iam com supra do segmento st n.
Download
Skip this Video
Download Presentation
IAM com supra do segmento ST

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 32

IAM com supra do segmento ST - PowerPoint PPT Presentation


  • 140 Views
  • Uploaded on

IAM com supra do segmento ST. Dr. Gláucio Galeno R. Carvalho. Conceito IAM: . Evidência de morte da célula miocárdica como conseqüência de isquemia prolongada. O Diagnóstico clínico: requer uma avaliação integrada: 1- Avaliação da história clínica; 2- Marcadores bioquímicos;

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'IAM com supra do segmento ST' - bryony


Download Now An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
iam com supra do segmento st

IAM com supra do segmento ST

Dr. Gláucio Galeno R. Carvalho

conceito iam
Conceito IAM:

Evidência de morte da célula miocárdica como conseqüência de isquemia prolongada.

O Diagnóstico clínico: requer uma avaliação integrada:

1- Avaliação da história clínica;

2- Marcadores bioquímicos;

3- ECG;

4- Métodos de imagem: eco stress, CTG.

epidemiologia

Epidemiologia:

Epidemiologia:
  • Nos EUA, 1,1 milhão de IAM ocorre por ano;
  • E, 40% desses pacientes morrem;
  • Aproximadamente, metade dessas mortes ocorre antes do paciente receber atendimento médico;
  • Incidência de: 1/250 a 1/500 habitantes por ano;
  • A incidência de SCA é em torno de 3 x a de IAMST;
  • Portanto, a incidência de SCA na Europa é estimada em 1/80 a 1/170 habitantes por ano.
  • Nos EUA, 1,1 milhão de IAM ocorre por ano;
  • E, 40% desses pacientes morrem;
  • Aproximadamente, metade dessas mortes ocorre antes do paciente receber atendimento médico;
  • Incidência de: 1/250 a 1/500 habitantes por ano;
  • A incidência de SCA é em torno de 3 x a de IAMST;
  • Portanto, a incidência de SCA na Europa é estimada em 1/80 a 1/170 habitantes por ano.
fatores de risco
Fatores de risco:
  • Idade e sexo;
  • História familiar;
  • Diabetes;
  • Hipertensão;
  • Dislipidemia;
  • Tabagismo.
fatores de risco1
Fatores de risco:
  • Estresse;
  • Sedentarismo;
  • Homocisteína;
  • PCR;
  • Fibrinogênio;
  • PAI tipo 1;
  • Reatividade plaquetária.
parede arterial normal
Parede arterial normal

Túnica adventícia

Túnica média

Túnica íntima

Endotélio

Tec.conectivo subendotelial

Membrana elástica interna

Cél.musc.lisas

Fibras colágenas e elástica

Membrana elástica externa

evolu o da placa aterosclerosa
Evolução da placa aterosclerosa
  • A ruptura da placa é a causa mais comum de síndromes coronarianas agudas;
  • Algumas placas podem romper e cicatrizar silenciosamente, sem causar sintomas;
  • Rupturas repetidas da capa fibrosa e trombose podem levar à progressão da placa na ausência de eventos isquêmicos agudos;
  • Rupturas silenciosas, cicatrizadas podem representar um mecanismo importante de progressão da placa;
  • A prevalência de ruptura cicatrizada não é conhecida.
composi o do ateroma
Composição do Ateroma

Não somente lipídios mas também:

  • Células da Parede Vascular
    • Endotélio
    • Células Musculares Lisas
  • Células inflamatórias
    • Macrófagos
    • Linfócitos T
    • Mastócitos
remodelamento de coron rias ateroscler ticas
Remodelamento de coronárias ateroscleróticas
  • A luz do vaso permanece inalterada com placas de até 40%;
  • O remodelamento é o determinante principal da luz do vaso nas lesões estáveis;
  • A hiperlipidemia  a infiltração de células inflamatórias nas placas ateromatosas;
  • Células inflamatórias são importantes no remodelamento por produzir metalloproteinases;
  • A maioria da metaloproteinases na placa origina-se das células espumosas e  com redução de lipídios;
  • Agentes hipolipemiantes e antiinflamatórios poderiam reduzir o remodelamento externo.

Ward R et al Circulation 2000;102:1186-1191

ruptura cicatrizada da placa e morte s bita card aca
Ruptura cicatrizada da placa e morte súbita cardíaca
  • Autópsia de 142 vítimas de morte súbita cardíaca;
  • 61% dos corações tinham rupturas cicatrizadas da placa e estavam associadas com:
    • IAM cicatrizado
    • Cardiomegalia
    • Dislipidemia
    • Diabetes
  • O estreitamento da luz aumentava com o número de locais de ruptura cicatrizada prévia.

Burke AP et al Circulation.2001;103:934-940

diagn stico de iam
Diagnóstico de IAM:

Sinal ou sintoma de SCA:

História clínica e fatores de

riscoEm 10 minutos

Enquanto coleta dados da

Anamnese. Faz-se o ECG.

MARCADORES DE

NECROSE MIOCÁRDICA: CK E TROPONINA

ECG não diagnóstico

SUPRA DO

SEGMENTO ST

caracter sticas da dor isqu mica
Características da Dor Isquêmica:
  • Localização– Retroesternal, precordial, epigástrica;
  • Irradiação– Braço esquerdo, ombro, pescoço, mandíbula;
  • Intensidade– Aumento da intensidade, intensa;
  • Caráter ou tipo – Queimação, ardência, peso, aperto, pressão, constrição;
  • Duração– Em repouso > 10 minutos, prolongada > 20 minutos, geralmente flutuante;
caracter sticas da dor isqu mica1
Características da Dor Isquêmica:
  • Ritmo ou freqüência – Aumento da freqüência, recorrente, persistente;
  • Fatores desencadeantes– Mínimos esforços, repouso, emoções;
  • Fatores de alívio– Nitroglicerina ou repouso (melhora em 5 minutos);
  • Sintomas associados– Dispnéia, palpitações, sudorese, pele fria;
          • Observar gestos dos paciente – Sinal de Levine
caracter sticas da dor anginosa
Características da Dor Anginosa
  • Desencadeada por esforço físico ou emoção forte;
  • Aliviada por repouso ou nitrato sublingual;
  • Usualmente em aperto, opressão ou constrição;
  • Usualmente retroesternal;
  • Freqüentemente piora após refeições copiosas ou no frio;
slide24

Electrocardiogram Showing Inferior Myocardial Infarction Associated with Complete Heart Block with a Narrow Escape Rhythm

Zimetbaum P and Josephson M. N Engl J Med 2003;348:933-940

slide25

Electrocardiogram Showing Anterior Myocardial Infarction Associated with Right Bundle-Branch Block with a QR Pattern and ST-Segment Elevation

Zimetbaum P and Josephson M. N Engl J Med 2003;348:933-940

exames complementares em cardiologia

EXAMES COMPLEMENTARES EM CARDIOLOGIA

LABORATORIAIS

- MARCADORES DE NECROSE MIOCÁRDICA (MNM)

diagn stico de iam1
Diagnóstico de IAM:

Sinal ou sintoma de SCA:

História clínica e fatores de risco

Em 10 minutos

Enquanto coleta dados da anamnese

Faz-se o ECG.

SUPRA DO SEGMENTO ST

tratamento
Tratamento
  • AAS;
  • Oxigênio;
  • B-bloqueador;
  • Nitrato venoso;
  • Clopidogrel* ou Ticlopidina*;
  • Fibrinolítico: Estreptoquinase, RTPa (alteplase), TNK (Tenecteplase). < 12H;
  • Angioplastia de urgência com < 4h;
  • CRVM.
  • O TRATAMENTO IDEAL DEPENDE DO TEMPO!!!

* Qual o melhor momento para usá-lo?

slide30

Myocardial Infarction with ST-Segment Elevation before, during, and after PCI

Keeley E and Hillis L. N Engl J Med 2007;356:47-54

fatores progn sticos
Fatores prognósticos:
  • Idade;
  • Sexo;
  • Localização do infarto;
  • Função ventricular;
  • Co-morbidades;
  • Reperfusão.
ad