INTEGRAÇÃO OPERACIONAL ESTIVA - RG - PowerPoint PPT Presentation

kamea
integra o operacional estiva rg n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
INTEGRAÇÃO OPERACIONAL ESTIVA - RG PowerPoint Presentation
Download Presentation
INTEGRAÇÃO OPERACIONAL ESTIVA - RG

play fullscreen
1 / 26
Download Presentation
INTEGRAÇÃO OPERACIONAL ESTIVA - RG
232 Views
Download Presentation

INTEGRAÇÃO OPERACIONAL ESTIVA - RG

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. INTEGRAÇÃO OPERACIONALESTIVA - RG -

  2. FUNÇÃO DE ESTIVADOR

  3. EPI – EQUIP.PROT. INDIVIDUAL

  4. EPI • BOTA DE BORRACHA (EVENTUAL); • CALÇADO DE SEGURANÇA (PERMANENTE); • CAPACETE DE SEGURANÇA (PERMANENTE); • LUVA DE SEG.NIYTILON (PERMANENTE); • ÓCULOS DE SEGURANÇA (PERMANENTE); • PEÇA FACIAL FILTRANTE PFF2 (EVENTUAL); • PROT. AUDITIVO (PERMANENTE); • UNIFORME (CALÇA E JALECO); • CINTO PARAQUEDISTA (EVENTUAL);

  5. CONTROLE DE EPI’S • Todo Equipamento de Proteção individual entregue ao colaborador, fica sob sua posse e responsabilidade devendo-se sempre: • Verificar as condições do EPI; • Solicitar a troca quando necessário • Levar o EPI usado para troca; • Manter sua conservação • e limpeza.

  6. EPC • EXTINTOR DE INCÊNCIO; • REDE DE HIDRANTE; • CREME PROTETOR E FILTRO SOLAR;

  7. INSTRUÇÕES GERAIS DAS NORMAS INTERNAS DA EMPRESA, SEGURANÇA NAS DEPENDÊNCIAS DA EMPRESA, EMBARCAÇÕES E TERMINAIS PORTUÁRIOS

  8. • Embarcações, praças de máquinas e outros locais de uso comum; • É proibido o consumo e porte de álcool e/ou drogas nas dependências da empresa, terminais portuários e embarcações; • E proibido portar armas brancas e de fogo nas dependências da empresa, terminais portuários e embarcações; • O empregado deverá utilizar todos seus EPI’s determinados às atividades e locais que exijam o uso dos mesmos; • Os EPI's são distribuídos gratuitamente, sendo responsabilidade do empregado, zelar por sua guarda e conservação; • Em caso de ocorrência de acidente de trabalho, deverá ser seguidas as determinações contidas no Procedimento de “Tratamento de Acidentes e Quase Acidentes”, disponível no Sistema PARAISO e na pasta de procedimentos a bordo das embarcações;

  9. • Em caso de emergências e/ou sinistros, deverá ser seguidas às determinações contidas no procedimento de emergência local: Escritório central: ____________Plano de Emergência Escritório Central; Embarcações: _______________Plano de Contingência a Bordo; Unidade Operacional POA: _____Plano de Emergência da UOP-POA; Unidade Operacional RIG: ______Plano de Emergência da UOP-RIG. • É proibido retirar equipamentos e sistemas de proteção coletiva de máquinas, equipamentos e motores; • É obrigatório a realização dos exames médicos periódicos e exames complementares previstos no PCMSO;

  10. • É de responsabilidade do empregado a observância aos itens contidos nos procedimentos de "Segurança em embarcações e terminais" e "Segurança no descarregamento de embarcações", assim como todos os procedimentos relacionados ao processo de "Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional" que aplicável à sua atividade. • Os empregados embarcados deverão registrar suas entradas e saídas de serviço às embarcações através do relógio ponto a fim de comprovação das horas efetivamente trabalhadas.

  11. PEÇA DA ESTIVA A peça da estiva foi criada no intuito de garantir o conforto e qualidade de vida aos nossos colaboradores no ambiente de trabalho, “é claro que devemos ter alguns cuidados , e seguir algumas regrinhas básicas que seguem abaixo indicadas”.:

  12. MANUTENÇÃO / PEÇA DA ESTIVA 1 – Atentar-se as placas de orientação; 2 – Não está autorizado fumar na peça da estiva; 3 – Não interagir com bebida alcoólica; 4 – Realizar separação do lixo orgânico x seco conforme indicado nas lixeiras; 5 – Atentar-se para restos de comida,não colocar os lanches em plásticos e sim em potes; 6 – Manter a peça fechada para nossa própria segurança; 7 – Manter seus armários sempre fechados e em bom estado de conservação; ANVISADE OLHO

  13. CHEGANDO AO LOCAL DE TRABALHO • Respeitar os limites de velocidade indicados por placas quando adentrar o terminal com veículos próprios observando os locais de estacionamento; • Devido a normas do terminal estar sempre com o capacete já na chegada ao terminal; • Dirigir-se a peça da estiva para a troca de roupa; • Após devidamente equipado encaminhar-se ao ponto eletrônico; • Aguardar orientação do líder no que diz respeito ao seu destino e operação;

  14. OPERAÇÃO PEÇA – ESTIVA LOCAL NA EMBARCAÇÃO DESTINADO AOS ESTIVADORES PARA AGUARDAR MOMENTO DE ATUAR; VAMOSCONHECER A OPERAÇÃO ESTÁ É UMA DE NOSSA EMBARCAÇÕES - N/M TREVO LESTE BB -BOMBORDO TAMPA PROA CASARIA VIGA CAIXÃO PROIBIDO TRANSITAR BE -BORESTE PORÃO POPA

  15. INCÍCIO DA ATIVIDADE • Efetuar check – list nas mini - carregadeiras que por ventura serão utilizadas na operação; • Verificar o material de trabalho (pás, vassouras, alongadores e cintas) se estão tudo ok para uso; • Abertura de tampas; • Porão cheio o estivador deve aguardar a TM (guindaste) operar;

  16. Verificando dificuldade do operador da TM, temos de efetuar “portaló” (indicador de posição de guindaste sob a carga); • Com a metade do porão rapado já é possível a introdução da mini carregadeira com a utilização de cintas ou cabo de aço; quem atrela as cintas à máquina é o pessoal do terminal, só desatrelamos a máquina no porão, no caso o operador; • Neste momento somente descem o operador e a mini carregadeira, os demais efetuam serviço de convés;

  17. Quando o operador identificar dificuldade solicita a presença dos demais estivadores no porão; OPERANDO NO PORÃO O ESTIVADOR PARALELO COM BOBCAT • Atentar-se a caçamba do guindaste nunca passar por de baixo; • Trabalhar sempre em lado oposto ao da mini – carregadeira, pois a máquina possui muitos pontos cegos e o giro é bastante rápido; •Não é cobrado produção, portanto, efetuar o trabalho bem feito e sem correria evitando acidentes;

  18. Para finalizar retiramos o bobcat do porão, limpamos o convés e fechamos as tampas; • Antes de sair da embarcação verificar se a peça da estiva da embarcação está em perfeitas condições de higiene;

  19. PONTOS ESTRATÉGICOS DA OPERAÇÃO FAROLETE MÓVEL MELHORIA DE LUZ Instalação de ponto de luz na embarcação quando necessário, viabilizando melhor visibilidade ao estivador preservando sua integridade física; AGULHEIRO Ter atenção na descida do agulheiro do porão;

  20. VIGA CAIXÃO Proibido transitar na viga caixão, caso necessidade de limpeza puxar tampa do lado esquerdo e do lado direito atreladas ao elo da embarcação impossibilitando queda conforme. exposto. BOBCAT NO PORÃO Sempre trabalhar no lado oposto do bobcat; Comportamento inadequado Colaborador no raio de ação do bobcat; RECHEGO Notem bem este termo “RECHEGO”. É parte final da operação de descarga onde o operador( mini - carregadeira) juntamente com a ajuda dos estivadores munidos de pás e vassouras aglutinam a carga restante para que o guindaste a retire do porão;

  21. UTILIZAÇÃO DE PÁS E VASSOURAS Utilizar material primando a segurança e conservação do mesmo; LIMPEZA DE TRAVESSAS Devemos ter cuidado na limpeza das travessas, pois muitas vezes é utilizado o pé da carga como base; Sujeito a penalidades TRAVESSAS

  22. MINI - CARREGADEIRA

  23. BOBCAT – IDENTIFICAÇÃO DA MINI CARREGADEIRA

  24. VOLVO – IDENTIFICAÇÃO DA MINI - CARREGADEIRA

  25. TREINAMENTO DE BASTECIMENTO MINI - CARREGADEIRA • Permanecer a distância da área de abastecimento em um raio de 10 metros; • Somente os colaboradores autorizados pelo líder podem executar o abastecimento, por estarem devidamente treinados e capacitados através de treinamento; PROCEDIMENTO PARA ABASTECIMENTO COLABORADORES RESPONSÁVEIS PELO ABASTECIMENTO DE MÁQUINAS .: • LÍDER DE EQUIPE – EDERSON ALMEIDA DE SOUZA • ESTIVADOR LÍDER - DIEGO ORTIZ FÁRIAS – VAGNER JOSÉ ANTUNES MORAES • MECÂNICO – PAULO ROBERTO MIRANDA GARCIA

  26. TRABALHO EM EQUIPE BOM TRABALHO A TODOS