Download
abordagem da crise hipertensiva n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
ABORDAGEM DA CRISE HIPERTENSIVA PowerPoint Presentation
Download Presentation
ABORDAGEM DA CRISE HIPERTENSIVA

ABORDAGEM DA CRISE HIPERTENSIVA

525 Views Download Presentation
Download Presentation

ABORDAGEM DA CRISE HIPERTENSIVA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. ABORDAGEM DA CRISE HIPERTENSIVA Luiz Carlos Bodanese Serviço de Cardiologia do Hospital São Lucas Faculdade de Medicina - PUCRS e-mail: lcbodanese@pucrs.br

  2. Crise Hipertensiva • Urgência Hipertensiva • Emergência Hipertensiva LCB PUCRS V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial, 2006

  3. Crise Hipertensiva • Urgência Hipertensiva • Emergência Hipertensiva LCB PUCRS V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial, 2006

  4. Fisiopatologia... LCB PUCRS

  5. Autoregulação “crônica” da HAS 150 100 110 180 50 0 mmHg 50 100 150 LCB PUCRS Strandgard S et al. BMJ 1973;1:507

  6. Manifestações Clínicas... LCB PUCRS

  7. Elevação importante da PA( PAD > 120 mmHg); • Condição clínica estável; • Ausência de comprometimento de órgãos-alvo; • A PA deverá ser reduzida em pelo menos 24 horas; • Em geral com medicamentos por via oral. Urgência Hipertensiva LCB PUCRS V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial, 2006

  8. Urgência Hipertensiva • Hipertensão acelerada ou maligna; • Queimadura corporal extensa *; • Gloerulonefrite aguda com hipertensão severa*; • Crise de esclerodermia; • Vasculite sistêmica aguda com hipertensão severa*; • Hipertensão relacionada à cirurgia • Hipertensão severa pré-cirúrgica imediata *; • Hipertensão pós-operatório *; • Hipertensão severa pós-transplante renal; LCB PUCRS V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial, 2006

  9. Urgência Hipertensiva • Epistaxe severa; • Hipertensão rebote após retirada subita de agentes antihipertensivos; • Hipertensão induzida por drogas *; • Overdose de agentes simpaticomiméticos • Crise hipertensiva induzida por metoclopramida • Interação: agonistas -adrenérgicos e antagonistas -adrenérgicos não seletivos • Hipetensão severa e episódica relacionada a doença crônica de medula espinhal -Sindrome de hiperreflexia autonômica - LCB PUCRS V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial, 2006

  10. Tratamento... LCB PUCRS

  11. Crise Hipertensiva • Urgência Hipertensiva: • Captopril • Clonidina • Nifedipina • Outros medicamentos ( diuréticos...) LCB PUCRS V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial, 2006

  12. Crise Hipertensiva • Captopril: • Dose: 6,25-25 mg VO ( repetir em 1h SN); • Ação: • Início: 15-30 minutos • Duração: 6-8 horas • Efeitos Adversos e precauções: • Hipertensão, hiperpotassemia • Estenose bilateral das artérias renais ou estenose em rim único LCB PUCRS V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial, 2006

  13. Crise Hipertensiva • Clonidina: • Dose: 0,1-0,2 mg VO ( repetir hora/hora SN); • Ação: • Início: 30-60 minutos • Duração: 6-8 horas • Efeitos Adversos e precauções: • Hipotensão postural, sonolência, boca seca • Dificuldade controle sensório LCB PUCRS V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial, 2006

  14. Crise Hipertensiva • Nifedipina: • Dose: 10-20 mg VO; • Ação: • Início: 5-15 minutos • Duração: 3-5 horas • Efeitos Adversos e precauções: • Redução abrupta da pressão, hipotensão • Cuidados especiais no Idoso LCB PUCRS V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial, 2006

  15. Crise Hipertensiva • Urgência Hipertensiva • Emergência Hipertensiva LCB PUCRS V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial, 2006

  16. Manifestações Clínicas... LCB PUCRS

  17. Elevação crítica da PA( PAD > 120 mmHg); • Condição clínica grave; • Progressivo comprometimento de órgãos-alvo, com risco de morte; • A PA deverá ser reduzida rapidamente( min/horas); • Em geral com medicamentos por via endovenosa. Emergência Hipertensiva LCB PUCRS V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial, 2006

  18. Emergência Hipertensiva • Encefalopatia hipertensiva; • Hipertensão maligna (alguns casos); • Hipertensão severa com complicações agudas: • A- Cerebrovascular: • - Hemorragia intracerebral • - Hemorragia subaracnóide • - AVC isquêmico agudo • B- Renal: • -Insuficiência renal progressivamante aguda • C- Cardíaca: • - Dissecação aguda de aorta • - Insuficiência de VE com EAP • - Síndrome Coronariana aguda( IAM,AI) LCB PUCRS V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial, 2006

  19. Emergência Hipertensiva • Eclâmpsia ou hipertensão severa durante a gestação; • Síndrome de excesso de catecolaminas: A- Crise de feocromocitoma B- Interação de inibidores da MAO com drogas ou alimentos (tiramina) C- Hipertensão de rebote ( suspensão de clonidina, metildopa) • Hipertensão induzida por drogas ( algums casos) A- Overdose de simpaticomiméticos ou similares( cocaína) • Trauma craneano; • Hipertensão em pós-operatório de cirurgia de revascularização miocárdica • Sangramento de ferida operatória no pós-operatório LCB PUCRS V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial, 2006

  20. Crise HipertensivaManifestações clínicas • PA: > 140 mmHg • FO: Hemorragias, exsudatos, papiledema • Neuro: Cefaléia, confusão, sonolência, estupor, perda visual, tontura, coma • Cardio: Impulso apical proeminente, aumento da área cardíaca, IC • Renal: Oligúria, uremia • Gastro: Náuseas, vômitos LCB PUCRS Kaplan N. Clinical Hypertension, 6a ed. 1994, p.283

  21. Tratamento... LCB PUCRS

  22. AVC Isquêmico X Controle da PA“International Stroke Trial” - Fluxo sanguíneo é dependente da pressão; - Melhor prognóstico: PA 150-180 mmHg. Piora do Prognóstico 0 mmHg 180 150 Leonarde-Bee J et al. Stroke 2002;33:1315-1320

  23. Nitroprussiato de Sódio: • Dose: 0,25-10 mg/Kg/min EV; • Ação: • Início: Imediato • Duração: 1-2 minutos • Efeitos Adversos e precauções: • Náuseas, vômitos, intoxicação pelo cianeto • Cuidado em IR ou hepática e na pressão intracraneana alta • Hipotensão grave • Indicação: Maioria das Emergências Hipertensivas Emergência Hipertensiva LCB PUCRS V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial, 2006

  24. Emergência Hipertensiva • Nitroglicerina: • Dose: 5-100 mg/min EV; • Ação: • Início: 2-5 minutos • Duração: 3-5 minutos • Efeitos Adversos e precauções: • Cefaléia, taquicardia, taquifilaxia, flushing, metahemoglobinemia • Indicação: Insuficiência coronária LCB PUCRS V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial, 2006

  25. Emergência Hipertensiva • Hidralazina: • Dose: 10-20 mg EV; ou 10-40 mg IM (6/6h) • Ação: • Início: 10-30 minutos • Duração: 3-12 horas • Efeitos Adversos e precauções: • Taquicardia, cefaléia, vômitos, piora da angina ou IAM • Cuidado na pressão intracraneana elevada • Indicação: Eclâmpsia LCB PUCRS V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial, 2006

  26. Emergência Hipertensiva • Metoprolol: • Dose: 5 mg EV; Repetir de 10/10 min. até 20 mg SN • Ação: • Início: 5-10 minutos • Duração: 3-4 horas • Efeitos Adversos e precauções: • Bradicardia, BAV avançado, IC, broncoespasmo • Indicação: Insuficiência coronária • Aneurisma dissecante de aorta LCB PUCRS V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial, 2006

  27. Emergência Hipertensiva • Furosemide: • Dose: 20-60 mg EV; Repetir após 30 min. SN • Ação: • Início: 1-5 minutos • Duração: 30-60 minutos • Efeitos Adversos e precauções: • Hipopotassemia • Indicação: Insuficiência ventricular esquerda • Situação de hipervolemia LCB PUCRS V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial, 2006

  28. CONCLUSÃO • As crises hipertensivas são causa freqüente de atendimento médico em emergências; • A adequada avaliação permite definir o risco e proceder a intervenção terapêutica de acordo com as manifestações clínicas e repercuções em órgãos-alvo; • As urgências hipertensivas em geral podem ser controladas com medicação VO, em geral dentro de 24 horas, na maioria das vezes não necessitando de hospitalização; • As emergências hipertensivas devem ser controladas com medicação EV, em geral dentro de minutos/horas, necessitando de hospitalização (UTI). LCB PUCRS

  29. Referências Bibliográficas • JNC 7- Seventh Report of the Joint National Committee on Prevention, Detection, Evaluation, and Treatment of High Blood Pressure, Hypertension 2003:42:1206-1252. • Lewington S, Clarke R, Qizilbash N et al. Age-specific relevance of usual blood pressure to vascular mortality: a meta-analysis of individual data for one million adults in 61 prospective studies. Lancet 2002;360:1903-1913. • V Diretrizes Brasileiras de Hipetensão Arterial. Rev Bras Hipertens 2006;13:243-330. • The Task Force for the Management of Arterial Hypertension of the European Society of Hypertension (ESH) and of the European Society of cardiology (ESC). J Hypertens 2007;25:1105-1187

  30. Serviço de Cardiologia Hospital São Lucas da PUCRS LCB PUCRS