trabalho rural e nova ruralidade n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
TRABALHO RURAL E NOVA RURALIDADE PowerPoint Presentation
Download Presentation
TRABALHO RURAL E NOVA RURALIDADE

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 25

TRABALHO RURAL E NOVA RURALIDADE - PowerPoint PPT Presentation


  • 88 Views
  • Uploaded on

TRABALHO RURAL E NOVA RURALIDADE. Mauro Eduardo Del Grossi UnB - Projeto RURBANO. Metodologia. A tradição das análises de áreas rurais parte de informações econômicas (Censos Agropecuários) , onde o acesso à terra tem grande destaque.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'TRABALHO RURAL E NOVA RURALIDADE' - timothy-terry


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
trabalho rural e nova ruralidade

TRABALHO RURALENOVA RURALIDADE

Mauro Eduardo Del Grossi

UnB - Projeto RURBANO

metodologia
Metodologia
  • A tradição das análises de áreas rurais parte de informações econômicas (Censos Agropecuários) , onde o acesso à terra tem grande destaque.
  • Porém as informações econômicas não são suficientes para outros aspectos do meio rural.
  • Utilização de dados demográficos: os mais atualizados são das PNADs - até 2005.
  • Delimitação das áreas rurais: mantidas fixas nas PNADs desde o último censo demográfico, seguindo legislação municipal.
anos 90
ANOS 90
  • Redução dos ocupados em atividades agrícolas: a população agrícola teve seu pico máximo de ocupação próximo ao Plano Cruzado, e depois decrescem continuamente.
  • A redução dos ocupados da agricultura é simultâneo ao crescimento da produção de grãos.
  • Mas a População Ocupada residente em áreas rurais não se reduz, e chega até a crescer em algumas regiões.
anos 2000 fim do xodo rural
ANOS 2000: fim do êxodo rural?

Brasil, milhões de Pessoas

Situação do

2.001

2.005

Condição e

Taxa 01/05

Domicílio

Ramo de Atividade

(milhões)

(milhões)

(%)

(% ªa)

Urbano

143,4

152,7

1,6

***

Economicamente Ativa

67,7

76,5

100%

3,1

***

Ocupados

60,1

67,9

89%

3,1

***

Agrícola

3,4

3,8

5%

2,9

*

Não-agrícola

56,6

64,1

84%

3,1

***

Procurando emprego

7,6

8,6

11%

2,7

**

Rural (a)

27,5

28,3

0,6

*

Economicamente Ativa

12,7

13,3

100%

1,0

**

Ocupados

12,2

12,8

96%

0,9

**

Agrícola

8,8

8,7

66%

-0,5

*

Não-agrícola

3,4

4,0

30%

4,2

***

Procurando emprego

0,4

0,5

4%

5,6

**

a) Exclusive as populações de áreas rurais do Norte do País;

slide5

BRASIL:

zonas não metropolitanas – áreas rurais agropecuárias

(retirando áreas metropolitanas, periferias e povoados)

Situação do

2.001

2.005

Condição e

Taxa 01/05

Domicílio

Ramo de Atividade

(1.000)

(1.000)

(% ªa)

Rural agropecuário

23.246

23.559

0,3

Economicamente ativas

10.822

11.193

0,7

**

Agrícola

8.193

8.070

-0,6

*

Não-agrícola

2.346

2.777

4,2

***

procura emprego

282

346

5,9

*

Não economicamente ativas

12.424

12.366

-0,1

a) Exclusive as populações de áreas rurais do Norte do País;

anos 2000 resumo
ANOS 2000: resumo
  • População ocupada com residência urbana:
    • 3,8 milhões ocupados na agricultura, voltando a crescer: moradia urbana com deslocamento diário ao local de trabalho;
  • População com residência rural:
    • Pequeno crescimento: quando ocorrer nova cartografia, muitos passarão a serem enumerados como urbanos. Mas não há sinais de forte êxodo rural.
anos 2000 resumo1
ANOS 2000: resumo
  • População com residência rural:
    • Paradoxalmente a população ocupada na agricultura continua em queda (8,7 milhões de pessoas);
    • Novidade:
      • 4 milhões de pessoas ocupadas em atividades não-agrícolas, mas residentes no meio rural.
      • 0,5 milhões de pessoas procurando emprego, mas mantendo o domicílio rural.
ocupados agr colas
Ocupados Agrícolas
  • Cresce emprego agrícola formal
  • Emprego temporário sem registro volta a crescer: com domicílio rural e com domicílio urbano (sugere o mesmo fenômeno dos anos 80).
ocupa es n o agr colas freq entes regi es n o metropolitanas rural agropecu rio
Ocupações não-agrícolas+ freqüentesRegiões não metropolitanas - Rural Agropecuário
ocupados n o agr colas zonas n o metropolitanas rural agropecu rio
Ocupados Não-AgrícolasZonas não metropolitanas – Rural Agropecuário
  • Assalariados não-agrícolas: ½ com registro e ½ sem registro
  • Emprego não-agrícola formal: tendência de crescimento
  • Emprego não-agrícola sem registro: oscila
  • Conta Própria: crescente
classifica o das fam lias
Classificação das Famílias
  • Segundo a posição na ocupação de algum de seus membros: empregadores (com até 2 e mais de 3 empregados permanentes), conta-própria, assalariados e não-ocupados.

Lembrando: PRONAF: Conta-Própria + Empregadores com até 2 empregados permanentes.

  • Segundo a atividade de seus membros:
    • Agrícolas: todos com atividades agrícolas
    • Pluriativas: combinam atividades agrícolas com não-agrícolas
    • Não-agrícolas: todos com atividades não-agrícolas.
fam lias 2005
Famílias - 2005

BRASIL (1.000 famílias)

Não Metro - Agrop.

Urbana

Taxa 01/05

Taxa 01/05

TIPO DE FAMÍLIA

2.005

2.005

(% ªa)

(% ªa)

Conta-Própria

2.845

-0,3

11.879

2,2

***

Agrícola

1.581

-2,4

**

457

2,1

*

Pluriativo

967

1,7

*

797

2,9

*

Não-agrícola

297

7,1

*

10.625

2,2

***

Empregados

2.302

3,0

**

23.535

3,3

***

Agrícola

1.351

1,7

*

844

2,7

*

Pluriativo

309

4,2

***

648

3,9

**

Não-agrícola

642

5,3

**

22.044

3,3

***

Não-ocupado na semana

677

2,4

6.671

3,5

***

composi o da renda das fam lias rurais agropecu rias n o metro
Composição da renda das famílias rurais agropecuárias (não metro)
  • O acesso a ocupação não-agrícolas e transferências governamentais continuam importantes para complementação da renda das famílias rurais.
slide18

Não Agrícola

Agrícola

Urbano

Rural

Agribusiness

Sem

Sem

Familiar

Sem-Terra

Neorural

din micas do novo rural brasileiro diversidade regional
Dinâmicas do Novo Rural Brasileiro: diversidade regional

1. Atividades econômicas derivadas direta ou indiretamente da agropecuária

2. Consumo da população rural

3. Disponibilidade de mão-de-obra da agricultura familiar & proximidade centro urbano

din micas do novo rural brasileiro cont
Dinâmicas do Novo Rural Brasileiro (cont.)

4. Serviços públicos

5. Residência e lazer da população de alta renda

6. Moradia para população de baixa renda

din micas do novo rural brasileiro cont1
Dinâmicas do Novo Rural Brasileiro (cont.)

7. Demanda por terras pelas indústrias e empresas prestadoras de serviços

8. Novas atividades não-agrícolas (ex. turismo rural, confecções, artesanatos, alimentos)

os velhos mitos sobre o rural
Os Velhos Mitos sobre o Rural
  • O rural é sinônimo de atraso.
  • O rural é sinônimo de agrícola.
  • O êxodo rural é inexorável.
  • O desenvolvimento agrícola leva ao desenvolvimento rural.
  • A gestão das pequenas e médias propriedades rurais é essencialmente familiar.
os novos mitos sobre o rural
Os Novos Mitos sobre o Rural
  • As Ocupações Não-Agrícolas de Residentes Rurais (ONARRs) são a solução para o desemprego.
  • As ONARRs podem ser o motor do desenvolvimento nas regiões atrasadas.
  • A reforma agrária não é mais viável
  • O novo rural não precisa de regulação pública
  • O desenvolvimento local gera automaticamente desenvolvimento humano.
para saber mais
Para saber mais
  • Unicamp, Instituto de Economia: www.eco.unicamp.br: entrar em economia agrícola, projetos de pesquisa: Projeto Rurbano
  • IAPAR: www.iapar.br : publicações – Novo Rural ilustrado.