Download
slide1 n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
An lise de Dados PowerPoint Presentation
Download Presentation
An lise de Dados

An lise de Dados

196 Views Download Presentation
Download Presentation

An lise de Dados

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

    1. Anlise de Dados Aniela Improta Frana Marcus Maia FL/UFRJ 2006/1

    2. Mtodos

    3. Mtodos

    4. Mtodos

    5. Mtodos

    6. Mtodos

    7. Mtodos experimentais Leitura auto-monitorada Deciso lexical Priming Julgamento imediato de aceitabilidade/gramaticalidade Monitoramento de fonemas Locao de clicks Eye-tracking

    8. Tipologia Sinttica

    9. Sintaxe reunir categorias SIN

    10. Juntamos palavras para formar constituintes ou sintagmas Aquele

    11. Juntar ou concatenar a operao sinttica bsica. universal. As crianas comeam a juntar palavras em torno de um ano. Antes mesmo de pronunciar as palavras corretamente as crianas comeam a junt-las

    12. Princpios Universais Ningum ensina as crianas a fazer sintaxe. Elas j nascem sabendo e fazem assim em todas as lnguas. v Tente recombinar qualquer perodo simples formado por umas dez palavras * Palavras dez umas por formado simples perodo qualquer recombinar tente H 3.628.800 combinaes matematicamente possveis, das quais apenas uma combinao gramatical. Como se pode haver aprendido tamanha restrio combinatria? Certamente no por meio de instrues ou correes de pais e professores. Possumos estrutura inata poderosa que nos permite eliminar milhes de possibilidades combinatrias.

    13. A sintaxe parte essencial da faculdade humana da linguagem, por isso comum a todas as lnguas. Por exemplo, em Portugus, Ingls, e Karaj juntamos palavras que podem exercer diferentes funes, tais como Sujeitos, Verbos e Objetos

    14. Ncleos e complementos Ao juntarmos palavras, uma delas fundamental, determinando a categoria do grupo. Esta uma propriedade universal da linguagem.

    15. Anlise sinttica Uma frase como: Aquela menina dormiu demais. pode ser dividida em dois grandes blocos ou constituintes sintagmticos:

    16. O ncleo dos SNs N O ncleo dos SVs V Identifique o ncleo dos sintagmas abaixo Aqueles dois Minhas boas de Cuiab ontem bananas na feira Todos os seus quatro

    17. Princpios universais & Parmetros particulares Em todos os SINTAGMAS de todas as lnguas h NCLEOS, que determinam o tipo do sintagma. Entretanto, em algumas lnguas, os ncleos vm ANTES dos complementos e em outras os ncleos vm DEPOIS dos complementos. Assim os Princpios Universais admitem Parmetros particulares

    18. VO & OV Por exemplo, em portugus, a ordem bsica de Verbo e Objeto VO:

    19. Quais as ordens bsicas de SUJEITO, VERBO e OBJETO? moia jawara ojuka cobra ona matar "A cobra matou a ona (Tupinamb, Anchieta) SOV

    20. Quais as ordens bsicas de SUJEITO, VERBO e OBJETO? a-dukarem ihe miar 1sg-matar eu caa eu vou matar a caa (Temb, Duarte) VSO

    21. Quais as ordens bsicas de SUJEITO, VERBO e OBJETO? Manasa ny lamba ny vehivavy Lavar a roupa a mulher A mulher est lavando a roupa (Malagasy) VOS

    22. Quais as ordens bsicas de SUJEITO, VERBO e OBJETO? Toto yahosye kamara homem pegou ona A ona pegou o homem (Hixkaryana) OVS

    23. Quais as ordens bsicas de SUJEITO, VERBO e OBJETO? no'ladi na'deigi i'biki nuvem traz chuva A nuvem traz chuva (Kadiweu, Braggio) SVO

    24. Quais as ordens bsicas de SUJEITO, VERBO e OBJETO? samuuy yi qa-wh macaco gente come Gente come macaco (Nadb, Song) OSV

    25. SVO, SOV,VSO,VOS, OSV, OVS A ordem bsica dos constituintes principais da orao (S,V e O), aquela que ocorre com maior freqencia nas oraes declarativas simples e a menos marcada morfologica e pragmaticamente. Todas as 6 combinaes so atestadas nas lnguas do mundo, mas no com a mesma freqncia.

    26. SOV SVO VSO VOS OSV OVS 45% 42% 8% 3% 1% 1%

    27. Harmonia inter-categorial Os lingistas descobriram que h tendncia de harmonia entre os diferentes padres de ordem vocabular em uma lngua. Assim, se uma lngua apresenta VO dominante, de NCLEO INICIAL; se apresenta OV dominante de NCLEO FINAL.

    28. Harmonia sistmica Como uma lngua um SISTEMA, isto , uma organizao onde todos os elementos esto relacionados entre si, os dois tipos bsicos

    29. Padres tipolgicos

    30. Padres tipolgicos Essas correlaes no so rgidas. Freqentemente, h divergncias, pois as lnguas so dinmicas e pode haver mudanas histricas em curso, emprstimos, etc. Pode se dar tambm que dois padres ocorram simultaneamente.

    31. O GENITIVO expressa relaes parte/todo ou de posse. NG A casa de Pedro Nome Genitivo

    32. Adposies=preposies/posposies V0 ? Preposio La chica lleg de la ciudad a menina chegou da cidade A menina chegou da cidade (Espanhol) eemi a dieladi Vai para casa vai para casa (Kadiweu, Braggio) OV ? Posposio Koboi koworu- rara. Koboi roa-para foi Koboi foi para a roa. (Karaj, Maia) Kanhgg-tg epy ra vr Kaingang-erg roa para foi "O Kaingang foi para a roa (Kaingang, Nascimento)

    33. Comparao VO: Adjetivo - Padro Maria mais bonita do que Lia OV: Padro Adjetivo Mei bi Hua piaolian Mei do que Hua bonita Mei mais bonita do que Hua (Chins)

    34. Nome/Ttulo OV: Ttulo Nome Senhor Joo VO: Nome Ttulo Wan Chen sen Senhor Wan (Chins)

    35. Nome de famlia/nome de pessoa VO: pessoa famlia Jos Silva OV: famlia pessoa Chang Whan (Chins)

    36. Numerais aditivos VO: dgito menor padro fourteen catorze (ingls) OV: padro dgito menor debo sohoji mo um seis (Karaj)

    37. Adjetivos descritivos VO: nome adjetivo casa grande (portugus) OV: adjetivo nome ta fenzi grande casa casa grande (Chins)

    38. Construes relativas VO: Nome relativa A casa que eu comprei grande OV: Relativa Nome Kan shamu-shka llajta-ka uchilla-mi voc vem NOM cidadeTOP pequen A cidade de que voc vem pequena (Quechua)

    39. Partculas interrogativas VO: Interrogativa Verbo Do you come? Int voc vem (ingls) OV: Verbo Interrogativa Ni lai ma ? voc vem Int (Chins)

    40. Partculas negativas VO: Negativa Verbo Eu no comi (portugus) OV: Verbo Negativa Pa kr?r kt n? eu comer no Eu no como (Apinaye)

    41. Construes com Verbo Auxiliar VO: Aux Verbo Eu vou pescar (portugus) OV: Verbo Aux Deary waximy rare eu pescar fui Eu fui pescar (Karaj)

    42. Exerccios 1. Observe os dados abaixo da lngua Xerente da famlia Akwen do tronco Macro-J (dados de Braggio (97)) e, em seguida, assinale a nica alternativa correta: (a) Wat Goinia ku krimri (b) Pik za dasa kahiri Eu Goinia para ir mulher FUT comida cozinhar "Eu vou para Goinia" "A mulher vai cozinhar comida (c) Wat intkmekreda imri (d) huku simpik Eu plantar vou ona fmea "Eu vou plantar" "ona fmea (A) Trata-se de uma lngua de ncleo inicial. (B) Os padres PO/SOV/VAux so harmnicos entre si e desarmnicos com NAdj, indicando ser o Xerente predominantemente de ncleo final. (C) Os padres PO/SOV/VAux/NAdj so harmnicos entre si, indicando que o Xerente uma lngua de ncleo final. (D) O Xerente apresenta preposies, adjetivo preposto ao nome, SOV e AuxV, sendo uma lngua de ncleo final.

    43. II - Analise a estrutura de constituintes de cada uma das lnguas abaixo, determinando os seus padres de ordem vocabular. Em seguida, procure caracterizar cada lngua em termos dos tipos ncleo inicial/ncleo final. Tabele as concluses. 1. pa kuven pumu Eu pssaro ver "Eu vejo pssaro" 2. Xa na ra Sit mry xm? INT Tempo j Sit carne cozinhar? "Sit j cozinhou a carne?" 3. n pa ?apror ket Pass eu comprar no "Eu no comprei" 4. ?abak rac orelha grande "orelha grande" 5. Kuwen gra ave ovo "ovo da ave" 6. n inn pe ?apre Pass me de comprou "Comprou da me Apinay (Graa, 1983)

    44. Iat (Lapenda, 68) 1. tsk txdyot k:k homem peixe come "O homem come peixe" 2. tyai kakane mulher boa "mulher boa" 3. tsk tkh homem cabea "cabea do homem" 4. im-dode pisar-neg "no piso"

    45. Procure exemplificar em sua lngua cada um dos padres de ordem vocabular abaixo e determine se a lngua predominantemente de ncleo inicial ou de ncleo final.