OU concordância com o número do subst. mais próximo. • Ex.: Vendem-se filmadora e câmera digitais. • Vendem-se filmadora e câmera digital. • Dúvida: ambas são digitais ou só a câmera???

  42. Concordância nominal: quando o adjetivo se relaciona a mais de um substantivo • Se os substantivos forem de gêneros diferentes, o adjetivo aparecerá no masculino ou concordará com o subst. mais próximo. • Ex.: Vendem-se filmadora e tripé usados. • Vendem-se filmadora e tripé usado. • Dúvida: a filmadora e o tripé são usados ou apenas o tripé???

  43. Concordância nominal: quando o adjetivo se relaciona a mais de um substantivo • Se o adjetivo vier ANTES dos substantivos, em geral, o adjetivo concorda com o subst. mais próximo. • Ex.: Comprou uma barata filmadora e um tripé. • OU • Comprou um barato tripé e uma filmadora.

  44. Concordância nominal: quando o adjetivo se relaciona a mais de um substantivo • Obs.: para maior clareza convém repetir o adjetivo. • Ex.: Comprou umas baratas filmadoras e um barato tripé. • Se os substantivos forem nomes próprios, o adjetivo irá para o plural, também em nome da clareza. • Ex.: As meigas Valentina e Carla.

  45. Concordância nominal:observações importantes • Em expressões: é necessário, é bom, é ótimo, é preciso, é proibido, é permitido... • 1ª regra: ficam invariáveis se o substantivo a que se referem tem sentido genérico (não é precedido de artigo ou pronome que o determine). • Ex.: É proibido entrada de estranhos.

  46. Concordância nominal:observações importantes • 2ª regra: se o substantivo estiver determinado com um artigo, a concordância será marcada na flexão do adjetivo. • Ex.: É proibida a passagem de pedestres. São proibidas as passagens de pedestres.

  47. Concordância nominal: flexionam-se ou não se flexionam? 1º) palavra “meio”: Quando exerce a função de adjetivo ou numeral flexiona-se, evidenciando a concordância. Na função de adjetivo: Ex.: “... já tinha estampado no rosto um meio riso de ironia.” • Adjetivo “meio”, na acepção de “incompleto, inacabado”, concorda com o subst. “riso”. • Se alterássemos, teríamos “meia risada”.

  48. Concordância nominal: flexionam-se ou não se flexionam? • Na função de numeral: • Ex.: Já é meio-dia e meia (hora) • Numeral “meio”, na acepção de “metade”, concordará com o substantivo. • Na função de advérbio: • Ex.: Sinceramente, acho ela meio (caracteriza o adjetivo) autoritária. • Advérbio “meio”, na acepção de pela metade, quase, um pouco, um tanto... Não flexiona, é invariável.

  49. Concordância nominal: flexionam-se ou não se flexionam? • As palavras bastante, caro, barato, longe, muito, pouco. • Na função de adjetivo: flexionam-se concordando com o substantivo a que se referem. • Caminhou por longes (distantes, remotas) terras, áridas e estranhas. • O resultado: bastantes (muitas) visitas de internautas do Brasil inteiro!

  50. Concordância nominal: flexionam-se ou não se flexionam? • Viagens alternativas e baratas para todo o Brasil • Roupas caras eram vendidas na feira. • Eram muitas meninas, tia! • Eram poucas ideias interessantes!