no es de embriologia n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Noções de embriologia PowerPoint Presentation
Download Presentation
Noções de embriologia

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 33

Noções de embriologia - PowerPoint PPT Presentation


  • 125 Views
  • Uploaded on

Noções de embriologia. Introdução. De forma simplificada podemos dizer que é o estudo do desenvolvimento do embrião. Tipos de ovos. Zigoto ou célula-ovo ou simplesmente ovo é como é chamada a célula formada a partir da união de dois gametas.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Noções de embriologia' - flann


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
introdu o
Introdução
  • De forma simplificada podemos dizer que é o estudo do desenvolvimento do embrião
tipos de ovos
Tipos de ovos
  • Zigoto ou célula-ovo ou simplesmente ovo é como é chamada a célula formada a partir da união de dois gametas.
  • De acordo com o critério da quantidade energética podemos classificar os ovos em quatro tipos:
oligol citos
Oligolécitos
  • forma esférica, pequena quantidade de vitelo distribuído de forma homogênia pelo citoplasma.
  • Encontrados em poríferos, celenterados, equinodermas e alguns cordados

( protocordados e mamíferos).

  • Nos mamíferos. É usual a designação especial de metalécito.
heterol citos
Heterolécitos
  • Esféricos com uma quantidade média de vitelo distribuída de forma irregular e polarizada.
  • Pequena quantidade no pólo animal e no pólo oposto( vegetativo) maior quantidade.
  • Platelmintos, asquelmintos, anelídeos, moluscos (exceto cefalópodes) e alguns cordados(anfíbios)
telol citos com diferencia o polar completa ou megal citos
Telolécitos com diferenciação polar completa ou megalécitos.
  • Forma esférica, grande quantidade de vitelo, totalmente localizado no pólo vegetativo e bem separado do pólo animal.
  • Moluscos cefalópodes, peixes, répteis, aves e alguns raros mamíferos primitivos (ornitorrincos e equidnas)
centrol cito
Centrolécito
  • Forma elíptica, possui uma boa quantidade de vitelo, separando o citoplasma em parte central, ao redor do núcleo, e outra periférica, perto da membrana plasmática
  • Artrópodes
tipos de clivagens
Tipos de clivagens
  • Período inicial de divisões celulares, originando as células embrionárias chamadas blastômeros.
  • O período de segmentação termina com o aparecimento do estágio chamado blástula, podendo ter um estágio intermediário chamado mórula.
  • Depende da quantidade de vitelo disponível.
segmenta o holobl stica ou total
Segmentação holoblástica ou total
  • Ocorre em ovos oligolécitos e telolécitos incompletos ou heterolécitos.
  • Pode ser igual ou desigual.
segmenta o holobl stica igual
Segmentação holoblástica igual
  • Própria dos ovos com pouco vitelo (oligolécitos)
  • Formam blastômeros de tamanhos aproximadamente iguais
segmenta o holobl stica desigual
Segmentação holoblástica desigual
  • Ocorre nos ovos telolécitos incompletos, ou heterolécitos, produzindo blastômeros desiguais.
segmenta o merobl stica ou parcial
Segmentação meroblástica ou parcial
  • Ovos com quantidades maior de vitelo ( telolécitos completos e centrolécitos)
  • Apenas a região protoplasmática (sem vitelo) se divide.
  • Também dividimos em dois tipos:
segmenta o merobl stica discoidal
Segmentação meroblástica discoidal
  • Ovo telolécito completo
  • Ocorre apenas no disco germinativo, deixando a parte inferior como armazenadora de reservas nutritivas.
segmenta o merobl stica superficial
Segmentação meroblástica superficial
  • Ovos centrolécitos.
  • O núcleo se divide várias vezes e migram para a superfície do ovo, formando a blastoderme, envolvendo um vitelo.
embriog nese do anfioxo
Embriogênese do anfioxo

É um exemplo de cordado primitivo , possui ovo do tipo oligolécito.

É considerado o ancestral de todos os vertebrados.

O processo de desenvolvimento embrionário pode ser dividido em três fases:

Segmentação

Gastrulação

Neurulação

segmenta o holobl stica total oligol cito
SegmentaçãoHoloblástica total (oligolécito)

Primeira clivagem vertical

Segunda clivagem vertical

Terceira clivagem transversal

Quarta clivagem vertical

Quinta clivagem transversal = 32 blastômeros = Mórula

neurula o
Neurulação

Célula-ovo mórula blástula gástrula nêurula

n mero de folhetos embrion rios
Número de folhetos embrionários
  • Apenas dois > ectoderme, endoderme > diblásticos > poríferos e celenterados
  • Três >ectoderme, mesoderme e endoderme>

triblásticos > demais animais pluricelulares

presen a de celoma
Presença de celoma
  • Acelomados > platelmintos
  • Pseudocelomados >cavidade não revestida por mesoderme > asquelmintos
  • Celomados > anelídeos, moluscos, artrópodes, equinodermas e os cordados.
destino do blast poro
Destino do blastóporo
  • Protostômios >originam a boca > celenterados, platelmintos, asquelmintos, anelídeos, moluscos e artrópodes
  • Deuterostômios > originam o ânus > equinodermas e cordados
destino dos folhetos embrion rios
Destino dos folhetos embrionários

Tecido mais externo do animal

Epiderme, e anexos

Epiblasto

Ectoderme

Neuroblasto

Sistema nervoso central

Encéfalo e medula

destino dos folhetos embrion rios1
Destino dos folhetos embrionários

Esclerótomo

(Esqueleto axial)

Epímero

(dorsal)

Miótomo

(musculatura estriada)

Mesômero

(mediano)

(Sitema urogenital)

Mesoderme

Dermátomo

(Camada interna

da pele)

Somatopleura

(Pericárdio, ossos

Músculos)

Hipômero

(ventral)

Espancnopleura

(miocárdio, endocárdio

Endotélio e músc. liso

destino dos folhetos embrion rios2
Destino dos folhetos embrionários

Endoderme

Revestimentos internos do tubo digestivo

Bexiga urinária

Aparelho respiratório

anexos embrion rios
Anexos embrionários

Além dos folhetos germinativos, encontramos ainda na fase embrionária, que participam efetivamente do desenvolvimento do embrião

  • Saco ou vesícula vitelina
  • Âmnio ou bolsa amniótica
  • Cório
  • Alantoide
  • Placenta
  • Cordão umbilical
saco ou ves cula vitelina
Saco ou vesícula vitelina
  • Peixes e anfíbios, fecundação do tipo externa
  • Armazena os nutrientes que serão utilizados durante o processo de desenvolvimento
mnio ou bolsa amni tica
Âmnio ou bolsa amniótica
  • Répteis, aves e mamíferos
  • Membrana originada da ectoderme formando uma espécie de bolsa d água, cuja a função é proteger o embrião contra choques mecânicos.
c rio
Cório
  • Serosa de Von Baer
  • Répteis, aves e mamíferos
  • Membrana que envolve externamente todo o embrião
  • Nos mamíferos faz parte de outro anexo, a placenta, responsável pela secreção da gonadotrofiana coriônica, que indica quando a mulher está grávida.
alant ide
Alantóide
  • Répteis, aves e nos mamíferos não placentários, excreção, e transferência de cálcio.
  • Mamíferos placentários está associada ao cório
placenta
Placenta
  • Ocorre em quase todos os mamíferos.
  • É a união de dois anexos, córion e alantóide, mais o endométrio
cord o umbilical
Cordão umbilical
  • Liga o feto à placenta
  • Duas artérias (Co2) e uma veia (O2) umbilical.