broncodilatadores e antiasm ticos n o broncodilatadores n.
Download
Skip this Video
Download Presentation
Broncodilatadores e antiasmáticos não-broncodilatadores

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 65

Broncodilatadores e antiasmáticos não-broncodilatadores - PowerPoint PPT Presentation


  • 525 Views
  • Uploaded on

Broncodilatadores e antiasmáticos não-broncodilatadores. Broncodilatadores e antiasmáticos não-broncodilatadores. Broncodilatadores Relaxamento músculo liso brônquico Aumento a motilidade ciliar epitelial brônquica Asma DPOC Antiasmáticos não-broncodilatadores

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Broncodilatadores e antiasmáticos não-broncodilatadores' - alaric


Download Now An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
broncodilatadores e antiasm ticos n o broncodilatadores1
Broncodilatadores e antiasmáticos não-broncodilatadores
  • Broncodilatadores
    • Relaxamento músculo liso brônquico
    • Aumento a motilidade ciliar epitelial brônquica
      • Asma
      • DPOC
  • Antiasmáticos não-broncodilatadores
    • Modulação dos processos inflamatório e sensibilizante alérgico
      • Asma
slide3
Asma
  • Manifestações
    • Clínicas
      • Paroxismos de tosse
      • Dispneia
      • Sibilância
    • Funcionais
      • Estreitamento generalizado das vias aéreas
        • Contractura do músculo liso brônquico
        • Edema da parede brônquica
        • Hiper-secreção muco brônquico
national asthma education and prevention program naepp
National Asthma Education and Prevention Program (NAEPP)
  • A asma é ”uma alteração inflamatória crónica das vias respiratórias na qual participam variadas células e elementos celulares. . . .
  • Em indivíduos susceptíveis, esta inflamação provoca episódios recurrentes de sibilância, dispneia, rigidez torácica, e tosse, particularmente durante a noite ou ao despertar.
  • Estes episódios estão usualmente associados a generalizada, mas variável, obstrução do fluxo respiratório, o qual é frquentemente reversível quer espontaneamente quer com tratamento."
slide7

Specimen of Bronchial Mucosa from a Subject without Asthma (Panel A) and a Patient with Mild Asthma (Panel B)

In the subject without asthma, the epithelium is intact; there is no thickening of the sub-basement membrane, and there is no cellular infiltrate. In contrast, in the patient with mild asthma, there is evidence of goblet-cell hyperplasia in the epithelial-cell lining. The sub-basement membrane is thickened, with collagen deposition in the submucosal area, and there is a cellular infiltrate.

slide8

Bronchial-Biopsy Specimens from Subjects with Asthma

Panel A shows epithelium, submucosa, and smooth muscle with mast cells (arrows) infiltrating the airway smooth muscle (x100). Panel B shows mast cells within the airway smooth muscle

Brightling et al. 346 (22): 1699, Figure 2     May 30, 2002

slide9

Pleural surface of the lung in fatal acute severe asthma, showing the absence of postmortem collapse

fisiopatologia da asma
Fisiopatologia da asma
  • Fase aguda (min após contacto)
  • Fase tardia (12 h após contacto)
fisiopatologia da asma1
Fisiopatologia da asma
  • Fase aguda
    • Mastócito
      • Libertação de mediadores pré-formados (histamina, heparina, proteases, factores quimiotáticos)
      • Libertação de mediadores formados no momento (leucotrienos e prostaglandinas)
      • Broncoconstrição, inflamação da parede e alterações da produção de muco
  • Fase tardia
    • Linfócito T
      • Estabelecimento da reacção inflamatória tardia
      • Produção de IL-2, IFN-,
      • Crescimento e diferenciação do linfócito B
slide16

Mean (±SD) Serum Concentrations of Total and Free IgE in Subjects Given a Low Dose of rhuMAb-E25 for 20 Weeks. Serum free IgE concentrations decreased rapidly by more than 95 percent (base-line level, 1060 ng per milliliter [441.7 IU per milliliter]). To convert values to international units per milliliter, divide by 2.4. A log (base 10) scale is shown.

fisiopatologia da asma3
Fisiopatologia da asma
  • Hiper-reactividade das vias aéreas
    • Exercício físico
    • Estímulos alérgicos
    • Estímulos ambienciais
    • Estímulos ocupacionais
    • Estímulos farmacológicos
    • Estímulos infecciosos
    • Estímulos emocionais
slide18
DPOC
  • Manifestações
    • Clínicas
      • Bronquite crónica
      • Tosse
      • Expectoração
    • Funcionais
      • Obstrução crónica ao fluxo aéreo
      • Enfisema
broncodilatadores
Broncodilatadores
  • Aminas simpaticomiméticas
  • Xantinas
  • Anticolinérgicos
antiasm ticos n o broncodilatadores
Antiasmáticos não-broncodilatadores
  • Costicosteróides
  • Antagonistas dos leucotrienos
  • Cromonas
aminas simpaticomim ticas
Aminas simpaticomiméticas
  • Características
    • Relaxamento músculo liso brônquico
    • Redução da libertação de mediadores inflamatórios mastocitários
    • Redução da transmissão colinérgica
    • Aumento a motilidade ciliar epitelial brônquica
    • Promovem a integridade vascular
    • Aumento da secreção de cloro e água para o lume brônquico
aminas simpaticomim ticas1
Aminas simpaticomiméticas
  • Exemplos em uso
    • Adrenalina (s.c.)
    • Isoprenalina (s.c.)
    • Efedrina (p.o.)
    • Salbutamol, Terbutalina, Fenoterol, Rimiterol, Soterenol, Pirbuterol, Bitolrelol (p.o., i.v., s.c., inalatória)
    • Salmeterol e formoterol (p.o., i.v., s.c., inalatória)
aminas simpaticomim ticas2
Aminas simpaticomiméticas
  • Efeitos adversos
    • Cardiovasculares
      •  PA,  FC,  QTc, arritmias e palpitações
    • Nervosismo e excitação
    • Trémulo muscular
    • Agravamento da hipoxemia (desiquilibrio da taxa ventilação-perfusão)
    • Efeitos metabólicos
      • hiperglicemia, hipocaliemia e hipomagnesemia
xantinas
Xantinas
  • Efeitos terapêuticos
    • Relaxamento músculo liso brônquico
    • Redução da libertação de mediadores inflamatórios mastocitários
    • Melhoria da contractilidade diafragmática
    • Estimulação dos centros respiratórios medulares
xantinas1
Xantinas
  • Exemplos em uso
    • Teofilina (p.o.)
    • Aminofilina (sal etildiamínico da teofilina, i.v.)
    • Diprofilina (p.o.)
    • Emprofilina (p.o.)
xantinas2
Xantinas
  • Efeitos adversos
    • Entre 10 e 20 µg/ml
      • Nervosismo, excitação e insónia
      • Náuseas, vómitos e epigastralgias
      • palpitações
    • Acima de 20 µg/ml
      • Vómitos persistentes
      • Diarreia
      • Taquicardia sinusal
    • Acima de 35 µg/ml
      • Convulsões
      • Arritmias ventriculares graves
    • Irritação tecidular no local de injecção
xantinas3
Xantinas
  • Alterações farmacocinéticas
    • Risco de exposição aumentada
      • Recém-nascido
      • Infecções víricas
      • Uso concomitante de:
        • Cimetidina
        • Eritromicina
        • Propranolol
        • Contraceptivos orais
        • Quinolonas (Enoxacina, Pefloxacina e Ciprofloxacina)
    • Risco de exposição diminuída
      • Entre 1 e 9 anos
      • Fumadores
      • Medicação com fenobarbital e fenitoína
      • Insuficiência cardíaca
      • Insuficiência hepática
xantinas4
Xantinas
  • Normas terapêuticas
    • Monitorização dos níveis plasmáticos
    • Uso de teofilina de libertação retardada na asma nocturna
    • Uso em doentes com dificuldades na utilização de nebulizadores
    • Em associação, nas situações refractárias à monoterapia
anticolin rgicos
Anticolinérgicos
  • Exemplos
    • Brometo de ipratrópio (inalatória)
anticolin rgicos1
Anticolinérgicos
  • Características
    • Relaxamento músculo liso brônquico
    • Não altera viscosidade do muco brônquico
    • Não altera a motilidade ciliar brônquica
    • Desprovido de efeitos sistémicos
    • Menos potente que salbutamol na asma, mas de igual potência na bronquite crónica
costicoster ides
Costicosteróides
  • Efeitos terapêuticos
    • Redução da formação de mediadores inflamatórios
costicoster ides1
Costicosteróides
  • Características
    • Inibição da síntese de prostaglandinas
    • Inibição da síntese de leucotrienos
    • Supressão de genes inflamatórios
      • Citocinas
      • Enzimas inflamatórias
      • Moléculas de adesão
      • Receptores de mediadores inflamatórios
costicoster ides2
Costicosteróides
  • Características
    • Indicados no tratamento de manutenção da asma persistente
    • Bem tolerados
    • Desprovidos de efeitos laterais sistémicos
      • Excepto na criança, quando usados em doses elevadas
      • No adulto, quando usados em doses > 2000 µg/dia
      • Efeitos adversos mais frequentes
        • Tosse seca irritativa
        • Rouquidão
        • Candidíase oral
costicoster ides3
Costicosteróides
  • Exemplos em uso
    • Dipropionato de beclometasona (inalatória)
    • Budesonida (inalatória)
    • Flunisulide (inalatória)
    • Fluticasona (inalatória)
slide39

Fitted Rate Ratio for Death from Asthma as a Function of the Number of Canisters of Inhaled Corticosteroids Used during the Year before the Index Date

costicoster ides sist micos
Costicosteróides sistémicos
  • Exemplos em uso
    • Hidrocortisona (i.v., p.o.)
      • i.v., nas primeiras 48 h
    • Metilprednisolona (i.v.)
    • Prednisolona (p.o.)
costicoster ides sist micos1
Costicosteróides sistémicos
  • Indicações
    • Crise aguda grave
    • Exacerbação da asma crónica
antagonistas dos leucotrienos
Antagonistas dos leucotrienos
  • Exemplos em uso
    • Zileuton (p.o., 4xd)
    • Montelucaste (p.o., 1xd)
    • Pranlucaste (p.o., 2xd)
    • Zafirlucaste (p.o., 2xd)
slide43

Biochemical Pathways of the Formation and Action of the Leukotrienes and Sites of Action of Leukotriene-Modifying Drugs

antagonistas dos leucotrienos1
Antagonistas dos leucotrienos
  • Indicações
    • Tratamento de manutenção da asma
    • Sempre que há necessidade de corticoterapia crónica em doses elevadas
cromonas
Cromonas
  • Exemplos em uso
    • Cromoglicato disódico (inalatório)
    • Nedocromil (inalatório)
cromonas1
Cromonas
  • Características
    • Inibição da desgranulação mastocitária
    • Protecção das fibras C
      • redução de libertação de neuropeptídeos inflamatórios e broncospásticos
cromonas2
Cromonas
  • Indicações
    • Prevenção das crises de asma alérgica
    • Sempre que há necessidade de corticoterapia crónica em doses elevadas
tratamento da asma
Tratamento da asma
  • Crise asmática
  • Manutenção
classifica o da asma
Classificação da Asma
  • Intermitente
    • Sintomas menos que uma vez por semana
    • Exacerbações de curta duração
    • Sintomas noctunos não mais que duas vezes por mês
    • FEV1 ou PEF > 80% previsto
    • PEF ou FEV1 variabilidade < 20%
  • Ligeira persistente
    • Sintomas mais que uma vez por semana, mas menos que uma vez por dia
    • Exacerbações afectam actividade e sono
    • Sintomas noctunos mais que duas vezes por mês
    • FEV1 ou PEF > 80% previsto
    • PEF ou FEV1 variabilidade < 20-30%

Global Strategy for Asthma Management and Prevention, NIH - NHLBI, Bethesda 2002

classifica o da asma1
Classificação da Asma
  • Moderada persistente
    • Sintomas diários
    • Exacerbações afectam actividade e sono
    • Sintomas noctunos mais que uma vez por semana
    • Uso diário de aminas 2 de curta duração
    • FEV1 ou PEF 60-80% previsto
    • PEF ou FEV1 variabilidade < 30%
  • Grave persistente
    • Sintomas diários
    • Exacerbações frequentes
    • Sintomas noctunos frequentes
    • FEV1 ou PEF < 60% previsto
    • PEF ou FEV1 variabilidade > 30%

Global Strategy for Asthma Management and Prevention, NIH - NHLBI, Bethesda 2002

tratamento da asma1
Tratamento da Asma

Global Strategy for Asthma Management and Prevention, NIH - NHLBI, Bethesda 2002

tratamento da asma2
Tratamento da Asma

Global Strategy for Asthma Management and Prevention, NIH - NHLBI, Bethesda 2002

antit ssicos
Antitússicos
  • Acção central
    • narcóticos ou estupefacientes
      • alcalóides do ópio e derivados de síntese
        • Morfina, diidromorfina e levorfanol
        • Codeína, diidrocodeína e folcodina
        • Metadona e meperidina
    • não-narcóticos ou não-estupefacientes
      • Dextrometorfano, noscapina, carbetopentano, caramifeno, butamirato
antit ssicos1
Antitússicos
  • Acção periférica
    • Demulcentes
      • Gomas, mucilagens e linctos
    • Endanestésicos
      • benzonatato
    • Expectorantes
expectorantes
Expectorantes
  • Acção reflexa
    • Iodetos, cloreto de amónia, ipecas e guaicolato de glicerilo
  • Acção directa
    • Essências de pinheiro, limão e eucalipto
  • Mucolíticos
    • Bromexina, carboximetilcisteína, Acetilcisteína, ambroxol, letostaína
slide60

Crude and Adjusted Rate Ratios for Death from Asthma in Relation to the Use of Inhaled Corticosteroids during the One-Year and Six-Month Periods before the Index Date

Suissa et al. 343 (5): 332, Table 1     August 3, 2000

slide61

The Airway in a Healthy Person (Panel A) and in a Patient with Asthma (Panel B)

In Panel A, the airway of a healthy person is composed of an epithelium with a thin basement membrane and some relatively quiescent fibroblasts and smooth-muscle cells. Minimal expression of ADAM-33 may maintain base-line levels of cell proliferation and basement-membrane integrity. In Panel B, the airway of a patient with asthma is characterized by subepithelial fibrosis (with collagen deposition), smooth-muscle hypertrophy or hyperreactivity, and inflammation. ADAM-33 could participate in these abnormal processes through loss-of-function polymorphisms (by down-regulating the shedding of growth factor receptor) or gain-of-function mutations (by increasing the shedding of growth factors with autocrine or paracrine effects on fibroblasts and smooth-muscle cells). ADAM-33 might also be involved in the chronic immune or inflammatory response through the excessive shedding of type 2 helper T cell (Th2) cytokines or by impaired shedding of cytokine receptors (macrophage shown).

slide64
Mild asthma can be controlled in most patients by relatively low doses of inhaled corticosteroids,
  • Moderate asthma can be controlled by adding an inhaled long-acting beta-agonist or a low dose of theophylline.
  • Severe asthma may require high doses of inhaled corticosteroids or regular treatment with oral corticosteroids.
slide65
The efficacy of a recombinant humanized monoclonal antibody against IgE (rhuMAb-E25) for the treatment of moderate-to-severe allergic asthma is an important step forward, since severe asthma is poorly controlled by existing therapies other than oral corticosteroids, whose long-term use is associated with several adverse effects.
  • Twice-weekly intravenous injections of rhuMAb-E25 lead to a rapid, dose-related, and sustained fall in plasma IgE levels in patients with atopic asthma. The medication is still experimental and has yet to be approved for prescription sales
ad