Planejamento de resposta a emerg ncias baseado em risco
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 15

Planejamento de Resposta a Emerg ências Baseado em Risco PowerPoint PPT Presentation


  • 56 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Planejamento de Resposta a Emerg ências Baseado em Risco. 1ª. Conferência OAB / RJ de Direito Marítimo. Alguns Dados sobre Vazamentos de Óleo nas Atividades Offshore no Brasil. Fonte ANP. Média Internacional OGP =1.2. Média Internacional OGP = 0.025 (>1 barrel ). Macondo e Montara.

Download Presentation

Planejamento de Resposta a Emerg ências Baseado em Risco

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Planejamento de resposta a emerg ncias baseado em risco

Planejamento de Resposta a Emergências Baseado em Risco

1ª. Conferência OAB/RJ de Direito Marítimo


Alguns dados sobre vazamentos de leo nas atividades offshore no brasil

Alguns Dados sobre Vazamentos de Óleo nas Atividades Offshore no Brasil

Fonte ANP

Média Internacional OGP =1.2

Média Internacional OGP = 0.025

(>1 barrel)


Macondo e montara

Macondo e Montara

  • MONTARA Blowout

    • 21/08/09

    • 250 km da costa da Australia

    • Também 3 meses para o fim do vazamento

    • Nenhuma morte e 15.000 barris de óleo vazado

    • Nenhum óleo chegou à costa

    • O PNC da Austrália contemplava apenas o caso de acidentes com navios

    • Isso gerou uma série de problemas referentes à coordenação entre as diversas instituições

  • 20/04/10

  • 66 km da costa da Lousiana

  • Três meses para o fim do vazamento

  • Estimado: 5 milhões de barris vazados

  • 11 mortos

  • Os EUA têm um PNC, o qualfuncionourelativamentebem

  • MACONDO Blowout


Vantagens e desafios

Vantagens e Desafios

Vantagens

Desafios

Nossas plataformas estão em alto mar a grandes distâncias da costa

(Pre-sal a 250 km)

Grande parte da produção será escoada para a costa através de navios-tanque


Grandes derrames de leo no mundo por tankers

GrandesDerrames de Óleo no Mundopor Tankers


Vantagens e desafios1

Vantagens e Desafios

Vantagens

Desafios

Nossasplataformasestãoem alto mar a grandesdistâncias da costa

(Pre-sal a 250 km)

Grande parte da produçãoseráescoada para a costa através de navios-tanque

Portanto, pode-se preverque, além dos vazamentos de plataformas, boa parte das atuações do PNC ocorreráporconta de vazamentosemnavios-tanque.

Bemmaisdifícil para o óleochegaraté a costa

Frequência de grandesvazamentospoderásersignificativa para o escoamento de cerca de 3 Mbdatravés de viagensmédias de 350 km

Usando dados da ITOPF e considerandoumaprodução de 3 Mbdchega-se a umafrequênciaesperada de cerca de um grandevazamento (>700 t) a cada 20 anos de operação.


Diferentes modos de se desenvolver o planejamento de emerg ncia

Diferentes modos de se desenvolver o planejamento de emergência

  • Em diferentes partes do mundo, o planejamento de ações de resposta a emergências é realizado de maneiras diferentes

    • 1. Enfoque prescritivo (Ex: Russia, India, USA)

      • A autoridade especifica com mais ou menos detalhes “o que” o operador deve proteger e os meios que deve ter para atingir o objetivo

  • 2. Enfoque baseado em risco

    • Critérios qualitativos

    • Critérios quantitativos

  • A autoridade especifica “padrões de performance do plano” e deixa para o operador definir “como” esse objetivo será atingido

  • Depende de uma ampla análise dos riscos ambientais

    • Profundo entendimento dos possíveis cenários (a priori)


Diferentes modos de se desenvolver o planejamento de emerg ncia1

Diferentesmodos de se desenvolver o planejamento de emergência

  • Não há um enfoque certo e um enfoque errado

    • O primeiro é mais fácil para o operador (sabe melhor o que atender (“compliance”),

    • boa parte da responsabilidade recai sobre a autoridade

    • Tende a ser conservador (demais)

    • No segundo caso, há mais ambiguidade sobre como o planejamento deve ser feito;

    • a responsabilidade fica quase inteiramente com o operador

    • Promove a utilização de novas tecnologias

  • Em sendo a DNV GL uma empresa de origem norueguesa, o enfoque que consideramos mais apropriado é o baseado em risco

  • Após Macondo, OGP e IPIECA formaram o GIRG (“Global Industry Response Group”)


Planejamento de resposta a emerg ncias baseado em risco

GIRG

  • Objetivos do GIRG

    • Melhorar a segurança na perfuração e reduzir a probabilidade de um acidente no poço

    • Reduzir o tempo que se leva para terminar o fluxo de um poço descontrolado

    • Melhorar a capacidade de resposta tanto submarina como na superfície

  • Foram formados vários JIPs com ampla participação de empresas internacionais

  • Dentre eles, o JIP-6: “Oilspillriskassessmentandresponse planningfor offshore installations”

  • A DNV GL foi contratada para dar apoio técnico ao Grupo deste JIP


Diretrizes do jip 6

Risco=F(frequência e consequência)

Diretrizes do JIP-6

  • Enfoque: Plano de resposta a emergência baseado em avaliação do risco ambiental

Identificação dos Perigos

Avaliação das Probabilidades

Avaliação das Consequências

Avaliação dos Riscos

Seleção dos Cenários

Quadro Legislativo

Estratégia de Resposta

Análise do Benefício Ambiental Líquido

NEBA


Sele o de cen rios para modelagem de consequ ncias exemplo

Seleção de Cenários para Modelagem de Consequências - Exemplo

  • Um modelo com três partes (“threetiers”) é proposto, onde os parâmetros de risco são utilizados como base para as escolhas


O ara e o planejamento das respostas de emerg ncia

O ARA e o Planejamento das Respostas de Emergência

  • Para os propósitos do planejamento da resposta de emergência e a determinação da capacidade de resposta a derrames de óleo, os resultados do ARA provêm importantes “inputs” relacionados a:

    • A frequência (probabilidade) dos diferentes cenários de derrame,

    • As consequências ecológicas e sócio-econômicas dos cenários,

    • A probabilidade de exposição e volumes de óleo nas várias áreas geográficas

  • Como discutido na Parte 2 do documento do JIP-6, tais informações servem de base para a seleção estratégica dos cenários para análise posterior no

    • Planejamento das Respostas, incluindo a NEBA,

    • Estabelecimento das estratégias de resposta e

    • Avaliação dos recursos necessários para cada uma das três partes (“threetiers”)


Coment rios finais

Comentários Finais

  • É muito bom que o PNC tenha sido finalmente publicado

    • Institui uma estrutura de comando e

    • Estabelece jurisdições e deveres das várias instituições governamentais potencialmente envolvidas no controle das situações de emergência

  • Faltam ainda definições de alguns elementos importantes, especialmente

    • O Manual do PNC

      • “Documento técnico que contém, de forma detalhada, procedimentos operacionais, recursos humanos e materiais necessários à execução das ações de resposta em incidente de poluição por óleo de significância nacional”

      • Prescritivo ou baseado em risco?


Coment rios finais1

ComentáriosFinais

  • A criação do SISNÓLEO

    • Terá grande responsabilidade

    • Precisará de uma boa infraestrutura, recursos materiais e humanos

  • O Comitê de Suporte

    • Grande número de participantes

    • Grande número de atribuições (10)

    • Ações anteriores e ações durante episódios de acionamento do PNC

  • A preparação dos instrumentos do PNC

  • O primeiro passo já foi dado, resta ver com que velocidade prosseguirá a caminhada e se irá realmente no rumo certo


  • Login