gest o de pessoas l.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Gestão de Pessoas PowerPoint Presentation
Download Presentation
Gestão de Pessoas

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 44

Gestão de Pessoas - PowerPoint PPT Presentation


  • 234 Views
  • Uploaded on

Gestão de Pessoas. 12 Cultura organizacional, poder e liderança. 12 Cultura organizacional, poder e liderança. 12.1 Preliminares 12.2 Cultura organizacional ; 12.3 Poder ; e 12.4 Liderança . 12.2 Cultura organizacional . 12.2 Cultura organizacional

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Gestão de Pessoas' - oshin


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
gest o de pessoas

Gestão de Pessoas

12 Cultura organizacional,

poder e liderança

slide2

12 Cultura organizacional,

poder e liderança

12.1 Preliminares

12.2 Cultura organizacional;

12.3 Poder; e

12.4 Liderança.

slide3

12.2 Cultura organizacional

12.2 Cultura organizacional

“Por mais que inúmeros autores critiquem a utilização da expressão “cultura organizacional”, não se pode ignorar que ela tem o seu valor e sentido na vida das organizações, as quais, nada mais são, que sociedades formalmente constituídas por pessoas”.

slide4

12.2 Cultura organizacional

12.2.1 Definições e conceitos

.Regularidades observadas no comportamento (Goffman, Van Maanen);

.Normas envolvendo grupos de trabalho (Homans);

.Valores dominantes numa organização (Deal e Kennedy);

.A filosofia que guia as políticas da organização (Ouchi, Pascale e Athos);

slide5

12.2 Cultura organizacional

12.2.1 Definições e conceitos

.As regras do jogo que o novato deve aprender para fazer parte do grupo (Schein, Van Maanen, Ritti e Funkhouser);

.O clima e o sentimento de uma organização no trato com os de fora (Tagiuri e Litwin); e

.“Conjunto de valores, crenças e padrões de comportamento que formam o núcleo de identidade de uma organização” (MEGGINSON, MOSLEY e PIETRI JR., 1998).

slide6

12.2 Cultura organizacional

  • 12.2.1 Definições e conceitos
  • Pilares do núcleo da identidade organizacional,

valores, crenças e padrões de comportamento.

  • “Mal comparando, trata-se da estrutura de um prédio que pode sofrer reformas, mas os pilares centrais pouco serão modificados”.
slide7

12.2 Cultura organizacional

12.2.1 Definições e conceitos

“Um padrão de pressupostos básicos inventados, descobertos ou desenvolvidos por um determinado grupo, à medida que ele aprende a lidar com seus problemas de adaptação externa e integração interna, e que funcionou bem o suficiente para ser considerado válido e ser ensinado a novos membros” (SCHEIN, 1992).

slide8

12.2 Cultura organizacional

  • 12.2.1 Definições e conceitos
  • Fusão de empresas: a fusão não é somente física, também ocorre uma fusão de culturas;
  • .Como “misturar” culturas sem afetar a essência individual de cada uma delas?
slide9

12.2 Cultura organizacional

12.2.1 Definições e conceitos

.As culturas das empresas envolvidas não devem e nem podem sofrer alterações que invalidem o que elas realmente acreditam e defendem; e

.Seus pilares devem ser sempre mantidos erguidos.

slide10

12.2 Cultura organizacional

12.2.2 Características

Por que estudar a cultura de uma organização?

Qual a importância “disso” para o mundo dos negócios?

Schermerhorn Jr., Hunt e Osborn (1999),respondem:

slide11

12.2 Cultura organizacional

12.2.2Características

1) Porque ela define fronteiras claras para todos os membros da empresa: demonstrando o lado formal da cultura de uma organização, no qual normas e regulamentos delimitam as atitudes das pessoas no âmbito organizacional;

slide12

12.2 Cultura organizacional

12.2.2Características

2) Porque ela apresenta um modo consistente de abordar novas situações: exemplo, uma pessoa que trabalha com telemarketing, certamente, ela não sabe o que o cliente irá dizer, mas conhece os procedimentos da organização em que atua e se sentirá segura o suficiente para argumentar; e

slide13

12.2 Cultura organizacional

12.2.2Características

3) Porque ela ajuda a unir as pessoas, garantindo um padrão conhecido de sucesso: as pessoas tendem a buscar organizações que apresentem uma identidade na qual acreditam, de modo que garanta o sucesso.

slide14

12.2 Cultura organizacional

12.2.2 Características

. Os pilares do núcleo da identidade organizacional:

slide15

12.2 Cultura organizacional

12.2.2 Características

.Os pilares, (cont.):

-Chiavenato (1999)“iceberg” onde: os padrões de comportamento refletem a ponta (mais vulnerável às transformações do ambiente), os valores e crenças constituem a base submersa (mais protegida e com maiores dificuldades a mudanças);

slide16

12.2 Cultura organizacional

12.2.2 Características

.Os pilares do núcleo da identidade organizacional:

slide17

12.2 Cultura organizacional

12.2.2 Características

.Os pilares, (cont.):

-Schein (1992)análise sob três camadas:

a) Artefatos: primeira camada representada pelas atitudes visíveis das pessoas da organização (padrões de comportamento);

slide18

12.2 Cultura organizacional

12.2.2 Características

.Os pilares, (cont.):

-Schein (1992)análise sob três camadas:

b) Valores compartilhados: segunda camada, exercem funções essenciais no quadro funcional da organização, pode representar um intenso mecanismo de motivação para as pessoas (crenças); e

slide19

12.2 Cultura organizacional

12.2.2 Características

.Os pilares, (cont.):

-Schein (1992)análise sob três camadas:

c) Pressuposições básicas: diz respeito à camada mais profunda da análise cultural (valores), aspecto subjetivo da cultura, formado pela informalidade, a qual é construída com base nas experiências.

slide20

12.2 Cultura organizacional

  • 12.2.2 Características
  • .Chiavenato (1999), a cultura pode ser classificada em:
  • Adaptativa: culturas organizacionais flexíveis que buscam a inovação aceitando mudanças como um processo natural; e
slide21

12.2 Cultura organizacional

12.2.2 Características

.Chiavenato (1999)a cultura pode ser classificada em (cont.):

-Não-adaptativas: cultura fechada, não disposta a alterações, rígida e voltada para a manutenção do status quo e do conservadorismo.

slide22

12.2 Cultura organizacional

12.2.3Elementos formadores

-Regras e regulamentos: determinam as ações das pessoas, o que pode ou não ser feito, “especificando quando diversos tipos de ações são adequados e qual a posição dos membros individuais no sistema social” (SCHERMERHORN JR.; HUNT e OSBORN, 1999);

slide23

12.2 Cultura organizacional

12.2.3Elementos formadores

-Ambiente organizacional: engloba aspectos informais, tais como “sentimentos das pessoas e a maneira como elas interagem entre si, com os clientes ou elementos externos” (CHIAVENATO, 1999);

-Microculturas: uma cultura é formada por diversas microculturas que têm uma filosofia própria, mas, nem por isso, é contra os princípios da empresa;

slide24

12.2 Cultura organizacional

12.2.3Elementos formadores

-Contraculturas: são partes integrantes da cultura organizacional da mesma forma que as microculturas, as quais têm filosofias próprias em atrito com os princípios da organização (festa de aniversário);

-Linguagem doméstica: vocabulário específico utilizado por pessoas que compartilham da mesma cultura em uma versão macro, ou microcultura ou contracultura em uma versão micro (médicos e engenheiros);

slide25

12.2 Cultura organizacional

12.2.3Elementos formadores

-Ritos: “atividades relativamente elaboradas e planejadas que combinam várias formas de expressão cultural e muitas vezes têm conseqüências tanto práticas quanto expressivas” (TRICE e BEYER, 1987), (entrar pelos fundos);

slide26

12.2 Cultura organizacional

12.2.3Elementos formadores

-Rituais: “métodos e procedimentos detalhados seguidos fiel e regularmente” (MEGGINSON, MOSLEY e PIETRI JR., 1998), (festa de aniversariantes do mês que acontece na última sexta-feira de cada mês, que começa com o “parabéns pra você”, um dos aniversariantes fala qualquer coisinha...);

slide27

12.2 Cultura organizacional

12.2.3Elementos formadores

- Heróis: são aquelas pessoas que devido às repetidas situações de sucesso representam os pilares da organização de uma forma positiva tanto para o ambiente interno, como para o externo;

slide28

12.2 Cultura organizacional

12.2.3Elementos formadores

- Símbolos: estão presentes nos aspectos macros e nos aspectos materiais, tais como “a arquitetura do edifício, as salas e mesas, o tamanho e arranjo físico dos escritórios que definem o grau de igualdade ou diferenciação entre as pessoas e o tipo de comportamento” (CHIAVENATO, 1999); e

slide29

12.2 Cultura organizacional

12.2.3Elementos formadores

-Mitos organizacionais: “são crenças não-confirmadas e geralmente não-declaradas, que são aceitas sem qualquer análise” (SCHERMERHORN JR.; HUNT e OSBORN, 1999), lendas transmitidas pelas pessoas, via conversas informais, sem nenhuma comprovação de veracidade.

slide30

12.2 Cultura organizacional

12.2.4Programa de ambientação

.Um esforço da organização para transmitir sua história e sua cultura àquelas pessoas que ali exercerão suas atividades; e

.Pode ser realizado em um dia, uma semana... Depende de cada empresa.

slide31

12.2 Cultura organizacional

12.2.4Programa de ambientação

.Recursos instrucionais que podem ser utilizados:

-São exibidos filmes sobre a história da organização, é feito um tour pela empresa para se conhecer fisicamente seus setores e unidades, são utilizados aparelhos de projeção (datashow).

slide32

12.2 Cultura organizacional

12.2.4Programa de ambientação

.Objetivos, (Ivancevich, 1995):

-Diminuir a inquietação dos recém-chegados: uma nova roupagem à integração na organização, possibilitando uma pequena intimidade com alguns aspectos da cultura interna;

slide33

12.2 Cultura organizacional

12.2.4Programa de ambientação

.Objetivos, (Ivancevich, 1995):

-Diminuir o turnover (rotatividade): das pessoas da organização, por meio de um programa de ambientação, as pessoas que chegam, rapidamente se sentirão parte integrante do novo ambiente, de modo que o processo de rotatividade nos primeiros meses de atuação será minimizado;

slide34

12.2 Cultura organizacional

12.2.4Programa de ambientação

.Objetivos, (Ivancevich, 1995):

-Diminuir o tempo: quando o recém-contratado não recebe as orientações necessárias para abrir a porta de seu novo ambiente, mais tempo esta pessoa irá despender para conhecer seus futuros colegas e a própria organização; e

slide35

12.2 Cultura organizacional

12.2.4Programa de ambientação

.Objetivos, (Ivancevich, 1995):

-Desenvolver expectativas realísticas: capacitar os novatos(as) para que eles(elas) possam buscar novos caminhos no plano real, ou melhor, como diz o ditado “manter os pés no chão”.

slide36

12.2 Cultura organizacional

12.2.6 Mudanças organizacionais

.Condições que podem vir a facilitar a mudança cultural, (CHIAVENATO, 1999):

-Um momento de forte tensão: ocorrida uma situação crítica, é sinal de que a cultura organizacional está em desequilíbrio, este fato facilita uma possível mudança;

slide37

12.2 Cultura organizacional

12.2.6 Mudanças organizacionais

.Condições, (CHIAVENATO, 1999), (cont.):

-Mudanças na alta administração: quando novas pessoas entram para compor o quadro de gestores, esses novos gestores tendem a trazer um novo estilo de gestão, baseado em outros valores;

slide38

12.2 Cultura organizacional

12.2.6 Mudanças organizacionais

.Condições, (CHIAVENATO, 1999), (cont.):

-A organização ser de pequeno porte: o esforço necessário para a efetivação das mudanças propostas e aprovadas, na organização de pequeno porte, é bem menor face o grau de complexidade ser pequeno ou mesmo quase inexistente; e

slide39

12.2 Cultura organizacional

12.2.6 Mudanças organizacionais

.Condições, (CHIAVENATO, 1999), (cont.):

-Uma organização ser recente: no sentido de ser nova mesmo. Não que este fato irá determinar a força de sua cultura, mas a tendência é que esta, ainda, esteja construindo seus pilares de modo a propiciar mudanças.

slide40

12.2 Cultura organizacional

12.2.6 Mudanças organizacionais

(MEGGINSON, MOSLEY E PIETRI JR., 1998)

Forças externas (clientes, fornecedores, demais stakeholders e a concorrência) e

Forças internas.

slide41

12.2 Cultura organizacional

12.2.6 Mudanças organizacionais

.As forças externas possuem um maior impacto na cultura da organização, na medida em que são pouco controláveis e afetam de forma incisiva a sobrevivência dos negócios; e

.As forças internas, muitas vezes, fruto das externas, referem-se ao comportamento das pessoas da organização frente a novos desafios, “essa interligação entre as duas forças quase sempre resulta de mudanças de valores e atitudes que afetam as pessoas nos sistemas”.

slide42

12.2 Cultura organizacional

  • 12.2.6 Mudanças organizacionais
  • Mas afinal, quem assume a condução
  • dessas circunstâncias que conduzem
  • a mudanças na organização?
  • O agente de mudançapessoa da organização; ou
  • 2) Um membro externo no papel de consultor.
slide43

12.2 Cultura organizacional

12.2.6 Mudanças organizacionais

-Em ambos os casos, o agente de mudança é quem ficará responsável por definir o problema advindo das pressões sentidas pela organização e participar às pessoas, estimulando a busca de soluções, para, então, testar estas saídas.

slide44

12.2 Cultura organizacional

12.2.6 Mudanças organizacionais

E ele, o gestor de pessoas,

como fica nos processos de mudanças organizacionais?