slide1 n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Aulas 05 e 06 PowerPoint Presentation
Download Presentation
Aulas 05 e 06

Loading in 2 Seconds...

  share
play fullscreen
1 / 21
Download Presentation

Aulas 05 e 06 - PowerPoint PPT Presentation

reuben
101 Views
Download Presentation

Aulas 05 e 06

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Aulas 05 e 06

  2. Entregar Excel aos Alunos e Doc´s Necessários para o Trabalho da AV1. • Relação dos Grupos

  3. Análise por Índices

  4. Índices de Liquidez • Os índices de liquidez avaliam a capacidade de pagamento da empresa frente a suas obrigações. • As informações para o cálculo destes índices são retiradas unicamente do Balanço patrimonial, demonstração contábil que evidência a posição financeira e patrimonial da entidade, devendo ser atualizadas constantemente para uma correta análise. • Atualmente estuda-se 4 índices de liquidez: • Liquidez Corrente; • Liquidez Seca; • Liquidez Geral; • Liquidez Imediata.

  5. Liquidez Corrente • Calculada a partir da Razão entre os direitos a curto prazo da empresa (Caixas, bancos, estoques, clientes) e a as dívidas a curto prazo (Empréstimos, financiamentos, impostos, fornecedores); • No Balanço estas informações são evidenciadas respectivamente como Ativo Circulante e Passivo Circulante; • Liquidez Corrente = Ativo Circulante / Passivo Circulante • Fórmula: AC/ PC

  6. Liquidez Corrente • Resultado da Liquidez Corrente: • Maior que 1: Resultado que demonstra folga no disponível para uma possível liquidação das obrigações; • Se igual a 1: Os valores dos direitos e obrigações a curto prazo são equivalentes; • Se menor que 1: Não haveria disponibilidade suficientes para quitar as obrigações a curto prazo, caso fosse preciso. • Quanto maior, melhor. Quando o Ativo Circulante é maior do que o Passivo Circulante, significa que os investimentos no Ativo Circulante são suficientes para cobrir as dívidas de curto prazo e ainda permitir uma folga de x% (resultado da fórmula) no ano analisado .

  7. Liquidez Seca • Similar a liquidez corrente, a liquidez Seca exclui do cálculo acima os estoques, por não apresentarem liquidez compatível com o grupo patrimonial onde estão inseridos. • Não considerado os estoques, a empresa pode conhecer se tem condições de pagar o que deve a curto prazo. • Interpretação do indicador: quanto Maior, Melhor. • Também chamado de Teste ácido. • Fórmula: (Ativo Circulante - Estoques) / Passivo Circulante

  8. Liquidez Seca • Riscos: • Ativo Circulante - Estoques • Disponível: há risco de desfalque de dinheiro em caixa ou de desvio de conta corrente bancária. É um risco que depende somente da empresa. • Duplicatas a receber: o risco está na possibilidade do cliente não pagar. Assim, é um risco maior por depender da capacidade de pagamento de terceiro. • Passivo Circulante: é líquido e certo: deve ser pago e na quantia aprazada

  9. Liquidez Imediata • Índice conservador, considera apenas caixa, saldos bancários e aplicações financeiras de liquidez imediata para quitar as obrigações. • Excluindo-se além dos estoques as contas e valores a receber. Um índice de grande importância para análise da situação a curto-prazo da empresa; • Interpretação do indicador: quanto Maior, Melhor. • Fórmula: Disponibilidades / Passivo Circulante

  10. Liquidez Geral • Este índice leva em consideração a situação a longo prazo da empresa, incluindo no cálculo os direitos e obrigações a longo prazo, valores obtidos no balanço patrimonial; • Fórmula: (Ativo Circulante + Realizável a Longo Prazo) / (Passivo Circulante + Passivo Não Circulante) • Interpretação do indicador: quanto Maior, Melhor.

  11. Análise dos índices • Para uma ampla e correta análise de liquidez da empresa é aconselhável o estudo dos 4 índices de forma simultânea e comparativa, sempre observando: • quais são as necessidades da empresa; • qual o ramo do mercado em que ela está inserida; • quais as respostas que os gestores procuram ao calcular estes índices. • Um balanço patrimonial bem estruturado com a correta classificação das contas pela contabilidade irá gerar índices de qualidade para uma melhor tomada de decisão dos gestores.

  12. Análise por Índices

  13. Análise por Índices

  14. Índices de Rentabilidade • Os índices de rentabilidade procuram evidenciar qual foi a rentabilidade dos capitais investidos, ou seja, o resultado das operações realizadas por uma organização, por isso, preocupam-se com a situação econômica da firma. • Comparar o Balanço Patrimonial de duas diferentes empresas e dizer que "A" gerou lucros de $ 72.000,00 em 2013 e "B" de $ 121.000,00, no mesmo período, e por isso "B" foi melhor que "A", pode ser um tanto arriscado. • Quando se trabalha com análise de rentabilidade, é imprescindível que a verificação dos lucros esteja relacionada com valores que possam expressar a "dimensão" destes lucros dentro das atividades da firma.

  15. Giro do Ativo • Demonstra quantas vezes o ativo girou como resultado ou efeito das vendas ou ainda quanto a empresa vendeu para cada $ 1,00 de investimento total. • É certo, portanto, que quanto maior, melhor. • Fórmula: Vendas Líquidas/Ativo

  16. Margem Líquida • Também denominado de Margem Operacional, evidencia qual foi o retorno que a empresa obteve frente ao que conseguiu gerar de receitas. • Em outras palavras: quanto o que sobrou para a firma representa sobre o volume faturado. • Fórmula: Lucro Líquido/Vendas Líquidas

  17. Rentabilidade do Ativo • A rentabilidade do ativo é calculada quando se deseja ter uma idéia da lucratividade, como um todo, do empreendimento, venham de onde vierem os recursos, admitindo-se as aplicações realizadas. • Este indicador mede quanto a empresa obtém de lucro para cada $ 100,00 de investimento total, por isso, é visto como uma medida de potencial de geração de lucro da parte da empresa. • Para MATARAZZO (1995, p.185), este quociente representa "... uma medida da capacidade da empresa em gerar lucro líquido e assim poder capitalizar-se. É ainda uma medida do desempenho comparativo da empresa ano a ano". • Fórmula: LL/ATIVO

  18. Rentabilidade do Patrimônio Líquido • O Patrimônio Líquido Médio consiste na soma do Patrimônio Líquido Inicial com o Patrimônio Líquido Final, dividida por 2. • Retrata quanto vai para o acionista do lucro gerado pelo uso do ativo, quaisquer que tenham sido as fontes de recursos, próprias ou de terceiros. • Por esta razão, este quociente é de interesse tanto dos acionistas como da gerência.

  19. Rentabilidade do Patrimônio Líquido • É importante observar que o cálculo da Rentabilidade do Patrimônio Líquido permite saber quanto a administração, através do uso dos ativos, obteve de rendimento com a respectiva estrutura de despesas financeiras, considerando-se o nível de relacionamento percentual entre o capital próprio e o de terceiros. • Em última instância: evidencia qual a taxa de rendimento do Capital Próprio. • Fórmula: Lucro Líquido/PL médio

  20. Rentabilidade do Patrimônio Líquido • Uma das grandes utilidades deste quociente está na sua comparação com taxas de rendimento de mercado, sendo possível, por esta comparação, avaliar se a firma oferece rentabilidade superior ou inferior a essas opções. • A apuração deste indicador vislumbrará, portanto, quanto a empresa obteve de lucro para cada $ 100,00 de Capital Próprio investido. • Uma taxa de 15,45 representa, então, que para cada $ 100,00 de Capital Próprio investido se obteve um retorno de $ 15,45, ou 15,45%.

  21. Análise por Índices