A o social crist alderi souza de matos
Download
1 / 28

A O SOCIAL CRIST Alderi Souza de Matos - PowerPoint PPT Presentation


  • 107 Views
  • Uploaded on

AÇÃO SOCIAL CRISTÃ Alderi Souza de Matos. Perspectiva Histórica. Os primeiros cristãos e o amor fraternal:

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'A O SOCIAL CRIST Alderi Souza de Matos' - hayden


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
A o social crist alderi souza de matos

AÇÃO SOCIAL CRISTÃAlderi Souza de Matos



  • Os primeiros cristãos e o amor fraternal:

    • Inácio de Antioquia: “... não se preocupam com o amor, nem com a viúva, nem com o órfão, nem com o sofredor, nem com o aflito, nem com o prisioneiro... nem com o faminto ou sedento” (Esmirnenses 6.2).

    • A epístola conhecida como 1 Clemente fala de cristãos que se venderam como escravos a fim de socorrer os necessitados.


  • A generosidade da igreja de Roma:

    - “Aquela que preside em amor” (Aos Romanos, Inácio de Antioquia).

    - Testemunho de Dionísio de Corinto.

    - Assistência às populações afligidas durante as invasões dos bárbaros e outras calamidades.


  • O ofício diaconal:

    - Foi valorizado na igreja antiga.

    - Sofreu alguns desvios (assistência aos bispos, funções litúrgicas).

    - Havia sete diáconos em cada igreja.

    - Com frequência tornavam-se sucessores dos bispos (Atanásio de Alexandria).



  • Monasticismo:

    - Inspiração: palavras de Jesus ao moço rico (Mt 19.21).

    - Monges: renúncia ao mundo e dedicação exclusiva a Deus.

    - Contribuições: missões, preservação da cultura, educação, beneficência.


  • A Reforma Protestante:

    - Manteve a antiga tradição cristã de envolvimento social.

    - Teve novas ênfases teológicas: fim da distinção clero x leigos; valorização da vida diária; nova ética do trabalho; ênfase na educação.

    - As contribuições de Martinho Lutero e João Calvino.


Jo o calvino 1509 1564
João Calvino (1509-1564)

  • Teve contato direto com muitos problemas sociais e econômicos.

  • Escreveu amplamente sobre questões sociais (Institutas, comentários, sermões).

  • Defendeu o ofício do diaconato.

  • Fez gestões junto aos órgãos dirigentes de Genebra.

  • Apoiou as instituições sociais da cidade.



  • Princípios:

    - Riqueza e pobreza são expressões do favor ou do juízo de Deus sobre a comunidade, não sobre indivíduos.

    - A comunidade deve redistribuir os recursos dados por Deus, com vistas ao bem-comum.

    - Os cristãos são chamados à solidariedade e generosidade, e não à ganância e insensibilidade.



  • A relação do pensamento social de Calvino com a sua teologia.

  • A responsabilidade social da igreja:

    - Ministério didático: instrução

    - Ministério político: igreja e estado

    - Ministério social: diaconato

  • A prática social de Calvino em Genebra: o Hospital Geral, o Fundo Francês, a Academia.



  • O movimento pietista: teologia.

    - Líderes:

    Philip Spener (1635-1705)

    August Francke (1663-1727)

    Nikolaus von Zinzendorf (1700-1760)

    - Ênfases: experiência religiosa, vida devocional, missões, educação, ação social.


Philip spener
Philip Spener teologia.


August francke
August Francke teologia.


Conde zinzendorf
Conde Zinzendorf teologia.


  • Os Grandes avivamentos: teologia.

    - Inglaterra: “Avivamento Evangélico do Século 18” (João e Carlos Wesley).

    - Intenso envolvimento social:

    Reforma das prisões

    Luta contra o trabalho infantil

    Eliminação do tráfico de escravos

    (William Wilberforce, John Newton)


Jo o wesley
João Wesley teologia.


  • Avivamentos Norte-Americanos: teologia.

    - 1º Grande Despertamento (1740): George Whitefield e Jonathan Edwards. As marcas do verdadeiro avivamento.

    - 2º Grande Despertamento (1800): “sociedades voluntárias” (missões, temperança, abolicionismo, educação).


  • O “Evangelho Social” (1880-1930): teologia.

    - Contexto: situação dos trabalhadores e imigrantes após a Guerra Civil.

    - Líder principal: pastor e teólogo batista Walter Rauschenbusch.

    - Obra famosa: Em Seus Passos que Faria Jesus? (Charles Sheldon).


- Ênfases: teologia.

“O reino de Deus na terra”

“A redenção da sociedade”

- Sua ligação com o liberalismo teológico contribuiu para o afastamento dos evangélicos da área social.


  • América Latina: teologia.

    - Conflitos sociais e políticos a partir dos anos 60; movimentos socialistas e regimes de direita.

    - Respostas cristãs:

    Teologia da libertação: Gustavo Gutiérrez,

    Leonardo Boff e outros; Comunidades

    Eclesiais de Base (CEBs).


- Devido a sua análise marxista, salvação vista como libertação sócio-política e excessiva politização, foi rejeitada pela maior parte dos evangélicos.

- “Missão integral”: abordagem bíblica e sensível às realidades da América Latina.

- O evangelho integral ao homem integral.

- Nomes: René Padilla, Samuel Escobar, Valdir Steuernagel.

- Fraternidade Teológica da América Latina.


  • Congresso Internacional de Evangelização Mundial – Lausanne, Suíça (1974).

  • Primeira vez em que os evangélicos de vários continentes reconheceram claramente as implicações sociais do evangelho e da missão da igreja.

  • Participação efetiva de representantes da América Latina.


  • Pacto de Lausanne (1974): Lausanne, Suíça (1974).

    - “Afirmamos que Deus é tanto o Criador como o Juiz de todos os homens. Portanto, devemos partilhar da sua preocupação com a justiça e a reconciliação em toda a sociedade humana e com a libertação dos homens de todo tipo de opressão. Porque a humanidade foi feita à imagem de Deus, toda pessoa, não importa qual seja a sua raça, religião, cor, cultura, classe, sexo ou idade, tem uma dignidade intrínseca em razão da qual deve ser respeitada e servida, e não explorada...


... Também aqui manifestamos o nosso arrependimento, tanto pela nossa negligência quanto por às vezes termos considerado a evangelização e a preocupação social como mutuamente exclusivas. Embora a reconciliação com o ser humano não seja o mesmo que a reconciliação com Deus, nem a ação social seja evangelização, nem a libertação política seja salvação, todavia afirmamos que tanto a evangelização como o envolvimento sócio-político são parte do nosso dever cristão.”


ad