Download
pastoral lit rgica n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Pastoral Litúrgica PowerPoint Presentation
Download Presentation
Pastoral Litúrgica

Pastoral Litúrgica

130 Views Download Presentation
Download Presentation

Pastoral Litúrgica

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Pastoral Litúrgica Pastoral = Pastor = (Jo 10,10) Quem é o Pastor? Pessoa que assume algum serviço em nome de Cristo na comunidade. Comunidade.

  2. Pastoral = Pastor = (Jo 10,10) • Quais suas preocupações? Conduzir à fonte (Cristo), animar, indicar, ajudar, ensinar, faz sentir o gosto e a alegria, carregar, estar junto, fazer acontecer...

  3. Pastoral: Referências • Que atitudes deve ter? Comunhão, serviço, solidariedade, colocar-se em seu lugar, Zelo, cuidado, carinho, compaixão, misericórdia, amor, solidariedade, doação da vida, dedicação... Pastoral: realizar a missão de Jesus.

  4. Liturgia leitos+érgein+ia(sufixo) leit-o-erg-iaouleitourgia 1ª parte = (leitos) = léos (láos) = povo 2ª parte = (erg-ia) = trabalho, obra, serviço

  5. Desta combinação surge o substantivo liturgia e dele liturgo = funcionário público, e o verbo litourgein= exercer função pública. • Portanto: (gregos) liturgia tinha o sentido de ação ou serviço (livre e público) prestado em favor de um povo, às vezes ao imperador ou às divindades. • Pode servir como exemplo o preparo das festas ou jogos populares.

  6. “É uma ação sagrada, através da qual, com ritos, na Igreja e pela Igreja, se exerce e prolonga a obra sacerdotal de Cristo, que tem por objetivos a santificação dos seres humanos e a glorificação de Deus” (SC 7).

  7. “É o serviço ou a ação de uma pessoa ou de uma equipe em favor de uma comunidade, de um povo”. • É ação sagrada da Igreja pela qual os fiéis têm um diálogo com Deus, o glorificam e são santificados por Ele, em Cristo.

  8. “O Concílio redescobriu a liturgia como atualização da história da salvação. Recuperou a teologia do ano litúrgico. Centrou no mistério pascal todas as celebrações e orações. Trouxe nova compreensão de liturgia e restaurou a participação dos batizados, como sujeitos da ação litúrgica. Abriu as portas para a inculturação. Traçou os critérios para a reforma dos livros litúrgicos e estabeleceu os princípios para a formação litúrgica. Recolocou a liturgia no coração da vida da Igreja e mostrou que ela é a fonte e o ápice de toda ação pastoral e da espiritualidade cristã. (...) A liturgia tornou-se mais simples, mais compreensível, mais próxima do povo, mais humana e mais viva”.(Vida Pastoral, nº 230)

  9. “A liturgia, como ação de Cristo e da Igreja, é o exercício do sacerdócio de Jesus Cristo; é o ápice e a fonte da vida eclesial. É um encontro com Deus e os irmãos; (...) é festa de comunhão eclesial, na qual o Senhor Jesus, por seu mistério pascal, assume e liberta o Povo de Deus e, por ele, toda a humanidade...” (PUEBLA 918)

  10. Liturgia= Ação que é, ao mesmo tempo, humana e divina, terrestre e celeste, temporal, mas voltada para o eterno. Não é discurso, é prática.

  11. Na liturgia cristã celebramos todo o mistério da vida de Jesus: sua vida, morte e ressurreição.

  12. Na ação litúrgica, Cristo se faz presente: • Igreja (assembleia) reunida • Palavra proclamada • Eucaristia partilhada Bento XVI: liturgia não é “algo acrescentado” à vida cristã, mas seu “coração”.

  13. É a celebração da páscoa do Senhor na qual é selada a aliança definitiva entre Deus e os seres humanos. (JoaquínMadurga) É como o sangue no corpo humano. Por meio dela a vida se renova. As células se fortalecem. O corpo se sustenta. A vida continua. É a vida de Deus em nós e para nós. (Marcelino Sevinski)

  14. É um ‘fazer, um agir comunitário’ através de símbolos, gestos e sinais”. • “É a ação da pessoa humana que, saindo de seu mundo, busca, orienta-se e encontra-se com Deus”. (Frei Faustino Paludo e Ir. Angela Soldera)

  15. Elementos básicos para haver Liturgia • a) A liturgia colocada dentro do contexto da História da Salvação; • b) A liturgia como tentativa de diálogo entre Deus e os seres humanos; • c) O Mistério Pascal • como ponto culminante • da liturgia.

  16. Características e dimensões A Liturgia é, ao mesmo tempo: Comunitária– ação da Igreja Bíblica– Palavra de Deus ilumina Hierárquica– graus (Sacramentos e Sacramentais) Trinitária– Pai e Filho e Espírito Santo Laudatória– Louvor – comunidade orante Mistérica– contém e celebra no tempo e espaço Escatológica– antecipa no tempo o futuro.

  17. Pastoral + Liturgia = Pastoral Litúrgica

  18. Pastoral LitúrgicaOrigem: Vaticano II – SC • Seminário Nacional de Liturgia – 11 a 15 de fevereiro de 2008 Pastoral Litúrgica • Seminário Regional de Liturgia – 12 a 14 de junho 2008 = Santa Maria Pastoral Litúrgica

  19. Curso Diocesano de Liturgia • Aprofundamento – textos • Esclarecimentos – assessor • Provocador – mexeu com a prática • Sede – busca – participação • Contexto – Pastoral Litúrgica • Unidade – Diocese • Continuidade

  20. Pastoral Litúrgica “É o modo de organizar a comunidade, visando a formação litúrgica, a preparação e a realização de celebrações”.

  21. Pastoral Litúrgica Principal tarefa: • Fazer ressoar o Mistério Pascal na vida pessoal, comunitária e social do povo celebrante. • A Pastoral Litúrgica está em comunhão com todas as outras pastorais.

  22. Pastoral litúrgica compreende: • antes= preparação (evangelização, catequese, iniciação; encontro com Cristo, Mistério Pascal...); • depois= prolongamento dela, aquilo que vivemos a partir dela.

  23. Pastoral Litúrgica • Está intimamente ligada à concepção de liturgia que temos e ao modelo de Igreja no qual acreditamos e investimos. • Eixos da PL: • Vida – história pessoal; dom de Deus; vocação à santidade; • Mistério de Deus - desígnio da Trindade; • Comunidade corpo de Cristo - RdDeus

  24. Estruturação • ORGANIZAÇÃO: articular toda a liturgia da comunidade distribuindo as responsabilidades às equipes. • Liturgia, Espaço Litúrgico e Canto Litúrgico. • FORMAÇÃO: se não houver formação litúrgica das equipes e da própria comunidade, teremos uma comunidade que celebra sem vida. • CELEBRAÇÃO:(equipes) e (Mistagogia): a improvisação torna as celebrações chatas e pouco participativas.

  25. Organização • Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia - CNBB • Bispos referenciais – assessores nacionais • Coordenação Regional de Liturgia – Sul3 • Bispos referenciais – equipe de coord. regional • Coordenação Diocesana de Liturgia • Bispo – coordenação diocesana de liturgia • Coordenação Paroquial de Liturgia • Padre(s) – coordenação paroquial • Coordenação Comunitária de Liturgia • Ministro(s) – coordenação de liturgia da cdd.

  26. Formação • Seminários Nacionais e Regionais • Semanas nacionais e regionais de liturgia • Dias de Canto Litúrgico – regionais, diocesanos e paroquiais • Cursos diocesanos de liturgia • Reuniões da coordenação diocesana • Encontros paroquiais de lideranças • Subsídios – encartes das celebrações

  27. Preparação e Celebração • Equipes: encontrar-se, rezar, planejar, criar, avaliar, preparar, distribuir os serviços e responsabilidade... • Animar a vida da comunidade • Celebrar com a comunidade • Não liturgia para a comunidade • Não liturgia da comunidade • Mas liturgia na (com + a) comunidade • As coisas bem feitas sempre tocam.

  28. Organização básica das equipes • Calendário de reuniões • Coordenador com liderança • Local de encontro • Plano de trabalho • Secretaria • Espaço para guardar material • Espaço para lazer