slide1
Download
Skip this Video
Download Presentation
RUY DE GÓES LEITE DE BARROS Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental / SEMUC

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 24

RUY DE GÓES LEITE DE BARROS Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental / SEMUC - PowerPoint PPT Presentation


  • 81 Views
  • Uploaded on

RUY DE GÓES LEITE DE BARROS Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental / SEMUC Ministério do Meio Ambiente / MMA República Federativa do Brasil. A Proposta Brasil-Argentina para o Protocolo de Montreal e seus benefícios para a Convenção Sobre Mudança do Clima.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' RUY DE GÓES LEITE DE BARROS Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental / SEMUC' - kyle


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1

RUY DE GÓES LEITE DE BARROS

Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental / SEMUC

Ministério do Meio Ambiente / MMA

República Federativa do Brasil

A Proposta Brasil-Argentina para o Protocolo de Montreal e seus benefícios para a Convenção Sobre Mudança do Clima
slide2

Protocolo de Montreal

  • Protocolo de Montreal (1987):
    • Controla as substâncias que destroem a Camada de Ozônio (SDOs)
    • Principais SDOs:
      • CFCs – Clorofluorcarbonos
      • HCFCs – Hidroclorofluorcarbonos
      • Brometo de Metila
      • CTC – Tetracloreto de Carbono
    • Principais Utilizações:
      • Refrigeração e Ar condicionado
      • Expansor para Espumas
      • Indústria Química e Farmacêutica
      • Agricultura
slide3

Protocolo de Montreal

  • CFCs: não poderão ser consumidas após 2010
  • HCFCs: não poderão ser consumidas após 2040
  • Entre as principais alternativas para os CFCs estão:
    • HCFCs - Hidroclorofluorcarbonos
    • HFCs - Hidrofluorcarbonos
    • HCs - Hidrocarbonetos
    • CO2 -Dióxido de Carbono
    • Vapor d’água
slide4

GWP (Potencial de Aquecimento Global)

  • CFCs e HCFCs são Gases de Efeito Estufa, mas não são controlados pelo Protocolo de Quioto
  • Substâncias GWP

CFC-11 4.680 x 1 CO2

CFC-12 10.720

HCFC-22 1.780

HCFC-141b 713

HCFC-124 599

HFC-134a 1.410

HFC-152a 122

HC-290 3

Fonte: Relatório IPCC/TEAP

emiss es brasileiras de co 2 equivalente 1994
Emissões Brasileiras de CO2 equivalente (1994)

Baseado: MCT (2004) Primeiro Inventário Brasileiro de Emissões Antrópicas de Gases de Efeito Estufa não controladas pelo Protocolo de Montreal

emiss es brasileiras de co 2 equivalente 19941
Emissões Brasileiras de CO2 equivalente (1994)

0,29%

Baseado: MCT (2004) Primeiro Inventário Brasileiro de Emissões Antrópicas de Gases de Efeito Estufa não controladas pelo Protocolo de Montreal

emiss es brasileiras de co 2 equivalente 19942
Emissões Brasileiras de CO2 equivalente (1994)

2,44%

Baseado: MCT (2004) Primeiro Inventário Brasileiro de Emissões Antrópicas de Gases de Efeito Estufa não controladas pelo Protocolo de Montreal

emiss es brasileiras de co 2 equivalente 19943
Emissões Brasileiras de CO2 equivalente (1994)

Baseado: MCT (2004) Primeiro Inventário Brasileiro de Emissões Antrópicas de Gases de Efeito Estufa não controladas pelo Protocolo de Montreal

emiss es brasileiras de co 2 equivalente 19944
Emissões Brasileiras de CO2 equivalente (1994)

Baseado: MCT (2004) Primeiro Inventário Brasileiro de Emissões Antrópicas de Gases de Efeito Estufa não controladas pelo Protocolo de Montreal

brasil e o protocolo de montreal
Brasil e o Protocolo de Montreal
  • 1990 – Ratificação do Protocolo de Montreal Convenção de Viena (Decreto Presidencial N°99.280/00)
  • 1994 – PBCO (Programa Brasileiro de Eliminação da Produção e Consumo de Substâncias que Destroem a Camada de Ozônio)
  • 1995 – Resolução CONAMA 13
  • 2000 – Resolução CONAMA 267
  • 2002 – PNC (Plano Nacional de Eliminação dos CFCs)
res conama 13 95
Res. CONAMA 13/95
  • Registro de empresas que importam, exportam, produzem ou comercializam SDOs no Cadastro Técnico Federal do IBAMA, informando o consumo anual.
  • Proibição do uso em equipamentos novos e importados (Anexos A & B):
    • Desde 1995:
      • Sistemas de combate ao fogo
      • Ar condicionado central
      • Instalações frigoríficas com compressores >100HP
      • Aerosol
    • Desde 1997:
      • Ar condicionado veicular
      • Solventes
    • Desde 2001:
      • Refrigeradores e congeladores domésticos
      • Todos os outros tipos de refrigeradores
      • Espuma rígida e semi-rígida
      • Esterilizadores
res conama 267 00
Res. CONAMA 267/00
  • Importação restrita de CFC-11, CFC-12, Halon 1211 e Halon 1301:
    • CFC-12 (média importação/produção 1995-1997):
      • 2001: 15% redução
      • 2002: 35%
      • 2003: 55%
      • 2004: 75%
      • 2005: 85%
      • 2006: 95%
      • 2007: 100% redução
    • Usos Essenciais:
      • Uso para fins medicinais e formulações farmacêuticas
      • Agentes em processos químicos e reagentes em estudos científicos
      • Extinção de incêndios na navegação marítima e aérea; usos militares não especificados; acervos culturais e artísticos; generação e transformação de energia elétrica e nuclear; e plataformas marítimas de petróleo – Halon 1211 e Halon 1301.
limites do protocolo de montreal e consumo brasileiro de cfcs
Limites do Protocolo de Montreal e Consumo Brasileiro de CFCs

Fonte: IBAMA (Valores de Consumo)

consumo brasileiro das principais sdos
Consumo Brasileiro das Principais SDOs

Fonte: IBAMA (Valores de Consumo)

consumo brasileiro em pdos
Consumo Brasileiro em PDOs

Fonte: IBAMA (Valores de Consumo)

consumo brasileiro em co 2 equivalente
Consumo Brasileiro em CO2 equivalente

Fonte: IBAMA (Valores de Consumo)

consumo evitado em co 2 eq a partir das redu es volunt rias brasileiras
Consumo evitado em CO2 eq. a partir das Reduções Voluntárias Brasileiras

GWP utilizado no Limite do Protocolo e Res.CONAMA 267 foi o de CFC-12Fonte: IBAMA (Valores de Consumo)

estimando os benef cios da res conama 267 para o sistema clim tico global
Estimando os Benefícios da Res. CONAMA 267 para o Sistema Climático Global
  • Premissas:
    • CFC-11 foi substituído por HCFC-141b (pior caso)
    • CFC-12 foi substituído por 47% de HCFC-22 e 53% de HFC-134a
    • Participação do HCFC-22 e HFC-134a como substitutos baseada no consumo entre 2000 e 2006.
    • Ano Base: 1999
  • Resultados:
    • Consumo em PDO evitado: 36,5 mil t
    • Consumo de CO2 eq. evitado: 360 milhões t
redu es volunt rias brasileiras
REDUÇÕES VOLUNTÁRIAS BRASILEIRAS
  • Resultados:
    • Consumo em PDO: 36,5 mil t
    • Consumo de CO2 eq.: 360 milhões t
  • Equivale a:
    • 22,75 % das emissões anuais brasileiras em 1994 (GWP CH4=21)
    • 27,75 % das emissões anuais brasileiras em 1994 (GWP CH4=7)
    • Emissão anual da Espanha
    • US$ 3,6 bilhões, caso fosse possível negociar a redução de emissões equivalentes em MDL ou similar (US$ 10/t CO2 eq.)

PRÓXIMO DESAFIO: HCFCs

proposta brasil argentina
Proposta Brasil-Argentina
  • Países relacionados ao parágrafo 1o do Artigo 5o
  • Consumo e Produção
  • Ano Base: 2010 para todos HCFCs
  • Congelamento: 2012 para todos HCFCs
  • Reduções:
proposta brasil argentina vs protocolo de montreal2
PROPOSTA BRASIL - ARGENTINA vs. PROTOCOLO DE MONTREAL

PM-PBA = 22,135,990.63 kt de CO2 eq.

benef cio ao clima
BENEFÍCIO AO CLIMA
  • Se a substituição de HCFCs se der predominantemente pelo HFCs, haverá benefícios para a Camada de Ozônio, mas não necessariamente para o clima.
  • Se os substitutos (HFCs, HCs, CO2, amônia, vapor d’água) reduzirem em média 25% o potencial de aquecimento global dos HCFCs, a economia seria de 5,5 bilhões ton CO2 eq., ou seja, mais que as reduções previstas no primeiro período de compromisso do Protocolo de Quioto:
  • US$ 55 bilhões (a US$10/t CO2 eq.)
ad