ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA - PowerPoint PPT Presentation

raymond-osborne
slide1 n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA PowerPoint Presentation
Download Presentation
ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA

play fullscreen
1 / 17
Download Presentation
ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA
85 Views
Download Presentation

ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Universidade Federal de AlagoasCampus Sertão – DelmiroGouveiaCurso de Graduação em Geografia – Licenciatura ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA

  2. SUMÁRIO: Teorias; Leis ; Problemas; Hipóteses; Variáveis.

  3. TEORIAS • A teoria pode sempre se inovar; • De acordo Stephen Hawking, "uma boa teoria deve satisfazer a dois requisitos: Precisa descrever com precisão um número razoável de observações, com base em um modelo que contenha poucos elementos arbitrários; e deve prever com boa margem de definição resultados de observações futuras"1 ;

  4. TEORIAS • Karl Popper as teorias ; • Comparação lógica das conclusões umas com as outras, para se testar a coerência interna do sistema; • Investigação da forma lógica da teoria, com objetivo de determinar se ela apresenta caráter de uma teoria empírica, científica ou tautológica; • Comparação com outras teorias, para ver se há avanço de ordem científica ; • Comparação da teoria por meio de aplicações empíricas das conclusões que dela se possam deduzir.

  5. TEORIAS

  6. LEIS Já as leis não sendo visto como jurídico, mais sim é realizada a partir de observação, e materiais fundados com o propósito de resolver um questionamento, dúvidas. Podendo daí responder a questão de leis sendo apenas o conjunto de teorias sobre determinado questionamento. As leis científicas se tornaram o grau maior de informações vista que tem o maior grau de informações. Tendo como exemplo: A lei da oferta e da procura As leis de Newton

  7. PROBLEMAS • “O problema de pesquisa pode ser determinado por razões de ordem prática ou de ordem intelectual: • ORDEM PRÁTICA: • A prefeitura de uma cidade pode estar interessada em verificar em que medida a construção de uma via elevada poderá provocar a deterioração da respectiva área urbana. • ORDEM INTELECTUAL: • pode-se estar interessado em verificar em que medida fatores não econômicos agem como motivadores no trabalho.

  8. PROBLEMAS • “Um problema é de natureza científica, quando envolver variáveis que podem ser tidas como testáveis”; • “Ambos, problema e hipótese são enunciados de relações entre variáveis, a diferença reside em que o problema constitui sentença interrogativa e a hipótese sentença afirmativa”; • “A pergunta atua como um vetor orientando o caminho, os métodos a serem utilizados no decorrer do trabalho”; • “De modo geral, o estudante inicia o processo da pesquisa pela escolha de um tema, que por si só não constitui um problema. Ao formular perguntas sobre o tema, provoca-se sua problematização”.

  9. HIPÓTESES http://www.google.com.br/imgres?q=imagem+de+exemplos+de+hip%C3%B3teses+em+pesquisa+cient%C3%ADfica&um=1&hl=pt-BR&sa=G&biw=1092&bih=499&tbm=isch&tbnid=cNBo1cifGZnIAM:&imgrefurl=http://www.esb.ucp.pt/twt4/motor/display_texto.asp%3Fpagina%3DTrabalhoExperimental313788688%26bd%3Dpepino&docid=1fReqoexJW4ogM&imgurl=http://www.esb.ucp.pt/twt/pepino/MyFiles/MyAutoSiteFiles/TrabalhoExperimental313.

  10. HIPÓTESES • “Hipótese pode ser tida como a possível solução provisória de um problema, que depois de colocado à observação e à teste pode se obter uma afirmação verdadeira ou falsa”.

  11. NÍVEIS DE HIPÓTESE • Ocorrência : são hipóteses que não tem sustentação empírica,o seja, são suposições sem fundamentação teórica tendo como exemplo teorias que não se desenvolveram na ciência; • Empírica : essa hipótese não se sustenta e nem se baseia numa fundamentação lógica, sendo ela portanto uma hipótese que não se baseia nos sistemas de conceitos existentes na ciência; • Plausíveis : essa hipótese apresenta coerência e lógica e é posta a teste. É a hipótese que se relaciona com outras teorias já reconhecidas; • Convalidadas : essa hipótese permite o uso de teste empírico, sendo a única que se fundamenta e se baseia em um sistema de teorias e que ao mesmo tempo se relaciona com hipóteses empíricas. A mesma obtém do uso dos ideais da ciência sendo eles o da objetividade e o da consistência.

  12. VARIÁVEIS • Variáveis são fatores que dão sentido em um objeto de estudo, ou seja, é a explicação contida por trás do objeto em observação que dá sentido ao mesmo, visando assim, melhor exemplificar a hipótese dando-lhe mais clareza e objetividade de como os fatores influenciam na causa e efeito dos objetos colocados em estudo.

  13. VARIÁVEIS • CLASSIFICAÇÃO: • Variável independente: é aquele fator no qual o investigador tem como manipulá-lo para que assim a sua influência exerça um resultado; • Variável dependente: é o fator resultante do estímulo causado pelo investigador na variável independente; • Variável moderadora: é o fator que modifica a inter-relação entre as variáveis dependente e independente; • Variável de controle: é nessa variável em que os fatores que de alguma forma afeta a variável dependente devem ser separados e anulados pelo investigador, para que assim não venham interferir os resultados que as variáveis sozinhas resultariam; • Variável interveniente: é o fator em que o investigador não tem como manipulá-la e que de alguma forma ele irá afetar o objeto em estudo.

  14. DEFINIÇÕES EMPÍRICAS DOS CONCEITOS • Para Hempel as definições têm a finalidade de “enunciar ou descrever o que se aceita como significado (...) de um termo já em uso e ou atribuir por estimulação ou significado especial a dado termo”.

  15. DEFINIÇÃO NOMINAL • Utiliza termos pré-teóricos já conhecidos e esclarece os sentidos de conceitos já utilizados; Exemplo: Filogênese é o estudo que indicas formas de evolução da vida. DEFINIÇÃO OPERACIONAL • descreve as atividades que se pode realizar e para constatar a existência de construtos. Exemplo: Hempel (1970) dpa um exemplo de definição operacional na química. “Para se achar o termo ‘ácido se aplica a um dado líquido’: coloque uma tira de papel de tornassol azul: o líquido é um ácido e somente se o papel ficar vermelho”.

  16. REFERÊNCIAS: http://wwwp.fc.unesp.br/~verinha/ADEFINICAODOPROBLEMA.pdf; http://www.professorwellington.adm.br/problema.html ; http://www.carlosfernandes.prosaeverso.net/visualizar.php?idt=2628123 http://pt.scribd.com/doc/27945286/Metodologia-Cientifica-Lakatos-e-Marconi http://ayanrafael.files.wordpress.com/2011/08/gil-a-c-mc3a9todos-e-tc3a9cnicas-de-pesquisa-social.pdf

  17. OBRIGADO! • Equipe: • Arlene Maria • Cíntia Daniele Pereira de Oliveira Souza • Janicleide Medeiros • Wanessa Alencar • Orientação: Prof. Kleber Costa da Silva Apoio: