reuni o cl nica n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
REUNIÃO CLÍNICA PowerPoint Presentation
Download Presentation
REUNIÃO CLÍNICA

Loading in 2 Seconds...

  share
play fullscreen
1 / 27
Download Presentation

REUNIÃO CLÍNICA - PowerPoint PPT Presentation

juana
92 Views
Download Presentation

REUNIÃO CLÍNICA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. REUNIÃO CLÍNICA HOSPITAL ORTHOMEDCENTER SÉRGIO QUEIROZ

  2. SpecialtyUpdate

  3. APRESENTAÇÕES:2009(“Annual meetings”) • AMERICAN SOCIETY FOR SURGERY OF THE HAND (ASSH); • AMERICAN ASSOCIATION FOR HAND SURGERY (AAHS); • AMERICAN ACADEMY OF ORTHOPAEDIC SURGEONS (AAOS).

  4. TRAUMA: 1- Amputação / Transplante Mão: > Atenção e prevalência (guerras) • TMR: “Targetedmusclereinnervation” – Próteses mioelétricas. U$ 14.000 / U$ 27.000 • Transplantes: - Novas drogas imunossupressoras - Breidenbachetal: Resultados do 2 primeiros transplantes (9 e 7 anos): Osteonecrose / Diabetes. “Estavam trabalhando e satisfeitos com a cirurgia”. - U$ 700.000 (cirurgias, medicamentos, possíveis complicações )

  5. Transplantes: • Imunoterapia: Pele é o 1° alvo de rejeição – trauma repetitivo “No momento, as estratégias p/ protetização devem ter prioridade em relação aos transplantes”

  6. TRAUMA 2-Fraturas Rádio: • Trabalho AAHS: Placa coluna radial / Placa volar / fixador externo – Fraturas AO tipo A3 e C Follow-up – 2 anos: Força, mobilidade, função, radiografias: placa volar foi melhor nos 3 primeiros meses.

  7. Fraturas Rádio: • Trabalho AAOS: Placa volar x Fixação percutânea – Fraturas instáveis com desvio dorsal “ Placa volar superior nos 3 primeiros meses” • Trabalho AAOS: Placa volar x placa dorsal “ Placa volar restaurou mobilidade e função mais precoce”

  8. Trabalho ASSH: Resultados x satisfação do pc Satisfação: 65% força preensão, 87% força pinça , 95 % mobilidade contra-lateral

  9. “Se a mobilidade do punho é o fator essencial na satisfação do pac. e a placa volar permite isso, então ela é a solução p/ todas as fraturas do rádio distal? Trabalho AAOS: Complicações da placa volar x placa dorsal Dorsal: Rigidez e tenossinovite extensores Volar: Parafusos intra-articulares “Complicações da placa volar não são menores, embora sejam diferentes”.

  10. 3 – Fraturas processo estilóide ulnar:Devem ser fixadas?? Se sim, quais indicações? Hipótese: Fraturas da base são instáveis! • Trabalho AAHS: 74pac. (1/2 tinham fratura do estilóide ulnar) – Todos operados com placa volar rádio - Seguimento 2 anos: Leve mas significante diferença rotação ante-braço (164º x 171º) - Força, dor, função, mobilidade outros planos: similares Conclusão: “Fixação do estilóide ulnar não é necessária”

  11. Outros estudos similares: AAOS e ASSH: Pac. Com fraturas do rádio distal + estilóide ulnar (base / distal / desviada / sem desvio (+ - 50%): Nenhuma foi fixada “ Resultados similares p/ 2 grupos” • Estudo ASSH: Pseudartrose do estilóide ulnar “Não houve diferença resultados 6 meses após a fratura” “A fratura do estilóide não é indicação p/ cirurgia mesmo qdo deslocadas, exceto variantes Galleazi com instabilidade RUD”.

  12. Fratura rádio distal x STC • Estudos revelaram que fraturas com translação > 35% da largura do rádio: 50% risco STC • Mulheres < 48 anos: > risco STC

  13. FRATURA RÁDIO DISTAL X OSTEOPOROSE “O tto da osteoporose afeta a cura da fratura? Estudo retrospectivo sugeriu ligação.” 196 pc / 43 eram medicados com bifosfonados: Grupo sem medicação: cura 49 dias Grupo com medicação: cura 55 dias “Devido não ter sido randomizado, é possível que algum fator na indicação e não a droga em si mesma tenha sido a causa do atraso na consolidação”

  14. Fraturas IFP em crianças: • Fraturas desviadas do colo falange proximal: Redução fechada + fixação percutânea / “joystick” + fixação percutânea / Aberta • Trabalho ASSH: 61Pac.: 49 Redução fechada / 12 Joystick - Folowup1 ano – 53pac ( 45 excelentes, 4 bons, 1 regular e 3ruíns ) : 01pseudartrose e 01osteonecrose • Trabalho ASSH: “Consolidação viciosa x Remodelação” - 8 pac (2 / 14 anos): Angulação volar30°, translação, angulação coronal 10°: Followup5 anos > corrigiu angulação volar e translação , coronal de 10° p/ 4°.

  15. Fraturas IFP em crianças: “Less is More”: Menos reduções invasivas – usar Joystick qdo necessário . Já qdo redução não fica perfeita, a remodelação pode ser esperada p/ melhorar Mais os resultados de consolidação viciosa”.

  16. Lesões Ligamentares Polegar • Tem uma medida específica ou deve-se comparar com lado contra-lateral? (“literatura: diferença 10° contra-lateral ou 35° em flexão completa”) Trabalho AAOS: 200 polegares em 100 indivíduos normais • Extensão MTC-F : 20° abdução / ≥ 10° contra-lateral em 1/3 dos indivíduos • Flexão MTC-F : 30° abdução / ≥ 10°contra-lateral em 1/5 dos indivíduos “ Nenhuma angulação absoluta nem a diferença comparando com lado contra-lateral deve ser usada. Recomendam avaliar a falta do “endpoint” sob estresse.”

  17. Restrição de atividade- Dirigir • Trabalho ASSH: 30 policiais com gesso lado direito / esquerdo / acima e abaixo cotovelo / englobando ou não o polegar: Dirigir entre cones “Gesso do lado esquerdo, independente da dominância do condutor foi pior; pior ainda acima do cotovelo. Sugeriram que é devido a menor liberdade do lado da porta”.

  18. Dor pós operatória: • Cirurgias similares : graus diferentes de dor pós op. • Patologias similares : graus diferentes de resultados pós. Op Trabalho AAOS: Revisão de > 1000pc com cirurgias MMSS - Função x depressão - Dor x ansiedade Trabalhos AAOS e ASSH : Revisão 95pc com cirurgias (STC / dedo gatilho) e 150pc STC “Função e dor diretamente relacionada a depressão e ansiedade pré –operatória”

  19. Dor pós operatória: “Fortes evidências p/ avaliar e tratar ansiedade e depressão no pré – operatório p/ melhorar função e controle da dor no pós operatório.”

  20. Artrites e outros distúrbios degenerativos “Cirurgiões de mão e reumatologistas algumas vezes divergem sobre o benefício de artroplastias dos dedos em pac. com A.R.” 2 estudos Cohorts de pac .com A.R.: Artroplastias x Medicação - Até 01 ano p.o. não houve diferença entre 2 grupos, à partir daí o grupo das próteses teve melhora gradativa. “ Artroplastia melhora a função da mão e é uma boa opção p/ pac. onde a medicação sozinha é ineficiente”

  21. Artrose IFP: “Artroplastia é opção, mas resultados a longo prazo, algumas vezes são decepcionantes” 1 estudo: AAHS e AAOS: 36pac (51 próteses Cobalto / Cromo) – Artrose 1ª, artrose pós trauma, A.R. - Follow –up10 anos - 90% permaneciam reduzidas, 4anquiloses e 2 amputações - Alívio dor (escala analógica – 8) , DASH 46, Mobilidade de 44° p/ 42°.

  22. Rizartrose “ O uso da metade do FRC prejudica a função deste tendão?” 1 estudo AAHS: 17pac. : avaliaram força de flexão do punho pré –op e 6 meses pós op: Sem prejuízo 1 estudo ASSH: 53pac: follow-up 18 meses – Mesma conclusão, porém com leve diminuição mobilidade p/ desvio radial. “FRC pode ser usado sem problemas na reconstrução ligamentar na cirurgia de rizartrose”.

  23. Rizartrose Há necessidade de reconstrução ligamentar + imobilização prolongada? Estudo prospectivo e randomizado: Trapeziectomia+ reconstrução com FRC +fixação com FK + imobilização 6 semanas X Trapeziectomia simples + tala 3 semanas Avaliados 3 e 12 meses P.O.: Dor, mobilidade e força : sem diferença entre os 2 grupos “ Novamente,em cirurgia de mão, algumas vezes “less is more, or ,atleast, thesame”.

  24. Artroplastia RUD “Artroplastias RUD tem obtido grande aceitação entre cirurgiões de mão”. 1 trabalho ASSH: Prótese cabeça da ulna pós falência cirurgia de Darrach. - 16pac., followup8 anos: Dor, estabilidade, mobilidade e satisfação do pac.: “excelentes”. - RX: sem sinais de soltura da haste ulnar “Estes resultados sugerem que a artroplastia da art. RUD é uma boa solução pós falência da cirurgia de Darrach”.

  25. NERVO “Avaliação do tratamento de “gap” em lesões neurais” Estudo ASSH: Prospectivo e randomizado, avaliaram “gap” de 4 / 25 mm, 42 pac(76 nervos). - Grupo A: Conduto de ácido poliglicólico - Grupo B: Veia autóloga - Avaliação por observador “neutro” em 3 / 6 e 12 meses - Tempo cirúrgico com “veia”: 15 minutos maior ( o custo deste tempo foi levemente menor que o custo do conduto) “Sensibilidade foi similar, mas 2 condutos “fabricados” tiveram q. ser removidos, custo similar e menor complicação com veia”

  26. Nervo – Neuroma sensitivo radial “Avaliar se condutos eram eficazes no tto do neuroma sensitivo radial” Estudo AAHS: 21pac (4 estavam em litígio com empresa) , follow-up 1 ano (exame clínico e questionário) - 19 bons, 01 regular e 01ruím “Neurolise e envolvimento com condutos são efetivos”

  27. Dupuytren “Injeções de colagenase são eficazes no tto de contratura de Dupuytren?” Estudo ASSH: 8pac (de 23), follow –up8 anos - MTC-F = 57° : Passou p/ 22,5° - IFP = 45° : Passou p/ 60° “ É uma alternativa em pac. com comprometimento isolado da MTC-F”.