cisto de col doco n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Cisto de Colédoco PowerPoint Presentation
Download Presentation
Cisto de Colédoco

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 25

Cisto de Colédoco - PowerPoint PPT Presentation


  • 395 Views
  • Uploaded on

Cisto de Colédoco. Relato de Caso Clínico. ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA SAUDE/SES/DF Alunos: André Caldas e Gustavo Cinagava Coordenador: Dr. Paulo R. Margotto. Cisto de Colédoco. LKVL, feminino, 2 meses, procedente de Planaltina-GO;

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Cisto de Colédoco' - vianca


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
cisto de col doco

Cisto de Colédoco

Relato de Caso Clínico

ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA SAUDE/SES/DF

Alunos: André Caldas e Gustavo Cinagava

Coordenador: Dr. Paulo R. Margotto

cisto de col doco1
Cisto de Colédoco
  • LKVL, feminino, 2 meses, procedente de Planaltina-GO;
  • Apresenta icterícia há 11 dias, associada a febre não aferida, acolia fecal e colúria após vacinação (DPT + Hib). Relata ainda sangramento em pequena quantidade no local da aplicação da vacina por mais de 12 horas;
  • Mãe relata icterícia flutuante desde o nascimento, associada com distensão abdominal.
cisto de col doco2
Cisto de Colédoco
  • Antecedentes Pessoais:
  • Parto natural, a termo, em ambiente hospitalar;
  • Nasceu com 46cm e 2860kg;
  • Mãe G2/P2/A0;
  • Amamentação exclusiva.
cisto de col doco3
Cisto de Colédoco
  • Antecedentes Patológicos:
  • Não refere doenças, internações e traumas anteriores;
  • Nega alergias;
  • Cartão vacinal em dia;
  • Antecedentes Familiares:
  • Pai tem asma;
  • Irmão tem rinite alérgica;
  • Nega icterícia na família.
cisto de col doco4
Cisto de Colédoco
  • Exame Físico:
  • REG, ictérica (+++/4+), eupnéica, normocorada, hidratada, afebril, acianótica, ativa e reativa.
  • FR: 34 irpm FC: 114 bpm
  • Pele: Ictérica, sem lesões no local da vacina;
cisto de col doco5
Cisto de Colédoco
  • Aparelho Pulmonar:
  • Tórax sem abaulamentos e retrações;
  • Expansibilidade torácica simétrica, som claro-pulmonar, MVF presente.
  • Aparelho Cardíaco:
  • Ictus não visível, palpável entre o 4º espaço intercostal e a linha hemiclavicular D 1 polpa digital;
  • Ritmo regular em 2T, bulhas normofonéticas, sopro pansistólico (+++/6+), mais intenso em foco tricúspide, com irradiação para todo o precórdio.
cisto de col doco6
Cisto de Colédoco
  • Abdome:
  • Globoso, distendido, sem circulação colateral;
  • RHA presentes;
  • Som maciço a 4cm do rebordo costal D, Traube livre;
  • Hepatomegalia a 4cm do rebordo costal D;
  • Baço não palpável.
cisto de col doco7
Cisto de Colédoco
  • Conceito: Aumento cístico do colédoco
  • Incidência: 1 em 13.000 a 1 em 2 milhões de nascimentos vivos
    • 2/3 dos casos são encontrados no Japão
  • Sexo: mais comum meninas (4:1)
    • 50% icterícia, massa hipocôndrio D e dor abdominal
cisto de col doco8
Cisto de Colédoco
  • Etiologia: desconhecida
    • Teoria: 1a. Incapacidade da canalização da árvore biliar primordial durante desenvolvimento fetal, resultando em obstrução e dilatação do colédoco.
    • 2a. Alteração mural focal, compressão extrínseca ou dobra anatômica do colédoco,provocando drenagem anormal de enzimas e o aparecimento de cisto
cisto de col doco9
Cisto de Colédoco
  • 3a. Estenose papilífera associada a descoordenação neuromuscular do colédoco pode causar obstrução
  • 4a. Origem infecciosa
cisto de col doco10
Cisto de Colédoco
  • Classificação (Alonzo-Lej):
    • 1- Dilatação fusiforme do hepático comum e colédoco, com o canal cístico penetrando o cisto (colédoco distal poderá estar estenosado)
    • 2- Dilatação cística sacular lateral
    • 3- Coledocele representada por um cisto intra-duodenal
    • 4- Dilatação ductal –extra e –intra hepática
    • 5- Dilatação cística intra-hepática
cisto de col doco11
Cisto de Colédoco

Diagnóstico:

ECO pré-natal: diagnóstico com 20 semanas (IG)

US: mostra cisto coledociano e canais intra-hepático dilatados

DISIDA-Tc: anatomia e funcionamento da árvore biliar

cisto de col doco12
Cisto de Colédoco

Diagnóstico:

- Colangiografia trans-hepática percutânea pré-operatória, TC e colangiopancreatografia endoscópica retrógrada (CPER) demonstram cisto e sistema biliar;

- Colangiopancreatografia por RM: não-invasivo e indicado em cistos com pancreatite ativa (CPER está contra-indicada)

cisto de col doco13
Cisto de Colédoco
  • Tratamento: cirúrgico
    • Cisto tipo 1 e 2: ressecção completa e hepatojejunostomia em Y de Roux, realizada com pontos separados de fio absorvível.
      • Parede do cisto é dissecada da superfície anterior da veia porta, identificando-se a inserção do canal pancreático para evitar sua lesão
      • Extremidade distal do canal biliar é suturada ao duodeno
cisto de col doco14
Cisto de Colédoco
  • Nos casos de inflamação significativa: ressecção do cisto, deixando uma camada posterior externa da parede no local sobre a veia porta, para diminuir o risco de hemorragia excessiva
cisto de col doco15
Cisto de Colédoco
  • Cisto tipo 3: controverso
      • Excisão com esfincteroplastia
  • Cisto tipo 4: excisão total ou hepatectomia parcial
        • Excisão do cisto extra-hepático isoladamente, com acompanhamento a longo prazo
cisto de col doco16
Cisto de Colédoco
  • Novidade: endoscopia dos cistos intra-operatório (cistoscópio pediátrico ou endoscopio delgado de fibra óptica) – permite examinar os canais intra-hepático proximais, identificando os pontos de estenose e a presença de restos celulares;
cisto de col doco17
Cisto de Colédoco
  • Complicações pós-operatórias são poucas e a mortalidade operatória tem sido desprezível
  • Riscos de colangite, estenose anastomótica, doença hepática progressiva e carcinoma são reduzidos pela ressecção do colédoco
  • É importante o acompanhamento a longo prazo