Conjuntura econ mica
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 76

Conjuntura Econômica PowerPoint PPT Presentation


  • 44 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Conjuntura Econômica. Rosenberg Consultores Associados. Dirceu Bezerra Jr. Janeiro, 2010. Uma Visão Geral. Contextualização Relembrando Cenário e Riscos Última Reunião As boas Notícias continuam (algumas contradições) Premissas Cenário Básico Mundo Brasil

Download Presentation

Conjuntura Econômica

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Conjuntura econ mica

Conjuntura Econômica

Rosenberg Consultores Associados

Dirceu Bezerra Jr.

Janeiro, 2010


Uma vis o geral

Uma Visão Geral

Contextualização

  • Relembrando Cenário e Riscos Última Reunião

    • As boas Notícias continuam (algumas contradições)

    • Premissas Cenário Básico Mundo

      Brasil

    • Riscos: Contrapontos no mundo e Brasil

  • O momento atual Mundo e Brasil

    • Como regra as boas notícias (estatísticas)

    • “Novos” Riscos para os mercados

    • Paradoxo da cura

    • A hora da entrega e reprecificação

    • Dois cenários se aproximam


  • Uma vis o geral1

    Uma Visão Geral

    • O Brasil

      • Antes, Durante e Depois

  • Nível de Atividade de Curto Prazo

    • Brasil

    • Espírito Santo

  • Cenários Alternativos

    • Básico

    • Risco

  • Economia Capixaba

    • O Curto Prazo

    • Uma visão mais estratégica

    • Risco


  • Fases e consequencias

    Fases e Consequencias

    • Relembrando:

      • Esta é uma crise mundial de crédito; (liquidez x solvência), provocada por excesso de alavancagem.

      • Liquidez, via desalavancagem, rapidamente destruída, via Internet – 1º crise na era da TI, portanto não tem paralelos, a contrapartida é riqueza, empregos, rendas.

      • No segundo estágio (atual) ganha dinâmica própria

        Riqueza – Crédito – Crescimento – Desemprego – Atividade – Inadimplência –

        Crédito

      • Última fase rescaldo de fundamentos escangalhados

      • Como regra ganhador é relativo

    buscando equilíbrio


    Mas consenso dos agentes

    Mas,Consenso dos Agentes

    • Há boas notícias: sinais de desaceleração da piora e com volatilidade esporádicas melhoras, ainda que em níveis baixíssimos

      Resultado

    • Vai se formando o consenso de que o PIOR FICOU PARA TRÁS, a recessão acabou, a recuperação será em “V”

    É para este cenário

    que os mercados estão

    precificados


    O roteiro de boas not cias riscos

    O Roteiro de boas notíciasRiscos

    Os detonadores do processo

    Março 2009

    Reunião do G-20: Regulamentação, Protec., K do FMI

    • O vale tudo nos Estados Unidos

      • “marcação a mercado”; “teste de stress”

      • Gestores do TARP e TALP, desconfiados!!!

      • Plano Geithner, PPI – outro fracasso depois do saudoso pacotinho de US$ 700bi de setembro de 2008.

      • Depois da Fannie, Freddie; e o FED, se pendurarem no Tesouro, as bolas da vez são o FDIC e a FHA Federal Housing Administration com 8% de atrasos + 30 dias.

      • Mais recentemente

        • Capital Bancos

        • Passivo a mercado

          Ah! IG


    Economia mundial cen rio mais prov vel

    Economia MundialCenário mais provável

    • No limiar, por tentativa e erro, sem crise sistêmica, vai oscilando entre os cenários de risco, e os mercados se reprecificando;

    • Trajetória de saída Lenta e Volátil

      • Processo no mínimo para mais dois a três anos

      • Mundo crescendo abaixo de 2,5% (-)

      • BRICs sofrendo menos, mas atingidos

    • Se tudo correr bem a partir daí, lentamente a economia mundial vai buscar o patamar de crescimento ao redor de 3% aa.

    • Brasil menos lentamente, se evoluir no estrutural, 3,5 a 5,0% a 6,5%


    Riscos

    Riscos

    Contrapontos

    Três enfoques para análise

    • Alavancagem e Ativos Podres

    • Déficits Quadrigêmeos (EUA, desequilíbrio)

    • Relação Incestuosa China, EUA


    Cr dito eua

    Crédito EUA


    Estados unidos dados macroecon micos d ficit quadrig meos

    Estados UnidosDados MacroeconômicosDéficit Quadrigêmeos

    Transações Correntes

    Resultado Fiscal

    Fontes: Dept. of Commerce e BEA


    Estados unidos dados macroecon micos

    Estados UnidosDados Macroeconômicos

    Endividamento do Consumidor

    Poupança Pessoa Física

    Fonte: Federal Reserve e BEA


    Eua desemprego

    EUA - Desemprego


    Composi o do pib

    Composição do PIB

    Fonte: BEA, FMI, Global Insight


    Participa o no pib mundial

    Participação no PIB mundial

    Fonte: BEA, FMI, Global Insight


    O momento atual

    O MOMENTO ATUAL

    • Como regra e com volatilidade

      Os bons indicadores continuam

      Mas há

      Além dos antigos

      “Novos” Riscos

      Que o mercado está em fase de

      Reprecificação

      • Por ora ordenada, mas tendo como sub produto aumento sensível da volatilidade.


    Eua confian a do consumidor

    EUAConfiança do consumidor

    Fonte: The Conference Board


    Eua ism

    EUA - ISM

    Fonte: ISM


    Encomendas ind stria eua

    Encomendas à indústria EUA

    Fonte: Dep. of Commerce.


    Vendas de moradias

    Vendas de Moradias

    Fonte: NAR e Department of Commerce


    Pre o das moradias

    Preço das Moradias

    Fonte: NAR e Department of Commerce


    China produ o industrial

    ChinaProdução Industrial

    Fonte: National Bureau of Statistics of China


    China c mbio

    China - Câmbio

    Fonte: FSP


    China infla o ao produtor para bens manufaturados

    China – Inflação ao ProdutorPara bens manufaturados

    Fonte: National Bureau of Statistics of China


    China confian a do consumidor

    ChinaConfiança do consumidor

    Fonte: National Bureau of Statistics of China


    O roteiro de boas not cias momento atual

    O Roteiro de boas notíciasMomento Atual

    • Brasil:

      • Caged

      • Inflação, Taxa de juros

      • Expansão crédito pessoa física, jurídica começa

      • Produção industrial

      • Recorde indústria automobilística

      • Mercado Imobiliário

      • Queda de Risco País (inclusive relativo)

      • Balança e Ingresso de Capital

      • Abertura mercado internacional

      • Abertura mercado de capitais

        (Aqui é para valer)

        Dentre os Emergentes um dos Preferidos


    Novos riscos

    “Novos Riscos”

    • EUA: Além de ter ficado mais claro que a recuperação é lenta:

      • Econômicos:

        • Desemprego

        • Regulamentação

        • Créditos Podres x Debaixo do Tapete (AIG, Frank, Fredie...)

        • Liquidez x Erro de Pilotagem x Curva de Juros

        • insustentável

      • Políticos: 1 Ano de Obama, após o início messiânico

        • Subestimou o Econômico

      • Erro estratégico Saúde e o dilema dos Bônus e “Bondes”

        • Perdeu cadeira senado (MCh)

        • Ano Eleitoral, com popularidade em baixa

        • Dependência do Congresso x Governaça

          Além de

        • Afeganistão e adjacências


    Eua estrutura de juros

    EUA – Estrutura de juros

    Fonte: US Treasury


    Eua inadimpl ncia

    EUA - Inadimplência


    Novos riscos1

    “Novos Riscos”

    • O tempo passa e as expectativas oriundas nos mercados devem ser testadas

    • Como vimos os mercados estão mal precificados, alavancados, e com vícios no fluxo (destinos, origem)

      • Cenário Básico: O processo de reprecificação se dá ordenadamente.

      • Cenário de Risco: Alguma faísca (dados econ., lucro Emp....) detona “nova” crise.


    Cen rio alternativos

    Cenário Alternativos

    • China: Ainda vista como a salvadora, mas já:

      • Transparecendo a Bolha, por excessos:

        • Crédito e Incentivos

        • Crescimento e Investimentos (70% do crescimento)

          10,5% 4º T. e 8,7% 2009

        • Inflação, Estoques

        • Yuan desvalorizado e Reservas

      • Já vem adotando medidas: (o que é muito bom)

        • Compulsório, juros e novos empréstimos (70% 2009)

        • Mercados Futuros: (otimismo?)

    • Leste Europeu e Cia: Grécia....., com reflexos na Zona do Euro

      E

      Entrou capital de Risco na

      Argentina


    Tudo levando a uma invers o de valores

    Tudo Levando a umaInversão de Valores

    Fonte: BEA, FMI, Global Insight


    O brasil nestes cen rios

    O Brasil nestes Cenários

    • Entramos na crise em melhores condições;

    • Estamos atravessando como uma das estrelas;

    • Mas, será afetado em eventual recaída em crise;

      • Não há país imune;

      • Descolamento é papo para boi dormir

  • Mas, mais uma vez será ganhador relativo e,

  • Com todas as condições de entrar em ciclo sustentável de crescimento, e continuar estrela

  • Espírito Santo: mantêm-se entre os líderes


  • Canais de contamina o

    Canais de Contaminação

    Economia Globalizada

    Empresas Transnacionais menor demanda mundial

    Fluxo Livre de Capitais inclusive Créd. Exp. e Imp.

    Setor Externo: Balança Comercial, Crédito, Mercados, Dólar, Risco....

    Internamente

    • Sistema Bancário, Crédito (prazos, juros, volume)

    • Efeito Riqueza

    Não há país imune

    Há sim, gradação de contaminação


    Brasil na e p s crise estava fazendo li o de casa e passivos viram ativos

    Brasil Na e Pós Criseestava fazendo lição de casa e Passivos viram ativos

    • Atual: Ganho Relativo

      • Menor perda no: Demorou para entrar

        Crescimento, fiscal

        Juros ainda elevados

        Empresas baixo endividamento

        Credor internacional (250bi reservas)

        Sem problemas políticos

        Pauta Exportação

        Sist.Financ. pouco Alav. e Regulado

        Bancos Públicos


    Brasil na e p s crise estava fazendo li o de casa e passivos viram ativos1

    Brasil Na e Pós Criseestava fazendo lição de casa e Passivos viram ativos

    • Perspectiva:

      • Reformas  equilíbrio fiscal (*)

      • Câmbio ajustado e ganhador Preços Relativos (jogou fora)

      • Juros

      • Mercado Interno- Renda distribuição

        - Juros 

        - Crédito 

      • Copa e Olimpíadas

      • Eleições: baixo ruído relativo

      • Pré-Sal

        Dentre os emergentes, estrela

        (*) Nossa política não foi anticiclica


    Crescimento dos pa ses

    Crescimento dos países

    Fonte: FMI


    Indicadores

    Indicadores:

    Fonte: Secex-MDIC


    Riscos1

    Riscos

    • Curto Prazo : Economia Mundial (grau de reprecificação)

    • Médio Prazo: Fiscal, Câmbio e ausência de reformas


    Brasil curto prazo n vel de atividade

    Brasil - Curto PrazoNível de Atividade

    Premissas

    • Externamente:

      • Amigável, para neutro

  • Internamente: em decorrência

    • Emprego, Renda

    • Crédito, juros, inadimplênciafavoráveis

    • Câmbio


  • Taxa de desemprego dessazonalizado

    Taxa de desemprego dessazonalizado

    Fonte: IBGE.


    Composi o da expans o da massa salarial

    Composição da expansão da Massa salarial

    Fonte: IBGE

    Último dado: Nov/09


    Aspectos qualitativos do cr dito

    Aspectos qualitativos do crédito

    Consignado x pessoal Taxa de juros

    Inadimplência Prazo médio

    Fonte: BC


    Concess o de cr dito a pessoa f sica dados dessazonalizados e deflacionados

    Concessão de crédito a pessoa física(dados dessazonalizados e deflacionados)

    Último dado: Dez/09

    Fonte: BC. Elaboração: R&A.


    Concess o de cr dito a pessoa jur dica dados dessazonalizados e deflacionados

    Concessão de crédito a pessoa jurídica(dados dessazonalizados e deflacionados)

    Último dado: Dez/09

    Fonte: BC. Elaboração: R&A.


    Dados de concess o de cr dito deflacionado e dessazonalizado

    Dados de concessão de crédito deflacionado e dessazonalizado

    Fonte: BC. Elaboração: R&A.


    Participa o dos bancos p blicos no cr dito

    Participação dos bancos públicos no crédito

    Fonte: BC


    Com rcio e ind stria

    Comércio e indústria

    Fonte: IBGE.


    Setores afetados em recupera o r pida constru o civil

    Setores afetados em recuperação rápidaConstrução civil

    Fonte: Secovi. Elaboração: R&A.


    Setores afetados em recupera o r pida despacho de cimento dados dessazonalizados

    Setores afetados em recuperação rápida Despacho de cimentoDados dessazonalizados

    Fonte: Sindicato Nacional da Indústria do Cimento. Elaboração: R&A.


    Setores afetados em recupera o r pida produ o de a o e laminados dados dessazonalizados

    Setores afetados em recuperação rápida Produção de aço e laminadosDados dessazonalizados

    Fonte: IBS. Elaboração: R&A.


    N vel de atividade de volta ao passado

    Nível de Atividadede volta ao passado

    • Festas:

      • Aumento do Ticket Médio, com financiamento

      • Duráveis , Semi

      • Aumento Ticket Médio Não duráveis: Com renda mais valor agregado


    N vel de atividade de volta ao passado1

    Nível de Atividadede volta ao passado

    Retorno ao mercado de Consumo da Classe Média Emergente

    • Nova – Renda de R$ 1,5 a 3,0 mil e, com acesso a financiamento, cheque especial e cartão de crédito.

    • Maior Propensão ao Consumo, um pouco mais conservador que pré-setembro 2008, no começo.

    • Classe Média: recomposição de riqueza  consumo (esta, mais conservadora – M.M. e M.A.)

    • Mercado Imobiliário:

      Baixa Renda Casa Feliz (gdes Centros?) financiamento

      Classe Média: Aluguel x Prestação

    • Promoções Copa

    • Inadimplência caindo no curto prazo (fique esperto)


    Cen rios

    Cenários


    Hip teses do cen rio b sico macroecon mico economia mundial

    Hipóteses do cenário básico macroeconômicoEconomia mundial


    Cen rio macroecon mico b sico

    Cenário MacroeconômicoBásico


    Cen rio macroecon mico

    Cenário Macroeconômico


    Cen rio de forte reprecifica o

    Cenário de forte reprecificação

    Premissas:

    • Desemprego continua subindo

    • Crescimento frustra

    • Aumenta Inadimplência e Aperto de crédito

    • Aumento Aversão a Risco

    • Dólar: Valoriza

    • Desalavancagem das novas posições (carry-trade; commodities, emergentes...)

    • Alguma solução para os ativos podres (?)

      Resultando em forte e desorganizada reprecificação dos mercados


    Cen rio de forte reprecifica o1

    Cenário de forte reprecificação


    Conjuntura econ mica

    Mercados

    Cenário de forte reprecificação


    Economia capixaba situa o atual perspectiva oportunidades e riscos

    Economia CapixabaSituação AtualPerspectiva, Oportunidades e Riscos


    Ind stria de transforma o curva dessazonalizada

    Indústria de TransformaçãoCurva dessazonalizada

    Fonte: IBGE

    Dados até Nov/09


    Produ o industrial regional varia o interanual dados de nov 09

    Produção Industrial RegionalVariação Interanual Dados de Nov/09

    Fonte: IBGE


    Produ o industrial regional varia o acumulada no ano dados at nov 09

    Produção Industrial RegionalVariação acumulada no ano Dados até Nov/09

    Fonte: IBGE


    Produ o industrial varia o mensal dessazonalizada nov out 09

    Produção industrialVariação mensal dessazonalizada(Nov / Out 09)

    Fonte: IBGE. Elaboração: R&A.


    Ind stria extrativa curva dessazonalizada

    Indústria Extrativa Curva dessazonalizada

    Fonte: IBGE

    Dados até Nov/09


    Prod industrial esp rito santo dados de agosto 09

    Prod. IndustrialEspírito SantoDados de agosto/09

    Fonte: IBGE


    Com rcio varejista acumulado em 12 meses at nov 09

    Comércio varejistaAcumulado em 12 meses até Nov/09

    Fonte: IBGE


    Com rcio varejista varia o interanual nov 09 nov08

    Comércio varejistaVariação interanual (Nov 09/Nov08)

    Fonte: IBGE


    Economia capixaba riscos curto prazo

    Economia CapixabaRiscosCurto Prazo

    • Agravamento da crise internacional

    • Forte interface com comércio internacional

    • Pequeno, em desenvolvimento, mercado interno

    • Adiamento de grandes projetos de investimentos


    Papel do brasil nas pr ximas d cadas

    Papel do Brasil nas Próximas Décadas

    Ganhando Relevância

    Podendo crescer 5 a 7% sustentável

    • Crise cria nova ordem:

      • Financeiro 

      • Real 

      • Tecnologia 

      • Ambiente 

      • Comércio Internacional 

      • Setor Serviços 


    Economia capixaba longo prazo

    Economia CapixabaLongo Prazo

    Pensar Grande

    • Principais Ativos:

      • Forte Ligação com o exterior

      • Produtor de Commodities

      • Potencial Petróleo

      • Potencial Portos

      • Potencial Mercado Interno

      • Potencial Turismo

      • Perto centros consumidores

      • Carente em infra-estrutura


    Espirito santo lono prazo

    ESPIRITO SANTO LONO PRAZO

    • Atividades de Comercio Exterior:

      • Brasil ganhando relevância no cenário externo.

        Espírito Santo estado mais vocacionado atualmente, não pode deixar o cavalo passar selado:

        • Planejamento de Longo Prazo

          • Atividades Atuais:

            • Agregar Valor (Centro Aceeiro)

            • Novos Mercados

            • Cluster’s, Draw Back

          • Petróleo: Petroquímica, equipamento

          • Porto:

            • Estaleiro

            • Carga de Volta ? Importação?

          • Automobilística, auto partes


    Produ o mundial do a o mmt

    Produção Mundial do Aço (mmt)

    Fonte: Worldsteel


    Espirito santo longo prazo

    ESPIRITO SANTO LONGO PRAZO

    • Atividades de Comercio Exterior:

      • Redesenhar e Refazer a Infra-estrutura:

        • Física

        • Serviços:

          • Educação, Treinamento

          • Portuário, Despacho, Turismo, Hotelaria e lazer, Financeiro (Fomento e Exim)

      • Segurança


    Economia capixaba longo prazo mercado interno

    Economia Capixaba Longo PrazoMercado Interno

    • Classe Média Emergente (IBGE) R$ 1,5 a 3,0 mil

    • Classe M. Média e Média Alta

    • Imobiliária: Infra, Serviços, Industrial e Moradias

    • Atividades de Serviços: Petróleo, Portos, Exp. E Imp., Turismo, Hotelaria, Ensino, Transportes, Comunicação, Saneamento, Energia.

    • Pólos de Tecnologia

    • Atividades ligadas a população em trânsito: Turismo, Negócio.


    Conjuntura econ mica

    [email protected]

    • Endereço:Rua Avaré 305, São Paulo, Brasil

    • telefone:55 11 3661-8855

    • fax:55 11 3661-7333

    • e-mail:[email protected]

    • web: www.rosenberg.com.br


  • Login