slide1 l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Incorporação de agentes químicos que se degradam; Incorporação de dióxido de carbono sólido; Incorporação de microesfera PowerPoint Presentation
Download Presentation
Incorporação de agentes químicos que se degradam; Incorporação de dióxido de carbono sólido; Incorporação de microesfera

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 28
gaia

Incorporação de agentes químicos que se degradam; Incorporação de dióxido de carbono sólido; Incorporação de microesfera - PowerPoint PPT Presentation

107 Views
Download Presentation
Incorporação de agentes químicos que se degradam; Incorporação de dióxido de carbono sólido; Incorporação de microesfera
An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author. While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Incorporação de agentes químicos que se degradam; Incorporação de dióxido de carbono sólido; Incorporação de microesferas expansíveis; Incorporação de microesferas ocas de vidro; Incorporação de ar/gás sob agitação mecânica. Como expandir?

  2. Conceito Equipamento Formulação Típica Características Expansão Mecânica x Expansão Química Aplicações e Produtos Plano de Apresentação

  3. Expansão ocorre por alto cisalhamento; Ar/gás é injetado no plastisol; Ar/gás é “sustentado” por surfactantes (aditivo que muda a tensão superficial do plastisol, evitando a saída de ar); Células são formadas antes da gelificação/fusão; Acabamento final obtido antes da fusão. Características: Obtenção de espuma com células abertas; Excelente acabamento superficial. Conceito

  4. O sistema consiste basicamente de: Bomba dosadora de plastisol Cabeçote aerador Sistema de injeção de ar/gás O plastisol é conduzido de um reservatório de estocagem para o misturador por meio de uma bomba. O ar/gás é inserido simultaneamente dentro do cabeçote aerador. As duas fases são misturadas de forma homogênea sob pressão e temperatura controladas. Equipamento

  5. Formulações desenvolvidas no CTI Braskem Resina Norvic P68MAF 60 a 80 pcr Resina Norvic S64BB 40 a 20 pcr Plastificante (ftalato) 60 a 90 pcr Plastificante Alta Sovatação 0 a 20 pcr Plastificante Secundário (OSE) 0 a 5 pcr Carga mineral (CaCO3) 0 a 30 pcr Estabilizante Ca/Zn 2 a 4 pcr Surfactante – silicone 2 a 8 pcr Redutor de viscosidade 0 a 3 pcr Formulação típica

  6. Surfactante: Características principais: Estabilizante de Espuma; Diminui a tensão superficial da pasta; Promove a nucleação das bolhas de ar durante a mistura dos reagentes; Estabiliza a espuma em crescimento pela redução dos pontos de tensão e redução da espessura das paredes das células; Emulsiona os ingredientes da formulação. Formulação típica – Aditivos

  7. Surfactante: Um componente no surfactante tem afinidade pela fase apolar (hidrofóbica) e o outro possui afinidade pela fase polar (hidrofílica). Formulação típica – Aditivos

  8. Necessidade de propriedades reológicas específicas, para fluir pelo conjunto bomba - cabeçote aerador; Ausência de comportamento dilatante; Níveis de plastificantes são obrigatoriamente elevados e limitados; Resinas utilizadas devem ser de baixa ou média viscosidade; Misturas entre resinas: utilizados para alcançar um balanço entre fusão, reologia e estrutura da espuma; Resinas blending: redução de custo, viscosidade e dilatância da pasta. Características - plastisol

  9. Variação na rotação do rotor do aerador Quantidade de ar injetado Regulagem da contra pressão (processo) Tipo e quantidade de Plastificante Tipo e quantidade de Surfactante Tipo e quantidade da carga mineral “Grade” de resina de PVC Quantidade de resina blending Características – controle da densidade

  10. Expansão Mecânica x Expansão Química Expansão Mecânica Expansão Química

  11. Vantagens: Requer aditivos simples (estabilizador de espuma); Expansão controlada; Elevada resiliência; Elevada resistência mecânica; Não altera a cor do plastisol/produto; Possibilidade de obtenção de células muito pequenas; Requer menor controle das condições de gelificação/fusão. Desvantagens: Baixas densidades nem sempre são possíveis de se obter; Requer equipamento de mistura adicional (aerador contínuo). Expansão Mecânica

  12. Vantagens: Possibilidade de baixas densidades para várias aplicações; Não há necessidade de equipamento adicional (aerador). Desvantagens: Requer aditivos químicos para formar espuma; Expansão não controlada; Requer controle eficiente das condições de gelificação/fusão; Menor resistência mecânica; Requer a utilização de outros aditivos químicos (agente expansor, Kicker). Expansão Química

  13. Expansão Mecânica do Plastisol Aplicações - Expansão Mecânica