slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
AGENDA PowerPoint Presentation
Download Presentation
AGENDA

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 104

AGENDA - PowerPoint PPT Presentation


  • 103 Views
  • Updated on

AGENDA. QUEM SOMOS. NOSSA VISÃO - DESEMPENHO. METODOLOGIA DE TRABALHO. DESAFIO: UM BOM PROJETO É FUNDAMENTAL. TEMOS MUITO TRABALHO A FAZER!. HISTÓRICO. OBRAS ATUALMENTE EM FASE DE PROJETO E EXECUÇÃO. 55 obras e projetos que somados resultam em 2.547.877,61 m² 32 obras próprias

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

AGENDA


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
    Presentation Transcript

    1. AGENDA QUEM SOMOS NOSSA VISÃO - DESEMPENHO METODOLOGIA DE TRABALHO DESAFIO: UM BOM PROJETO É FUNDAMENTAL TEMOS MUITO TRABALHO A FAZER!

    2. HISTÓRICO

    3. OBRAS ATUALMENTE EM FASE DE PROJETO E EXECUÇÃO 55 obras e projetos que somados resultam em 2.547.877,61m² 32 obras próprias 23 obras com parceiros Distribuídos em 6 regionais Segmentação Geográfica - 2013 • Manaus: 4 Empreendimentos: 21 torres • Fortaleza: 1 Empreendimento: 4 torres • Salvador: 1 Empreendimento: 3 torres • Brasília: 4 Empreendimentos: 20 torres • São Paulo: 39 Empreendimentos: 124 torres 410 casas (9 empreendimentos Jd. das Perdizes) • Curitiba: 6 Empreendimentos: 14 torres Fortaleza Manaus Salvador Brasilia São Paulo Curitiba

    4. AGENDA QUEM SOMOS NOSSA VISÃO - DESEMPENHO METODOLOGIA DE TRABALHO DESAFIO: UM BOM PROJETO É FUNDAMENTAL TEMOS MUITO TRABALHO A FAZER!

    5. Etimologia Desempenho A palavra Desempenho têm origem de "des", negativo, e "empenho", ou seja, "Tirar do penhor, resgatar", e "Penhor" vêm do Latim jurídico PIGNUS, que significa "Garantia dada pelo Devedor ao Credor". Fonte: http://www.conhecimentoestrategico.com.br/2010/03/mas-afinal-o-que-e-desempenho.html

    6. Conceito O que é DESEMPENHO? • Motor IVTEC • Transmissão SHIFT HOLD CONTROL • Rodas de 16’ • Suspensação Dianteira McPhearson • Suspensão Traseira Multi-Link GOLF BlueMotion faz 32 km/l • Motor SIGMA TiVCT • Transmissão DPS6 • Suspensação Dianteira McPhearson • Suspensão Traseira Mola Helicoidal

    7. Conceito Custo Final: 380 milhões de reais Estimativa Reforma: 160 milhões Sociedade custeando BAIXO DESEMPENHO Comprometimento da DURABILIDADE

    8. Necessidades de clientes Níveis de Desempenho Mínimo Atendimento Obrigatório Segurança Segurança Estrutural Segurança contra fogo Segurança no Uso e Operação Habitabilidade Estanqueidade Desempenho Térmico Desempenho Acústico Desempenho Lumínico Saúde, Higiene e Qualidade do Ar Acessibilidade Conforto no manuseio Sustentabilidade (Item 18, Parte 1) Durabilidade Manutenabilidade Impacto Ambiental Intermediário Superior Quando atendidos devem ser divulgados pelo Marketing e incorporados nos materiais de Venda EDIFÍCIOS COM DESEMPENHO DIFERENCIADO

    9. O que é uma Norma de Desempenho? MAIOR ALCANCE DO PÚBLICO CONSUMIDOR • NORMAS PRESCRITIVAS • Qual material utilizado? • Relacionada ao produto • Linguagem técnica • NORMAS DE DESEMPENHO • Qual seu comportamento em uso? • Relacionada ao usuário • Linguagem Simples

    10. NOSSA VISÃO • Criação de uma Referência para Avaliação de unidades habitacionais aparentemente similares • Estímulo à Inovação • Garantir a Segurança e Satisfação dos Clientes • Equilibrar melhor as relações de consumo: • Construtora x Cliente • Incorporadora x Construtora • Construtora x Fornecedor

    11. NOSSA VISÃO Favorecimento de fornecedores com maior Qualificação Técnica; Indução de Melhorias em Sistemas e Subsistemas; Projetistas deverão especificar desempenho (Não poderá ficar a cargo do departamento de suprimentos) Improviso em obra é sinônimo de RISCO Usuário deverá cobrar informação! Compra de Terreno também é uma atividade técnica!

    12. CLIENTE CONTEMPORÂNEO Produto Produto Produto Produto Produto Produto Produto Produto Produto Preço Preço Preço Preço Preço Preço Preço Preço Qualidade Qualidade Qualidade Qualidade Qualidade Qualidade Qualidade Serviço Serviço Serviço Serviço Serviço Serviço Marca Marca Marca Marca Marca Valor Agregado Valor Agregado Valor Agregado Valor Agregado Relaciona-mento Relaciona-mento Relaciona-mento Sustenta-bilidade Sustenta-bilidade Desempe-nho

    13. CENÁRIO ATUAL EM PAUTA

    14. RISCOS ECONÔMICOS O Ciclo do Empreendimento AUMENTOU ? ANTES 5 anos ≈ 5 anos PRJ Obra Prosp. Assistência Técnica Vendas ? NBR 15575 AGORA? VUP PRJ Obra Assistência Técnica Prosp. Venda • Estrutura: 50 anos ; Pisos: 13 anos; Hidrossanitário: 20 anos

    15. RISCOS ECONÔMICOS E o CUSTO ? 98,5% • Fornecedores quebraram; • Sistemas sem históricos em outras praças; • Problemas de Projeto; • Problemas de Execução; • Projetos e Obra realizados por parceiros; 1,5% AST Prospecção Projeto Vendas Obra VUP

    16. RISCOS ECONÔMICOS E sea VUP não for atendida?

    17. DEMANDAS

    18. AGENDA QUEM SOMOS NOSSA VISÃO - DESEMPENHO METODOLOGIA DE TRABALHO DESAFIO: UM BOM PROJETO É FUNDAMENTAL TEMOS MUITO TRABALHO A FAZER!

    19. METODOLOGIA DE TRABALHO Norma de Desempenho SIM Em qual nível de Desempenho? DIAGNÓSTICO Atendemos aos Requisitos? Entendimento dos Requisitos e Responsabilidades Recolhimento de Evidências Comunicação para o Usuário Envolvimento das Áreas NÃO P&D Como Atender? Consultorias Apresentação da Norma a todas as Áreas Cursos de Capacitação

    20. METODOLOGIA DE TRABALHO Norma de Desempenho SIM Em qual nível de Desempenho? DIAGNÓSTICO Atendemos aos Requisitos? Entendimento dos Requisitos e Responsabilidades Recolhimento de Evidências Comunicação para o Usuário Envolvimento das Áreas NÃO P&D Como Atender? Consultorias Apresentação da Norma a todas as Áreas Cursos de Capacitação

    21. LEITURA E ENTENDIMENTO DA NORMA Para ATENDER é fundamental LER e INTERPRETAR integralmente o texto da Norma Por que Atendo? Profundo conhecimento dos REQUISITOS DE DESEMPENHO, MÉTODOS DE AVALIAÇÃO e CRITÉRIOS DE ACEITAÇÃO

    22. DIAGNÓSTICO / INTERPRETAÇÃO DOS REQUISITOS NORMATIVOS EMPRESAS DE GRANDE/MÉDIO PORTE EMPRESAS DE PEQUENO PORTE • Contratação de Consultorias Especializadas • Cursos de Capacitação (Desempenho Térmico, Acústico, Lumínico, etc.) • União com Construtoras/Incorporadoras Parceiras para Troca de experiências • Captação de Informações junto a Universidades • Contato com Entidades de Classe (SECOVI, SINDUSCON, entre outros) • Busca de Informação em Programas Setoriais

    23. METODOLOGIA DE TRABALHO Norma de Desempenho SIM Em qual nível de Desempenho? DIAGNÓSTICO Atendemos aos Requisitos? Entendimento dos Requisitos e Responsabilidades Recolhimento de Evidências Comunicação para o Usuário Envolvimento das Áreas NÃO P&D Apresentação da Norma a todas as Áreas Como Atender? Consultorias Cursos de Capacitação

    24. Apresentação da Norma a Todas as Áreas TREINAMENTO É FUNDAMENTAL ! Inserir o Conceito de Desempenho no Contexto das diversas Áreas da Companhia Cada Área deve conhecer suas RESPONSABILIDADES !

    25. Incumbência dos Intervenientes INCORPORADOR “É da incumbência do incorporador e projetistas envolvidos e não da empresa construtora a identificação dos riscos previsíveis na época de projeto, devendo o incorporador, neste caso, providenciar os estudos técnicos requeridos e prover aos diferentes projetistas as informações necessárias.” • Em novas praças, a incorporação deverá avaliar previamente as condições técnicas mínimas para atendimento à NBR (vida útil e desempenho), indicando premissas de projeto, características de materiais, técnicas e sistemas construtivos, exemplo: • Tipos de paredes; • Forma de revestimento; • Normas e regulamentos aplicáveis;

    26. Incumbência dos Intervenientes

    27. Incumbência dos Intervenientes • CONSTRUTOR • Elaboração dos Manuais (Proprietário/Síndico); • Execução de serviços conforme especificado em projeto (não pode tomar decisões técnicas em obra); • USUÁRIO • Realização das Manutenções Preventivas e Corretivas constantes nos Manuais do Proprietário e do Síndico; • Elaboração de um registro de todas as intervenções realizadas no condomínio e nas unidades; • FORNECEDOR • Caracterização dos seus produtos de acordo com NBR 15575 e normas prescritivas; • Na ausência destas, caracterização de acordo com normas internacionais

    28. Incumbência dos Intervenientes As exigências de projeto e a figura do projetista estão mudando... BRASIL Gasto Médio em Projeto 3% EUA Gasto Médio em Projeto 6% x2!!

    29. Definições Importantes Responsabilidade do Usuário

    30. METODOLOGIA DE TRABALHO Norma de Desempenho SIM Em qual nível de Desempenho? DIAGNÓSTICO Atendemos aos Requisitos? Entendimento dos Requisitos e Responsabilidades Recolhimento de Evidências Comunicação para o Usuário Envolvimento das Áreas NÃO P&D Como Atender? Consultorias Apresentação da Norma a todas as Áreas Cursos de Capacitação

    31. INSERINDO DESEMPENHO DE EDIFÍCIOS NA ROTINA DE PROJETO ENVOLVIMENTO DAS DIVERSAS ÁREAS DA COMPANHIA Compra de Terrenos Negócios Departamento de Projetos Departamento de Suprimentos Obras Departamento de Qualidade Jurídico Assistência Técnica

    32. Caracterização Acústica para atendimento às Normas Técnicas Durabilidade de Estruturas em Atmosferas e Solos Agressivos COMPRA DE TERRENOS Previsão de Obras Especiais LOGO EMPRESA

    33. Preocupação com o Conforto do Usuário

    34. Temporizador nas torneiras de áreas comuns Iluminação LED no térreo e paisagismo DEPARTAMENTO DE NEGÓCIOS Busca por tecnologias que agreguem valor ao produto no que diz respeito a um desempenho diferenciado Tomada para Carros Elétricos – Combate à Obsolescência Funcional PROCEL – Eficiência Energética Medidor de consumo energético LOGO EMPRESA

    35. NOSSA VISÃO INSUFICIENTE QUAL COMPRAR? DE QUANTO EU PRECISO? QUANTO CADA UM CUSTA? QUANTO CADA UM SUPORTA? DESPERDÍCIO

    36. DEPARTAMENTO DE PROJETOS • Criação de Diretrizes de Projeto • Melhor detalhamento das interfaces entre sistemas • Menor número de improvisações em obra • Atendimento às Premissas de Projeto da NBR 15575 LOGO EMPRESA

    37. DEPARTAMENTO DE PROJETOS • Criação de Diretrizes para a Correta especificação de materiais • Criação de Memoriais de Cálculo para comprovação do desempenho de elementos construtivos diversos LOGO EMPRESA

    38. Introdução da Obrigatoriedade de Fornecedores caracterizarem desempenho de seus produtos DEPARTAMENTO DE SUPRIMENTOS Exemplo: Caracterização de Desempenho Acústico de Caixilhos (Rw) LOGO EMPRESA

    39. AVALIAÇÃO DE MATERIAIS/COMPONENTES Caracterização do Produto Físicas, químicas, estéticas, desempenho (ensaios), uso e manutenção, etc. Avaliação Técnica do Produto Normas técnicas, certificações compulsórias ou voluntárias (Inmetro, PSQ, selos de qualidade, etc) , visitas a obras, parecer de consultor, etc Avaliação de Risco do Fornecimento Tempo de existência da empresa, principais clientes, capacidade de produção, assistência técnica, garantias, etc. OPERAÇÃO SUPRIMENTOS + P&D ; Filtro comercial ; Gap´s informados ao fornecedor DEPARTAMENTO DE SUPRIMENTOS

    40. PROGRAMAS DE TREINAMENTOS OBRA • Realização de Treinamentos em Campo; • Orientação em tempo real; • Capacitação e motivação de equipes. LOGO EMPRESA

    41. DEPARTAMENTO DE QUALIDADE Adaptação de Relatórios Fotográficos e Controles de Qualidade de Materiais e Serviços para recolhimento de evidencias de atendimento à NBR 15575 LOGO EMPRESA

    42. Elaboração de Anexos Contratuais acerca das especialidades de projeto a fim de regular a relação entre Incorporadora/Construtora e Projetistas no que diz respeito às suas Responsabilidades. • Arquitetura • Paisagismo • Decoração • Estrutura • Fundações • Instalações Hidráulicas DEPARTAMENTO JURÍDICO • Ampliação dos escopos de contrato entre TECNISA e suas Incorporadoras/Construtoras Parceiras LOGO EMPRESA

    43. Compatibilização dos prazos de garantia da companhia com os novos Prazos de Garantia sugeridos nos Anexos Informativos da Norma Mesmo que estes não sejam Normativos, indicam uma boa prática do mercado Pode servir de base para sentença em caso de litígio! ASSISTÊNCIA TÉCNICA LOGO EMPRESA

    44. METODOLOGIA DE TRABALHO Norma de Desempenho SIM Em qual nível de Desempenho? DIAGNÓSTICO Atendemos aos Requisitos? Entendimento dos Requisitos e Responsabilidades Recolhimento de Evidências Comunicação para o Usuário Envolvimento das Áreas NÃO P&D Como Atender? Consultorias Apresentação da Norma a todas as Áreas Cursos de Capacitação

    45. METODOLOGIA DE TRABALHO Norma de Desempenho SIM Em qual nível de Desempenho? DIAGNÓSTICO Atendemos aos Requisitos? Entendimento dos Requisitos e Responsabilidades Recolhimento de Evidências Comunicação para o Usuário Envolvimento das Áreas NÃO P&D Como Atender? Consultorias Apresentação da Norma a todas as Áreas Cursos de Capacitação

    46. DESAFIOS COMO SE CERTIFICAR DO ATENDIMENTO DE REQUISITOS DE DESEMPENHO

    47. COMO SE CERTIFICAR DO ATENDIMENTO DE REQUISITOS DE DESEMPENHO EMPRESAS DE GRANDE/MÉDIO PORTE • Contratação de Consultoria Especializada para Avaliação de Sistemas Construtivos • Internalização da Responsabilidade de realização de Ensaios de Desempenho, podendo desta forma realizar ensaios por conta própria ou optar pela contratação de Laboratórios Terceiros • Compra de Equipamentos Próprios para avaliações precisas através da metodologia de Medição em Campo • Troca de Informações com Construtoras Parceiras • Caracterização via Simulação de Desempenho

    48. COMO SE CERTIFICAR DO ATENDIMENTO DE REQUISITOS DE DESEMPENHO Internalização de Ensaios de Desempenho, mediante contratação de Laboratórios Terceiros

    49. COMO SE CERTIFICAR DO ATENDIMENTO DE REQUISITOS DE DESEMPENHO Compra de Equipamentos Próprios para avaliações precisas através da metodologia de Medição em Campo Necessidade de Treinamento de Equipe própria para correta operação de equipamentos