CAPÍTULO 5 Orçamento de Capital ou Análise de Investimentos - PowerPoint PPT Presentation

erelah
cap tulo 5 or amento de capital ou an lise de investimentos n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
CAPÍTULO 5 Orçamento de Capital ou Análise de Investimentos PowerPoint Presentation
Download Presentation
CAPÍTULO 5 Orçamento de Capital ou Análise de Investimentos

play fullscreen
1 / 54
Download Presentation
CAPÍTULO 5 Orçamento de Capital ou Análise de Investimentos
118 Views
Download Presentation

CAPÍTULO 5 Orçamento de Capital ou Análise de Investimentos

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. CAPÍTULO 5Orçamento de Capital ou Análise de Investimentos Deveríamos construir esta fábrica?

  2. MÉTODOS DE ANÁLISE DE ALTERNATIVAS DE INVESTIMENTOS No capítulo 1, identificamos três áreas básicas de preocupação do administrador financeiro: • Quais investimentos de longo-prazo a empresa deveria fazer? Decisão de Investimento • Onde obteremos financiamentos de longo-prazo para pagar pelos investimentos? Decisão de Financiamento • Como administraremos as atividades financeiras diárias da empresa?Administração de Capital de Giro IMES-FAFICA

  3. As Áreas da Administração de Finanças Empresariais • ORÇAMENTO DE CAPITAL ou ANÁLISE DE INVESTIMENTOS • ESTRUTURA DE CAPITAL • ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO IMES-FAFICA

  4. (2) (1) (4a) (4b) (3) (1) Dinheiro captados dos investidores (2) Dinheiro investido na empresa (3) Dinheiro gerado pelas operações (4a) Dinheiro reinvestido (4b) Dinheiro retornado aos investidores O Papel do Administrador Financeiro Administradores Operações Mercados Financeiros da Empresa Financeiros IMES-FAFICA

  5. Orçamento de Capital ou Análise de Investimentos Diz respeito aos investimentos a longo-prazo da empresa, mais especificamente, ao planejamento e gerência destes investimentos a longo-prazo. Nesta função, o administrador financeiro procura identificar oportunidades de investimentos que possuem valor superior a seu custo de aquisição. Em termos gerais, isso significa que o valor dos fluxos de caixa gerados pelo ativo excede o custo de tal ativo. Independentemente do investimento em consideração, o administrador financeiro precisa preocupar-se com o montante de fluxo de caixa que espera receber, quando irá recebê-lo e qual a probabilidade de recebê-lo. A avaliação da magnitude, da distribuição no tempo e do risco dos fluxos de caixa futuros é a essência do orçamento de capital. IMES-FAFICA

  6. Estrutura de Capital Refere-se à combinação específica entre capital de terceiros a longo-prazo e capital próprio que a empresa utiliza para financiar suas operações. O administrador financeiro possui duas preocupações nessa área. Primeiro, qual o montante que a empresa deve tomar emprestado?. Segundo, qual a fonte mais barata de fundos para a empresa?. Adicionalmente à combinação de recursos, o administrador financeiro deve decidir exatamente sobre como e onde levantará os recursos. Cabe a ele então a tarefa de escolher as fontes e os tipos de empréstimos. IMES-FAFICA

  7. Administração de Capital de Giro Refere-se à administração dos ativos de curto-prazo da empresa, tais como estoques, e aos passivos de curto-prazo, tais como pagamentos devidos a fornecedores. É uma atividade cotidiana que assegura que os recursos sejam suficientes para continuar a operação. As questões seguintes devem ser respondidas sobre o capital de giro: 1.      Quais devem ser os volumes disponíveis de caixa e estoque? 2.      Devemos vender a crédito para os nossos clientes? 3.      Como obteremos os recursos financeiros a curto-prazo que venham ser necessários? IMES-FAFICA

  8. Que propostas de investimentos devem ser realizadas? • Nem sempre as propostas de investimentos mais rentáveis podem ser realizadas. Por quê? • A implantação de um projeto deve, pois, considerar: • Critérios econômicos: rentabilidade do investimento em carteira, isto é, obtenção do maior retorno. • Critérios financeiros: disponibilidade de recursos e os efeitos do investimento na situação financeira da empresa (por exemplo, como afeta o capital de giro) • Critériosimponderáveis: São aqueles que não podem ser reduzidos a valores monetários, não sendo, portanto, considerados num estudo puramente econômico. Sua avaliação é puramente subjetiva. • Isto faz com que os resultados de estudos puramente econômicos não seja o único fator a considerar na decisão final. IMES-FAFICA

  9. Que propostas de investimentos devem ser realizadas? Continuação • Qualquer empresa tem um grande número de possibilidade de investimento. Cada possibilidade de investimento é uma opção disponível para a empresa. Algumas opções têm valor e outras não. A essência da administração financeira bem-sucedida, naturalmente, é aprender a identificar quais têm valor e quais não têm. Com isso em mente, nosso objetivo neste capítulo é introduzir algumas técnicas utilizadas para analisar empreendimentos potenciais para decidir quais valem a pena. IMES-FAFICA

  10. Cont... • Vamos apresentar e comparar diversos procedimentos adotados na prática. Nosso objetivo principal é familiarizar o estudante com as vantagens e desvantagens dos vários enfoques. • O estudo econômico deve cobrir um intervalo de tempo compatível com a duração da proposta de investimento considerada, freqüentemente denominada vida útil, vida econômica ou simplesmente vida da proposta de investimento. IMES-FAFICA

  11. 5.2 - AVALIAÇÃO DE INVESTIMENTOS • Existem várias medidas para avaliar investimentos. • Seja uma determinada firma que tenha a oportunidade de escolher entre os seguintes projetos: IMES-FAFICA

  12. 5.2.1 - CRITÉRIO POR INSPEÇÃO O projeto B é melhor do que o projeto A O projeto D é melhor que o projeto C, pois é possível reinvestir os ganhos entre os anos 1 e 2. IMES-FAFICA

  13. 5.2.2– PAYBACK PERIOD (ou Período de Recuperação) • É muito usual, na prática, fala-se do período de payback de uma proposta de investimento. • Procura-se estabelecer o tempo necessário para que fundos gerados pelo investimento sejam iguais ao gasto inicialmente feito, ou seja “recuperarmos nossa isca”. Preocupa-se com a recuperação simples do dinheiro empregado. No caso ao lado têm-se: IMES-FAFICA

  14. 5.2.2– PAYBACK PERIOD (ou Período de Recuperação) • A idéia básica é quantos anos precisaremos esperar até que os fluxos de caixa acumulados desse investimento se igualem ou superem seu custo?. Com base nesta regra, um investimento é aceito se seu período de payback calculado for menor do que algum número predeterminado de anos, estabelecido arbitrariamente. • Quando o número não é exato, é costume trabalhar com frações de anos. IMES-FAFICA

  15. EXEMPLO 1 • Os fluxos de caixa líquidos de um projeto de investimento estão indicados na figura abaixo. Quantos anos precisaremos esperar até que os fluxos de caixa acumulados desse investimento se igualem ou superem seu custo? IMES-FAFICA

  16. Solução • Conforme indicado na figura, o investimento inicial é de $ 50.000. Depois do primeiro ano a empresa recupera $ 30.000, deixando $ 20.000 a descoberto. O fluxo de caixa no segundo ano é exatamente igual a $ 20.000; ou seja, o investimento “ se paga” em exatamente 2 anos. Em outras palavras , o payback period é de 2 anos. Se exigíssemos um payback de 3 anos ou menos, o investimento seria aceitável IMES-FAFICA

  17. EXEMPLO 2 • Se os fluxos de caixa líquidos de um projeto de investimento são aqueles indicados na figura abaixo. Quantos anos precisaremos esperar até que os fluxos de caixa acumulados desse investimento se igualem ou superem seu custo? IMES-FAFICA

  18. Solução • Conforme indicado na figura, o investimento inicial é de $60.000. Depois do primeiro ano a empresa recupera $20.000, deixando $40.000 a descoberto. O fluxo de caixa no segundo ano é exatamente igual a $90.000; ou seja, o investimento “ se paga” em algum momento do segundo ano. Para imaginar o ano fracionado, observe que esses $40.000 deixados a descoberto correspondem a $40.000/$90.000 = 4/9 do fluxo de caixa do segundo ano. Supondo que o fluxo de caixa de $90.000 sejam pagos uniformemente ao longo do ano, o período de payback seria, portanto, igual a 1 anos. IMES-FAFICA

  19. 2.4 3 0 1 2 Projeto L 80 FCt-100 10 60 100 Acumulado -100 -90 0 50 -30 30 80 PaybackL = 2 + / = 2,375 anos = 1.6 3 0 1 2 Projeto S FCt-100 70 100 20 50 Acumulado -100 0 20 40 -30 30 50 PaybackS = 1 + / = 1,6 anos = Calculando o payback IMES-FAFICA

  20. Vantagens & Desvantagens IMES-FAFICA

  21. EXERCÍCIOS • Os fluxos de caixa projetados para uma proposta de investimento são: • projeto custa $ 500. Qual é o período de payback desse investimento? • Resp: 2,4 anos ou 2 anos e cinco meses. IMES-FAFICA

  22. EXERCÍCIOS • Se o período de corte é de 2 anos, quais dos projetos abaixo deverão ser aceitos? IMES-FAFICA

  23. O payback period descontado • O payback period descontado é o tanto de tempo que se leva para recuperar o fluxo de caixa inicial em termos de fluxos de caixa descontados. • Se assumirmos que os fluxos de caixa são recebidos no final dos períodos, o payback descontado deve estar em termos de um número inteiro de anos. IMES-FAFICA

  24. 2.7 3 0 1 2 10% FCt -100 10 60 80 VP do FCt -100 9,09 49,59 60,11 Acumulado -100 -90,91 18,79 -41,32 PaybackL Desc 2 + / = 2.7 anos = 41,32 60,11 Payback period descontado • Usa os fluxos de caixa descontados ao invés de FC crú. IMES-FAFICA

  25. EXERCÍCIO – PayBack Descontado Suponha que um investimento exige um gasto inicial de $5 milhões e tena fluxos de caixa esperados de $1 milhão, $3,5 milhões e $2 milhões para os três primeiros anos, respectivamente. Qual é o payback period descontado deste investimento se a taxa de retorno exigida é 10%? IMES-FAFICA

  26. EXERCÍCIO – PayBack Descontado,cont. O payback period descontado é 3 anos. IMES-FAFICA

  27. Mais exercícios de Payback IMES-FAFICA

  28. Mais exercícios de Payback IMES-FAFICA

  29. Mais exercícios de Payback IMES-FAFICA

  30. 5.2.3 – RETORNO CONTÁBIL MÉDIO • Uma outra abordagem atraente, mas deficiente, para a tomada de decisões em orçamento de capital, é o retorno contábil médio (RCM). Existem várias definições diferentes de RCM. No entanto, de qualquer modo, o RCM sempre pode ser definido como: • “O lucro líquido médio de um investimento dividido por seu valor contábil médio”. IMES-FAFICA

  31. Ilustração do Retorno Contábil Médio Ano 1 2 3 Vendas $440 $240 $160 Custos 220 120 80 Lucro bruto 220 120 80 Depreciação 80 80 80 Lucro antes dos impostos 140 40 0 Impostos (25%) 35 10 0 Lucro líquido $105 $30 $0 Lucro líquido médio = (105 + 30 + 0)/3 = $45 IMES-FAFICA

  32. Ilustração do Retorno Contábil Médio (conclusão) • Valor contábil médio: Investimento Inicial = $240 Investimento Médio = ($240 + 160 + 80 + 0)/4 = $120 (ou) = $240/2 = $120 • Retorno contábil médio (RCM): Renda líquida média $45 RCM = = = 37,5% Valor contábil médio $120 IMES-FAFICA

  33. EXEMPLO • Imagine você estar decidindo se abre ou não uma loja num novo shopping center. É exigido um investimento de $ 500.000 em melhorias. A loja terá cinco anos de vida útil, porque após esse prazo tudo voltaria a ser propriedade do dono do shopping. O investimento seria depreciado integralmente pelo método da linha reta em cinco anos. A alíquota de imposto de renda é de 25%. A Tabela abaixo apresenta as projeções de receitas e despesas. Pede-se calcular, com base nesses números, o lucro líquido a cada ano e o retorno contábil médio. IMES-FAFICA

  34. Solução • O investimento seria depreciado integralmente pelo método da linha reta em cinco anos, e portanto a depreciação por ano seria de 500.000/5 = $ 100.000. • Para calcular o valor contábil médio, observe que iniciamos com um valor contábil de $ 500.000 (custo inicial) e encerramos com $ 0. Portanto, o valor contábil médio do investimento ao longo de sua vida é (500.000 + 0)/2 = $ 250.000*. *Poderíamos, naturalmente, calcular a média dos seis valores contábeis. Assim (500 + 400 + 300 + 200 + 100 + 0) / 6 = $250 (em milhares). IMES-FAFICA

  35. Cont.... • A Tabela acima mostra que o lucro líquido é de $ 100.000 no primeiro ano, $ 150.000 no segundo, $ 50.000 no terceiro, $ 0 no quarto e -$ 50.000 no quinto. Portanto, o lucro líquido médio é: [($ 100.000 + 150.000 + 50.000 + 0 + (-50.000)]/2 = $ 50.000. • O retorno Contábil Médio (RCM) é: • Se a empresa possuir uma meta de RCM superior a 20%, então esse investimento será aceitável; caso contrário, não. IMES-FAFICA

  36. Vantagens & Desvantagens IMES-FAFICA

  37. Outro Exemplo • Você está decidindo se expande ou não sua empresa com a construção de uma nova fábrica. A fábrica possui um custo de instalação de $ 2 milhões, que será depreciado em linha reta ao longo de sua vida útil de quatro anos. Sabendo que o projeto tem lucros líquidos estimados de $ 417.000, $ 329.500, $ 258.100 e $ 358.000 durante esses quatro anos, qual é o retorno contábil médio, ou RCM? IMES-FAFICA

  38. EXERCÍCIOS • A Saladas Maravilha investe $ 90.000 em uma máquina de lavar legumes. A máquina aumentará os fluxos de caixa em $ 50.000 por ano, por 3 anos, quando terá de ser substituída. A contribuição para os lucros contábeis é igual a esse fluxo de caixa menos uma provisão para depreciação de $ 30.000 por ano. (ignoramos os impostos, para simplificar os cálculos). Calcule o retorno contábil sobre esse projeto, em cada ano. IMES-FAFICA

  39. EXERCÍCIOS • Suponha que uma empresa invista $ 60.000 em um projeto. O projeto gera um fluxo de entrada de $ 30.000 por ano, por 3 anos, e nada mais. O lucro contábil em cada ano é igual a esse fluxo de caixa menos uma provisão para depreciação de $ 20.000 por ano. Para simplificar, suponha que não haja impostos. Calcule o retorno contábil em cada ano. IMES-FAFICA

  40. EXERCÍCIOS • Considere esses dados sobre um projeto de investimento proposto: • Investimento original = $ 200 • Depreciação em linha reta de $ 50 por ano por 4 anos. • Vida do projeto = 4 anos Preencha os espaços em branco da tabela Descubra o retorno contábil deste projeto para cada ano IMES-FAFICA

  41. EXERCÍCIOS • Uma máquina custa $ 8.000 e espera-se que produza lucro, antes da depreciação, de $ 2.500 em cada um dos anos 1 e 2, e lucro de $ 3.500 em cada um dos anos 3 e 4. Supondo que a máquina é depreciada a uma taxa constante de $ 2.000 por ano, e que não haja impostos, qual é o retorno contábil médio? IMES-FAFICA

  42. EXERCÍCIOS • Você está decidindo se expande ou não sua empresa com a construção de uma nova fábrica. A fábrica possui um custo de instalação de $ 2 milhões, que será depreciado em linha reta ao longo de sua vida útil de quatro anos. Sabendo que o projeto tem lucros líquidos estimados de $ 417.000, $ 329.500, $ 258.100 e $ 358.000 durante esses quatro anos, qual é o retorno contábil médio, ou RCM? IMES-FAFICA

  43. EXERCÍCIOS • Você está examinando um projeto de três anos que tem lucro líquido projetado de $ 1.000 no ano 1, $ 2.000 no ano 2 e $ 4.000 no ano 3. O custo é de $ 9.000, a ser depreciado pelo método da linha reta durante os três anos de vida útil do projeto. Qual é o retorno contábil médio, ou RCM? IMES-FAFICA

  44. 5.2.4 – ÍNDICE DE RENTABILIDADE (IR) • Outro método utilizado de avaliação de projetos é o índice de rentabilidade (IR), ou quociente benfício/custo. Esse índice é definido como • “o quociente entre o valor presente dos fluxos de caixa futuros e o investimento inicial”. • Um índice de rentabilidade maior do que 1.0, significa que o valor presente dos fluxos de caixa futuros é maior do que o investimento inicial. IMES-FAFICA

  45. Ilustração do Índice de Rentabilidade • Seja agora um projeto onde assumimos a seguintes informações: Gasto Inicial -$1.100 Retorno exigido = 10% Benefícios anuais: Ano Fluxos de Caixa 1 $ 500 2 1.000 • Qual é o Índice de Rentabilidade (IR)? IMES-FAFICA

  46. Ilustração do Índice de Rentabilidade (conclusão) • O IR = VP entradas / VP saídas = ($454,54 + 826,45)/1.100 = 1,1645. • Este é um bom projeto de acordo com a regra do IR. Você poderia explicar o por quê? IMES-FAFICA

  47. Vantagens & Desvantagens IMES-FAFICA

  48. Mais Coisas sobre o índice de rentabilidade • O índice de lucratividade (IL) é a razão das entradas de caixa descontadas pelas saídas de caixa descontadas. IMES-FAFICA

  49. O índice de rentabilidade, cont. • Um valor de índice de rentabilidade acima de 1.0 indica que se espera o aumento da riqueza dos proprietários do projeto. IL > 1.0 ð Aceitar IL < 1.0 ð Rejeitar IL = 1.0 ð Indiferente • Exemplo: IL = $5.3043 / $5 = 1.0609 IMES-FAFICA

  50. Exemplo • Problema: Considere um projeto que exige um gasto inicial de $2,5 milhões e que tenha fluxos de caixa nos três anos seguintes de $1, $1,5, e $0,5 milhões, respectivamente. Se a taxa de retorno exigida é 10%, Qual é o VPL e o IL do projeto? • Resposta: VPL = $0.0244; IL =1.00976 IMES-FAFICA