protocolo de reanima o de pcr l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
PROTOCOLO DE REANIMAÇÃO DE PCR PowerPoint Presentation
Download Presentation
PROTOCOLO DE REANIMAÇÃO DE PCR

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 48

PROTOCOLO DE REANIMAÇÃO DE PCR - PowerPoint PPT Presentation


  • 760 Views
  • Uploaded on

PROTOCOLO DE REANIMAÇÃO DE PCR. Protocolos do ILCOR / ACLS para RCP – 2005. DIRETRIZES 2005. Responsáveis. DIRETRIZES 2010. Calendário. PCR / RCP. Introdução. PCR PCR ≠ Óbito A fibrilação ventricular (FV) responde por 80-85% das PCR (caça à FV).

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'PROTOCOLO DE REANIMAÇÃO DE PCR' - paul2


Download Now An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
protocolo de reanima o de pcr

PROTOCOLO DE REANIMAÇÃO DE PCR

Protocolos do ILCOR / ACLS para RCP – 2005

slide2

DIRETRIZES 2005

Responsáveis

slide3

DIRETRIZES 2010

Calendário

pcr rcp
PCR / RCP

Introdução

  • PCR
    • PCR ≠ Óbito
    • A fibrilação ventricular (FV) responde por 80-85% das PCR (caça à FV).
    • Uma FV revertida no 1o minuto tem 80% de chance de sobrevida – a chance cai 10% a cada minuto, chegando a zero após 10-12 minutos.
    • As condutas e manobras devem ser realizadas da forma mais organizada e o mais breve possível.
pcr rcp5
PCR / RCP

Diagnóstico da PCR

  • Paciente encontrado inconsciente
  • Pedir ajuda / desfibrilador imedatamente
pcr rcp6
PCR / RCP

ABCD primário

  • A – Vias Aéreas (Airways)
    • Abrir vias aéreas (chin lift / jaw thrust)
    • Verificar presença de objetos / secreções que possam obstruir a via aérea e retirá-los (aspirador / pinça de Mc Gill)
pcr rcp7
PCR / RCP

ABCD primário

  • A – Vias Aéreas (Airways)
    • Acessórios para manter vias aéreas abertas
pcr rcp8
PCR / RCP

ABCD primário

  • B – Ventilação (Breathing)
    • Ver / Ouvir / Sentir a respiração do paciente (10”).
    • Se o paciente não ventila – parada respiratória
    • Ventilar 2 vezes c/ bolsa-valva-máscara
    • Se não há expansão, obstrução de VA (Heimlich)
pcr rcp9
PCR / RCP

ABCD primário

Possível PCR

Sim

Responde ao Chamado?

Consciente

Sem PCR

Não

Chamar Ajuda

/ Desfibrilador

Paciente

Inconsciente

Abrir V.A.

Sim

Inconsciente

Sem PCR

Respira?

Não

Parada

Respiratória

pcr rcp10
PCR / RCP

ABCD primário

  • C – Circulação (Circulation)
    • Procurar pulso carotídeo / ou femoral
    • Procurar sinais indiretos de circulação:
      • Movimentos espontâneos
      • Tosse
      • Ventilação espontânea
    • Ausência de pulso e sinais indiretos de circulação – Parada cárdio-respiratória (PCR) – ventilação e massagem cardíaca indicados
pcr rcp11
PCR / RCP

ABCD primário

  • C – Circulação (Circulation)
pcr rcp12
PCR / RCP

ABCD primário

  • C – Circulação (Circulation)

DIÁSTOLE

SÍSTOLE

Profundidade da Compressão

Adulto - 3,8 a 5,1cm

Criança - 2,5 à 3,8cm

slide13

PCR / RCP

ABCD primário

slide14

PCR / RCP

Mudanças 2005

slide15

PCR / RCP

Mudanças 2005

slide16

PAo

PAD

PPC=21 mm Hg

PCR / RCP

Porque 30:2?

slide17

15 compressões

PPC

2 ventilações

PCR / RCP

Porque 30:2?

Kern (2002) Circulation

slide18

100

80

60

40

20

0

79%

RCE (%)

46%

0%

15-25

< 15

> 25

PPC (mm Hg)

PCR / RCP

Porque 30:2?

Quanto maior a PPC, maior o RCE

Paradis (1990) JAMA

slide19

PCR / RCP

Porque 30:2?

slide20

PCR / RCP

Porque 30:2?

  • Ideal: cada ventilação em 2 segundos
  • 2 ventilações em 4 segundos
    • Leigos: 16 seg
    • Estudantes de medicina: 14 seg
    • Paramédicos com atendimentos freqüentes: 10 seg
pcr rcp21
PCR / RCP

ABCD primário

Possível PCR

Parada

Respiratória

Sim

Responde ao Chamado?

Consciente

Sem PCR

Sim

IOT /

Ventilação

Tem Pulso ?

Não

Não

Parada Cárdio

Respiratória

Iniciar

RCP

Chamar Ajuda

/ Desfibrilador

Paciente

Inconsciente

Abrir V.A.

Sim

Inconsciente

Sem PCR

Respira?

Não

Parada

Respiratória

pcr rcp22
PCR / RCP

ABCD primário

  • D – Desfibrilação (Defibrillation)
    • Colocar as pás do desfibrilador sobre o tórax e identificar o tipo de PCR
pcr rcp23
PCR / RCP

ABCD primário

  • D – Desfibrilação (Defibrillation)
    • Fibrilação Ventricular / TV sem Pulso
pcr rcp24
PCR / RCP

ABCD primário

  • D – Desfibrilação (Defibrillation)
    • Assistolia
    • Protocolo da Linha Plana (isoelétrica)
      • Verificar se todos os cabos estão bem conectados
      • Aumentar a amplitude do traçado ao máximo
      • Mudar a posição das pás / trocar derivação do monitor
slide25

PCR / RCP

ABCD primário

  • D – Desfibrilação (Defibrillation)
    • Atividade Elétrica sem Pulso (AESP)
    • PCR mesmo com ritmo identificável no monitor !!!
pcr rcp26
PCR / RCP

ABCD primário

Possível PCR

Parada

Respiratória

Sim

Responde ao Chamado?

Consciente

Sem PCR

Sim

IOT /

Ventilação

Tem Pulso ?

Não

Não

Parada Cárdio

Respiratória

Iniciar

RCP

Chamar Ajuda

/ Desfibrilador

Paciente

Inconsciente

Desfibrilador

Abrir V.A.

Sim

Inconsciente

Sem PCR

FV / TV s/ pulso

Respira?

Não

Assistolia

Parada

Respiratória

AESP

slide27

PCR / RCP

ABCD primário

  • D – Desfibrilação (Defibrillation)
    • Se FV ou TV s/ pulso (80-85% das vezes) – aplicar 1 Choque 360M ou equivalente bifásico (200J)
    • Nos Choques:
      • Usar meio condutor
      • Posição correta das pás
      • Manter pressão nas pás (~12-13 kg)
slide28

PCR / RCP

ABCD primário

  • D – Desfibrilação (Defibrillation)
  • Choques bifásicos
    • Zoll - M Series
      • Choques de 120-200 Joules
    • Philips / Agilent - Heartstart XL
      • Choques de 150-200 Joules
    • Medtronic / Physiocontrol - Lifepack 12
      • Choques 200-360 Joules (= ao Monofásico)
slide29

PCR / RCP

Choque ou RCP?

Cobb (1999) JAMA

slide30

PCR / RCP

Choque ou RCP?

Sobrevida (%)

Tempo até a desfibrilação (min)

Cobb (1999) JAMA

slide31

PCR / RCP

ABCD primário

  • Ao final do ABCD primário:
    • Constatação / identificação da PCR
    • Tratamento da principal causa de PCR (FV / TV)
    • Reversão de 90-98% das FV / TV s/ pulso c/ o choque. Em caso de não reversão, temos uma FV / TV refratária
    • Para o tratamento da FV / TV refratária, assistolia e AESP – iniciamos o ABCD secundário
slide32

PCR / RCP

ABCD secundário

  • A – Vias Aéreas (Airways)
    • Conseguir uma via aérea segura
    • Intubação orotraqueal ou equivalente
slide33

PCR / RCP

ABCD secundário

  • A – Vias Aéreas (Airways)
slide34

PCR / RCP

ABCD secundário

  • A – Vias Aéreas (Airways)
slide35

PCR / RCP

ABCD secundário

  • B – Ventilação (Breathing)
    • Confirmar a posição (névoa / sinal da cruz)
    • Confirmação secundária se possível
    • Fixação da cânula
    • Ventilação assíncrona
slide36

Basal PCR 4 min 8 min

PCR / RCP

Porque 30:2?

FV – Queda Lenta da paO2

slide37

PCR / RCP

Ciclos Ventilatórios

slide38

PCR / RCP

Ciclos Ventilatórios

slide39

PCR / RCP

Ciclos Ventilatórios

12 vent/min

30 vent/min

PPC 23,4 mmHg

20 vent/min

PPC 16,9 mmHg

PPC 19,5 mmHg

slide40

PCR / RCP

ABCD secundário

  • C – Circulação (Circulation)
    • Determinação do ritmo – monitorização pelos eletrodos
    • Acesso IV (veia antecubital – jelco calibroso)
    • Administração dos agentes apropriados (“flush” e elevação do membro)
    • Massagem cardíaca
slide41

PCR / RCP

ABCD secundário

  • D – Diagnóstico Diferencial
    • Importante na assistolia e AESP
    • Porque o paciente está em PCR?
    • Existe algo a ser corrigido para reversão da PCR?
slide42

PCR / RCP

FV / TV sem Pulso

FV / TV s/ pulso

Droga IV

+ “Flush”

Vasopressor

IV+ “Flush”

Choque 360 J

Sim

Sim

Pulso?

Pulso?

RCP 2 min

Pulso?

Não

Não

Choque 360 J

Choque 360 J

Pós-FV

Não

FV / TV refratária

RCP 2 min

RCP 2 min

RCP

Drogas:

Adrenalina: 1 mg IV – 3-5 min

Vasopressina: 40 UI IV – dose única

Amiodarona: 300-150-150 mg IV – 3-5 min

Lidocaína: 1-1,5 mg/ kg – 3-5 min até 3 mg/ kg

Sulfato Mg++: 2 g em bolus

IOT / Monitor

Acesso Venoso

slide43

PCR / RCP

FV / TV sem Pulso

Pós-FV

Assistolia

Antiarritmico de

Manutenção

AESP

Ritmo c/ pulso

palpável

Algoritmo

Correspondente

Estável

Instável

Reacessar ABCs

Reacessar ABCs

Estabilização

do Paciente

Antiarrítmico de manutenção

Lidocaína: 1-4 mg/ min

Amiodarona: 1 mg/ min – 6 h

0,5 mg/ min – 18 h

Transferência

para UTI

slide44

PCR / RCP

Assistolia

Assistolia

Confirmada

Causas:

Hipovolemia

Hipotermia

Hipóxia

Hipercalemia

H+ Acidose

Hipoglicemia

Trombose coronária

Trombose pulmonar

Tensão no tórax

Tamponamento

Tóxicos

Trauma

Vasopressina

40 UI IV dose única

RCP

IOT / Monitor

Acesso Venoso

Adrenalina 1 mg cada 3 min

Atropina 1 mg cada 3 min

Cogitar

Término

da RCP

Sim

Tem Pulso? (2/ 2 min)

Cuidados pós-PCR

Não

slide45

PCR / RCP

AESP

AESP

Causas:

Hipovolemia

Hipotermia

Hipóxia

Hipercalemia

H+ Acidose

Hipoglicemia

Trombose coronária

Trombose pulmonar

Tensão no tórax

Tamponamento

Tóxicos

Trauma

RCP

Ou Vasopressina

40 UI IV dose única

IOT / Monitor

Acesso Venoso

Iniciar

Infusão de

Volume

Adrenalina 1 mg cada 3 min

Atropina 1 mg cada

3 min se FC<60

Sim

Tem Pulso? (2 / 2 min)

Cuidados pós-PCR

Não

slide46

PCR / RCP

Assistolia / AESP

slide47

PCR / RCP

Pós-PCR

  • Pós PCR
    • Reacessar todo o ABCD 1ário e 2ário
    • Atenção na posição da cânula e na ventilação
    • Controle hemodinâmico c/ volume / drogas vasoativas
    • Antiarritmico de manutenção quando necessário
    • Correção dos fatores precipitantes da PCR
    • Reavaliar com a equipe os acertos e erros no atendimento da PCR
slide48

PCR / RCP

Pós-PCR

  • Hipotermia
    • Pacientes que apresentaram PCR em FV tem discreta melhora do prognóstico neurológico se induzida hipotermia (entre 32-34o C) por 12 a 24 horas.

http://circ.ahajournals.org/content/vol112/24_suppl/

Circulation 2005;112(24)[Suppl 1]