A constru o do brasil
Download
1 / 52

A Construção do Brasil - PowerPoint PPT Presentation


  • 55 Views
  • Uploaded on

A Construção do Brasil. Prof. Dr. Fábio Luiz da Silva. O descobrimento do litoral da América do Sul é resultante da conjuntura ibérica do final do século XV Havia grande rivalidade luso-castelhana pela primazia da rota marítima para o Oriente. 1457.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' A Construção do Brasil' - talon


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
A constru o do brasil

A Construção do Brasil

Prof. Dr. Fábio Luiz da Silva



1457 da conjuntura ibérica do final do século XV


  • Em 1479, os reinos de Portugal e Castela-Aragão foi firmado o Tratado de Alcáçovas

  • Esse tratado definia as áreas de influência dos dois reinos no Atlântico

  • O limite entre essas áreas de influência era um paralelo que passava aproximadamente pelo Cabo Bojador (27° N)

  • Norte para Castela-Aragão e Sul para Portugal





  • Depois do sucesso de Bartolomeu Dias, o rei de Portugal começou ações diplomáticas para garantir o monopólio lusitano do Atlântico

  • Em 1489, Portugal confirmou e renovou o tratado de Windsor (de 1386), firmado com a Inglaterra (aliás, ainda em vigor) que previa apoio mútuo



  • Internamente, D. João II estimulou estudos para o aperfeiçoamento do método de determinação das latitudes

  • E mandou realizar explorações de para traçar uma rota que evitasse as dificuldades encontradas por Bartolomeu Dias que navegou pela costa africana



  • A partir disso, Isabel de Castela pode apoiar os planos de Cristóvão Colombo de atingir o oriente viajando pelo ocidente

  • Se a viajem de Colombo dessem o resultado esperado, os benefícios seriam imensos para os reis católicos (Isabel e Fernando)

  • Mas a movimentação de Castela e Aragão também poderiam levar à guerra com Portugal




  • Em 1493, D. João II informou a Colombo que as ilhas que ele havia descoberto pertenciam ao reino de Portugal, de acordo com as determinações do Tratado de Alcáçovas

  • Os reis de Castela e Aragão apressaram-se em conseguir a aprovação do Papa do domínio das novas terras descobertas por Colombo


  • Através da Bula papal havia descoberto pertenciam ao reino de Portugal, de acordo com as determinações do Tratado de Alcáçovasinter coetera I, de 1493, o Papa Alexandre VI garantiu a posse das terras descobertas e descobrir nas bandas ocidentais, desde que não pertencessem a algum soberano cristão



  • A manobra portuguesa funcionou pois enviaram em 22 de abril de 1493, um emissário Lopo de Herrera, para solicitar a D. João II a suspensão daquela medida e início de negociações territoriais

  • Portugal reafirmou que defendia as disposições do Tratado de Alcáçovas, mas Castela e Aragão discordavam, pois isso seria entregar ao monarca lusitano as terras descobertas por Colombo









  • Por sua vez, o rei português apoiou as pretensões de Carlos VIII na Itália.

  • Percebendo que uma guerra com Portugal não era interessante aos reis católicos, sugeriu-se um acordo sem a interferência do papa.

  • Entre os negociadores portugueses estava Duarte Pacheco Pereira


  • O principal interesse português era garantir a exclusividade da rota atlântica para as Índias.

  • Em 1491, José de Lamego retornou do encontro secreto com Pero de Covilhã, no Cairo (Egito)

  • Covilhã era um espião enviado pelo rei português ao oriente para fazer reconhecimento geográfico, econômico e político.

  • Covilhã recolheu informações que auxiliaram a Viagem de Vasco da Gama





  • Castela e Aragão, aproveitaram o momento de negociação para interferir na escolha do sucessor de D. João II

  • D. João II estava sem herdeiro legítimo, pois seu filho D. Afonso havia morrido em 1491, vítima de um acidente de cavalo

  • O rei português queria que o seu sucessor fosse seu filho bastardo D. Jorge


  • A rainha, porém, apoiava D. Manuel (Duque de para interferir na escolha do sucessor de D. João IIBeja), seu irmão

  • A nobreza também preferia D. Manuel

  • D. Manuel contava ainda com o apoio da rainha Isabel de Castela, de quem era primo

  • Os reis católicos defendiam D. Manuel acreditando que, por ser parente, favoreceria os interesses internacionais de Castela e Aragão. Em especial que afastasse Portugal da França


Inês de Castro para interferir na escolha do sucessor de D. João II

D. Pedro I

1357 - 1367

Constança

+ 1345

Teresa Lourenço

D. João

D. Fernando

Leonor Teles

Filipa de Lencastre

(inglesa)

D. João (Mestre de Avis)

João I de Castela

Casou-se aos 32 anos

Beatriz

casou-se aos 11 anos

D. Afonso

+ 1382

D. Pedro

+ 1380


Filipa para interferir na escolha do sucessor de D. João II de Lencastre

D. João I

D. João

D. Duarte I

Isabel de Coimbra

D. João II

Rei de Castela

Isabel de Portugal

Beatriz de Portugal

D. Fernando

Afonso V

Leonor de Viseu

D. João II

1481 - 95

D. Manuel

Isabel de Castela (a católica)

Fernando de Aragão

D. Jorge

(bastardo)

Isabel

D. Afonso

+ 1491


  • As rotas de Vasco da Gama (1497) e Pedro Álvares Cabral (1500) foram realizadas com grande precisão (em relação ao regime dos ventos), o que demonstrava grande conhecimento das condições do oceano Atlântico

  • Quase dez anos que separam a viagem de Bartolomeu Dias (1488) e a viagem de Vasco da Gama (1497)

  • Durante esse período, é provável, que diversas expedições ao Atlântico tenham sido feitas para descobrir como superar as dificuldades encontradas por Bartolomeu Dias, quando navegou pela costa africana



ad