Reino monera prof m sc f bio henrique oliveira silva fabio silva@svc ifmt edu br parte 3 2011 1
Sponsored Links
This presentation is the property of its rightful owner.
1 / 24

Reino Monera Prof. M.Sc. Fábio Henrique Oliveira Silva [email protected] Parte 3 2011.1 PowerPoint PPT Presentation


  • 94 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Reino Monera Prof. M.Sc. Fábio Henrique Oliveira Silva [email protected] Parte 3 2011.1. Fermentação. Processo realizado por células em condições de falta ou ausência total de oxigênio.

Download Presentation

Reino Monera Prof. M.Sc. Fábio Henrique Oliveira Silva [email protected] Parte 3 2011.1

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Reino MoneraProf. M.Sc. Fábio Henrique Oliveira [email protected] 32011.1


Fermentação

  • Processo realizado por células em condições de falta ou ausência total de oxigênio.

  • Neste processo a quantidade energia produzida é pequena, ou seja, a glicose não é totalmente degradada.

  • Saldo de apenas duas moléculas de ATP por molécula de glicose consumida.

  • Ocorre no hialoplasma


Tipos de fermentações

Alcoólica

Lática

Acética


Fermentação alcoólica

A glicose inicialmente sofre a glicólise, originando:

  • 2 moléculas de ácido pirúvico (piruvato)

  • 2 NADH (Nicotinamida Adenina Dinucleotidio)

  • saldo energético positivo de 2 ATP

    Em seguida o piruvato é descarboxilado, originando:

  • acetaldeído

  • 2 CO2

    Então, o aldeído acético atua como receptor de hidrogênios do NADH e se converte em duas moléculas de álcool etílico ou etanol.


Esquema geral das fermentações


Curiosidades

Na fermentação alcoólica o principal microrganismo responsável é o Saccharomyces cerevisae (fermento/leveduras), o qual consome o açúcar e excreta o álcool e o CO2.


Fermentação láctica

  • Bactérias do gênero Lactobacillus

  • Empregadas na fabricação de coalhadas, iogurtes e queijos

  • Promovem o desdobramento do açúcar do leite (lactose) em ácido láctico

  • Torna o leite "azedo“, indicando uma redução do pH.

  • Esse fato provoca a precipitação das proteínas do leite, formado o coalho.


Esquema geral das fermentações


  • Fermentação acética

  • Consiste na oxidação parcial, aeróbica, do álcool etílico, com produção de ácido acético.

  • Processo utilizado na produção de vinagre comum e do ácido acético industrial.

  • Desenvolve-se também na deterioração de bebidas de baixo teor alcoólico.

  • Realizada por um conjunto de bactérias do gênero Acetobacterou Gluconobacter.


Esquema geral das fermentações


Fermentação

Pouco ou Ausência de oxigênio

Rendimento energético: 2 ATP

Produtos finais: moléculas orgânicas - muito energéticas

Ocorre somente glicólise

Respiração aeróbia

Presença de oxigênio

Rendimento energético: 30 ATP

Produtos finais: CO2 e H2O – pouco energéticos

Ocorre em três etapas: glicólise, ciclo de Krebs e cadeia respiratória

Diferenças entre fermentação e respiração celular aeróbia


DIVISÃO BINÁRIA DA CÉLULA BACTERIANA


Transformação

Conjugação

Transdução por fago


Esporos

Endósporos: estruturas de resistência

* encontrados em algumas Gram positivas:

- Bacillus

- Clostridium

- Sporosarcina

- Sporolactobacillus

* resistentes ao calor, radiações, ácidos e produtos químicos.


ESPORULAÇÃO BACTERIANA


ESPORULAÇÃO BACTERIANA

Nucleóide


ESPORULAÇÃO BACTERIANA

Nucleóide

Endósporo em formação


ESPORULAÇÃO BACTERIANA

Nucleóide

Endósporo em formação

Conteúdo celular em degeneração


ESPORULAÇÃO BACTERIANA

Nucleóide

Endósporo em formação

Conteúdo celular em degeneração


ESPORULAÇÃO BACTERIANA

Nucleóide

Endósporo em formação

Conteúdo celular em degeneração

Endósporo maduro

Parede bacteriana vazia


Rickéttsias e Clamídias

  • São células procariontes incompletas.

  • São parasitas intracelulares obrigatórias.

  • Diferem dos vírus, pois podem ter RNA e DNA, possuem parte dos recursos necessários para se manter e possuem membrana semipermeável.


Actinomicetos

  • Formam colônias filamentosas semelhantes a fungos.

  • Maior parte no solo e o gênero mais comum é o Streptomyces.

  • Degradam amido e celulose no solo.

  • Produz o cheiro de terra molhada devido a liberação gás geosmin.

  • Síntese do antibiótico estreptomicina.


Mixobactérias

  • As mixobactérias (do grego myca, que significa muco) vivem em ambientes com muita matéria orgânica que está em decomposição (como por exemplo o solo).

  • Suas colônias secretam substâncias, que matam outras bactérias das quais as mixobactérias se alimentam.


  • Login