controlador l gico program vel clp n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Controlador Lógico Programável - CLP PowerPoint Presentation
Download Presentation
Controlador Lógico Programável - CLP

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 60

Controlador Lógico Programável - CLP - PowerPoint PPT Presentation


  • 72 Views
  • Uploaded on

Controlador Lógico Programável - CLP. Prof. Cesar da Costa. 5.a Aula. Apresentação geral dos CLPs da linha TSX 37-22. Modular ; Memória de programa do usuário pode ser aumentada ; Aceita um módulo de comunicação ; Não tem módulos de I/O embutidos como padrão ;

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Controlador Lógico Programável - CLP' - minda


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
controlador l gico program vel clp

Controlador Lógico Programável - CLP

Prof. Cesar da Costa

5.a Aula

slide2

Apresentação geral dos CLPs da linha TSX 37-22

  • Modular ;
  • Memória de programa do usuário pode ser aumentada ;
  • Aceita um módulo de comunicação ;
  • Não tem módulos de I/O embutidos como padrão ;
  • Pode receber até: 140 I/Os com bornes para conexão ;
  • Configurações quanto a alimentação: AC, DC.
  • Entradas de contagem rápida;
  • Entradas e saídas analógicas.
slide3

O CLP TSX 37-22 permite a expansão do número de slots para a inserção de módulos através de um rack de extensão e estes, no que diz respeito a I/Os discretos, são fornecidos em 2 tamanhos : 

  • Tamanho padrão - ocupam 2 posições no slot ;
  • Tamanho reduzido - ocupam apenas 1 posição no slot ;
slide4

7. Tampa para acesso aos terminais de alimentação.

8. Etiqueta a ser preenchida quando na troca da bateria.

9. Terminais de alimentação.

10. Slot para um cartão de comunicação.

11. Tampa de acesso à bateria opcional.

12. Conector para rack de extensão, normalmente protegido por uma tampa removível.

13. Dispositivo para montagem em trilhos DIN.

14. Conectores para funções analógicas e de contagem integradas.

1. Rack com 3 slots, integrando a alimentação, o processador e sua memória básica.

2. Ponto de montagem do CLP.

3. Bloco central de visualização.

4. Porta de comunicação ( TER ).

5. Porta de comunicação auxiliar ( AUX ) para comunicação com a interface homem - máquina.

6. Slot para um cartão de extensão de memória. Se nenhum cartão está presente, este slot éequipado com um soquete que deve ser colocado no lugar; sua remoção causa a parada doCLP.

slide6

Módulos de I/O Discretos

  • Os CLPs da linha TSX 37 não possuem módulos de I/O integrados. Qualquer necessidade relacionada a estas é sanada por meio do uso de cartões módulares.
  • Os módulos de I/O discretos diferem-se não somente em seu formato (padrão para módulos de I/O mistos e reduzido para módulos de entrada ou de saída ), mas também pela sua modularidade (de 4 saídas a 64 entradas e saídas ), pelo tipo de entradas ( DC ou AC ), pelo tipo de saídas ( transistor ou relé ) e pelas conexões (bloco de bornes ou conectores HE10 ).
  • Estas entradas e saídas discretas são utilizadas para o acionamento de atuadores, sensoriamento, etc.
slide7

Visualização dos Estados e Falhas dos Módulos

  • O Bloco de visualização centraliza um grupo de serviços que são requeridos para :
  • Setup
  • Operação
  • Diagnóstico
  • Manutenção
slide10

Visualizando o Estado do CLP

  • A visualização dos estados de I/O é feita por meio de 3 blocos de 32 LEDs no TSX 37-21 / TSX 37-22, que apresentam os estados de I/O de dois ou três módulos simultaneamente. Estes módulos estão localizados nos slots 2 ou 3 da base ou nos dois slots do rack de extensão.
  • Um curto pressionamento no botão do bloco de visualização seleciona o grupo a ser apresentado:
  • Base( o LED BASEé acesso )
  • Rack de extensão ( o LED EXT é aceso ).
slide11

Visualização de Falhas nos Módulos

  • As falhas são apresentadas no modo diagnóstico, acessível por um pressionamento longo ( maior que 1 segundo ) do botão no bloco de visualização, se uma entrada ou saída está com falha, seu LED correspondente pisca rapidamente.
  • Se um módulo está com falha ( módulo faltando, não está de acordo com a configuração, módulo desligado, etc ), todos os LEDs correspondentes a seu slot piscam lentamente. Este modo permite a visualização de falhas em todos os módulos ( módulos de I/O discretos, módulos contadores, etc ).
slide13

PORTA DE COMUNICAÇÃO

  • Os CLPs TSX 37-21 e TSX 37-22 tem duas portas de comunicação distintas, assinaladas como TER e AUX, que são funcionalmente idênticas.
  • Elas permitem conexão simultânea de um terminal de programação e de uma interface homem - máquina.
slide16

Linguagens de Programação Normalizadas :

  • LADDER DIAGRAM ( LD ) - linguagem (diagrama) de contatos ;
  • FUNCTION BLOCK DIAGRAM ( FBD ) - esquema de blocos funcionais ;
  • INSTRUCTION LIST ( IL ) - lista de instruções;
  • STRUCTURED TEXT ( ST ) - texto estruturado ;
  • SEQUENTIAL FUNCTION CHART ( SFC ) - diagrama funcional de seqüências.
slide17

Objetos linguagem

  • Os objetos pré definidos deverão ter o nome e o tipo declarado pelo programador.
slide18

SOFTWARE PL7 MICRO

  • O software Pl7 Micro é uma poderosa ferramenta executada em ambiente Windows e através do menu principal, do toolbar e do status bar, nos permite construir qualquer aplicação de uma forma bem simples e fácil.
  • Outra característica importante quanto à transferência das aplicações elaboradas para o CLP é a possibilidade de modificação destas aplicações com o programa em operação (rodando).
slide19

Ambiente do Software

  • Após termos definido todas as características quanto ao tipo de linguagem, tipo de PLC, módulos a serem utilizados, etc (isso tudo é tratado com detalhes no guia prático), a tela para construção de uma nova aplicação se apresentará da seguinte maneira.
slide28

Ferramentas para Construção das Aplicações

  • O Toolbar

Caso esta barra não esteja visível na tela de construção, Clique em Options no menu principal e escolha a opção Toolbar. A seguir está demonstrado a barra do toolbar e uma breve descrição da função do botões.

slide31

Palete para a Construção da Aplicação em Ladder

  • Para facilitar a construção em ladder, temos a disposição um palete com botões que nos permitem construir uma aplicação com mais facilidade.
  • Podemos acessar os contatos (NA,NF), Blocos comparadores (COMP), temporizadores (TM), contadores (C), monoestáveis (MN), registradores (R), druns (DR), blocos de funções pré-definidas (PID, etc), blocos para construção de subrotinas, etc.
slide32

Caso este palete não esteja visível, clique um View no menu principal e escolha a opção Palette.

slide34

Debug Bar

  • Assim como temos o Toolbar, o Palete de Botões e o Status Bar (será visto adiante), temos também o Debug Bar que é utilizado para acessar algumas funções de configuração do programa que está sendo executado (isto quando o micro está conectado ao CLP).
  • Caso esta barra de ferramenta não esteja visível na tela principal, clique em Options no menu principal e escolha a opção Debug Bar.
slide38

Configuração do CLP

  • Quando estamos na tela do software do nosso CLP (nosso caso o PL7 Micro) e temos como intenção construir uma nova aplicação, a primeira coisa que se deve fazer é configurar o software para que este se comunique corretamente com o CLP.
  • Nesta configuração é definido o modelo do CLP que estará recebendo o programa, os módulos que estão sendo utilizados no CLP, o cartão que estará sendo utilizado para a expansão de memória (se estiver sendo utilizado um cartão para a expansão de memória), enfim, todos os parâmetros que devem ser configurados para que o software se identifique com o modelo do CLP que estará recebendo o programa.
slide39

Configuração do CLP

  • Para fazer estas configurações devemos seguir uma sequencia:
  • 1. Primeiro, estando na tela de construção das aplicações, é preciso selecionar a função que nos possibilitará fazer esta configuração, está função pode ser acessada clicando-se sobre a opção Application no menu principal ou através do ícone de configuração demonstrado abaixo.
slide42

Configuração do CLP

Observando a janela acima, podemos perceber que é possível se limitar o número de funções do bloco de funções.

slide44

Configuração do CLP

  • Como podemos notar observando a figura abaixo, através desta janela podemos configurar a variação ( range ) se será feita a partir de um valor de tensão ou corrente, a filtragem do sinal (Filtering) e através das opções contidas no campo Falback Mode on Failure podemos definir, em caso de uma falha ou problema qualquer que possa ocorrer, se o valor que estava contido na E/S analógica é armazenado e retornado quando for resolvido o problema (opção Maintain Current Value ­) ou se o valor retornado será zero ( opção Fallback to 0 ).
slide45

Configuração do CLP

  • Contadores On Board (1.6): Além dos módulos contadores que podem ser incrementados (TSXCTZ2A, por exemplo), temos disponíveis dois contadores internos. Para configurá-los devemos dar um duplo clique sobre o retângulo Counting , feito isto, abrirá uma janela como demonstrado abaixo.
slide46

Configuração do CLP

  • Como podemos observar na janela abaixo temos disponíveis duas janelas drop-down que nos possibilita selecionar qual dos contadores estamos configurando (janela Counter) o tipo de contagem que será executada, se crescente, decrescente ou crescente/decrescente (janela Function).
slide47

Configuração do CLP

  • Após ter selecionado um dos contadores com um tipo de contagem qualquer (crescente para o contador zero, por exemplo) se abrirá uma janela como demonstrado abaixo.
slide48

Configuração do CLP

  • Como podemos perceber na figura anterior, podemos determinar para o contador zero se contagem será feita por borda de subida ou descida;
  • Se ocorrerá a partir de um evento (opção EVT), o tipo de tarefa (MAST ou TASK), se o sinal será retornado através de componentes sólidos (Solid State Contact) ou contato mecânico (Mechanical Contact) através da opção Input Interface.
  • Podemos também determinar através da opção Action wen Crossing Setpoint sequando o contador finalizar uma contagem preestabelecida irá ser resetado (Reset Counter) ou permanecerá em um valor final qualquer de contagem (opção Do not Reset Counter ).
slide49

Configuração do CLP

  • Todas essas configurações são válidas para o modo Configuration, temos também disponível as configurações para o modo Adjust, selecionado esse modo se abrirá uma janela como demonstrado na figura abaixo;
slide50

Configuração do CLP

  • CPU do TSX 3722 (1.7): Dando um duplo clique sobre a escrita TSX 3722, como demonstrado se abrirá uma janela como demonstrado abaixo.
slide51

Configuração do CLP

  • Como demonstrado na figura acima, através dessa janela que é aberta podemos determinar um nome para a aplicação, os modos de operação, o tipo de tarefa, os tempos de watchdog e tempo de execução das tarefas (caso tenha sido selecionado o tipo de tarefa Cyclic ).
  • Caso estivermos utilizando um cartão para a expansão de memória devemos configurar este no campo Memory Card abrindo a janela drop-down localizada no canto inferior direito. Os cartões disponíveis para a expansão de memória são de 32Kbytes e 64 Kbytes.
slide52

Configuração do CLP

  • Comunicação (1.8): Temos também disponível o retângulo Comm que nos permite configurar todos os parâmetros de comunicação do CPL com algum dispositivo externo (terminal de programação, software supervisório, MMI, etc). Dando um duplo-clique sobre este retângulo se abrirá uma janela como demonstrado a seguir.
slide53

Configuração do CLP

  • Módulos de E/S :
  • Toda vez que se deseja utilizar um módulo de E/S deve-se configurar o CLP para que este reconheça o modelo e consequentemente o tipo de módulo que estará sendo utilizado no espaço reservado para os módulos, esses módulos são conectados na base do CLP.
  • De acordo com o modelo do módulo que será selecionado, o software já trás uma janela (planilha) que será aberta para configuração dos parâmetros desse módulo.
slide54

Configuração do CLP

  • Para melhor compreender esse reconhecimento do módulo feito pelo CLP, vamos configurar o um módulo já conectado no rack do CLP;
  • Vamos supor que estivéssemos conectado nas entradas 1 e 2 do rack do CLP o módulo de I/O digitais TSX DMZ28DR (16 entradas e 12 saídas), para configurar este módulo devemos dar um duplo clique sobre o espaço reservado ao módulo como demonstrado a seguir.
slide56

Configuração do CLP

  • Dando um duplo clique sobre o espaço como demonstrado acima se abrirá uma janela com a opção de todos os módulos que poderíamos configurar para fixar sobre essa área reservada no rack do CLP. O módulo que iremos configurar é um módulo de E/S digital, como já foi dito.
slide57

Configuração do CLP

  • No campo Family está a opção de todos os módulos que podemos configurar para fixar sobre a parte do rack selecionada, no caso desse espaço que nós selecionamos só podemos conectar módulos digitais com um dos modelos descritos no campo Module, se fossemos conectar um módulo de E/S analógico, de contador ou qualquer outro módulo, deveríamos selecionar outro espaço disponível no rack do CLP que nos desse a opção de configurar o módulo correspondente.
  • Selecionado o tipo do módulo no campo Family e o modelo correspondente no campo Module podemos clicar em OK e o módulo foi reconhecido pelo sistema. Agora em vez de aparecer o espaço em branco o espaço aparecerá em amarelo com o modelo do módulo descrito;
slide59

Configuração do CLP

  • Após ter configurado o módulo como acabamos de fazer, toda vez que dermos um duplo clique sobre o espaço selecionado será apresentada uma janela com todas as propriedades referentes a esse objeto.
  • No nosso caso por se tratar de um módulo digital se abrirá a janela a seguir;
slide60

Configuração do CLP

  • Como podemos perceber na janela acima podemos configurar todos os parâmetros referentes as E/S digitais, se tivéssemos configurado um outro módulo qualquer (contador, E/S analógico, etc) poderíamos configurar os parâmetros referentes a esse módulo.