desenvolvimento motor normal n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Desenvolvimento Motor Normal PowerPoint Presentation
Download Presentation
Desenvolvimento Motor Normal

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 83

Desenvolvimento Motor Normal - PowerPoint PPT Presentation


  • 622 Views
  • Uploaded on

Desenvolvimento Motor Normal. Profa. Kelly Cristina Sanches. Desenvolvimento - Conceito. Processo Contínuo e Dinâmico Início: Fecundação Evolução: Etapas Progressivas  Sentido Craniocaudal Bagagem Genética + Fatores Ambientais. Desenvolvimento Sistema Nervoso. Desenvolvimento.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Desenvolvimento Motor Normal' - nomlanga-tate


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
desenvolvimento motor normal

Desenvolvimento Motor Normal

Profa. Kelly Cristina Sanches

desenvolvimento conceito
Desenvolvimento - Conceito
  • Processo Contínuo e Dinâmico
  • Início: Fecundação
  • Evolução:
    • Etapas Progressivas  Sentido Craniocaudal
  • Bagagem Genética + Fatores Ambientais
desenvolvimento
Desenvolvimento
  • Período Intra-uterino:
    • Pré-embrionário (0-1m)
    • Embrionário (1-2m)
    • Fetal (3-9m)
  • Extra-Uterino
per odo intra uterino
Período Intra-Uterino
  • Predomínio da Motricidade:
    • Movimentos de Flutuação;
    • Mãos à Boca, Pedaladas;
  • Redução da Sensibilidade.
  • Sexto Mês:

- Surgimento do Tônus Muscular : Hipotonia Global que evoluirá para uma postura flexora de membros.

per odo extra uterino
Período Extra-Uterino
    • Passagem do meio líquido para o gasoso: Necessidade de adaptação imediata do bebê.
  • Líquido amniótico: Motricidade > Sensibilidade
  • Pós Natal: Sensibilidade > Motricidade
per odo extra uterino1
Período Extra-Uterino
  • RN = Fase Cortical Inicial:
    • Capacidade de Aprendizado
    • Conexões Sinápticas:
      • Morte Celular;
      • Refinamento das Conexões até o Período da Adolescência.
organiza o hier rquica do snc
Organização Hierárquica do SNC

O Desenvolvimento Motor segue uma sequência rígida da Reação Reflexa ao Comportamento Voluntário;

Os Reflexos são controlados à medida que ocorre a Maturação do SNC;

organiza o hier rquica do snc1
Organização Hierárquica do SNC
  • Desenvolvimento em ritmos (mielinização) ≠ Áreas Cerebrais;
  • Estruturas Cerebrais mais especializadas levam mais tempo para atingir a maturação.
reflexos prim rios primitivos
Reflexos Primários (Primitivos)

“ ...Trata-se de uma forma imatura de comportamento motor, traduzindo um padrão motor congênito, o qual se aperfeiçoaria em direção à ação motora adequada à tarefa e contexto.”

(Shepherd, 1995)

reflexos prim rios primitivos1
Reflexos Primários (Primitivos)

Padrões Estereotipados de Movimento;

Desencadeados por Estimulação Sensorial Específica;

Permitem ao Recém-Nascido reagir aos Estímulos Ambientais.

reflexos prim rios primitivos2
Reflexos Primários (Primitivos)
  • Base para o Desenvolvimento dos Movimentos Voluntários;
  • Proporcionam Experiências Motoras e Sensoriais
    • Repetição sob a forma de movimentos funcionais modulados por sistemas superiores.
manifesta es reflexas
Manifestações Reflexas
  • Permanentes.
  • Manifestações Reflexas Transitórias.
  • Manifestações Evolutivas.
manifesta es reflexas permanentes
Manifestações Reflexas Permanentes

Presentes desde o nascimento, são constantes, não sofrem modificações no decorrer da evolução.

Ex: Reflexo de Retirada.

manifesta es reflexas transit rias
Manifestações Reflexas Transitórias
  • São normais em alguns períodos da evolução e depois desaparecem, surgindo novamente somente em situações de lesão.

EX: RTCA

manifesta o reflexa evolutiva
Manifestação Reflexa Evolutiva
  • Surgem inicialmente reflexas e depois desaparecem com a evolução, para darem lugar às mesmas atividades, porém com carater voluntário, ou posteriormente constituindo os automatismos.

EX: Sucção, Preensão Palmar, Marcha Reflexa.

modifica es dos movimentos sinergistas primitivos
Modificações dos Movimentos Sinergistas Primitivos

Movimentos Maciços Primitivos

Movimentos Finos e Seletivos

Padrões Motores Primitivos são Modulados

Manipulações Finas

modifica o do t nus muscular
Modificação do Tônus Muscular

Tônus Flexor de

Membros e Hipotonia de Tronco

Tônus Extensor

Equilíbrio entre o Tônus Flexor e Extensor

matura o muscular
Maturação Muscular

Músculos Flexores  Músculos Extensores

Músculos Monoarticulares  Biarticulares

Músculos Profundos Superficiais

dnm normal
DNM NORMAL
  • Edificação do Tônus Muscular.
  • Surgimento das Reações Posturais e de Equilíbrio.
  • Modulação dos Reflexos Primitivos.
  • Modificação dos Movimentos Sinergistas para os Movimentos Especializados.
reflexo dos 4 pontos cardeais procura
Reflexo dos 4 Pontos Cardeais (Procura)

Presente de 0 a 1 mês;

Desenvolvimento motor oral;

Auxilia na evolução do controle da cabeça na linha mediana;

Auxilia o Endireitamento óptico, acompanhamento visual e interação social.

marcha autom tica rea o de marcha 0 a 3 meses
Marcha Automática(reação de marcha) – 0 a 3 meses

Ortostatismo e marcha;

Reações de equilíbrio e descarga de peso;

Desenvolvimento da reciprocidade e coordenação de MMII.

reflexo de galant 0 a 2 meses
Reflexo de Galant (0 a 2 Meses)

- Criança em DV, suspensa de barriga para baixo;

- O examinador passa o dedo paralelamente à coluna vertebral , desde a primeira costela até a crista ilíaca;

- Resposta: Flexão lateral na direção do estimulo.

reflexo de moro 0 a 3 meses
Reflexo de Moro (0 a 3 meses)

Segurar o lactente, apoiando sua cabeça e tronco;

Retirar a seguir o apoio sob a cabeça , deixando-a cair para trás, dentro de sua mão.

Resposta: Reage, estendendo os braços num amplo movimento de abdução de membro superior.

rea o de extens o cruzada 0 a 1 m s
Reação de Extensão Cruzada (0 a 1 mês)

Lactente em DD;

Examinador segura uma das pernas do lactente em extensão e fricciona a planta de seu pé;

Resposta: Flexão e Abdução do MI Oposto.

reflexo t nico cervical assim trico rtca 0 a 3 meses
Reflexo Tônico Cervical Assimétrico (RTCA- 0 a 3 meses)

DD;

O examinador vira a cabeça do lactente para um lado, observando e palpando a reação nos membros da criança ;

Resposta: Extensão do braço e perna, no lado, no lado para o qual esta voltado a face, enquanto os membros contra-lateral se encontram em flexão;

reflexo t nico cervical assim trico magnus de kleijn
Reflexo Tônico Cervical Assimétrico (Magnus-De Kleijn)
  • Alimentação
  • Acompanhamento visual
  • Uso bilateral das mãos
  • Rolar
  • Persistência: Desenvolvimento de deformidades e assimetrias.
reflexo t nico cervical sim trico
Reflexo Tônico Cervical Simétrico

O examinador coloca a cabeça da criança em extensão, os seus braços entram em extensão e MMII em flexão;

Qdo a cabeça é fletida, os braços se fletem e os MMII estendem

Reflexo existente em lactentes com PC

reflexo de preens o palmar 0 2 meses
Reflexo de Preensão Palmar (0-2 meses)

Capacidade de apreender e soltar objetos voluntariamente;

Suporte do peso sobre a mão aberta para apoiar-se, engatinhar, respostas de proteção

Persistência do reflexo.

reflexo de preens o plantar 0 a 8 meses
Reflexo de Preensão Plantar (0 a 8 meses)

Capacidade de ficar em pé, com o pé plano em uma superfície

Reações de equilíbrio na posição ortostática

Persistência do reflexo.

rea es posturais e de equil brio1
Reações Posturais e de Equilíbrio
  • Reações de Endireitamento da Cabeça:
    • Orientação da cabeça em relação ao corpo ou à gravidade
    • organização perceptiva, sensorial e motora
  • Reações de Equilíbrio
  • Reações de Proteção
rea o de landau 5 8 meses
Reação de Landau ( 5-8 meses)

Estímulo: Suspensão Ventral (por baixo do tronco)

Resposta: Extensão da Cervical, tronco e MMII (craniocaudalmente)

rea o postural cervical ou rea o cervical de retifica o 0 a 5 meses
Reação Postural Cervical ou Reação Cervical de Retificação (0 a 5 meses)

Estímulo: examinador roda a cabeça da criança

Resposta: o corpo acompanha a rotação (em bloco)

rea es posturais e de equil brio2
Reações Posturais e de Equilíbrio

Reações de Equilíbrio:

  • Reações Automáticas
  • Manter e Restaurar o Equilíbrio (CG dentro da base de sustentação);
  • Adquiridas após as Reações de Endireitamento.
rea o de p raquedas 6 meses
Reação de Páraquedas (6 meses)

Estímulo: Aproximação rápida da cabeça ao tablado

Resposta: extensão dos MMSS para apoio no solo

Inclui-se entre as reações de equilíbrio e persiste pela vida toda

etapas motoras comportamentos motores
Etapas Motoras: Comportamentos Motores
  • 1946: Gesell
  • Sequência previsível de marcos motores:
    • Rolar
    • Rastejar
    • Sentar
    • Engatinhar
    • Passagem para bipedestação
    • Bipedestação independente
    • Marcha
comportamentos motores
Comportamentos Motores
  • Leis:
    • Céfalo-caudal
    • Próximo-distal
  • Desenvolvimento do controle postural => locomoção e manipulação
surgimento do controle cef lico
Surgimento do Controle Cefálico

AUSÊNCIA DE CONTROLE CEFÁLICO

DÉFICIT DE FORÇA +

FALTA DE ATIVIDADE MUSCULARORGANIZADA

(± 2 MESES DE IDADE)

controle de cabe a
Controle de Cabeça
    • Orientação da cabeça à um estímulo visual
    • Seguir objeto móvel
  • Patologia:
    • Modulação inadequada dos reflexos
    • Déficit nas reações de endireitamento
    • Fraqueza muscular
controle postural em supino
Controle Postural em Supino
  • Posicionamento da cabeça posição corporal
    • Postura flexora
    • 3-4 meses (linha média) = simetria
crian a patol gica
Criança Patológica
  • Assimetria, posturas extremas
  • Persistência do RTCA  impede decúbitos
controle postural em prono dv
Controle postural em Prono (DV)
  • Sufocamento (RN)
  • Equilíbrio extensão-flexão
    • extensão cabeça
crian a patol gica2
Criança patológica
  • Tônus flexor / extensor anormal
    • Impede controle x gravidade
    • Sem controle de cabeça, tronco
sustenta o de peso em mmss
Sustentação de Peso em MMSS
  • Extensão em prono
    • Membros à frente do corpo
    • Abdução de ombros, cotovelos alinhados
    • 5-6m = liberação de MMSS (transferência peso)
    • 6-7m = estabilidade para rodar e obter objetos
crian a patol gica3
Criança patológica
  • Cotovelos abaixo da linha do ombro
    • Protração de ombros
    • Restrição dos movimentos de cabeça
    • Movimentos de rotação não ocorrem
surgimento da postura sentada
Surgimento da postura sentada
  • Controle de tronco e cabeça
    • Equilíbrio às perturbações
    • Coordenação de informações (2 segmentos)
  • Atividade muscularcoordenada
  • 6-8 meses de idade
controle na postura sentada
Controle na postura sentada
  • Início
    • Cifose + retroversão
    • Coordenação extensores e flexores (quadril e tronco)
    • Tronco estável= manipulação
crian a patol gica4
Criança patológica
  • Ausência de extensão de tronco
    • Criança “cai” pela ação da gravidade
    • Extensão de cabeça = campo visual
locomo o gato
Locomoção - gato
  • Prono
    • Arrastar primitivo – 4 apoios
crian a patol gica5
Criança patológica
  • Arrastar anormal
    •  transferência
    • “andar” ajoelhado
surgimento da bipedesta o
Surgimento da bipedestação
  • Postura imóvel independente (9 – 11 meses)
  • Organização de músculos em sinergia
    • Cabeça/ tronco/ MMII
desenvolvimento da marcha
Desenvolvimento da marcha

A deambulação independente é observada dos 9 meses em diante;

Aquisição da marcha até 15 meses;

Marcha com padrões próprios da marcha adulta acontece em torno de 5 anos de idade;