Download
slide1 n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
RESGATANDO AS AULAS ANTERIORES... Vídeo: Lixo: novo marco regulatório no país PowerPoint Presentation
Download Presentation
RESGATANDO AS AULAS ANTERIORES... Vídeo: Lixo: novo marco regulatório no país

RESGATANDO AS AULAS ANTERIORES... Vídeo: Lixo: novo marco regulatório no país

113 Views Download Presentation
Download Presentation

RESGATANDO AS AULAS ANTERIORES... Vídeo: Lixo: novo marco regulatório no país

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. RESGATANDO AS AULAS ANTERIORES... • Vídeo: Lixo: novo marco regulatório no país • Política Nacional de Resíduos Sólidos • Quais são as sugestões dadas no programa para que os municípios pobres gerenciem seus resíduos? • Duas possibilidades: consórcios públicos e cobrança pelos serviço • 2. Quais são os exemplos de resíduos perigosos destacados no programa? • São aqueles inflamáveis, corrosivos e infectivos como, por exemplo, lixo hospitalar, lâmpadas contendo mercúrio, medicamentos vencidos e solventes químicos.

  2. RESGATANDO AS AULAS ANTERIORES... Vídeo: Lixo: novo marco regulatório no país Política Nacional de Resíduos Sólidos 3. De acordo com o programa, quais são as duas principais dificuldades em relação aos aterros sanitários? Alto custo de implantação e necessidade de conhecimento técnico para implantação e gerenciamento. 4. Complete a frase: quanto mais material se retirar do lixo para a reciclagem, mais espaço vai sobrar nos aterros sanitários.

  3. Plásticos e Meio Ambiente

  4. Tema da aula de hoje: Plásticos e Meio Ambiente Resumo: O surgimento dos plásticos modificou muito o dia-a-dia do homem, através da confecção e uso desses materiais em diversos segmentos sociais e industriais. Mas é justamente uma das maiores virtudes dos plásticos, a durabilidade, que os torna um problema muito grande quando são descartados nos lixões e aterros sanitários. Sendo assim, os objetivos desse encontro são: 1. abordar conceitos relacionados à composição química e propriedades dos plásticos; 2. discutir inovações e aspectos ambientais relacionados aos plásticos.

  5. Materiais utilizados pelo homem NATURAIS: madeira, borracha, lã, seda, algodão, couro e pele de animais PROCESSADOS: papel, ferro, alumínio e plástico VANTAGENS: leves, resistentes, práticos, versáteis, duráveis e relativamente baratos DESVANTAGENS: dificuldade de degradação e redução progressiva dos estoques naturais de matéria-prima

  6. Por que o plástico pode ser um material mais interessante que a madeira? é mais resistente e não apodrece Por que o plástico pode ser um material mais interessante que o ferro? é mais leve e não enferruja Plástico, cirurgião plástico, artista plástico: há alguma semelhança entre esses termos? Plástico: grego plastikós = relativo às dobras do barro Plasticu: latim = que pode ser modelado OU SEJA: Plástico é uma designação genérica para uma grande família de materiais que apresentam em comum o fato de serem facilmente moldáveis

  7. Plástico, cirurgião plástico, artista plástico: há alguma semelhança entre esses termos? Cirurgião plástico é aquele que altera determinadas formas de seu paciente, por meio da cirurgia plástica. Artista plástico é aquele que, explorando seu senso estético, trabalha com as formas de diferentes materiais. Em termos de propriedades físicas, os plásticos são todos iguais?

  8. Em termos de propriedades físicas, os plásticos são todos iguais? Não Termorrígidos ou termofixos: maleáveis apenas no momento de fabricação do objeto e moldados nesse momento. Exemplo: cabo de panelas Termoplásticos: podem ser modelados ou remodelados quando aquecidos

  9. Indústria plástica: dois segmentos 1 – segmento produtor: vende a matéria plástica propriamente dita na forma de pequenos grãos já coloridos na tonalidade desejada para as fábricas de objetos plásticos 2 – Segmento modelador: derretem os grãos e modelam o produto desejado.

  10. Existem quatro processos de modelagem 1 – Modelagem por injeção

  11. Existem quatro processos de modelagem 2 – Modelagem por assopro

  12. Existem quatro processos de modelagem 3 – Modelagem por extrusão

  13. Existem quatro processos de modelagem 4 – Modelagem por calandragem

  14. Plástiscos: um mergulho no mundo microscópico Reação de polimerização – monômeros se transformam em polímeros (macromoléculas: grego “macro” - grande Monômero: grego “mono” – uma e “mero” – parte Polímero: grego “poli” – muitas e “mero” – parte

  15. Plástiscos: um mergulho no mundo microscópico

  16. Plásticos mais comuns: Politereftalato de Etileno – PET Principais características • transparentes • muito resistentes • impermeáveis • polímeros de alta densidade (afundam na água) • amolecem à baixa temperatura (80ºC) Alguns usos • garrafas de água mineral e refrigerante • embalagens para produtos alimentícios, de limpeza, cosméticos e farmacêuticos • bandejas para micro-ondas • filmes para áudio e vídeo • fibras têxteis

  17. Plásticos mais comuns: Polietileno de Alta Densidade

  18. Plásticos mais comuns: Polietileno de Alta Densidade Principais características • amolecem à baixa temperatura (120°C) • impermeável • rígido e com resistência química • polímeros de baixa densidade (flutuam na água) • queimam como vela, liberando cheiro de parafina • superfície lisa e “cerosa” Alguns usos • fabricação de embalagens para alimentos • produtos têxteis • cosméticos • embalagens descartáveis • tampas de refrigerante, potes para freezer e garrafões de água mineral • brinquedos • eletrodomésticos • cerdas de vassoura e escovas • sacarias (revestimento e impermeabilização) • fitas adesivas

  19. Plásticos mais comuns: Policloreto de Vinila: PVC Principais características • rigidez • impermeabilidade • polímeros de alta densidade (afundam na água) • amolece à baixa temperatura (80° C) • queima com grande dificuldade, liberando um cheiro acre de cloro Alguns usos • fabricação de tubos, conexões e cabos elétricos • materiais de construção, como janelas, portas, esquadrias e cabos de energia • brinquedos • alguns tipos de tecido • chinelos • cartões de crédito • tubos para máquinas de lavar roupa • caixas de alimentos

  20. Plásticos mais comuns: Policloreto de Vinila: PVC [CH2CHCl]n CH=CH]n(s) + HCl(g) Figura 2: Fotografia do experimento. A - início: antes da queima do filme de PVC; B - durante a decomposição térmica do filme de PVC Química Nova na Escola, n. 14, p. 40-42, 2001.

  21. Plásticos mais comuns: Policloreto de Vinila: PVC Esquema 1: Representação do equilíbrio entre duas formas da antocianina. em água contendo extrato de repolho roxo. Química Nova na Escola, n. 14, p. 40-42, 2001.

  22. Plásticos mais comuns: Policloreto de Vinila: PVC 2HCl(aq) + Na2CO3(aq) CO2(g) + H2O(l) + 2NaCl(aq) CHUVA ÁCIDA

  23. CHUVA COMUM – pH 5,6

  24. CHUVA ÁCIDA

  25. Plásticos mais comuns: Polietileno de Baixa Densidade

  26. Plásticos mais comuns: Polietileno de Baixa Densidade Principais características • polímeros de baixa densidade (flutuam na água) • amolecem à baixa temperatura (85°C) • queimam como vela, liberando cheiro de parafina • superfície lisa e “cerosa” Alguns usos • filmes de uso geral • sacaria industrial • tubos de irrigação e mangueiras • embalagens flexíveis • impermeabilização de papel (embalagens longa vida) • fraldas, absorventes higiênicos e sacaria industrial.

  27. Plásticos mais comuns: Polipropileno Principais características • não alteram o aroma do alimento • brilhantes, rígidos e inquebráveis • amolecem à baixa temperatura (150°C) • queimam como vela, liberando cheiro de parafina • baixa densidade (flutuam na água) Alguns usos • fabricação de embalagens para alimentos • produtos têxteis e filmes • cosméticos • tampas de refrigerante • potes para freezer e garrafões de água mineral • produtos hospitalares descartáveis • tubos para água quente • autopeças • fibras para tapetes • fraldas e absorventes higiênicos

  28. Plásticos mais comuns: Poliestireno Principais características • impermeabilidade • polímeros de baixa densidade (flutuam na água) • quebradiços • amolecem à baixa temperatura (80ºC a 100°C) • queima relativamente fácil, liberando fumaça preta • é afetado por muitos solventes Alguns usos • fabricação de copos descartáveis • fabricação de isopor • eletrodomésticos • produtos para construção civil • autopeças • potes para iogurte, sorvete e doces • frascos, bandejas de supermercados, pratos e tampas • aparelhos de barbear descartáveis • brinquedos

  29. Plásticos mais comuns: Copolímero de Etileno e Acetato de Vinila: EVA Principais características • apresenta excelente resistência a rigorosas mudanças de clima • boas propriedades mecânicas a temperaturas baixas Alguns usos • fabricação de calçados • colas e adesivos • peças técnicas • fios e cabos

  30. Plásticos: inovações e aspectos ambientais 1. BIOPLÁSTICO A Braskem inaugurou a maior unidade industrial de eteno derivado de etanol do mundo em 24/09/10, em Triunfo, no Rio Grande do Sul. A fábrica vai produzir 200 mil toneladas de polietileno verde por ano usando tecnologia desenvolvida pela própria empresa. A diferença está na matéria-prima. Em vez do petróleo usado no processo tradicional, é a cana-de-açúcar que vai gerar o etanol que será transformado em eteno, polietileno, plástico e por fim sacolas de supermercados, frascos de produtos de higiene e beleza, embalagens de alimentos e até tanques de combustível.

  31. Plásticos: inovações e aspectos ambientais 1. BIOPLÁSTICO A Braskem foi a grande vencedora do prêmio BioplasticsAwards 2007, na categoria Best Innovation in Bioplastics, pelo seu comprometimento com o desenvolvimento sustentável e inovação tecnológica ao lançar o primeiro polietileno verde certificado de matéria-prima 100% renovável no mundo. A escolha foi promovida pela EuropeanPlasticNews, uma das conceituadas publicações internacionais especializadas do setor.

  32. Plásticos: inovações e aspectos ambientais 1. BIOPLÁSTICO: PLANTBOTTLE Lançada em 25 de março de 2010 Composta por até 30% de material vegetal

  33. Plásticos: inovações e aspectos ambientais 2. ECOMALHA São necessárias aproximadamente 2,5 garrafas para a produção de uma camisa. A malha reciclada tem uma textura suave e não agride a pele, além de ser tão ou mais durável se comparada às demais.

  34. Plásticos: inovações e aspectos ambientais 3. MADEIRA PLÁSTICA

  35. Plásticos: inovações e aspectos ambientais 3. MADEIRA PLÁSTICA QUESTÕES Qual é a grande vantagem da madeira plástica em termos de sua produção? Qual é a durabilidade prevista para a madeira plástica, considerando-se que a mesma esteja exposta às condições ambientais? A madeira plástica é mais fácil ou difícil de ser trabalhada pelo marceneiro? Por quê?

  36. Plásticos: inovações e aspectos ambientais 3. MADEIRA PLÁSTICA QUESTÕES Qual é a grande vantagem da madeira plástica em termos de sua produção? Não necessitar de químicos nem de água para sua fabricação, já que a mesma é feita pelo aquecimento de plástico mais fibras naturais ou sintéticas Qual é a durabilidade prevista para a madeira plástica, considerando-se que a mesma esteja exposta às condições ambientais? 100 anos A madeira plástica é mais fácil ou difícil de ser trabalhada pelo marceneiro? Por quê? Mais fácil porque praticamente não produz pó

  37. Plásticos: inovações e aspectos ambientais 3. MADEIRA PLÁSTICA

  38. Plásticos: inovações e aspectos ambientais 3. MADEIRA PLÁSTICA Jan/2011

  39. Plásticos: inovações e aspectos ambientais 4. LIVRO PLÁSTICO

  40. Plásticos: inovações e aspectos ambientais 4. LIVRO PLÁSTICO QUESTÕES Além de assegurar uma melhor destinação ao plástico, destaque outras duas vantagens que o livro feito a partir desse material tem em relação ao livro feito de papel. Em termos econômicos, o papel plástico é mais barato, mais caro ou pode ser produzido pelo mesmo preço que o papel comum?

  41. Plásticos: inovações e aspectos ambientais 4. LIVRO PLÁSTICO QUESTÕES Além de assegurar uma melhor destinação ao plástico, destaque outras duas vantagens que o livro feito a partir desse material tem em relação ao livro feito de papel. Menor uso de tinta e maior resistência. Em termos econômicos, o papel plástico é mais barato, mais caro ou pode ser produzido pelo mesmo preço que o papel comum? É 30 por cento mais caro .

  42. De quem é a responsabilidade pelo lixo no Brasil?

  43. De quem é a responsabilidade pelo lixo no Brasil? Prefeitura: lixos domiciliar, público e comercial * (*) A prefeitura é co-responsável por pequenas quantidades de resíduos comerciais e entulhos (geralmente menos que 50 kg), e de acordo com a legislação municipal específica. Gerador: serviços de saúde e hospitalar, portos, aeroportos, terminais rodoviários e ferroviários, industrial , agrícola e entulho.

  44. ALGUNS RECORTES... Política Nacional de Resíduos Sólidos, instituída pela Lei Nº 12.305, de 2 de agosto de 2010... CAPÍTULO II DEFINIÇÕES XII - logística reversa: instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado por um conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada;

  45. ALGUNS RECORTES... Política Nacional de Resíduos Sólidos, instituída pela Lei Nº 12.305, de 2 de agosto de 2010... TÍTULO III DAS DIRETRIZES APLICÁVEIS AOS RESÍDUOS SÓLIDOS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 9o Na gestão e gerenciamento de resíduos sólidos, deve ser observada a seguinte ordem de prioridade: não geração, redução, reutilização, reciclagem, tratamento dos resíduos sólidos e disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos.

  46. Seção II Da Responsabilidade Compartilhada Art. 33. São obrigados a estruturar e implementar sistemas de logística reversa, mediante retorno dos produtos após o uso pelo consumidor, de forma independente do serviço público de limpeza urbana e de manejo dos resíduos sólidos, os fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes de: I - agrotóxicos, seus resíduos e embalagens, assim como outros produtos cuja embalagem, após o uso, constitua resíduo perigoso, observadas as regras de gerenciamento de resíduos perigosos previstas em lei ou regulamento, em normas estabelecidas pelos órgãos do Sisnama, do SNVS e do Suasa, ou em normas técnicas; II - pilhas e baterias;

  47. III - pneus; IV - óleos lubrificantes, seus resíduos e embalagens; V - lâmpadas fluorescentes, de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista; VI - produtos eletroeletrônicos e seus componentes.

  48. VÍDEO 1: DISCUSSÃO EM SALA DE AULA • LIXO - reciclagem de isopor • Que tipo de material é o isopor? • 2. Qual o tempo de decomposição do isopor? • 3. O isopor é biodegradável? • 4. O isopor pode ser reciclado? Em caso afirmativo, em que porcentagem ele pode ser reciclado e quais os produtos que podem ser obtidos por meio da reciclagem desse material? • 5. Qual é a grande dificuldade de se reciclar isopor? • 6. Quais as características que o isopor deve apresentar para que possa ser submetido ao processo de reciclagem? • 7. Destaque duas vantagens, do ponto de vista ambiental, da reciclagem do isopor. • 8. Que semelhança pode haver entre um copo descartável e uma placa de isopor?

  49. VÍDEO 1: DISCUSSÃO EM SALA DE AULA • LIXO - reciclagem de isopor • Que tipo de material é o isopor? • Ele é um plástico ou polímero. • 2. Qual o tempo de decomposição do isopor? • Aproximadamente 150 anos. • 3. O isopor é biodegradável? • Não • 4. O isopor pode ser reciclado? Em caso afirmativo, em que porcentagem ele pode ser reciclado e quais os produtos que podem ser obtidos por meio da reciclagem desse material? • Sim, ele pode ser 100% reciclável e podem ser obtidos, por meio da reciclagem deste material, embalagens, blocos para construção civil, etc.

  50. VÍDEO 1: DISCUSSÃO EM SALA DE AULA LIXO - reciclagem de isopor 5. Qual é a grande dificuldade de se reciclar isopor? A tecnologia é conhecida e simples, a principal dificuldade é logística, pois enquanto uma carreta transporta 20 toneladas de outras cargas, comporta menos de 600 quilos de isopor. 6. Quais as características que o isopor deve apresentar para que possa ser submetido ao processo de reciclagem? Ele tem que estar limpo, sem etiquetas e rótulos também. 7. Destaque duas vantagens, do ponto de vista ambiental, da reciclagem do isopor. Economia de recursos não-renováveis para a produção de isopor e redução de volume de lixo nos lixões. 8. Que semelhança pode haver entre um copo descartável e uma placa de isopor? Ambos são produzidos com o mesmo material, sendo que no isopor o poliestireno é expandido, possuindo ar entre suas partículas, enquanto no copo este material se apresenta de forma compacta.