coer ncia e p rogress o tem tica n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Coerência e p rogressão temática PowerPoint Presentation
Download Presentation
Coerência e p rogressão temática

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 20

Coerência e p rogressão temática - PowerPoint PPT Presentation


  • 143 Views
  • Uploaded on

Coerência e p rogressão temática. Adaptado de Platão & Fiorin (2001) Prof. Me. Gerson Rossi IFSP Campus Avaré. Coerência?. Seu texto não está coerente. Isto não é um texto, é um samba do crioulo doido, uma colcha de retalhos. Suas ideias são confusas, sem coerência. Coerência.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Coerência e p rogressão temática' - weylin


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
coer ncia e p rogress o tem tica

Coerência e progressão temática

Adaptado de Platão & Fiorin (2001)

Prof. Me. Gerson Rossi

IFSP Campus Avaré

coer ncia
Coerência?

Seu texto não está coerente. Isto não é um texto, é um samba do crioulo doido, uma colcha de retalhos. Suas ideias são confusas, sem coerência.

coer ncia1
Coerência

A palavra coerência, da mesma família de aderência e aderente, provem do latim cohaerentia (formada do prefixo co = junto com + verbo haerere = estar preso). Significa, pois, conexão, união estreita entre várias partes, relação entre ideias que se harmonizam, ausência de contradição. É a coerência que distingue um texto de um aglomerado de frases.

coer ncia2
Coerência

É a relação que se estabelece entre as partes do texto, criando uma unidade de sentido.

Coerência deve percorrer toda a obra; do tipo de linguagem ao gênero textual; as ideias do primeiro parágrafo devem concordar com as do último, e com os demais entre si; a organização textual deve ser útil à intenção do texto.

Coerência pressupõe harmonia de significados.

coer ncia3
Coerência

Quando se fala em coerência, pensa-se na não-contradição de sentidos entre passagens do texto, na existência de uma continuidade de significados. Ela é um fator de interpretabilidade do texto, pois é ela que possibilita a atribuição de um sentido unitário ao texto. Num texto, uma ideia ajuda a compreender a outra, para criar um sentido global.

tipos de coer ncia
Tipos de coerência
  • Coerência narrativa;
  • Coerência argumentativa;
  • Coerência figurativa;
  • Coerência temporal;
  • Coerência espacial;
  • Coerência de nível de linguagem.
est coerente
Está coerente?

Lá dentro havia uma fumaça espessa que não deixava que víssemos ninguém.

Meu colega foi à cozinha, deixando-me sozinho. Fiquei encostado na parede da sala, observando as pessoas que lá estavam. Na festa, havia pessoas de todos os tipos: ruivas, brancas, pretas, amarelas, altas, baixas etc.

Texto narrativo

a coer ncia narrativa
a) Coerência narrativa

Julio foi à partida de futebol sem nenhum entusiasmo; esperava ver um péssimo resultado por conta das alterações que o técnico havia feito. Ao final da partida, deixou o estádio decepcionado com a derrota.

Ocorre quando se respeitam as implicações lógicas existentes entre as partes da narrativa. Para que uma personagem realize uma ação, por exemplo, é preciso que tenha condições de fazê-la; para que alguém se surpreenda com algo, é preciso que houvesse, anteriormente, expectativas contrárias; etc.

b coer ncia argumentativa
b) Coerência argumentativa

Diz respeito às relações de implicação ou de adequação que se estabelecem entre certos pressupostos ou afirmações explícitas colocadas no texto e as conclusões que se tira deles, as consequências que se fazem deles decorrer.

Toda ursa se alimenta de carne. Ora, a ursa é uma constelação. Logo, uma constelação se alimenta de carne.

(falta continuidade de sentidos)

b coer ncia argumentativa1
b) Coerência argumentativa

O descontrole orçamentário é a principal causa da inflação, e o pior problema do país. Para reaquecer a economia, o governo deve, portanto, aumentar os gastos públicos.

(conclusão contradiz argumento anterior)

c coer ncia figurativa
c) Coerência figurativa

Na biblioteca onde havia estantes de mogno, livros encadernados em couro, tapetes persas e quadro de pintores famosos ambientava-se o chá oferecido pela Sra. Dolores em porcelana de Sèvres. Homens vestidos de terno e gravata e mulheres de tailleur, os convidados divertiam-se ao som de Agnaldo Timóteo.

Diz respeito à combinatória de figuras para manifestar um dado tema ou à compatibilidade de figuras entre si.

d coer ncia temporal
d) Coerência temporal

Maria pôs o arroz no fogo, depois escolheu-o.

Quando o professor entrou, ele já tinha posto o sapo na bolsa de Eduardo e estava sentado tranquilamente. O mestre pegou-o em flagrante tentando colocar o animal no material do colega.

d coer ncia temporal1
d) Coerência temporal

É aquela que respeita as leis da sucessividade dos eventos ou apresenta uma compatibilidade entre os enunciados do texto, do ponto de vista da localização no tempo.

Colocar o sapo na bolsa: anterior e concomitante à entrada o professor = incoerência.

(falta de adesão à temporalidade)

e coer ncia espacial
e) Coerência espacial

Embaixo do único lustre, instalado bem no meio do teto, um grupo de pessoas conversava animadamente. Quando ela entrou, todos pararam de falar e olharam para ela. Sem se importar, foi reunir-se aos demais que brindavam sob o lustre lateral.

Diz respeito à compatibilidade entre os enunciados do ponto de vista da localização no espaço.

f coer ncia no n vel de linguagem
f) Coerência no nível de linguagem

Magnífico Senhor Reitor da Universidade de São Paulo

Tendo tomado conhecimento pelos periódicos da capital paulista de que o Prefeito da Cidade Universitária, onde está situada a universidade que Vossa Magnificência, com alto descortino, dirige, resolveu interditar o acesso da população ao campus nos finais de semana, ouso vir à presença de Vossa Magnificência, para manifestar-lhe meu repúdio ao fato de uma instituição pública subtrair da população de uma cidade desumana um espaço de lazer. Francamente, achei a maior sujeira da parte da USP, sacanagem, nada a ver.

f coer ncia no n vel de linguagem1
f) Coerência no nível de linguagem

É a compatibilidade entre a linguagem (vocabulário e construções frasais) e o gênero textual.