Download
embriologia humana n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Embriologia Humana PowerPoint Presentation
Download Presentation
Embriologia Humana

Embriologia Humana

1714 Views Download Presentation
Download Presentation

Embriologia Humana

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA) Campus Camaçari Biologia Geral Embriologia Humana Profª: Ana Paula Miranda Guimarães

  2. Histórico da formação do embrião; • Fecundação; • Conceitos de embriogênese; • Fases do Desenvolvimento embrionário; • Exercício. Roteiro da aula

  3. Histórico • Gregos (Hipócrates e Aristóteles) 460-322 a.C: teorias epigenistas; • A partir de 1600 surge teoria da pré-formação: óvulo ou espermatozóide continha um embrião pré-formado ou “homúnculo”. Figura 1: Desenho feito em 1694

  4. HISTÓRICO • A partir de 1800: microscópios mais potentes e teoria celular (Schleiden e Schwann) - embriões tomavam forma em série de estágios e divisões celulares. União dos núcleos dos dois gametas.

  5. Reprodução União de dois indivíduos da mesma espécie Gerar novos indivíduos Perpetuar a espécie Indivíduos variados (sexuada)

  6. Fecundação Óvulo (1n) + Espermatozóide (1n) = Zigoto (2n)

  7. Gravidez O que inicialmente ocorre no corpo da mulher? INUNDAÇÃO DE HORMÔNIOS • Progesterona; • Estrogênio; • Gonadotropina coriônica humana (HCG); • Somatomamotropina coriônica humana (HCS). MÃE FETO

  8. Testes de gravidez Como funciona? Mede o nível de HCG na urina da mulher

  9. GRAVIDEZ • Continuação da gravidez... • Pode ocorrer a continuação da gravidez normalmente; • Apenas 1 embrião normal; • Gêmeos. • Pode ocorrer problemas e malformações devido a fatores teratogênicos. Gêmeos

  10. Embriogênese • Depois da formação do zigoto  desenvolvimento embrionário ou EMBRIOGÊNESE; • Processo de multiplicação e diferenciação celular; • Do zigoto ao nascimento; • Há três estágios principais: • Clivagem; • Gastrulação; • Organogênese.

  11. Clivagem ou Segmentação • Após 24h  zigoto sofre clivagens (mitoses) sucessivas; • Novas células = blastômero; • Embrião de algumas células = mórula; • Após 7 dias  embrião chega ao útero = blastocisto; Implantação no endométrio

  12. ESTÁGIO CLIVAGEM Divisão Mórula Blastocisto

  13. ESTÁGIO CLIVAGEM

  14. Implantação

  15. Gastrulação • Reorganização das células do blastocisto; • Mecanismos: • Mobilidade celular; • Mudança na forma das células; • Mudança na adesão celular. • Embrião = gástrula; • Células movem-se formando 3 camadas = folhetos embrionários; • Ectoderme= camada externa; • Endoderme= reveste trato digestivo embrionário; • Mesoderme= preenche o espaço entre ecto e endo;

  16. Organogênese • Formação dos órgãos; • Densa aglomeração, divisões e dobras  órgãos.

  17. Os 3 folhetos embrionários diferenciam-se e originam os diversos tecidos, órgãos e sistemas; • 3 semana à 8 semana; • Período crítico do desenvolvimento; • Com o final da 8 semana acaba o período embrionário e começa o período fetal.

  18. Períodos críticos do desenvolvimento “Tudo-ou-nada” Teratogênese

  19. Responder (UFCE) Durante o desenvolvimento embrionário, o período de organogênese é particularmente vulnerável à ação de determinados fatores, como infecções, drogas e deficiências alimentares maternas. Justifique essa vulnerabilidade.

  20. Anexos embrionários; • Fase fetal; • Formação de gêmeos; • Exercícios. Roteiro da aula

  21. Anexos embrionários • Presente em todos os embriões dos vertebrados; • Estruturas que se destinam a servir os embriões durante o seu desenvolvimento embrionário; • Estruturas que derivam dos folhetos germinativos, mas que não fazem parte do corpo do embrião; • Começam a surgir na gastrulação; • São elas: • Vesícula vitelínica; • Âmnio; • Córion; • Alantóide; • Placenta; • Cordão umbilical. Peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos.

  22. Origem dos anexos Trofoblasto: camada externa do blastocisto, que originará a placenta. Embrioblasto: massa celular interna, que originará o embrião e membranas extra embrionárias.

  23. Vesícula vitelínica • Origem do folheto endoderma; • É o 1º anexo a surgir; • Função: armazenar o vitelo (reserva nutritiva); • Estrutura em forma de saco; • Desenvolvida • Mamíferos placentários: • Muito reduzida; • Origina as 1º hemácias. • Peixes • Répteis • Aves • Mamíferos não placentários

  24. Âmnio • Origem do folheto ectoderma; • Fina membrana que delimita uma bolsa repleta de líquido (líquido amniótico); • Funções: • Evitar o desidratação do embrião; • Proteger contra choques mecânicos; • Impedir infecções externas; • Estabilizar temperatura interna; • Permitir que feto mova-se. • Existente nos • Répteis • Aves • Mamíferos

  25. Importância Evolutiva No mecanismo da evolução das espécies, o âmnio veio desempenhar papel decisivo para a libertação dos vertebrados em relação à água no seu processo de desenvolvimento. • Importante adaptação dos répteis a vida terrestre junto com a fecundação interna; • Faz parte do chamado ovo terrestre (ovo amniótico); • Esse anexo permitiu aos répteis avançar em terras secas; • Independência da água para a reprodução; Amniotas = répteis, aves e mamíferos. Anamniotas = peixes e anfíbios.

  26. Importância Médica AMNIOCENTESE • O que é? exame invasivo diagnóstico. • Procedimento:colhe-se uma amostra do líquido amniótico inserindo uma agulha oca através da parede abdominal anterior da mãe e da parede uterina até a cavidade amniótica e furando o córion e o âmnio. • O que é estudado?material genético das células fetais. • Finalidade:detecção de distúrbios genéticos, defeitos congênitos, revela o sexo do bebê e a maturidade dos pulmões. • Riscos: sempre tem riscos. Cerca de uma em cada 200 mulheres acaba sofrendo uma infecção ou algum outro tipo de complicação, levando à perda do bebê.

  27. Figura: Procedimento – Amniocentese

  28. Córion • Origem do folheto ectoderma; • Membrana fina que envolve os outros anexos, sendo a mais externa; • Junta-se com a membrana do alantóide = alantocórion com função respiratória em aves e répteis; • Nos mamíferos vai formar as vilosidades coriônicas, que formará mucosa uterina, participando junto com o alantóide para a formação da placenta.

  29. Alantóide • Origem do folheto endoderma; • Surge de uma evaginação da parte posterior do intestino do embrião; • Possui forma de bolsa; • Nos répteis e aves: • funciona como órgão da respiração e da excreção. • absorve os minerais (cálcio) presente na casca do ovo, promovendo a partir daí a formação do esqueleto. Esse processo facilita o rompimento da casca por ocasião do nascimento. • Nos mamíferos associa-se ao córion para formar a placenta e o cordão umbilical.

  30. Placenta • Exclusiva dos mamíferos (marsupiais e eutérios); • Órgão fetomaterno; • Estrutura de origem mista • mãe (endométrio - decídua basal) • + • feto (vilosidades coriônicas) Funções: • Troca de gases; • Troca de nutrientes e excretas; • Transmissão de anticorpos maternos; • Produção de hormônios (progesterona).

  31. Importante: sangue fetal e o materno não se misturam.

  32. Importância Evolutiva • Representa o principal passo evolutivo dos mamíferos no que se refere a reprodução; • Puderam explorar novos habitats; • Aumentaram eficiência de reprodução: • Formação de menos descendentes; • Com maior cuidado e chances de vida.

  33. Importância Médica ERITROBLASTOSE FETAL • Mãe = Rh negativo → Feto = Rh positivo; • Segunda gravidez para ter produzido os anticorpos anti-Rh; • Falha na placenta: acidentes vasculares. • Incompatibilidade sanguínea → 20 a 25% das gestações; Rh- Rh+

  34. Cordão Umbilical • Origem: parede do âmnio, saco vitelino e alantóide; • Estrutura: uma veia (que conduz sangue arterial) e duas artérias (que conduz sangue venoso); • Função: ligar a placenta ao embrião.

  35. OVO ÚTERO

  36. Período Fetal Comentar trimestres da gravidez!! • A partir da 9 semana; • Chama-se feto; • Começa a maturação dos tecidos e dos órgãos; • Rápido crescimento do corpo.

  37. Formação de Gêmeos Dizigóticos, Bivitelinos ou fraternos Monozigóticos ou Univitelinos

  38. FORMAÇÃO DE GÊMEOS Gêmeos Monozigóticos Dois Botões germinativos Fecundação Mórula Blástula Geneticamente iguais

  39. GÊMEOS MONOZIGÓTICOS Mórula Fecundação Geneticamente iguais

  40. Gêmeos Dizigóticos Fecundação Mórula Mórula Fecundação Geneticamente diferentes

  41. Gêmeos Siameses Figura: Chang e Eng, 1811 – Primeira ocorrência registrada.

  42. GÊMEOS SIAMESES • Ocorre com gêmeos monozigóticos; • Atraso na divisão inicial (+12 dias); • A gravidade depende dos órgãos e partes grudadas.

  43. Responder 1- (UFBA- 2010) Há mais de 120 milhões de anos, enquanto gigantescos dinossauros destroçavam as florestas em combates titânicos, um drama mais silencioso se desenrolava sob os arbustos do Cretáceo: uma linhagem de seres minúsculos e peludos parou de por ovos e deu à luz seres jovens. Foram os progenitores de praticamente todos os mamíferos modernos. (CASTELVECCHI, 2009, p. 68). No contexto da história reprodutiva dos vertebrados, a) identifique o órgão que torna possível “dar à luz seres jovens”, caracterizando-o quanto à origem embriológica. b) explique o significado evolutivo do órgão referido, destacando as vantagens que ele confere aos mamíferos em relação aos organismos que põem ovos com casca. 2- (VUNESP) Recentemente, os meios de comunicação noticiaram o caso de uma mulher norte-americana que, impossibilitada de ter filhos por anomalia no útero, teve seu óvulo fertilizado "in vitro", e este foi implantado no útero de sua mãe. Assim, quem engravidou e deu à luz foi a mãe da referida mulher. Responda: a) Do ponto de vista genético, quem é a mãe da criança? Justifique. b) Qual a porcentagem de genes herdados da parturiente que se encontram no patrimônio genético da criança?