epi 810 introdu o epidemiologia l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
EPI 810: INTRODUÇÃO Á EPIDEMIOLOGIA . PowerPoint Presentation
Download Presentation
EPI 810: INTRODUÇÃO Á EPIDEMIOLOGIA .

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 26

EPI 810: INTRODUÇÃO Á EPIDEMIOLOGIA . - PowerPoint PPT Presentation


  • 182 Views
  • Uploaded on

EPI 810: INTRODUÇÃO Á EPIDEMIOLOGIA . NIGEL PANETH, MD, MPH . Tradução da 1ª parte do curso de Epidemiologia I, realizada por Maria Rita Barros Justino, Farmacêutica Bioquímica, pós-graduada em IMUNOPATOLOGIA, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. LEITURAS.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'EPI 810: INTRODUÇÃO Á EPIDEMIOLOGIA .' - ostinmannual


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
epi 810 introdu o epidemiologia

EPI 810: INTRODUÇÃO Á EPIDEMIOLOGIA.

NIGEL PANETH, MD, MPH.

Tradução da 1ª parte do curso de Epidemiologia I, realizada por Maria Rita Barros Justino, Farmacêutica Bioquímica, pós-graduada em IMUNOPATOLOGIA, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

leituras

LEITURAS

TEXTOS REQUERIDOS:

1) RAJ BHOPAL:Concepts of Epidemiology.

2) Artigos: Na biblioteca do Departamento de Epidemiologia, etiquetado comoEPI 810 ARTICLES

ALTAMENTE RECOMENDADOS:

Last J. M.:A DICTIONARY OF EPIDEMIOLOGY, 4ª edição, 2000

2) Chin J.:Control of Communicable Disease Manual,17th Edition (required for EPI 817)

slide3

O QUE É EPIDEMIOLOGIA?

Qual o conceito atual de epidemiologia?

slide4

AS DUAS DEFINIÇÕES DE UMA EPIDEMIA1. LAST, JM – A DICTIONARY OF EPIDEMIOLOGY – 3rd Ed.A ocorrência em uma região ou comunidade de casos de uma doença; condutas relacionadas a doenças específicas, ou outros eventos claramente relacionados à saúde além daquele esperado.2. From the Babylonian Talmud (Tractate Taanid 21A)Uma cidade que tem 1500 homens em idade militar como AKKO, e que ocorrem 9 mortes em 3 dias; o que é considerado uma PRAGA. Uma cidade com 500 como AMIKO, e tem 3 mortes em 3 dias , é considerado uma PRAGA.

slide5

DEFINIÇÕES DE EPIDEMIOLOGIA-1.

Oxford English Dictionary

O ramo da ciência médica que trata das epidemias.

Kuller LH: Am J. Epid, 1991:134:1051

EPIDEMIOLOGIA é o estudo das epidemias (doenças) e sua prevenção.

Anderson G. quoted in Rothman KL: Modern Epoidemiology.

EPIDEMIOLOGIA: o estudo da ocorrência da doença.

slide6

DEFINIÇÕES DE EPIDEMIOLOGIA-2.

  • Last JM: A Dictionary of Epidemiology.
  • O estudo da distribuição e determinantes dos estados e eventos relacionados à saúde em populações e a aplicação desse estudo no controle de problemas de saúde.
  • Lilienfield A.: in Foundations of Epidemiology.
  • O estudo da distribuição de uma doença ou uma condição fisiológica em populações humanas e dos fatores que influenciam esta distribuição.
slide7

QUAL É A ÚNICA FERRAMENTA DOS EPIDEMIOLOGISTAS?

MEDIR A FREQÜÊNCIA DE UMA DOENÇA NAS POPULAÇÕES.

slide8

MEDIR A FREQÜÊNCIA DAS DOENÇAS TEM VARIOS COMPONENTES:

  • Classificar e caracterizar a doença.
  • Saber qual o componente de um caso de uma doença.
  • Encontrar uma fonte para busca de casos.
  • Definir a população de risco da doença.
  • Definir o período de tempo do risco da doença.
  • Obter permissão para estudar a pessoa.
  • Fazer medidas das freqüências da doença.
  • Relacionar casos à probabilidade na população e tempo de risco.
dois tipos de epidemiologia
EPIDEMIOLOGIA DESCRITIVA

Exame da distribuição de uma doença em uma população e observação dos acontecimentos básicos de sua distribuição em termos deTEMPO, LUGAR E PESSOAS.

TIPOS TÍPICOS DE ESTUDO:

Saúde comunitária (sinônimo de estudo transversal, estudo descritivo).

EPIDEMIOLOGIA ANALÍTICA

Provando uma hipóteseespecífica acerca da relação de uma doença a uma causa, conduzindo estudos epidemiológicos que se relacionem à exposição de interesse com a doença.

TIPOS DE ESTUDOS TÍPICOS:

COORTE, CASOS CONTROLES.

DOIS TIPOS DE EPIDEMIOLOGIA
slide10

A TRIADE BÁSICA DA EPIDEMIOLOGIA DESCRITIVA.

As três características essenciais das doenças nós observamos na Epidemiologia Descritiva.

TEMPO

LUGAR

PESSOA

slide11

TEMPO

  • MUTÁVEL OU ESTÁVEL?
  • VARIAÇÃO SAZONAL
  • AGRUPADO (EPIDÊMICO) OU UNIFORMEMENTE DISTRIBUIDO (ENDÊMICO).
  • PROPAGADO OU DE UMA SÓ FONTE.
slide12

LUGAR

  • GEOGRAFICAMENTE RESTRITO OU DISPERSO (PANDEMICO).
  •   RELACIONADO À ÁGUA OU A ALIMENTOS.
  •   GRUPOS MULTIPLOS OU SOMENTE UM?
slide13

PESSOA

  • IDADE
  • CONDIÇÃO SÓCIO-ECONÔMIICA
  • SEXO
  • ETINIA / RAÇA
  • COMPORTAMENTO
slide14

EPIDEMIOLOGIA DESCRITIVA é um antecedente necessário da epidemiologia analítica.

  • Para empreender um estudo epidemiológico analítico você deve primeiro:
  • Saber onde observar.
  • Saber o que devemos controlar
  • Ser capaz de formular hipóteses compatíveis com as evidencias laboratoriais.
slide15

Um erro comum em epidemiologia é transportar para a epidemiologia analítica sem ter uma base sólida da epidemiologia descritiva da condição.

Assim, as primeiras três, das cinco seções deste curso tratará da EPIDEMIOLOGIA DESCRITIVA.

slide16

Define host, agent?

A TRÍADE BÁSICA DA EPIDEMIOLOGIA ANALÍTICA.

OS TRÊS FENÔMENOS GERALMENTE AVALIADOS EM EPIDEMIOLOGIA ANALÍTICA SÃO:

HOSPEDEIRO

AGENTE

AMBIENTE.

slide17

AGENTES:

  • Nutrientes
  • Tóxicos e/ou venenos
  • Alérgenos
  • Radiação
  • Trauma físico
  • Micróbios
  • Experiências psicológicas
slide18

FATORES DO HOSPEDEIRO

  • CARGA GENÉTICA
  • ESTADO IMUNOLÓGICO
  • IDADE
  • CONDUTA PESSOAL
slide19

MEIO AMBIENTE

  • AGLOMERAMENTO
  • AR ATMOSFÉRICO
  • MODOS DE COMUNICAÇÃO – fenômeno no meio ambiente que reúne o hospedeiro ao agente, tal como:
  • VETOR
  • VEÍCULO
  • RESERVATÓRIO
slide20

OS EPIDEMIOLOGISTAS DEVEM TER CONHECIMENTOS DE SAÚDE PÚBLICA, MEDICINA CLÍNICA, FISIOPATOLOGIA, ESTATÍSTICAS E CIENCIAS SOCIAIS.

  • SAÚDE PÚBLICA – devido a ênfase na prevenção de enfermidades.
  • MEDICINA CLÍNICA – devido a ênfase na classificação das doenças e seus diagnósticos.
  • FISIOPATOLOGIA – devido a necessidade de entender mecanismos biológicos básicos da doença.
  • ESTATÍSTICA – devido a necessidade de quantificar a freqüência das doenças e sua relação com os antecedentes.
  • CIÊNCIAS SOCIAIS – devido a necessidade de entender o contexto social no qual a doença ocorre e se apresenta.
os prop sitos e usos da epidemiologia
Lilienfield A e Stolley: em Foundations of Epidemiology.

1. Esclarecer a etiologia.

2. Avaliar a freqüência com as hipóteses de laboratório.

3. Prover as bases para prevenção.

Jeremiah Morris: USES OFEPIDEMIOLOGY:

1.Entender a história da doença (e prever os modelos da doença).

2.Diagnóstico comunitário – medir a carga da doença numa comunidade.

3.Avaliação de risco para o individuo.

4.Estudos da efetividade dos serviços de saúde.

5.Completando o quadro clínico.

6.Identificação dos sintomas.

7. Seguindo pistas sobre as causas.

OS PROPÓSITOS E USOS DA EPIDEMIOLOGIA
slide22

DIFERENÇA ENTRE CIÊNCIA DE LABORATÓRIO E DE CAMPO

  • NO LABORATÓRIO:
  • Sempre experimental
  • Variáveis controladas pelo investigador.
  • Todas as variáveis conhecidas.
  • Fácil reprodutibilidade
  • Resultados validados
  • Significado dos resultados para seres humanos sem clareza.
  • Pouca necessidade de manipulação estatística de dados.
  • Altamente equipado.
slide23

DIFERÊNÇAS ENTRE CIÊNCIAS DE LABORATÓRIO E DE CAMPO

NO CAMPO:

Mais observação

Variáveis controladas pela natureza

Algumas variáveis desconhecidas

Difícil reprodução: impossível reprodução exata

Resultados um pouco duvidosos

Claro significado dos resultados para seres humanos

Controle estatístico muito importante

Trabalho intensivo.

slide24

TRIUNFOS DA EPIDEMIOLOGIA

  • Identificação da ÁGUA como o maior reservatório e veículo das doenças comunicáveis, tais como: cólera e febre tifóide (1849 – 1856).
  • Identificação de ARTROPODES vetores de muitas doenças – malária, febre amarela, doença do sono, tifo (1895 – 1909).
  • Identificação do portador assintomático como um importante vetor da febre tifóide, difteria e poliomielite (1893 – 1905).
slide25

MAIS TRIUMFOS DA EPIDEMIOLOGIA

  • TABAGISMO encontrado como a causa principal do câncer pulmonar, enfisema e doença cardiovascular.
  • Erradicação da VARÍOLA (1978).
  • Infecção perinatal do HBV como causa de carcinoma hepatocelular (câncer comum na China e África Meridional (1970 – anos 80)
  • Identificação da AIDS, prognóstico das causas por um vírus transmitido via sexual (1981 – 3), e desenvolvimento das medidas preventivas ANTES da identificação do vírus.
slide26

CADA RESULTADO EM SAÚDE TEM ALGUMA CARACTERÍSTICA EPIDEMIOLÓGICA INTERESSANTE E ÚTIL.

O QUE CAUSOU A MORTE DISTO?

Men

Women

Children

Total

1st class

67%

3%

0

38%

2nd class

92%

14%

0

59%

3rd class

84%

54%

66%

62%

Total

82%

26%

48%

62%

Taxas de mortes por classe social de uma certa causa entre 1.316 pessoas.