slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Marli M. Knorst Serviço de Pneumologia Hospital de Clínicas - Porto Alegre PowerPoint Presentation
Download Presentation
Marli M. Knorst Serviço de Pneumologia Hospital de Clínicas - Porto Alegre

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 42

Marli M. Knorst Serviço de Pneumologia Hospital de Clínicas - Porto Alegre - PowerPoint PPT Presentation


  • 73 Views
  • Uploaded on

Impacto dos tratamentos atuais nas exacerbações e na mortalidade da DPOC – o que deve ser valorizado. Marli M. Knorst Serviço de Pneumologia Hospital de Clínicas - Porto Alegre DMI / Faculdade de Medicina / UFRGS. 4 a. causa de morte – USA 2020 - 3 a. causa de morte

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Marli M. Knorst Serviço de Pneumologia Hospital de Clínicas - Porto Alegre' - myra


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1

Impacto dos tratamentos atuais nas exacerbações e na mortalidade da DPOC – o que deve ser valorizado

Marli M. Knorst

Serviço de Pneumologia

Hospital de Clínicas - Porto Alegre

DMI / Faculdade de Medicina / UFRGS

epidemiologia da dpoc
4a. causa de morte – USA

2020 - 3a. causa de morte

- 5a. causa de incapacidade

Internação - mortalidade 3 – 4 %

CTI - mortalidade hospitalar 11 a 24%

- em 1 ano – 43 a 46%

Epidemiologia da DPOC
tratamento dpoc est vel
Tratamento DPOC estável
  • Tabagismo
  • Vacinas
  • Broncodilatadores
  • Corticóide inalatório
  • Oxigenoterapia
  • Reabilitação pulmonar
  • Cirurgia redutora de volume
  • Transplante pulmonar
exacerba o
Exacerbação
  • Declínio mais rápido da função pulmonar *
  • fraqueza muscular periférica &
  • qualidade de vida #
  • custos com saúde **
  • mortalidade ##
  • Thorax 2004; 59:131 & Thorax 2002; 57:847 #Thorax 2003; 59:131
  • **AJRCCM 1998; 157:1418 ##Respir Med 2002;96;700
os broncodilatadores na dpoc
Os broncodilatadores na DPOC:
  • Reduzem exacerbaçoes
  • Reduzem mortalidade
  • Reduzem exacerbações e mortalidade
  • Nenhuma das acima
tiotr pio
Tiotrópio

Cochrane DB SR, 2006, Barr RG et al

9 ECR, N=6.584, Tiotr x Plac x Iprat x LABA

Desfechos:

  • Exacerbações
  • Hospitalizações
  • Sintomas
  • Função pulmonar
  • Mortalidade
broncodilatador de a o prolongada
Broncodilatador de ação prolongada

Cochrane DB SR, 2006, Appleton Set al

23 ER, N=6.061, Salm ou Form x Plac, mín 4 sem

Desfechos observados:

  • Melhora dos sintomas
  • Aumento peq do VEF1
  • Redução consumo BD ação curta
  • Melhora da qualidade de vida
  • Redução exacerbações (NNT 24)
tiotr pio1
Tiotrópio

Cochrane DB SR, 2006, Barr RG et al

9 ECR, N=6.584, Tiotr x Plac x Iprat x LABA

tiotr pio2
Tiotrópio

Cochrane DB SR, 2006, Barr RG et al

9 ECR, N=6.584, Tiotr x Plac x Iprat x LABA

tiotr pio3
Tiotrópio

Cochrane DB SR, 2006, Barr RG et al

9 ECR, n=6584; Tiotr x Plac x Iprat x LABA

tiotr pio4
Tiotrópio

Cochrane DB SR, 2006, Barr RG et al

9 ECR, n=6584; Tiotr x Plac x Iprat x LABA

o cortic ide inalat rio na dpoc
O corticóide inalatório na DPOC:
  • Reduz exacerbações
  • Reduz mortalidade
  • Reduz exacerbações e mortalidade
  • Nenhuma das acima
estudos randomizados controlados de uso de cortic ide inalat rio em dpoc est vel
Estudos randomizados, controlados de uso de corticóide inalatório em DPOC estável

ESTUDO n CI VEF1 Tempo

µg (%) seguimento

International COPD 281 Flutic 500 bid 35 - 90 6 meses Study Group

EUROSCOP 1277 Budes 400 bid 50 -100 3 anos

Copenhage 290 Budes 800/400 86 3 anos Budes 400 bid

ISOLDE 751 Flutic 500 bid 50 3 anos

Lung Health Study II 1116 Trianc 600 bid 30 - 90 3,5 anos

international copd study group
International COPD Study Group

Lancet 1998;351:773

n=281; VEF1 35-90%; Flut. 500 bid vs Plac.; 6 meses

  • Exacerbação: 37% Plac vs 32% CI (p=0,44)Mod/grave: 86% vs 60% (p<0,001)
  •  tosse e vol. expectoração (p<0,004); dispnéia: ns
  • Leve  VEF1, PF e DC6 min
euroscop
EUROSCOP

N Engl J Med 1999; 340:1948

N=1.277; tabag.; VEF1 50-100%; Bud 400 bid vs Plac; 3 anos

  • 6 meses: VEF1 17 ml CI e  81 ml PL(p=0,001)
  • 3 anos: VEF1 4,3% CI e 5,3% PL (p=0,05)
  • Equimoses: 10% CI vs 4% PL (p=0,001)
  • Efeitos colaterais: ns
copenhage
Copenhage

Lancet 1999; 353:1819

n=290; VEF1 86%; Bud 800/400 400 bid vs Plac; 3 anos

  • Taxa  VEF1/ano em ml: 41,8 CI vs 45,1 Plac(p>0,05)
  • Sintomas: ns
  • Exacerbações: ns
  • Outros efeitos: ns
isolde
ISOLDE

BMJ 2000;320:1297

Am J Crit Care Med 2001;163:122

N=750, VEF1 50%, Flut 500 bid vs Plac, 3 anos

  • Desfechos: Taxa VEF1/ano, QV, exacerbações.
  • Taxa  VEF1/ano: ns
  • QV/ano: 3,2 plac vs 2,0 CI (p=0,0004)
  • Exacerbações/ano:  25%,1,32 plac vs 0,99 CI (p=0,003)
slide18

ISOLDE

BMJ 2000;320:1297

Am J Crit Care Med 2001;163:122

N=750, VEF1 50%, Flut 500 bid vs Plac, 3 anos

lung health study ii
Lung Health Study II

N Engl J Med 343: 1902-9, 2000

n=1116; VEF1 30-90%; Trianc. 600 bid vs Plac.; 3,5 anos

  •  VEF1/ano: ns
  • CI:  sintomas (p=0,005) e consultas (p=0,03)
  • CI: < HRB após 9 e 30 meses (p=0,02)
  • CI: < densidade óssea lombar (p=0,007) e fêmur (p<0,0001)
tristan
TRISTAN

Lancet, 361:449-56,2003

n=1465; 25 países, 50 g Salm bid, Flut. 500 bid Salm + Flut. vs Plac.; VEF1 25 - 75%; 1 ano

Desfechos:

  • VEF1 após 12 meses
  • Sintomas e trat. resgate
  • Exacerbações
  • Retirada do estudo
  • Qualidade de vida
tristan1
TRISTAN

Lancet, 361:449-56,2003

n=1465; 25 países, 50 ug Salm bid, Flut. 500 bid Salm + Flut. vs Plac.; VEF1 25 - 75%; 1 ano

tristan2
TRISTAN

Lancet, 361:449-56,2003

n=1465; 25 países, 50 ug Salm bid, Flut. 500 bid Salm + Flut. vs Plac.; VEF1 25 - 75%; 1 ano

a associa o entre bd ap e cortic ide inalat rio na dpoc
A associação entre BD-AP e corticóide inalatório na DPOC:
  • Reduz exacerbações
  • Reduz mortalidade
  • Reduz exacerbações e mortalidade
  • Nenhuma das acima
torch
TORCH

N Engl J Med 2007; 356:775

n: 6.112, Salm e/ou Flutic x Plac, 3 anos

Variável

Idade, anos 65  8

Sexo masc, (%) 75 - 76%

IMC 25  5,2

Tabagistas ativos (%) 43%

IT – maços-ano 48  27

Exacerbação

Antibiótico ou cort oral 1,0  1,4

Internação 0,2  0,6

Função pulmonar

VEF1 L 1,22  0,41

VEF1 % prev 44  12,3

VEF1/CVF 48,6  10,8

SGRQ – Total 49  17

TOwards a Revolution in COPD Health

torch1
TORCH

N Engl J Med 2007, ;356:775

n: 6.112, Salm e/ou Flutic x Plac, 3 anos

TOwards a Revolution in COPD Health

torch2
TORCH

N Engl J Med 2007; 356:775

n: 6.112, Salm e/ou Flutic x Plac, 3 anos

Plac Salm Flutic Salm +

Flutic

No. 1524 1521 1534 1533 Valor p

Análise de eficácia para exacerbação

Taxa anual

Moderada ou grave 1,13 0,97 0,93 0,85 <0,001 [C x P]

0,002 [C x S]

0,02 [C x F]

Nec. corticosteróide oral 0,80 0,64 0,52 0,46 <0,001 [C x P]

<0,001 [C x S]

0,02 [C x F]

Grave (hospitalização) 0,19 0,16 0,17 0,16 0,03 [C x P]

0,79 [C x S]

0,56 [C x F]

TOwards a Revolution in COPD Health

torch3
TORCH

N Engl J Med 2007; 356:775

n: 6.112, Salm e/ou Flutic x Plac, 3 anos

Plac Salm Flutic Salm +

Flutic

No. 1524 1521 1534 1533 Valor p

Probabilidade de apresentar

Pneumonia em 3 anos (%) 12,3 13,3 18,3 19,6 <0,001 [C x P]

<0,001[F x P]

TOwards a Revolution in COPD Health

torch4
TORCH

N Engl J Med 2007; 356:775

n: 6.112, Salm e/ou Flutic x Plac, 3 anos

TOwards a Revolution in COPD Health

torch5
TORCH

N Engl J Med 2007; 356:775

n: 6.112, Salm e/ou Flutic x Plac, 3 anos

Plac Salm Flutic Salm +

Flutic

No. 1524 1521 1534 1533 Valor p

Variável

No. óbitos por qualquer causa 231 205 246 193

Prob de óbito em 3 anos -% 15,2 13,5 16,0 12,6 0,052 [C x P]

0,007 [C x F]

Óbitos relacionados a DPOC

No. óbitos por qualquer causa 91 93 106 72

Prob de óbito em 3 anos -% 6,0 6,1 6,9 4,7 0,11 [C x P]

0,008 [C x F]

TOwards a Revolution in COPD Health

torch6
TORCH

N Engl J Med 2007; 356:775

n: 6.112, Salm e/ou Flutic x Plac, 3 anos

Plac Salm Flutic Salm +

Flutic

No. 1524 1521 1534 1533

Variável

Causa do óbito em 3 anos – no. (%)

Cardiovascular 71 (5) 45 (3) 61 (4) 60 (4)

Pulmonar 74 (5) 80 (5) 91 (6) 61 (4)

Câncer 45 93) 44 (3) 51 (3) 44 (3)

Outra 23 (2) 22 (1) 30 (2) 11 (1)

Desconhecida 18 (1) 14 (1) 13 (1) 17 (1)

TOwards a Revolution in COPD Health

quais tratamentos reduzem a mortalidade na dpoc
Quais tratamentos reduzem a mortalidade na DPOC ?
  • Cessação do tabagismo
  • Vacinação
  • Oxigenoterapia
  • Cirurgia redutora de volume – grupo específico
  • Todos acima
tratamento dpoc est vel1
Tratamento DPOC estável
  • Tabagismo
  • Vacinas
  • Broncodilatadores
  • Corticóide inalatório
  • Oxigenoterapia
  • Reabilitação pulmonar (!!!)
  • Cirurgia redutora de volume (!!!)
  • Transplante pulmonar
slide33

Nunca fumou ounão é susceptívelao fumo

100

75

Fumou regularmentee é susceptível aos efeitosdo fumo

Parou com 45 anos(DPOC leve)

50

Incapacitação

25

Parou com 65 anos(DPOC severa)

Morte

0

25

50

75

Idade (anos)

Adaptado de Fletcher C, Peto R. Brit Med J 1977;1:1645-1648.

VEF1(% do valor aos 25 anos)

vacina o influenza
Vacinação Influenza
  • Recomendada universalmente guidelines
  • Maiores evidências – estudos idosos / observacionais
  • N=150.000
  • Redução 32% internações causas respiratórias
  • Redução 50% mortalidade geral / comparaçào com não vacinados

Nichol, Arch Int Med 1998; 158:1769

vacina o influenza1
Vacinação Influenza

Pacientes com doença pulmonar crônica:

  • Redução 52% internações
  • Redução 70% mortalidade durante epidemias de Influenza

Nichol, Ann Int Med 1999; 130:397

vacina o influenza2
Vacinação Influenza

Metanálise de 20 estudos de coorte:

  • Redução 56% nas deonças respiratórias
  • Redução 53% nas pneumonias
  • Redução 50% internações
  • Redução 68% mortalidade durante epidemias de Influenza

Gross, Ann Int Med 1995; 123:518

vacina o pneumococo
Vacinação Pneumococo
  • Recomendação em guidelines – não unânime
  • Maiores evidências – estudos idosos / observacionais
  • Metanálise – 2006 – 4 ERC, 937 pac com DPOC
  • Eficácia 50 a 80%
  • Impacto exacerbações / mortalidade ???
  • Proteção contra bacteriemia

Cochrane DB SR, 2006, GrangerR et al

nocturnal oxygen therapy trial nott
Nocturnal oxygen therapy trial - NOTT

Ann Intern Med 1980; 93:391

N=203 DPOC + hipoxemia

O2 contínuo ou O2 noturno

slide39

Medical Research Council Trial - MRC

Lancet 1981; 1:681

N=87 DPOC + hipoxemia + hipercapnia + ICC

O2 15 h/dia ou sem O2

bode index
“BODE” INDEX

Celli, NEMJ, 350:1005-12,2004

n=207 B:IMC, O:obstrução, D:dispnéia, E:exercício

bode index1
“BODE” INDEX

Celli, NEMJ, 350:1005-12,2004

n=625 B:IMC, O:obstrução, D:dispnéia, E:exercício

nett cirurgia redutora
NETT – Cirurgia redutora

DPOC, n=1218

Alto risco:

  • VEF1 20% do previsto e enfisema homogêneo
  • VEF1 20% do previsto e DLCO  20% do previsto

N Engl J Med 345 (15), 2001

N Engl J Med 348 (21), 2003