A Semiótica da Canção Popular Brasileira - PowerPoint PPT Presentation

aida
a semi tica da can o popular brasileira n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
A Semiótica da Canção Popular Brasileira PowerPoint Presentation
Download Presentation
A Semiótica da Canção Popular Brasileira

play fullscreen
1 / 9
Download Presentation
A Semiótica da Canção Popular Brasileira
65 Views
Download Presentation

A Semiótica da Canção Popular Brasileira

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. A Semiótica da Canção Popular Brasileira Paulo Strogenski

  2. A canção popular é constituída de conteúdo (letra) e expressão (melodia), embora seja possível reconhecer que há uma expressão do conteúdo verbal (a sonoridade das palavras independentemente da melodia) e conteúdo do componente musical (o sentido da melodia, da harmonia, etc.). Ou seja, não se pode afirmar que existam duas partes estanques e independentes.

  3. Quando se trata de analisar uma canção, tanto é possível pensarmos na relação entre o destinador (compositor, músico, intérprete) e o destinatário (ouvinte, consumidor) quanto na construção do sentido interno do texto. A análise do discurso preocupa-se com a primeira possibilidade, buscando aquilo que o texto diz. Para a semiótica interessa mais como o texto faz para dizer o que diz.

  4. Uma narrativa para a semiótica pressupõe uma sucessão de estados e de modificações desses estados. Logo, para haver um estado de conjunção entre o sujeito e objeto é preciso pressupor que houve um estado anterior de disjunção e que o sujeito realizou um percurso entre os dois estados. Para que o sujeito realizar uma ação, ele deve ser dotado de competência modal, isto é, um sujeito não faz aquilo que não quer, não deve, não sabe e não pode. Para executar um fazer qualquer, é necessário que o sujeito esteja de posse de pelo menos 3 dos elementos a que a semiótica chama de modalidades (querer, dever, fazer, poder).

  5. Em relação às canções chamadas MPB, Luiz Tatit defende um modelo de variedades. Para ele, existem canções: • 1. Temáticas: andamento veloz, primazia do ataque de consoantes em relação ao alongamento das vogais. Não raramente tratam de assuntos relativos a um estado de conjunção entre sujeito e objeto. • 2. Passionais: andamento lento, primazia do alongamento das vogais ao ataque de consoantes. Não raramente tratam de assuntos relativos a um estado de disjunção entre sujeito e objeto. • 3. Figurativas: aproximam-se da fala coloquial, ou seja, deixam transparecer mais explicitamente a voz que fala por detrás da voz que canta.

  6. Já Sei Namorar Marisa Monte Composição : Arnaldo Antunes, Carlinhos Brown e Marisa Monte Já sei namorarJá sei beijar de línguaAgora, só me resta sonharJá sei onde irJá sei onde ficarAgora, só me falta sair Não tenho paciênciapra televisãoEu não sou audiênciapara a solidãoEu sou de ninguémEu sou de todo mundoE todo mundo me quer bemEu sou de ninguémEu sou de todo mundoE todo mundo é meu também Já sei namorarJá sei chutar a bolaAgora, só me falta ganharNão tenho juizSe você quer a vida em jogoEu quero é ser feliz Não tenho paciênciapra televisãoEu não sou audiênciapara a solidãoEu sou de ninguémEu sou de todo mundoE todo mundo me quer bemEu sou de ninguémEu sou de todo mundoE todo mundo é meu também Tô te querendo como ninguémTô te querendo como Deus quiserTô te querendo como eu te queroTô te querendo como se quer (x2)

  7. G sei so E Jána Já sei beijar de lín só nhar D mo guaa me C rargores B A ra ta G

  8. Gota d'água Chico Buarque Composição : Chico Buarque (1975) Já lhe dei meu corpoMinha alegriaJá estanquei meu sangueQuando ferviaOlha a voz que me restaOlha a veia que saltaOlha a gota que faltaPro desfecho da festaPor favor... Deixe em paz meu coraçãoQue ele é um pote até aqui de mágoaE qualquer desatenção, faça nãoPode ser a gota d'água...(2x)

  9. O Cio da Terra Chico Buarque Composição : Milton Nascimento / Chico Buarque Debulhar o trigoRecolher cada bago do trigoForjar no trigo o milagre do pãoE se fartar de pão Decepar a canaRecolher a garapa da canaRoubar da cana a doçura do melSe lambuzar de mel Afagar a terraConhecer os desejos da terraCio da terra, a propícia estaçãoE fecundar o chão