anos 1990 desestabiliza o e crise n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Anos 1990: Desestabilização e crise PowerPoint Presentation
Download Presentation
Anos 1990: Desestabilização e crise

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 52

Anos 1990: Desestabilização e crise - PowerPoint PPT Presentation


  • 67 Views
  • Uploaded on

Anos 1990: Desestabilização e crise. Situação no final de 1980s. Vulnerabilidade externa Crise fiscal Pressão inflacionária. Desestabilização macroeconômica. Inflação Finanças públicas Contas externas Crescimento Investimento. Inflação.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

Anos 1990: Desestabilização e crise


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
    Presentation Transcript
    1. Anos 1990: Desestabilização e crise

    2. Situação no final de 1980s • Vulnerabilidade externa • Crise fiscal • Pressão inflacionária

    3. Desestabilização macroeconômica • Inflação • Finanças públicas • Contas externas • Crescimento • Investimento

    4. Inflação Estrutural: choques de oferta (gargalos; petróleo; quebra de safra agrícola; cambial; tarifas públicas; conflito distributivo) Estrutural : demanda reprimida Institucional: indexação (regras)

    5. Controle da inflação: Causas e políticas

    6. Finanças públicas • Estatização da dívida externa • Dolarização da dívida interna • Esterilização • Ajuste externo: juros altos  aumento de despesa • Ajuste externo: recessão  queda de receita • Controle da inflação: contenção de tarifas  fragiliza empresas estatais

    7. Finanças públicas: Ajuste fiscal • Aumento da carga tributária (receita) • Aumento da renda (receita) • Aumento da progressividade (renda  receita) • Corte dos gastos (custeio e capital) • Aumento das tarifas públicas (empresas estatais) • Redução dos juros • Redução do estoque da dívida

    8. Contas externas Desequilíbrio de estoque (dívida) e fluxos (serviços e capital)

    9. Ajuste externos: Mecanismos • Automático: preço interno; preço externo; renda • Induzido: nível dos gastos; composição dos gastos; controles diretos

    10. Mecanismos automáticos • Preço interno: padrão-ouro; dolarização • Preço externo: regime de câmbio flutuante • Renda: multiplicador de comércio exterior

    11. Mecanismos induzidos • Mudança no nível de gastos: políticas monetária, creditícia, fiscal, salarial • Mudança na composição dos gastos: políticas cambial e comercial • Controles diretos: medidas não-tarifárias sobre bens e serviços; controle do movimento internacional de capitais

    12. Contexto internacional: 1990s • 1989-1992: quadro recessivo • 1993-2000: crescimento extraordinário • 1996-2000: Nova Economia • Crises financeiras, principalmente, em países em desenvolvimento • 2001... desaceleração

    13. Foco da política econômica: 1990s • 1990-1998: inflação • 1999... Contas externas • 1994.......restrição fiscal crônica e crescente

    14. Indicadores macroeconômicos: Anos 1990 em perspectiva histórica

    15. PIB

    16. PIB per capita

    17. PIB: Taxa de crescimento

    18. Produção Industrial

    19. Taxa de investimento

    20. Taxa de desemprego (RMs trimestral)

    21. Inflação (IPCA mensal)

    22. Déficit público

    23. Balanço de pagamentos

    24. Conta corrente BOP/PIB (%)

    25. Reservas internacionais

    26. Dívida externa

    27. Pagamento de Juros Externos

    28. Dívida externa, reservas e exportação

    29. Dívida externa e dívida interna

    30. Balança comercial, saldo

    31. Exportações e Importações

    32. Ajuste da balança comercial

    33. Indicadores macroeconômicos: síntese

    34. Planos de estabilização macroeconômica: Principais • Plano Collor I (mar. 1990) • Plano Collor II (jan. 1991) • Plano Real: Fase I (jan. 1993) • Plano Real: Fase II (mar. 1994) • Plano Real: Fase I (jul. 1994) • Plano Real: Fase IV (jan. 1999)

    35. Plano Collor I (mar. 1990) Principais medidas • reforma monetária (cruzeiro) • redução da liquidez: bloqueio parcial de depósitos e aplicações financeiras (bloqueio de 70% M4) (confisco) • ajuste fiscal (corte de gastos, suspensão de incentivos e subsídios, IOF sobre ativos financeiros) • reforma administrativa (fechamento de empresas e órgãos públicos) • privatizacão (Plano Nacional de Desestatização)pL • desindexação: congelamento de preços e salários • novas regras de indexação de preços e salários • regime cambial flutuante • liberalização comercial

    36. Plano Collor II (jan. 1991)Principais medidas • congelamento de preços e salários • unificação das datas-base de reajustes salariais • política monetária restritiva • política fiscal restritiva (corte de gastos)

    37. Taxa de desemprego

    38. Seguro-desemprego

    39. Tarifa nominal: Média

    40. Plano Real: Fase I(âncora fiscal: dez. 1993-fev. 1994) • Ajuste fiscal: redução dos gastos e aumento da receita • maior eficiência dos gastos • controle dos bancos estaduais • saneamento dos bancos federais • aperfeiçoamento e ampliação do programa de privatização • criação do Fundo Social de Emergência: redução das das transferências para estados e municípios , mais flexibilidade e maiores cortes • criação do IPMF (Imposto Provisório sobre Movimentação Financeira) (0,25%)

    41. Plano Real: Fase II(mar-jun 1994) • Criação da Unidade de Referência do Valor (URV) • URV: superindexador • URV: variação amarrada à variação do dólar • Mecanismo de passagem de todos os preços de Cruzeiro real para URV • Fixação de preços, tarifas e contrtos em URV • Generalização do uso da URV como unidade de conta e reserva de valor • Alinhamento de preços realtivos • Apagar a memória inflacionária: eliminar o componente inercial da inflação

    42. Regra de conversão: Salários Salário médio (real) em URV: média aritmética dos salários em URV Salários calculados em URV: salário nominais de nov. 93, dez.93, jan.94 e fev.94 foram divididos pelo valor da URV no final de cada mês

    43. Preços relativos, aceleração inflacionária e o superindexador (URV) “aceleração dos preços na moeda até então existente (o cruzeiro real) e, no seu final, pouco antes do surgimento da nova moeda, um comportamento defensivo por parte das empresas - que implicou preços em URV excessivamente elevados e desalinhados“ “manteve o poder aquisitivo dos salários relativamente constante”

    44. Plano Real: Fase III(jul. 1994-dez. 1998) • Reforma monetária (Real) (CR$ 2750,00 = R$ 1) • Transformação da URV em Real (1 URV = R$ 1) • Metas monetárias • Política monetária restritiva (juros altos) • maior abertura comercial • âncora cambial (US$ 1 = R$ 1) • Bacengarantia venda de dólares (US$ 1 = R$ 1) • câmbio flutuante • apreciação cambial • sinalização de reformas: administrativa, fiscal e previdenciária

    45. Plano Real e suas âncoras • âncora fiscal: fracassou desde o início • descontrole das finanças públicas (recorde histórico) • âncora monetária (metas monetárias de jul 1994): desapareceu nos primeiros meses • âncora cambial: crises cambiais recorrentes e ruptura (jan. 1999)

    46. Elementos fundamentais: Plano Real Fase III • Abertura comercial • Nível de reservas • Apreciação cambial

    47. Inflação, importação, câmbio e reservas internacionais

    48. Síntese 1994-2002 Primeiro período 1994-1998 Controle da inflação e crescente desequilíbrios (contas externas, lado real) Segundo período 1999-2002 Vulnerabilidade externa e crescentes desequilíbrios (lado real, finanças públicas, retorno da pressão inflacionária)

    49. Vulnerabilidade externa: 1994-98