Anestesia em aves
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 12

ANESTESIA EM AVES PowerPoint PPT Presentation


  • 68 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

ANESTESIA EM AVES. Noções de Anatomia e Fisiologia: Variação de tamanho das aves Respiração por contração dos músculos intercostal e peitoral (evitar comprimir a região do peito) Região cervical muito vulnerável (evitar obstrução da traquéia)

Download Presentation

ANESTESIA EM AVES

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Anestesia em aves

ANESTESIA EM AVES

Noções de Anatomia e Fisiologia:

Variação de tamanho das aves

Respiração por contração dos músculos intercostal e peitoral (evitar comprimir a região do peito)

Região cervical muito vulnerável (evitar obstrução da traquéia)

Pequenas aves (cuidado com luvas de couro) compressão excessiva.

São animais de temperatura mais alta que os outros animais (40 e 43°C). São muitos sensíveis a hipotermia por terem pouca massa muscular).


Prepara o pr anest sica

Preparação pré-anestésica

  • Manter a ave aquecida no pré, trans e pós operatório ou manipulação.(Evitar superfícies frias, cuidado com álcool na assepsia).

  • Jejum de 2 horas para pequenas aves e 6 horas para as grandes.

  • Evitar barulhos e proteger os olhos da luz


Vias de aplica o

VIAS DE APLICAÇÃO:

  • VIA INTRAMUSCULAR(mais usada devido a praticidade)

  • Aplicar somente no músculo peitoral ou da asa

  • Sistema porta-renal (membros posteriores) Evitar


Via intravenosa

VIA INTRAVENOSA

  • Muito utilizada para indução para inalatória.

  • Usar de preferência a jugular direita e metatársica medial (acima de 500 gr)

  • Pode-se utilizar também a via Intra-Óssea, tendo a mesma rapidez na indução (ULNA)

  • Obs: Não se deve utilizar o úmero e fêmur (ossos pneumáticos).


Via inalat ria

VIA INALATÓRIA

  • Muito utilizada (boa e segura)

  • As aves possuem alta troca gasosa

  • O fluxo de oxigênio é mais alto que nos mamíferos (1L/Kg/min).

  • Fazer adaptação de máscaras de acordo com o bico ou ranfoteca

  • Uso de sondas traqueais (aves maiores que 100 gr). Não se deve usar CUFF (trauma).

  • Vaporizador Calibrado vs. Universal


Principais anest sicos

PRINCIPAIS ANESTÉSICOS:

  • * BENZODIAZEPÍNICOS:

  • São muito utilizados

  • Diazepam e Midazolam (0,5 a 2,0 mg/Kg)

  • O Zolazepam é utilizado em consorciação (Telazol e Zoletil)


Opi ides

OPIÓIDES:

  • O único que é utilizado com sucesso é o BUTORFANOL na dosagem de 1,0 mg/Kg

  • Reduz em praticamente à metade o uso de anestésicos.


Alfa 2 agonistas

Alfa-2 AGONISTAS:

  • Xilazina: Utilizadas quando se precisa um relaxamento maior.

  • Tomar muito cuidado com depressão respiratória.

  • Reversão com antagonista (yoimbina) 0,1 mg/Kg (IM).

  • Também se usa a Medetomidina e Detomidina (São mais potentes e mais seguros)


Feniciclidinas

FENICICLIDINAS

  • Cetamina: È o anestésico mais utilizado pelos Veterinários.

  • A dose é bastante variável entre as espécies, indo de 5 a 20 mg/Kg, ou mais.

  • A Tiletamina é utilizada em consorciação comercial com o benzodiazepínico (zolazepam)


Intravenosos

INTRAVENOSOS

  • O PROPOFOL é utilizado principalmente como agente indutor (tem curta duração) para anestesia inalatória.É bastante seguro.

  • Sua dosagem é de 5 a 12 mg/Kg.


Inalat rios

INALATÓRIOS

  • É a mais segura das anestesias

  • Custo do material e equipamento é mais alto.

  • SEVOFLURANO: è o anestésico mais seguro para as aves. Possui rápida indução, recuperação rápida e cheiro agradável.

  • ISOFLURANO: Também é bastante eficaz. È a 2ª escolha para as aves.


Refer ncias bibliogr ficas

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

  • ATHAR, M.; SHAKOOR,A.; MUHAMMAD,G.; SARWAR, M.N.; CHAUDHRY, N.I. clinical perspectives of intravenous ketamine anaesthesia in peafowl (Pavo cristatus). Acta Vet Hungarica, v. 44, p. 357-361, 1996.

  • CRUZ,M.L.; LUNA, S.P.L. Avaliação da importância do sistema porta-renal em papagaios (Amazona aestiva). Revista de Educação Continuada CRMV/SP, v.4, n.1, p.40-44, 2001.

  • CURRO, T.G. evaluation of isoflurane-sparing effects of butorphanol and flunixin in psittaciformes. Proc. Ass. Avian Vet., p.17-19, 1994.

  • HARTHOORN, A.M. Aplication of pharmalogical and physiological principles in restraint of wild animals. Wildl.monog., v.14, p. 74, 1965.

  • LUDDERS, J.W.; SEAMAN, G.C.; ERB,H.N. Inhalant anesthetics and inspired oxygen: Implications for anaesthesia in birds. J.Am. Anim. Hosp. Ass., v.31, n.1, p.38-41, 1995.

  • LUKASIK, V.M.; GENTZ,E.J.; ERB,H.S.; LUDDERS, J.W.; SCARLETT, J.L. Cardiopulmonary effects of propofol anesthesia in chickens (Gallus gallus domesticus). J. Avian Med. Surg., v. 11, n.2, p.93-97, 1997.

  • PAUL-MURPHY,J.R.; BRUNSON,D.B.; MILETIC, V. Analgesic effects of butorphanol and buprenorphine in conscious African grey parrots (Psittacus erithacus erithacus and Psitacus erithacus timmeh). Am. J. Vet. Res., v.60, n.10, p. 1218-1221, 1999.

  • VALVERDE, A.; HONEYMAN,V.L.; DYSON, D.H.; VALLIANT, A.E. Determination of a sedative dose and influence of midazolam on cardiopulmonary function in Canada geese. Am. J. Vet. Res., v. 51, p.1071-1074, 1990.


  • Login