disciplina de enfermagem em centro de terapia intensiva n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Disciplina de Enfermagem em Centro de Terapia Intensiva PowerPoint Presentation
Download Presentation
Disciplina de Enfermagem em Centro de Terapia Intensiva

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 39

Disciplina de Enfermagem em Centro de Terapia Intensiva - PowerPoint PPT Presentation


  • 209 Views
  • Uploaded on

Disciplina de Enfermagem em Centro de Terapia Intensiva. Conceitos Introdutórios à Unidade de cuidados Intensivos. UTI. Ciência A Serviço Da VIDA.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Disciplina de Enfermagem em Centro de Terapia Intensiva' - mariette


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
disciplina de enfermagem em centro de terapia intensiva

Disciplina de Enfermagem em Centro de Terapia Intensiva

Conceitos Introdutórios à Unidade de cuidados Intensivos

Prof. Fernando Ramos -Msc

slide2

UTI

Ciência

A

Serviço

Da

VIDA

Prof. Fernando Ramos -Msc

slide3

A UTI nasceu da necessidade de oferecer suporte avançado de vida a pacientes agudamente doentes que porventura possuam chances de sobreviver, destina-se a internação de pacientes com instabilidade clínica e com potencial de gravidade.

Prof. Fernando Ramos -Msc

slide4

A UTI tem suas origens nas salas de recuperação pós-anestésica (RPA), onde os pacientes submetidos à procedimentos anestésico-cirúrgicos tinham monitorizadas suas funções vitais

Prof. Fernando Ramos -Msc

slide5

Era Florence

  • A Unidade de Terapia Intensiva é idealizada como Unidade de Monitoração de paciente grave através da enfermeira Florence Nightingale.

Prof. Fernando Ramos -Msc

a uti
A UTI
  • Unidade Hospitalar destinada ao atendimento de doentes graves RECUPERÁVEIS.
  • Pacientes que necessitam de assistência médica e de Enfermagem integrais.
  • Pessoal treinado, métodos, recursos, área física e aparelhagem capazes de manter a fisiologia vital.

Prof. Fernando Ramos -Msc

detalhes da instala o f sica
Detalhes da Instalação Física
  • Local e Área

Livre de ruídos ou poluições;

Próximo a emergência; centro cirúrgico; CME; Farmácia hospitalar;

Cada leito deve ocupar uma área mínima de 7,5m²

Prof. Fernando Ramos -Msc

slide9
Planta Física

Leitos visíveis à Enfermagem;

Na área dos leitos deve ser permitido ampla circulação e fácil manejo da aparelhagem;

Leitos isolados uns dos outros;

janelas de vidro para evitar claustrofobia;

Ar condicionado com saídas projetadas para evitar canalização sobre os leitos;

Cada leito deve dispor de 10 tomadas elétricas com ligação ao gerador hospitalar.

  • Cabos elétricos com aterramento adequado;
  • Disponibilidade de canalização de Oxigênio, Ar comprimido e vácuo;
  • Iluminação adequada

Prof. Fernando Ramos -Msc

ambientes da uti
Ambientes da UTI
  • Sala de estar para enfermagem;
  • Sala de estar para médicos;
  • Sala para reuniões, estudos, aulas;
  • Local para despejo, almoxarifado, rouparia, depósito de materiais;
  • Copa;
  • Sala de arquivo.
  • Sala de material esterilizado e outra para preparo de materiais;
  • Vestiário masculino e feminino com banheiro dotado de chuveiro;
  • Uma secretaria;
  • Telefones e interfones;
  • Laboratório exclusivo ou de plantão 24horas;
  • Sala para chefia médica e de enfermagem
  • Sala para reservar de respiradores prontos para uso. Ou central de equipamentos, com engenharia clínica disponível

Prof. Fernando Ramos -Msc

evitando a infec o cruzada
Evitando a infecção cruzada
  • Revestimento da unidade com materiais com mínimo de junções e sejam laváveis lisos e não absorventes.
  • Solução germicida no piso, teto e paredes após a limpeza;
  • Material utilizado pelos doentes esterilizados;
  • Lavagem das mãos exaustivamente.

Prof. Fernando Ramos -Msc

equipamentos
Equipamentos
  • Especializados:

-Monitores cardíacos;

-Oxímetros de pulso;

-Central de monitorização;

-Eletrocardiógrafo;

-Ap. de RX portátil;

-Ventiladores artificiais;

  • Desfibrilador; marcapasso; rim artificial e carro de emergência.
  • Gerais

-Aspiradores;

-Macas;

-Cadeira de rodas;

-Camas especiais;

-Balança;

-Hamper; Suporte para soro;

-Vacuômetros; Fluxômetros; nebulizadores

-Mesa de cabeceira

Prof. Fernando Ramos -Msc

slide15
Materiais para consumo geral

Medicação: Estoque de reserva de acordo com a padronização hospitalar;

Roupas- paciente:rotina; FuncionárioPrivativa

“ O Número de leitos disponíveis na UTI deve ser em torno de 4% a 6% do total geral”

Prof. Fernando Ramos -Msc

crit rios para interna o
Critérios para Internação
  • Pacientes Graves:

“pacientes com comprometimento de funções vitais”

-Ins. Renal Descomp.

-Estado de choque;

-Estado de coma;

-Grande deseq. Hidroeletrolítico e \ou ácidos Básicos;

-Grande Queimado; Pós-PCR

-Politraumatizados e intoxicados graves.

Prof. Fernando Ramos -Msc

slide23
Pacientes com Elevado Risco

“pacientes com possibilidades de comprometimento da função vitais”

-Insuf. Coronária Aguda;

-Arritmias Cardíacas;

-pós-operatório especiais ( Cardiovascular, Neurocirurgia, cirurgia torácica; e grandes cirurgias gerais)

“ Medico assistente discute a vaga com medico intensivista ficando bloqueado o leito na clínica de destino do paciente.”

Prof. Fernando Ramos -Msc

crit rios para alta
Critérios para alta

“ A alta deve ser dada por decisão da equipe da unidade o mais precocemente possível”

“Após Receber alta o paciente retorna à clínica de origem”

Prof. Fernando Ramos -Msc

a equipe de enfermagem na uti
A equipe de Enfermagem na UTI

“ O sucesso ou o fracasso na UTI depende da motivação do corpo médico e de enfermagem”

A equipe de enfermagem precisa ser apta a manter constante observação e estar pronta para reconhecer e notificar alterações nas condições vitais dos pacientes”

Prof. Fernando Ramos -Msc

responsabilidade da enfermagem
Responsabilidade da Enfermagem
  • Obter dados do paciente e estabelecer prioridades;
  • Relacionar os pertences do paciente;
  • Prover o paciente de roupas adequadas;
  • Primeiros cuidados, SSVV, monitorização, oxigenioterapia, cateterismo vesical, ECG, medicação, ETC.

Prof. Fernando Ramos -Msc

slide28

Orientar o paciente sobre a finalidade da UTI;

  • Orientar a família do paciente quanto ao horário de visitas e rotina da UTI;
  • Ao enfermeiro incumbe o exame físico do paciente e o plano de cuidados de enfermagem.

Prof. Fernando Ramos -Msc

exemplo de cuidados di rios
Exemplo de cuidados diários
  • SSVV, BH de 1\1h;
  • Desobstruir vias aéreas;
  • Curativos de feridas operatórias e de acesso venosos centrais e periféricos;
  • Mudança de decúbito;
  • Monitorização cardíaca;
  • Prevenção de úlcera de córnea;
  • Higiene oral.

Prof. Fernando Ramos -Msc

tica da enfermagem na uti
Ética da Enfermagem na UTI
  • Não se ausentar do plantão sem substituto;
  • Receber o paciente com respeito e atenção;
  • Não discutir fatos junto aos pacientes;
  • Cumprir as determinações;
  • Não levar problemas da UTI para outros setores do hospital;
  • Respeitar a hierarquia funcional.

Prof. Fernando Ramos -Msc

necessidades adicionais
Necessidades adicionais
  • Setores indispensáveis para o bom funcionamento da UTI: laboratório, Radiologia, etc.
  • Fisioterapia de plantão;
  • Engenharia clínica de plantão;

Prof. Fernando Ramos -Msc

entidades associativas
Entidades Associativas
  • AMIB Associação de Medicina Intensiva Brasileira

www.amib.org.br

Prof. Fernando Ramos -Msc

slide37

Em Pernambuco

WWW.SOTIPE.COM.BR

Prof. Fernando Ramos -Msc

slide38

Associação Brasileira de Enfermagem

Rua São Francisco, 84 - Derby CEP.: 52.010-020 - Recife/PEFone: (81) 3231.1957 E-mail: abenpe@abenpe.com.brAtendimento: 8:00 às 16:00

Sites: www. abennacional.org.br

www.abenpe.com.br

Prof. Fernando Ramos -Msc

slide39

“ A essência da UTI é a Equipe, é paradigma todas as decisões serem compartilhadas, o desenvolvimento da Enfermagem Intensiva prescinde simplesmente a especialidade, e sim o amor incondicional de colocar a ciência a serviço da vida Humana... Obrigado!!!!!”

Prof. Fernando Ramos -Msc