Neoplasias malignas dos queratin citos
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 14

NEOPLASIAS MALIGNAS DOS QUERATINÓCITOS PowerPoint PPT Presentation


  • 109 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

NEOPLASIAS MALIGNAS DOS QUERATINÓCITOS. Marcos Alexandre D. Carneiro. Carcinoma Espinocelular. 15% Mais maligno Mais diferenciado Mais queratina (eosinofílico - proteínas) Metástases. Carcinoma Basocelular. 65% Menos maligno Menos diferenciado

Download Presentation

NEOPLASIAS MALIGNAS DOS QUERATINÓCITOS

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Neoplasias malignas dos queratin citos

NEOPLASIAS MALIGNAS DOS QUERATINÓCITOS

Marcos Alexandre D. Carneiro


Neoplasias malignas dos queratin citos

Carcinoma

Espinocelular

  • 15%

  • Mais maligno

  • Mais diferenciado

  • Mais queratina (eosinofílico - proteínas)

  • Metástases

Carcinoma

Basocelular

  • 65%

  • Menos maligno

  • Menos diferenciado

  • Menos queratina (basofílico - cromatina)

  • Sem Metástases (invade tecidos contínuos)


Carcinoma basocelular

Carcinoma Basocelular

  • CBC, epitelioma basocelular ou basalioma.

  • Mais benigno dos tumores malignos da pele  Sem metástase, exceto em casos raros.

  • Invade tecidos adjacentes, destruindo-os, até mesmo ossos.

  • Células epiteliais (camada basal ou folículo piloso) pluripotentes que perderam sua capacidade de diferenciação e queratinização por fatores:

    • Ação crônica de UVB

    • Irradiação radioterápica

    • Absorção de compostos de arsênico

  • Fatores predisponentes (SIC):

    • Sexo masculino (Sexo)

    • > 40 anos (Idade)

    • Pele Clara (Cor)


Carcinoma basocelular1

Carcinoma Basocelular

  • Localização: 2/3 superiores da face, acima do lóbulo da orelha e da comissura labial. Não ocorre em plantas, palmas ou mucosas.

  • Telegianctasias, bordas peroladas, aspecto em folhas na dermatoscopia

  • Tipos clínicos – diagnóstico diferencial:

    • Nódulo – ulcerativo (+ comum) – queratoacantoma, CEC

    • Esclerosante - esclerodermia

    • Superficial – queratose actínica, psoríase, eczema seborréico, lúpus eritematoso, doença de Bowen ou Paget (mais em tronco)

    • Pigmentado – queratose seborreica, melanoma maligno

    • Apenas nodular – tumores benignos de anexos – tricoepitelioma, cilindroma, cistos epidérmicos

  • Diagnóstico: Clínico + Biópsia


Neoplasias malignas dos queratin citos

Carcinoma espinocelular

Queratoacantoma

CBC nódulo - ulcerativo


Neoplasias malignas dos queratin citos

CBC esclerosante

Esclerodermia


Neoplasias malignas dos queratin citos

CBC Superficial

Queratose actínica

Lúpus discóide

Psoríase

Doença de Bowen

Doença de Paget


Neoplasias malignas dos queratin citos

CBC Pigmentado

Melanoma

Queratose seborreica


Carcinoma basocelular2

Carcinoma Basocelular

  • Depende da localização, tamanho e profundidade do tumor

    • De até 1,5cm na face e tronco – curetagem e eletrocoagulação

    • Lesão de membros – excisão e sutura com margem de 0,5cm

    • Superficial e áreas de cartilagem – criocirurgia ou iquimod (creme)

    • Nódulo – ulcerado – nitrogênio líquido após curetagem

    • Recidivante e esclerosante – Cirurgia micrográfica de Mohs

    • Indivíduos idosos, em formas extensas, quando não se pode fazer cirurgia – radioterapia

  • Prognóstico bom. Apenas em casos de imunossupressão pode haver metástases. Em casos de recidiva e não tratamento pode haver invasão de tecidos adjacentes.


Carcinoma espinocelular

Carcinoma Espinocelular

  • Caráter invasivo podendo das metástases (mais comum de mucosas, dorso da mão e queimaduras.

  • Origem em pele normal, queratoseactínica, leucoplasias, radiodermite crônica, queratosearsenical, xerodermapigmentoso, líquen erosivo da mucosa oral, úlceras crônicas e cicatrizes de queimaduras.

  • Células epiteliais (camada espinhosa) com grande capacidade queratinizante:

    • Sol e fumo

    • Irradiação radioterápica

    • Absorção de compostos de arsênico

    • Imunodeprimidos (transplantes renais)

    • Infecções virais (HPV)

  • Fatores predisponentes (SIC):

    • Sexo masculino (Sexo)

    • > 50 anos (Idade)

    • Pele Clara (Cor)


Carcinoma espinocelular1

Carcinoma Espinocelular

  • Localização: Lábio inferior, orelhas, face, dorso das mãos, mucosa bucal e genitália externa.

  • Pele: Área queratósica infiltrada e dura ou nódulo, podendo ulcerar ou tornar-se vegentante ou córnea.

  • Mucosa: Placa de leucoplasia, evoluindo com área de infiltração ou vegetante, assim como nódulo.

  • Histopatologia: classificação de Broders, segundo malignidade - diferenciação (ordem progressiva) – Graus I, II, III, IV.

  • Diagnóstico: Clínico + Biópsia

  • Diagnóstico diferencial: Queratose actínica, queratoacantoma, CBC, doença de Bowen, queratose seborreica, melanoma amelanótico e tumores de células de Merkel, além de tumores malignos de anexos.


Neoplasias malignas dos queratin citos

Líquen erosivo oral

Úlcera crônica

Xeroderma pigmentoso

Radiodermite crônica

Queimaduras

Leucoplasia


Neoplasias malignas dos queratin citos

CEC


Carcinoma espinocelular2

Carcinoma Espinocelular

  • Menores que 1cm – curetagem e eletrocoagulação

  • Maiores que 1cm – excisão com margem de 0,5cm

  • Criocirurgia (nitrogênio líquido)

  • Tumores recidivantes ou com limites mal definidos – cirurgia micrográfica de Mohs

  • Quimioterapia em casos mais graves onde não é indicada cirurgia ou radioterapia: cisplatina, metotrexato, ciclofosfamida, 5-fluoracil e bleomicina.

  • Prognóstico bom em casos recentes e adequadamente tratados. Reservado em casos de longa duração ou metástases.


  • Login